Mostrando postagens com marcador economia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador economia. Mostrar todas as postagens
Se você pensou que a voracidade da imprensa tradicional em atacar o atual Governo se relaciona basicamente em entregar nosso petróleo, no caso o pré-sal, você se enganou.

O BRICS é uma ameaça ao modelo de colonialismo dos EUA e a Europa. Cinco países, trẽs sendo quase que continentais, dois sendo os mais populosos, podem de uma vez por todas acabar com as regalias de uma plutocracia cada vez mais poderosa

Mas por que nossa imprensa faria isso? Basta lembrar que a maior parte dela foi estruturada com dinheiro americano, após a II Guerra Mundial.
Não só o Brasil, mas nessa atual conjuntura outros países do bloco estão sendo sabotados. O processo é sempre o mesmo, inteligência da CIA, financiamento de grupos locais e partidos pró-EUA, e mídia tradicional manipulando fatos, fomentando a mídia social, para que tudo fique com cara de vontade popular.
(docverdade)



Agradecimentos à Antonio S. pela sugestão e link.

Fonte: DocVerdade

Brasil: O Que Está Por Trás do Terceiro Turno?

Se você pensou que a voracidade da imprensa tradicional em atacar o atual Governo se relaciona basicamente em entregar nosso petróleo, no caso o pré-sal, você se enganou.

O BRICS é uma ameaça ao modelo de colonialismo dos EUA e a Europa. Cinco países, trẽs sendo quase que continentais, dois sendo os mais populosos, podem de uma vez por todas acabar com as regalias de uma plutocracia cada vez mais poderosa

Mas por que nossa imprensa faria isso? Basta lembrar que a maior parte dela foi estruturada com dinheiro americano, após a II Guerra Mundial.
Não só o Brasil, mas nessa atual conjuntura outros países do bloco estão sendo sabotados. O processo é sempre o mesmo, inteligência da CIA, financiamento de grupos locais e partidos pró-EUA, e mídia tradicional manipulando fatos, fomentando a mídia social, para que tudo fique com cara de vontade popular.
(docverdade)



Agradecimentos à Antonio S. pela sugestão e link.

Fonte: DocVerdade

Published at: By Luis R. Miranda

O Brasil vem vivendo em dois mundos paralelos nos últimos 16 anos. (Foto: abril.com.br)
Os brasileiros estão começando a sentir o aperto da segunda  administração Dilma Rousseff, o mais recente governo em um total de 4 em quase 16 anos de controle do PT.

PORTO ALEGRE - Mesmo as pessoas que são apolíticas ou que realmente não dão a mínima para a política agora estão falando sobre um inicio de ano não muito promisor.

A mais recente lista de medidas governamentais dá a razão aos brasileiros no inicio do segundo governo de Dilma Rousseff: aumentos de impostos, inflação fora de controle, aumento no preço dos serviços públicos, menos financiamento para a educação, taxas de juros mais elevadas e por último, mas não menos importante, o mais novo escândalo político na Petrobras.

Dadas as circunstâncias, o início de 2015 não parece muito bom.

O que acontece é que o Brasil vem vivendo em dois mundos paralelos nos últimos 16 anos. Em um deles, um mundo de fantasia, os políticos falam sobre as grandes realizações alcançadas sob o socialismo do PT.

No outro mundo, o verdadeiro, é o lugar onde os brasileiros tiveram mais aumentos de impostos, maior inflação, aumento no preço dos serviços públicos, menos financiamento para a educação,  taxas de juros mais altas, o colapso da infra-estrutura básica, piores serviços de saúde e assim por diante.

Depois de manter-se no poder na última eleição e sem nada a perder em seu segundo mandato, a presidente Dilma Rousseff parece pronta para dizer como ela pretende governar.

Depois de ter a confiança de milhões de brasileiros, Dilma e o PT perderam a maioria dessa confiança nos últimos 5 anos, com escândalo após escândalo apontando para a liderança política como administradores de corrupção.

É a esta situação que Dilma precisa oferecer esperança, uma vez que parece que o início de 2015 só trouxe desilusão e medo de ter que lidar com um momento amargo de austeridade econômica.

Um país que, durante a última eleição foi dividido apenas por alguns milhões de votos, ainda não é um país dilacerado, mas está bem encaminhado para se tornar um. É o mesmo Brasil que o mundo conhecia antes da Copa das Confederações em 2013.

Aqueles que deram o seu voto para outros candidatos têm o mesmo sonho de aqueles que votaram de novo pelo PT: um país melhor para si e para seus futuros filhos. O problema é que o Partido dos Trabalhadores tem se recusado a trabalhar pelo país e por esse objetivo por quase 16 anos.

Pode ser uma divisão entre duas formas de governo, entre duas idéias políticas, mas ambos os blocos sociais, os partidários de políticas neoliberais e aqueles que preferem o socialismo querem mudar o Brasil de hoje pelo Brasil do século 21, o mesmo que Lula e Dilma anunciaram há alguns anos, mas que nunca chegou.

Os brasileiros parecem estar cansados da corrupção, da hipocrisia, da mediocridade e da falta de ética que não deve ser a regra, porque eles confiaram em seus líderes para trabalhar de uma forma diferente.

Brasileiros de ambos os lados pensam o mesmo sobre a corrupção política, a deslealdade, os abusos de poder e a falta de participação da sociedade civil noo governo.

Dilma precisa entender que ela agora está governando para um público cada vez mais informado cujos números aumentam diariamente. Mais pessoas lêem de forma diferente, não com as lentes da apatia política e do conformismo.

Cada novo presidente, a partir de agora, terá maior dificuldade para governar porque os brasileiros despertaram de um longo sono e, ao fazê-lo, não aceitam passivamente as ordens pois adquiriram maior capacidade para monitorar seus governantes.

Pode ser mais difícil e complexo para os governantes. Neste caso, para Dilma, nos próximos quatro anos, ela vai ser observada por uma oposição política mais ativa com a qual ela tem que viver sem estigmatizá-la.

A líder de 200 milhões de brasileiros tem a tarefa e a obrigação de tomar decisões que são consistentes com as promessas de campanha e ser capaz de corrigir os erros que negaram uma vitória mais ampla.

A pergunta é: Será que ela vai fazer isso? Será que ela pode? Infelizmente, a resposta a estas duas perguntas é não. A presidente não pode e não vai acabar com a corrupção, a desigualdade e a injustiça, quando ela participa da corrupção, da desigualdade e da injustiça e quando sua ética tem sido comprometida.

Embora a sabedoria comum diz que não deve ser difícil governar um país onde tudo o que as pessoas querem é ser amadas, reconhecidas pela sua dignidade e respeitadas, nenhuma figura política que tomou parte no escândalo do Mensalão ou a extorsão na Petrobras tem a posição política ou moral para fazer o trabalho bem feito.

Além dos escândalos políticos, os brasileiros têm que lidar com a crise econômica iminente causada pela pobre gestão dos dinheiros públicos, uma infra-estrutura em colapso, o crescimento da pobreza, uma moeda fortemente desvalorizada, um salário mínimo insuficiente e a acumulação acelerada de riqueza nas mãos das elites políticas e econômicas.

A sociedade brasileira satisfeita com pouco e feliz de seguir o seu “jeitinho” está morrendo. O que está emergindo é um país mais exigente, talvez menos cordial e ainda mais violento, mas mais moderno e realista.

Talvez o renomado antropólogo Roberto da Matta, que desvendou como poucos as idiossincrasias do brasileiro, que se divide entre a casa e a rua, fala sobre a nova sociedade que está surgindo, onde muitas portas e janelas estão entrando em colapso. “Os brasileiros encontraram uma nova maneira de viver, usando as redes sociais para serem mais políticos, as pessoas começam a ser mais políticas e a fazer mais política do que nos gabinetes da Presidência.”

O Brasil está começando a andar, mas ainda na ponta dos pés, caminhando em direção a novas formas de modernidade que assustam a velha guarda. Dilma vai governar estes quatro anos com sua orelha e cabeça colada aos anseios dos novos brasileiros.

Hoje, a elite política sabe que os brasileiros estão conscientes de sua escravidão pelos governos democraticamente eleitos. A questão é, então, será que as elites políticas e econômicas entendem o que significa essa consciência?

Brasil abriu 2015 com a inauguração de Dilma Rousseff como presidente, que será o quarto mandato consecutivo do Partido dos Trabalhadores (PT), a mais longa da democracia brasileira.

Em seu discurso de posse em Brasília, Dilma defendeu sua política e disse que continuará abrindo espaço para ganhos sociais e mais responsabilidade econômica.

“Nós vamos provar que você pode fazer ajustes na economia sem perder os direitos adquiridos“, disse ela depois do passeio cerimonial em um Rolls Royce conversível que a levou ao Congresso.

Ela poderia ter mostrado os contrastes entre o que diz e o que faz de forma mais clara andando de Rolls Royce e avisando sobre ajustes econômicos?

Rousseff passou os primeiros minutos de seu discurso falando sobre a recente transformação social do país que, segundo ela, tem resgatado 36 milhões de pessoas da pobreza extrema“, especialmente durante as administrações do seu partido.

A crença de Dilma é que é aceitável que existam pessoas em situação de pobreza e que, enquanto eles estão em situação de pobreza e não em pobreza extrema, isso significa que as coisas estão melhores.

No meu primeiro mandato superamos a pobreza extrema. Vivemos a primeira geração de brasileiros que não sofreu a tragédia da fome. Nunca antes existem tantos empregos formais. Nunca antes tantos brasileiros tornaram-se proprietários de casas, disse a presidente sob os aplausos de seus convidados.

A realidade está, no entanto, longe do discurso político de Dilma. Os políticos vivem em um mundo de fantasia paralelo, lembra? Enquanto Dilma se elogia e elogia o seu partido pelo que ela considera grandes realizações, sob as linhas de pobreza internacionais, o número de pobres no Brasil chega a 7%, que é aproximandamente 14 milhões de pessoas que vivem com menos de 2 dólares por dia. Em 2013, quase 15% dos brasileiros viviam abaixo da linha nacional de pobreza no Brasil.

O discurso da Dilma continuou a reafirmar a nova direção econômica que o país seguirá depois que seu discurso confirmou a seleção do banqueiro Joaquim Levy como novo Ministro das Finanças.

Como já informamos em 2014, Levy é um ex-gerente de ativos do conglomerado bancário Bradesco. “Ele é um defensor do neoliberalismo ortodoxo, tendo ganho um PhD na Universidade de Chicago, a mesma instituição na qual formou-se o ex-ditador chileno Augusto Pinochet“, escreve Bill Van Auken, um jornalista, ativista e político.

As promessas de austeridade e ajustes têm despertado a ira dos eleitores do Partido dos Trabalhadores (PT), que não acham que Levy seja o campeão de seus ideais econômicos socialistas.

“A presidente conhece o Levy muito bem. Se ela o escolheu é porque ela sabe da necessidade de uma nova abordagem“, defendeu o ex-ministro da Fazenda Antônio Palocci.

Um dos principais desafios para Rousseff é melhorar as condições econômicas através da recuperação da economia, do comércio internacional e da política fiscal sem criar despesas desnecessárias.

Em um país onde o governo controla quase tudo, vai ser muito mais difícil cortar gastos desnecessários, a menos que o governo acabe com milhares de CCs ou cargos de confiança, cujos titulares ganham três ou quatro vezes mais do que aqueles que são pagos o salário mínimo.

As contas, no entanto, não serão a única preocupação de Rousseff. A presidente de 67 anos começou seu segundo mandato com um PT dividido, uma máfia política enfraquecida por alegações que prejudicam a imagem e ações - ou inações - vistas no escândalo Petrobras.

A suspeita de que a rede corrupta desvia dinheiro e suborna funcionários do governo agora é bem conhecida, pois é de conhecimento público que tais esquemas de corrupção foram estabelecidos durante a administração Lula da Silva e Dilma Rousseff para beneficiar seus aliados políticos.

Como qualquer outro político, a presidente anunciou em seu discurso a criação de um novo pacote de leis para combater a corrupção. Isso é exatamente o que os políticos que não sabem nada sobre como governar fazem: criam mais burocracia para lidar com a corrupção que decorre de estruturas burocráticas existentes.

Será que o Brasil pode sobreviver mais quatro anos?

Luis Miranda é um jornalista premiado e fundador e editor-chefe do The Real Agenda News. Durante seus 18 anos de carreira jornalísitica ele trabalhou em quase todas as formas de mídia. Seus artigos incluem temas como o ambientalismo, a Agenda 21, a mudança climática, a geopolítica, a globalização, a saúde, as vacinas, a segurança alimentar, o controle corporativo dos governos, imigração e os cartéis bancários, entre outros. Luis trabalhou como repórter e apresentador de programas de notícias ao vivo. Ele também trabalhou como roteirista, produtor e co-produtor de notícias.

Fonte: Real Agenda  

O Brasil pode sobreviver mais quatro anos?

Published at: By Luis R. Miranda

O Brasil vem vivendo em dois mundos paralelos nos últimos 16 anos. (Foto: abril.com.br)
Os brasileiros estão começando a sentir o aperto da segunda  administração Dilma Rousseff, o mais recente governo em um total de 4 em quase 16 anos de controle do PT.

PORTO ALEGRE - Mesmo as pessoas que são apolíticas ou que realmente não dão a mínima para a política agora estão falando sobre um inicio de ano não muito promisor.

A mais recente lista de medidas governamentais dá a razão aos brasileiros no inicio do segundo governo de Dilma Rousseff: aumentos de impostos, inflação fora de controle, aumento no preço dos serviços públicos, menos financiamento para a educação, taxas de juros mais elevadas e por último, mas não menos importante, o mais novo escândalo político na Petrobras.

Dadas as circunstâncias, o início de 2015 não parece muito bom.

O que acontece é que o Brasil vem vivendo em dois mundos paralelos nos últimos 16 anos. Em um deles, um mundo de fantasia, os políticos falam sobre as grandes realizações alcançadas sob o socialismo do PT.

No outro mundo, o verdadeiro, é o lugar onde os brasileiros tiveram mais aumentos de impostos, maior inflação, aumento no preço dos serviços públicos, menos financiamento para a educação,  taxas de juros mais altas, o colapso da infra-estrutura básica, piores serviços de saúde e assim por diante.

Depois de manter-se no poder na última eleição e sem nada a perder em seu segundo mandato, a presidente Dilma Rousseff parece pronta para dizer como ela pretende governar.

Depois de ter a confiança de milhões de brasileiros, Dilma e o PT perderam a maioria dessa confiança nos últimos 5 anos, com escândalo após escândalo apontando para a liderança política como administradores de corrupção.

É a esta situação que Dilma precisa oferecer esperança, uma vez que parece que o início de 2015 só trouxe desilusão e medo de ter que lidar com um momento amargo de austeridade econômica.

Um país que, durante a última eleição foi dividido apenas por alguns milhões de votos, ainda não é um país dilacerado, mas está bem encaminhado para se tornar um. É o mesmo Brasil que o mundo conhecia antes da Copa das Confederações em 2013.

Aqueles que deram o seu voto para outros candidatos têm o mesmo sonho de aqueles que votaram de novo pelo PT: um país melhor para si e para seus futuros filhos. O problema é que o Partido dos Trabalhadores tem se recusado a trabalhar pelo país e por esse objetivo por quase 16 anos.

Pode ser uma divisão entre duas formas de governo, entre duas idéias políticas, mas ambos os blocos sociais, os partidários de políticas neoliberais e aqueles que preferem o socialismo querem mudar o Brasil de hoje pelo Brasil do século 21, o mesmo que Lula e Dilma anunciaram há alguns anos, mas que nunca chegou.

Os brasileiros parecem estar cansados da corrupção, da hipocrisia, da mediocridade e da falta de ética que não deve ser a regra, porque eles confiaram em seus líderes para trabalhar de uma forma diferente.

Brasileiros de ambos os lados pensam o mesmo sobre a corrupção política, a deslealdade, os abusos de poder e a falta de participação da sociedade civil noo governo.

Dilma precisa entender que ela agora está governando para um público cada vez mais informado cujos números aumentam diariamente. Mais pessoas lêem de forma diferente, não com as lentes da apatia política e do conformismo.

Cada novo presidente, a partir de agora, terá maior dificuldade para governar porque os brasileiros despertaram de um longo sono e, ao fazê-lo, não aceitam passivamente as ordens pois adquiriram maior capacidade para monitorar seus governantes.

Pode ser mais difícil e complexo para os governantes. Neste caso, para Dilma, nos próximos quatro anos, ela vai ser observada por uma oposição política mais ativa com a qual ela tem que viver sem estigmatizá-la.

A líder de 200 milhões de brasileiros tem a tarefa e a obrigação de tomar decisões que são consistentes com as promessas de campanha e ser capaz de corrigir os erros que negaram uma vitória mais ampla.

A pergunta é: Será que ela vai fazer isso? Será que ela pode? Infelizmente, a resposta a estas duas perguntas é não. A presidente não pode e não vai acabar com a corrupção, a desigualdade e a injustiça, quando ela participa da corrupção, da desigualdade e da injustiça e quando sua ética tem sido comprometida.

Embora a sabedoria comum diz que não deve ser difícil governar um país onde tudo o que as pessoas querem é ser amadas, reconhecidas pela sua dignidade e respeitadas, nenhuma figura política que tomou parte no escândalo do Mensalão ou a extorsão na Petrobras tem a posição política ou moral para fazer o trabalho bem feito.

Além dos escândalos políticos, os brasileiros têm que lidar com a crise econômica iminente causada pela pobre gestão dos dinheiros públicos, uma infra-estrutura em colapso, o crescimento da pobreza, uma moeda fortemente desvalorizada, um salário mínimo insuficiente e a acumulação acelerada de riqueza nas mãos das elites políticas e econômicas.

A sociedade brasileira satisfeita com pouco e feliz de seguir o seu “jeitinho” está morrendo. O que está emergindo é um país mais exigente, talvez menos cordial e ainda mais violento, mas mais moderno e realista.

Talvez o renomado antropólogo Roberto da Matta, que desvendou como poucos as idiossincrasias do brasileiro, que se divide entre a casa e a rua, fala sobre a nova sociedade que está surgindo, onde muitas portas e janelas estão entrando em colapso. “Os brasileiros encontraram uma nova maneira de viver, usando as redes sociais para serem mais políticos, as pessoas começam a ser mais políticas e a fazer mais política do que nos gabinetes da Presidência.”

O Brasil está começando a andar, mas ainda na ponta dos pés, caminhando em direção a novas formas de modernidade que assustam a velha guarda. Dilma vai governar estes quatro anos com sua orelha e cabeça colada aos anseios dos novos brasileiros.

Hoje, a elite política sabe que os brasileiros estão conscientes de sua escravidão pelos governos democraticamente eleitos. A questão é, então, será que as elites políticas e econômicas entendem o que significa essa consciência?

Brasil abriu 2015 com a inauguração de Dilma Rousseff como presidente, que será o quarto mandato consecutivo do Partido dos Trabalhadores (PT), a mais longa da democracia brasileira.

Em seu discurso de posse em Brasília, Dilma defendeu sua política e disse que continuará abrindo espaço para ganhos sociais e mais responsabilidade econômica.

“Nós vamos provar que você pode fazer ajustes na economia sem perder os direitos adquiridos“, disse ela depois do passeio cerimonial em um Rolls Royce conversível que a levou ao Congresso.

Ela poderia ter mostrado os contrastes entre o que diz e o que faz de forma mais clara andando de Rolls Royce e avisando sobre ajustes econômicos?

Rousseff passou os primeiros minutos de seu discurso falando sobre a recente transformação social do país que, segundo ela, tem resgatado 36 milhões de pessoas da pobreza extrema“, especialmente durante as administrações do seu partido.

A crença de Dilma é que é aceitável que existam pessoas em situação de pobreza e que, enquanto eles estão em situação de pobreza e não em pobreza extrema, isso significa que as coisas estão melhores.

No meu primeiro mandato superamos a pobreza extrema. Vivemos a primeira geração de brasileiros que não sofreu a tragédia da fome. Nunca antes existem tantos empregos formais. Nunca antes tantos brasileiros tornaram-se proprietários de casas, disse a presidente sob os aplausos de seus convidados.

A realidade está, no entanto, longe do discurso político de Dilma. Os políticos vivem em um mundo de fantasia paralelo, lembra? Enquanto Dilma se elogia e elogia o seu partido pelo que ela considera grandes realizações, sob as linhas de pobreza internacionais, o número de pobres no Brasil chega a 7%, que é aproximandamente 14 milhões de pessoas que vivem com menos de 2 dólares por dia. Em 2013, quase 15% dos brasileiros viviam abaixo da linha nacional de pobreza no Brasil.

O discurso da Dilma continuou a reafirmar a nova direção econômica que o país seguirá depois que seu discurso confirmou a seleção do banqueiro Joaquim Levy como novo Ministro das Finanças.

Como já informamos em 2014, Levy é um ex-gerente de ativos do conglomerado bancário Bradesco. “Ele é um defensor do neoliberalismo ortodoxo, tendo ganho um PhD na Universidade de Chicago, a mesma instituição na qual formou-se o ex-ditador chileno Augusto Pinochet“, escreve Bill Van Auken, um jornalista, ativista e político.

As promessas de austeridade e ajustes têm despertado a ira dos eleitores do Partido dos Trabalhadores (PT), que não acham que Levy seja o campeão de seus ideais econômicos socialistas.

“A presidente conhece o Levy muito bem. Se ela o escolheu é porque ela sabe da necessidade de uma nova abordagem“, defendeu o ex-ministro da Fazenda Antônio Palocci.

Um dos principais desafios para Rousseff é melhorar as condições econômicas através da recuperação da economia, do comércio internacional e da política fiscal sem criar despesas desnecessárias.

Em um país onde o governo controla quase tudo, vai ser muito mais difícil cortar gastos desnecessários, a menos que o governo acabe com milhares de CCs ou cargos de confiança, cujos titulares ganham três ou quatro vezes mais do que aqueles que são pagos o salário mínimo.

As contas, no entanto, não serão a única preocupação de Rousseff. A presidente de 67 anos começou seu segundo mandato com um PT dividido, uma máfia política enfraquecida por alegações que prejudicam a imagem e ações - ou inações - vistas no escândalo Petrobras.

A suspeita de que a rede corrupta desvia dinheiro e suborna funcionários do governo agora é bem conhecida, pois é de conhecimento público que tais esquemas de corrupção foram estabelecidos durante a administração Lula da Silva e Dilma Rousseff para beneficiar seus aliados políticos.

Como qualquer outro político, a presidente anunciou em seu discurso a criação de um novo pacote de leis para combater a corrupção. Isso é exatamente o que os políticos que não sabem nada sobre como governar fazem: criam mais burocracia para lidar com a corrupção que decorre de estruturas burocráticas existentes.

Será que o Brasil pode sobreviver mais quatro anos?

Luis Miranda é um jornalista premiado e fundador e editor-chefe do The Real Agenda News. Durante seus 18 anos de carreira jornalísitica ele trabalhou em quase todas as formas de mídia. Seus artigos incluem temas como o ambientalismo, a Agenda 21, a mudança climática, a geopolítica, a globalização, a saúde, as vacinas, a segurança alimentar, o controle corporativo dos governos, imigração e os cartéis bancários, entre outros. Luis trabalhou como repórter e apresentador de programas de notícias ao vivo. Ele também trabalhou como roteirista, produtor e co-produtor de notícias.

Fonte: Real Agenda  


Este é o resumo de notícias do dia 18/12/14. Após o anúncio da retomada de relações diplomáticas entre EUA e Cuba [uma das poucas nações "isoladas" do organograma geo-político mundial], nesta quinta-feira as atenções se voltam para a Coreia do Norte, outro país fora do organograma mundial.

A Casa Branca afirmou que o ataque a sistemas de computadores da Sony Pictures foi realizado pela Coreia do Norte e está sendo tratado como uma questão de "segurança nacional séria". O secretário de imprensa da Casa Branca, Josh Earnest, disse que a investigação ainda estava em andamento e os EUA estava pesando uma resposta "proporcional" aos ataques.

Por outro lado, os Estados Unidos não apoiariam um novo projeto de resolução proposto por palestinos no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas, disse a porta-voz do Departamento de Estado, Jen Psaki, nesta quinta-feira. "Não é algo que iríamos apoiar", disse Psaki a repórteres.

Os palestinos buscam formar um Estado incluindo Cisjordânia, Faixa de Gaza e Jerusalém Oriental, áreas capturadas por Israel na guerra de 1967 no Oriente Médio. Israel se retirou de Gaza em 2005, mas continua a bloquear o enclave, que é controlado pelo Hamas, grupo considerado inimigo dos israelenses.

No contexto da crise financeira russa, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, fez seu discurso anual nesta quinta-feira (18) e afirmou que seu país conseguirá sair da crise econômica em, no máximo, "dois anos".



Jihadistas do grupo extremista Estado Islâmico publicaram fotos de 13 pessoas decapitadas nesta terça-feira (16), em mais uma tentativa de ameaçar a coalizão internacional liderada pelo Exército norte-americano que luta para conter seu avanço.

Na Nigéria, continua o clima de terror causado pelo grupo jihadista islâmico Boko Haram. Vários homens suspeitos de pertencerem ao grupo sequestraram mais de 100 mulheres e crianças no pasado domingo, numa vila remota no nordeste do país.

A informação chegou apenas hoje ao conhecimento das autoridades que n ão pôde confirmar todos os dados. O ataque, durante o qual 35 pessoas terão sido assassinadas, terá ocorrido em Gumskiri, perto da fronteira com os Camarões.

As imagens foram divulgadas por sites ligados à organização. As vítimas são combatentes capturados há 10 dias de tribos sunitas iraquianas que se opõem ao EI. "A insurreição dos muçulmanos e outros ataques domésticos serão inevitáveis se o Ocidente continuar com seus crimes contra o Islã", escreveram jihadistas no Twitter.

No Iêmen, suicidas detonaram nesta quinta-feira dois carros-bomba na cidade portuária de Hodeida, no Mar Vermelho, matando a si mesmos e outras sete pessoas.

No gemido da natureza, devido à extensa seca, o governo de São Paulo irá aplicar multa, a partir de 1º de janeiro, para quem aumentar o consumo de água em São Paulo. O percentual será calculado com base na média de fevereiro de 2013 até janeiro de 2014.

Neste vídeo, você poderá ver os principais acontecimentos ligados ao gemido da natureza nas últimas semanas:



Os sinais continuam ocorrendo em todos os segmentos e lugares. Muitos consideram esses fatos algo cíclico e corriqueiro... Outros, preferem nem sequer saber deles e continuam como se nada estivesse ocorrendo... A maioria prefere viver na contramão das Verdades das Escrituras.

No entanto, cremos que as profecias contidas nas Escrituras estão se concretizando de forma gradual e paulatina. É tempo de arrependimento, santificação e fé nas promessas do Altíssimo para aqueles que crêem e de intercessão por aqueles que não crêem.

Referências:
http://www.opovo.com.br/app/maisnoticias/mundo/americadonorte/2014/12/18/noticiasamericadonorte,3365172/casa-branca-diz-que-ataque-a-sony-e-uma-questao-seria-de-seguranca-nacional.shtml

http://www.araraquara.com/noticias/NOT,0,0,1019183,EUA%2Bdizem%2Bque%2Bnao%2Bapoiarao%2Bnova%2Bresolucao%2Bde%2Bpalestinos%2Bna%2BONU.aspx

http://ansabrasil.com.br/brasil/noticias/mundo/noticias/2014/12/18/Putin-diz-em-dois-anos-crise-russa-terminara_8255002.html

http://ansabrasil.com.br/brasil/noticias/mundo/noticias/2014/12/16/EI-publica-fotos-corpos-decapitados_8250978.html

http://pt.euronews.com/2014/12/18/nigeria-o-boko-haram-raptou-domingo-mais-de-uma-centena-pessoas/

http://noticias.bol.uol.com.br/ultimas-noticias/internacional/2014/12/18/suicidas-matam-pelo-menos-7-em-porto-no-iemen-dizem-fontes.htm


Fonte: Projeto Ômega

Resumo do dia (18/12)


Este é o resumo de notícias do dia 18/12/14. Após o anúncio da retomada de relações diplomáticas entre EUA e Cuba [uma das poucas nações "isoladas" do organograma geo-político mundial], nesta quinta-feira as atenções se voltam para a Coreia do Norte, outro país fora do organograma mundial.

A Casa Branca afirmou que o ataque a sistemas de computadores da Sony Pictures foi realizado pela Coreia do Norte e está sendo tratado como uma questão de "segurança nacional séria". O secretário de imprensa da Casa Branca, Josh Earnest, disse que a investigação ainda estava em andamento e os EUA estava pesando uma resposta "proporcional" aos ataques.

Por outro lado, os Estados Unidos não apoiariam um novo projeto de resolução proposto por palestinos no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas, disse a porta-voz do Departamento de Estado, Jen Psaki, nesta quinta-feira. "Não é algo que iríamos apoiar", disse Psaki a repórteres.

Os palestinos buscam formar um Estado incluindo Cisjordânia, Faixa de Gaza e Jerusalém Oriental, áreas capturadas por Israel na guerra de 1967 no Oriente Médio. Israel se retirou de Gaza em 2005, mas continua a bloquear o enclave, que é controlado pelo Hamas, grupo considerado inimigo dos israelenses.

No contexto da crise financeira russa, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, fez seu discurso anual nesta quinta-feira (18) e afirmou que seu país conseguirá sair da crise econômica em, no máximo, "dois anos".



Jihadistas do grupo extremista Estado Islâmico publicaram fotos de 13 pessoas decapitadas nesta terça-feira (16), em mais uma tentativa de ameaçar a coalizão internacional liderada pelo Exército norte-americano que luta para conter seu avanço.

Na Nigéria, continua o clima de terror causado pelo grupo jihadista islâmico Boko Haram. Vários homens suspeitos de pertencerem ao grupo sequestraram mais de 100 mulheres e crianças no pasado domingo, numa vila remota no nordeste do país.

A informação chegou apenas hoje ao conhecimento das autoridades que n ão pôde confirmar todos os dados. O ataque, durante o qual 35 pessoas terão sido assassinadas, terá ocorrido em Gumskiri, perto da fronteira com os Camarões.

As imagens foram divulgadas por sites ligados à organização. As vítimas são combatentes capturados há 10 dias de tribos sunitas iraquianas que se opõem ao EI. "A insurreição dos muçulmanos e outros ataques domésticos serão inevitáveis se o Ocidente continuar com seus crimes contra o Islã", escreveram jihadistas no Twitter.

No Iêmen, suicidas detonaram nesta quinta-feira dois carros-bomba na cidade portuária de Hodeida, no Mar Vermelho, matando a si mesmos e outras sete pessoas.

No gemido da natureza, devido à extensa seca, o governo de São Paulo irá aplicar multa, a partir de 1º de janeiro, para quem aumentar o consumo de água em São Paulo. O percentual será calculado com base na média de fevereiro de 2013 até janeiro de 2014.

Neste vídeo, você poderá ver os principais acontecimentos ligados ao gemido da natureza nas últimas semanas:



Os sinais continuam ocorrendo em todos os segmentos e lugares. Muitos consideram esses fatos algo cíclico e corriqueiro... Outros, preferem nem sequer saber deles e continuam como se nada estivesse ocorrendo... A maioria prefere viver na contramão das Verdades das Escrituras.

No entanto, cremos que as profecias contidas nas Escrituras estão se concretizando de forma gradual e paulatina. É tempo de arrependimento, santificação e fé nas promessas do Altíssimo para aqueles que crêem e de intercessão por aqueles que não crêem.

Referências:
http://www.opovo.com.br/app/maisnoticias/mundo/americadonorte/2014/12/18/noticiasamericadonorte,3365172/casa-branca-diz-que-ataque-a-sony-e-uma-questao-seria-de-seguranca-nacional.shtml

http://www.araraquara.com/noticias/NOT,0,0,1019183,EUA%2Bdizem%2Bque%2Bnao%2Bapoiarao%2Bnova%2Bresolucao%2Bde%2Bpalestinos%2Bna%2BONU.aspx

http://ansabrasil.com.br/brasil/noticias/mundo/noticias/2014/12/18/Putin-diz-em-dois-anos-crise-russa-terminara_8255002.html

http://ansabrasil.com.br/brasil/noticias/mundo/noticias/2014/12/16/EI-publica-fotos-corpos-decapitados_8250978.html

http://pt.euronews.com/2014/12/18/nigeria-o-boko-haram-raptou-domingo-mais-de-uma-centena-pessoas/

http://noticias.bol.uol.com.br/ultimas-noticias/internacional/2014/12/18/suicidas-matam-pelo-menos-7-em-porto-no-iemen-dizem-fontes.htm


Fonte: Projeto Ômega

Escrito por Lúcio Big

Desde o mês de setembro passado a OPS(OPERAÇÃO POLÍTICA SUPERVISIONADA) tenta contato com os responsáveis pelo gabinete do deputado federal Eudes Xavier (PT/CE), carinhosamente chamado por mim de “O Rei da Papelari

Conforme foi publicado no Canal do Otário, o deputado efetuou compras de material de escritório em quantidades astronômicas e impossíveis de serem utilizadas em toda uma legislatura, quanto mais em três ou quatro meses. Além disso, ainda tem o fato de a loja escolhida pelo parlamentar não abrir suas portas ao público, segundo informações que a OPS obteve de moradores da região onde está localizada a papelaria.

Em uma primeira tentativa, eu pedi aos que me assistem no YouTube, aos que leem meus artigos aqui, no meu blog e também na minha coluna no Congresso em Foco, que enviassem e-mails ao deputado exigindo explicações destes estranhos gastos efetuados com dinheiro público. Infelizmente, ninguém se honrou em responder.

A segunda tentativa ocorreu dias depois após a OPS conseguir, em apenas uma semana, fazer um abaixo assinado com 2105 assinaturas exigindo a mesma coisa, ou seja, explicações. Novamente, sem nenhum remorso aparente, o deputado e assessores mantiveram-se calados.

A terceira tentativa de comunicação foi realizada através de inúmeros telefonemas ao gabinete, mas em nenhum deles obtive qualquer tipo de explicação.

Restou-nos então apelar para o Conselho de Ética da Câmara Federal. Conforme determina a lei, qualquer cidadão deste país pode exigir que seja apurado possível quebra do decoro parlamentar. Com o apoio jurídico da advogada da OPS, Dra. Camila Albuquerque, que elaborou o documento, no dia 19/11/14 eu fui à Câmara e protocolei o documento. Você pode lê-lo aqui.

Segundo informações prestadas pela servidora da Câmara, o processo será encaminhado ao departamento jurídico que analisará toda a documentação. Se este departamento achar que há fundamentos para a denúncia, uma demanda é aberta no Conselho de Ética que irá apurar o caso. Em última consequência, o deputado pode ter seu mandato cassado.

Porém, sem obter êxito nas eleições deste ano, o deputado Eudes Xavier deixará a Casa e isso deve dificultar ou até impossibilitar que ele seja punido pela Câmara Federal. Diante disso, resolvi também entrar com uma Ação Pública contra o deputado na esperança de que os valores utilizados para o pagamento das três suntuosas compras retornem aos cofres públicos.

No vídeo abaixo você poderá ver a entrega do documento na Secretaria Geral da Mesa da Câmara Federal.



Lúcio Big, ativista no combate à corrupção. Morador de Brasília e com uma vontade enorme de ajudar o Brasil a ser mais justo.

Contatos:
luciobig@ops.net.br
https://www.facebook.com/groups/opera...
https://www.facebook.com/groups/notic... 

Fonte: Canal do Otário

Notícias Absurdas:O Rei da Papelaria a caminho do Conselho de Ética

Escrito por Lúcio Big

Desde o mês de setembro passado a OPS(OPERAÇÃO POLÍTICA SUPERVISIONADA) tenta contato com os responsáveis pelo gabinete do deputado federal Eudes Xavier (PT/CE), carinhosamente chamado por mim de “O Rei da Papelari

Conforme foi publicado no Canal do Otário, o deputado efetuou compras de material de escritório em quantidades astronômicas e impossíveis de serem utilizadas em toda uma legislatura, quanto mais em três ou quatro meses. Além disso, ainda tem o fato de a loja escolhida pelo parlamentar não abrir suas portas ao público, segundo informações que a OPS obteve de moradores da região onde está localizada a papelaria.

Em uma primeira tentativa, eu pedi aos que me assistem no YouTube, aos que leem meus artigos aqui, no meu blog e também na minha coluna no Congresso em Foco, que enviassem e-mails ao deputado exigindo explicações destes estranhos gastos efetuados com dinheiro público. Infelizmente, ninguém se honrou em responder.

A segunda tentativa ocorreu dias depois após a OPS conseguir, em apenas uma semana, fazer um abaixo assinado com 2105 assinaturas exigindo a mesma coisa, ou seja, explicações. Novamente, sem nenhum remorso aparente, o deputado e assessores mantiveram-se calados.

A terceira tentativa de comunicação foi realizada através de inúmeros telefonemas ao gabinete, mas em nenhum deles obtive qualquer tipo de explicação.

Restou-nos então apelar para o Conselho de Ética da Câmara Federal. Conforme determina a lei, qualquer cidadão deste país pode exigir que seja apurado possível quebra do decoro parlamentar. Com o apoio jurídico da advogada da OPS, Dra. Camila Albuquerque, que elaborou o documento, no dia 19/11/14 eu fui à Câmara e protocolei o documento. Você pode lê-lo aqui.

Segundo informações prestadas pela servidora da Câmara, o processo será encaminhado ao departamento jurídico que analisará toda a documentação. Se este departamento achar que há fundamentos para a denúncia, uma demanda é aberta no Conselho de Ética que irá apurar o caso. Em última consequência, o deputado pode ter seu mandato cassado.

Porém, sem obter êxito nas eleições deste ano, o deputado Eudes Xavier deixará a Casa e isso deve dificultar ou até impossibilitar que ele seja punido pela Câmara Federal. Diante disso, resolvi também entrar com uma Ação Pública contra o deputado na esperança de que os valores utilizados para o pagamento das três suntuosas compras retornem aos cofres públicos.

No vídeo abaixo você poderá ver a entrega do documento na Secretaria Geral da Mesa da Câmara Federal.



Lúcio Big, ativista no combate à corrupção. Morador de Brasília e com uma vontade enorme de ajudar o Brasil a ser mais justo.

Contatos:
luciobig@ops.net.br
https://www.facebook.com/groups/opera...
https://www.facebook.com/groups/notic... 

Fonte: Canal do Otário

Crise da água em São Paulo está entre as piores da história (Foto: Reprodução)
Para muitos, o racionamento de água em São Paulo já é uma realidade líquida e certa. Resta saber até quando políticos ganharão tempo para escondê-la ou se a população agirá, a ponto de, quem sabe, se repetirem as chamadas ‘guerras da água’, já vistas em locais onde os serviços hídricos e sanitários foram privatizados. De toda forma, o assunto não é passageiro e exige toda uma reflexão a respeito dos atuais modelos de vida e economia.

“Em primeiro lugar, é preciso reeducar a população a reduzir o consumo. As empresas também, pois quando se fala em redução de consumo parece que só a população consome. Mas, no Brasil, 70% da água é consumida pela agricultura, 22%, pela indústria e 8%, pelas residências. E quando se fala em redução de consumo, só se fala dos 8%, mas não dos 92%”, afirmou Marzeni Pereira, tecnólogo em saneamento da Sabesp, em entrevista ao Correio da Cidadania.

Na conversa, Marzeni elenca uma série de razões históricas, desde as locais até as mais abrangentes, que levaram São Paulo à atual crise hídrica, cujas consequências ainda não foram quantificadas. Trata-se de mais um fracasso do modelo de gestão privatista, de mãos dadas com um projeto desenvolvimentista que tem gerado mudanças ambientais em todos os grandes biomas do país.

“A Sabesp é a empresa mais preparada do Brasil para gerir o sistema de saneamento. Tem o melhor corpo técnico, a melhor estrutura etc. O problema principal é justamente a administração voltada ao mercado e ao lucro. Além disso, a empresa, sem dúvida, vem sofrendo sucateamento. Em 2004, tinha 18 mil trabalhadores e sua base de atuação era menor. Hoje, a empresa tem menos de 14 mil. A terceirização é um dos principais problemas, por exemplo, na perda de água”, explicou, em relação ao contexto paulista.

Por outro lado, Marzeni não deixou de fora toda a relação com um modelo já há décadas hegemônico. “No ano passado, em torno somente de soja, carne, milho e café, o Brasil exportou cerca de 200 bilhões de m³ de água. Significa abastecer São Paulo por quase 100 anos. A umidade atmosférica, mantida através dos chamados ‘rios voadores’, que vêm do Norte do Brasil e precisam da continuidade da vegetação, foi reduzida. A atuação do agronegócio, quem mais desmata, teve influência em SP. E teve também o desmatamento de todo o centro-oeste do estado”, resumiu.

A entrevista completa com Marzeni Pereira, realizada nos estúdios da webrádio Central3, pode ser lida a seguir.

Correio da Cidadania: Qual o resumo que você faz, num breve histórico, das origens e razões da crise da água no estado de São Paulo?

Marzeni Pereira: Podemos dizer que o histórico da crise de água em São Paulo tem bastante tempo. Em 2003, por exemplo, o sistema Cantareira chegou próximo de zero, com menos de 5% de sua capacidade de armazenamento e todo o sistema de saneamento quase entrou em colapso. Houve um princípio de racionamento, com a Operação Pajé (na qual se bombardeavam nuvens e se pulverizava sua água).

Nesse período, foi elaborado um plano para que o saneamento de São Paulo dependesse menos do Cantareira, ao ser assinada uma outorga com vistas a reduzir a dependência do reservatório – o que mais abastece a capital e a região metropolitana. De lá pra cá, a ideia era reduzir perdas, aumentar o reuso e encontrar novas formas de abastecimento, por outros mananciais. Isso não aconteceu.

Em 2004 e 2005, houve uma recuperação da reservação de água; em 2009, houve um pico, com quase 100% das represas cheias. Em 2009, houve um período de enchentes, como a do Jardim Pantanal (zona leste); e em 2011, teve a enchente de Franco da Rocha, por conta da abertura da represa Paiva Castro. Mas, de toda forma, não houve redução da participação do sistema Cantareira. As perdas caíram, mas não o suficiente para suprir a demanda, que cresceu. Não houve, portanto, contrapartida suficiente na disponibilidade de água. Esse é o principal problema.

Outro ponto é que tivemos, recentemente, em 2013 e 2014, uma estiagem bastante forte, apesar de curta, comparando com outras regiões do Brasil, com 5 ou 10 anos de estiagem. Aqui são menos de dois anos, de modo que não era pra estarmos na atual situação.

Neste ano, também teve outro problema: com eleições e Copa do Mundo, havia a necessidade de o governo manter sua imagem em alta. Por isso, não se tomaram medidas para reduzir o consumo de água a partir de janeiro e fevereiro de 2014.

Correio da Cidadania: Qual o papel da Sabesp, com seu modelo de gestão, nesse processo?

Marzeni Pereira: A Sabesp é a empresa mais preparada do Brasil para gerir o sistema de saneamento. Tem o melhor corpo técnico, a melhor estrutura etc. O problema principal é justamente a administração voltada ao mercado e ao lucro. Outra coisa é a dependência das influências diretas do governador e dos acionistas privados.

Além disso, a empresa, sem dúvida, vem sofrendo sucateamento e redução da sua capacidade de trabalho. Em 2004, a Sabesp tinha 18 mil trabalhadores e sua base de atuação era menor. Hoje, a empresa tem menos de 14 mil, uma redução de cerca de 20% do quadro. Isso influencia, certamente.

Outra coisa é que, a partir do momento em que se reduz o número de trabalhadores diretos, há a necessidade de terceirizar serviços. A terceirização é um dos principais problemas, por exemplo, na perda de água. Porque o serviço é mal feito, o cara faz num dia e no outro dia já vaza de novo... Significa que o serviço tem de ser feito várias vezes, e aí temos mais perdas.

É uma lógica adotada nos últimos 20 anos: a empresa depender de outras empresas privadas. Hoje, as empresas privadas têm muita influência no dia a dia da Sabesp. Portanto, é claro que o modelo de gestão tem tudo a ver com a crise.

Correio da Cidadania: Como dimensiona a crise da água no país como um todo, em si e relativamente a São Paulo? Em que medida a destruição dos biomas do Cerrado e amazônico explicam a grave situação que vivemos?
Marzeni Pereira: A estiagem em São Paulo, com certeza, tem relação com o desmatamento da Amazônia e do Cerrado. Obviamente, sempre que há desmatamento se reduz a evaporação de água pela evapotranspiração das árvores. O Cerrado brasileiro sofreu muito com a devastação promovida pelo agronegócio.

Para se ter ideia, no ano passado, em torno somente de quatro produtos (soja, carne, milho e café), o Brasil exportou cerca de 200 bilhões de metros cúbicos de água. Não produziu, apenas exportou, ‘água virtual’, como se diz. Tal número significa abastecer São Paulo por quase 100 anos, apenas com a quantidade de água gasta por esses quatro produtos.

Outro problema é que houve redução da quantidade de água superficial. À medida que há uma degradação, tanto pela remoção da vegetação como pela irrigação intensiva de larga escala, reduzem-se os afluentes dos grandes rios, como os amazônicos e o São Francisco, que já está sofrendo muito com a redução da água.

A umidade atmosférica, mantida através dos chamados “rios voadores”, que vêm do Norte do Brasil e precisam da continuidade da vegetação, foi reduzida. A atuação do agronegócio, quem mais desmata no Brasil, teve influência em São Paulo.

Mas não é só isso. Teve também o desmatamento de todo o centro-oeste do estado de São Paulo. Praticamente toda a vegetação de tal região foi removida, para plantios de cana, eucalipto, laranja etc. A redução dessa vegetação também tem influência. A redução das matas ciliares dos rios que abastecem as represas é outro fator, pois provoca o assoreamento e um secamento mais rápido.

Correio da Cidadania: O que pensa dos primeiros protestos que começam a ser organizados, ou que ocorrem até espontaneamente, em torno à água, a exemplo do que tem ocorrido em cidades como Itu? Acredita que possam crescer a ponto de se tornarem massivos, e até mesmo reproduzirem as chamadas “guerras da água” que ocorreram em vários países?

Marzeni Pereira: Itu é um caso bastante emblemático. Lá, a gestão da água é de uma empresa privada, que vendeu água até acabar. E há o risco de a empresa abandonar a cidade quando a água acabar de vez e começar o prejuízo. Afinal, ela está lá atrás de lucro, não para fazer serviço filantrópico. Esse é o grande risco de o setor privado atuar no saneamento. Temos de combatê-lo.

Quanto aos protestos, são iniciativas interessantes da população. Ela tem de fazer parte da vida política do país, não pode ficar omissa em casa. É importante ter pauta de reivindicações, um programa a ser apresentado no momento. As manifestações ainda estão tímidas, mas acredito que a tendência é de ganharem força.

Mesmo porque a previsão para 2015 é de faltar mais água. Se não chover muito nesse verão, a coisa será pior. Portanto, há tendência de aumento de protestos no ano que vem. Como cidadão, já estou participando, como nos dias 1 e 5. São manifestações importantes e precisam continuar.

Correio da Cidadania: Nesse sentido, como acredita que será o ano de 2015 em São Paulo, especialmente no que toca a vida do cidadão médio? O racionamento, que de fato já ocorre, vai ser intensificado?

Marzeni Pereira: Na realidade, ainda não existe racionamento. O que é racionamento? É a definição de quanto cada pessoa, ou família, pode usar. Seria, por exemplo, definir uma cota de 150 litros por dia. Isso é racionamento. Existe outro modelo, o rodízio, que é quando se joga água de uma região para outra. Num dia, um local fica sem água e outro a recebe. Portanto, há diferença entre um e outro tipo de política.

Inclusive, penso que o racionamento tem de ser adotado, especialmente quando a situação se acirrar. Se não, alguns terão água e outros não, como acontece no rodízio. Quem tem caixa d’água ou um reservatório grande em casa não fica sem água. Quem não tem, fica sem. Imagine uma pessoa que sai de casa às 8 da manhã e volta às 10 da noite. Se não tiver caixa d’água, não toma banho. O rodízio é injusto pra quem não tem condição de comprar caixa d´água grande.

Em relação ao ano que vem, observamos que a recuperação do reservatório do Cantareira, nos últimos 10 anos, tem sido, em média, de 23%. Se, por exemplo, está em 10% em outubro, quando chegar a março deverá estar com 30% ou 40%. E essa marca não tem sido ultrapassada, com exceção de 2004 e 2008.

O problema é que neste ano estamos com 17% negativos. O volume operacional acabou em 15 maio; de lá pra cá, está sendo usado o volume morto. Se o reservatório recuperar 20% do volume, no final do período de chuvas não teremos mais de 5% de volume operacional. Se não tiver chuva em abril, quando normalmente ela é escassa, esses 5% durariam uns 30 dias, o que nos faria voltar a usar o volume morto em maio. Há um risco de usarmos o volume morto do Cantareira bem antes do período em que começamos a usar em 2014.

Correio da Cidadania: Finalmente, o que pensa que poderiam ser soluções tanto a curto, dada a gravidade da situação, como a médio e longo prazos?

Marzeni Pereira: A principal solução é chover. Se chover, tudo se resolve. Torcemos pra isso; de fato, caso contrário, a população vai sofrer. Se não chover, temos de tomar algumas medidas (na verdade, mesmo que chova, teremos que tomá-las).

Em primeiro lugar, é preciso reeducar a população a reduzir o consumo. As empresas também, pois quando se fala em redução de consumo parece que só a população consome. Mas, no Brasil, 70% da água é consumida pela agricultura, 22%, pela indústria e 8%, pelas residências. E quando se fala em redução de consumo, só se fala dos 8%, mas não dos 92%.

A região metropolitana de São Paulo não tem muito peso da agricultura, mas tem da indústria. Precisa reduzir o consumo residencial e industrial. Precisa também de uma forte redução de perdas. Precisa de uma orientação sem meio termo para a população. Não pode ser como hoje, o governo e a Sabesp têm de falar mais claramente à população de como a situação é grave, além de esclarecer se precisamos fazer rodízio, racionamento ou as duas coisas juntas.

Há a necessidade de definir as atividades humanas básicas que terão suprimento de água garantido, como hospitais, escolas, creches. Quanto à população de baixa renda, com menos condição de comprar caixa d’água, seria necessário o governo distribuir tais caixas, distribuir filtros de hipoclorito, porque muita gente vai usar água de mina se precisar, o que traz risco de contaminação. Em caso de falta de água generalizada e uso de carros-pipa, tem que se saber como aqueles que não têm caixa poderão armazená-la.

Outro ponto é em relação ao emprego. Se de fato se concretizar a previsão, ou seja, se ocorrer falta de água generalizada em 2015, muitas empresas vão fechar, ao menos temporariamente, ou se mudar. Se não tiver política de estabilidade no emprego, pode ser uma catástrofe.

Também se deve incentivar uso de água de chuva e reuso. Pouco se fala em coletar água de chuva. Se a população fizesse isso, e reduzisse ao menos 10% do consumo, teríamos cerca de 5 metros cúbicos por segundo de economia de água. Isso equivale ao novo sistema que a Sabesp constrói agora, o São Lourenço, que custará 2 bilhões de reais.

Finalmente, é necessário estatizar o saneamento – não a Sabesp, mas o próprio saneamento. Não tem sentido um serviço tão importante quanto esse na mão de quem quer lucro. Mas a estatização não pode ficar na mão do governo, com empresários controlando por dentro. É preciso controle dos trabalhadores. Além de uma comissão e investigação populares, que apurem responsabilidades. É preciso coletar e tratar mais esgoto, usando tal água em atividades, principalmente, industriais, pois há uma série de usos possíveis com a água de esgoto.

Recuperar mananciais é outro ponto importante. Se isso não for feito, as consequências futuras podem ser mais graves. O Rodoanel passou pelos mananciais, o que mostra como não se deu importância a eles. Pessoas que moram em áreas de mananciais precisam sair de lá, através de negociações sérias, com plano habitacional. Com casa garantida, claro, ao invés de serem retiradas como lixo.

Há uma série de ações possíveis no médio e curto prazo. Mas têm de ser feitas em diálogos com a população, se não os interesses pelo lucro vão falar mais alto.

Gílson Sampaio/Correio da Cidadania 

Fontes: Correio da Cidadania , Notícia Final

Brasil: crise hídrica de São Paulo passa pelo agronegócio, desperdício e privatização da água

Crise da água em São Paulo está entre as piores da história (Foto: Reprodução)
Para muitos, o racionamento de água em São Paulo já é uma realidade líquida e certa. Resta saber até quando políticos ganharão tempo para escondê-la ou se a população agirá, a ponto de, quem sabe, se repetirem as chamadas ‘guerras da água’, já vistas em locais onde os serviços hídricos e sanitários foram privatizados. De toda forma, o assunto não é passageiro e exige toda uma reflexão a respeito dos atuais modelos de vida e economia.

“Em primeiro lugar, é preciso reeducar a população a reduzir o consumo. As empresas também, pois quando se fala em redução de consumo parece que só a população consome. Mas, no Brasil, 70% da água é consumida pela agricultura, 22%, pela indústria e 8%, pelas residências. E quando se fala em redução de consumo, só se fala dos 8%, mas não dos 92%”, afirmou Marzeni Pereira, tecnólogo em saneamento da Sabesp, em entrevista ao Correio da Cidadania.

Na conversa, Marzeni elenca uma série de razões históricas, desde as locais até as mais abrangentes, que levaram São Paulo à atual crise hídrica, cujas consequências ainda não foram quantificadas. Trata-se de mais um fracasso do modelo de gestão privatista, de mãos dadas com um projeto desenvolvimentista que tem gerado mudanças ambientais em todos os grandes biomas do país.

“A Sabesp é a empresa mais preparada do Brasil para gerir o sistema de saneamento. Tem o melhor corpo técnico, a melhor estrutura etc. O problema principal é justamente a administração voltada ao mercado e ao lucro. Além disso, a empresa, sem dúvida, vem sofrendo sucateamento. Em 2004, tinha 18 mil trabalhadores e sua base de atuação era menor. Hoje, a empresa tem menos de 14 mil. A terceirização é um dos principais problemas, por exemplo, na perda de água”, explicou, em relação ao contexto paulista.

Por outro lado, Marzeni não deixou de fora toda a relação com um modelo já há décadas hegemônico. “No ano passado, em torno somente de soja, carne, milho e café, o Brasil exportou cerca de 200 bilhões de m³ de água. Significa abastecer São Paulo por quase 100 anos. A umidade atmosférica, mantida através dos chamados ‘rios voadores’, que vêm do Norte do Brasil e precisam da continuidade da vegetação, foi reduzida. A atuação do agronegócio, quem mais desmata, teve influência em SP. E teve também o desmatamento de todo o centro-oeste do estado”, resumiu.

A entrevista completa com Marzeni Pereira, realizada nos estúdios da webrádio Central3, pode ser lida a seguir.

Correio da Cidadania: Qual o resumo que você faz, num breve histórico, das origens e razões da crise da água no estado de São Paulo?

Marzeni Pereira: Podemos dizer que o histórico da crise de água em São Paulo tem bastante tempo. Em 2003, por exemplo, o sistema Cantareira chegou próximo de zero, com menos de 5% de sua capacidade de armazenamento e todo o sistema de saneamento quase entrou em colapso. Houve um princípio de racionamento, com a Operação Pajé (na qual se bombardeavam nuvens e se pulverizava sua água).

Nesse período, foi elaborado um plano para que o saneamento de São Paulo dependesse menos do Cantareira, ao ser assinada uma outorga com vistas a reduzir a dependência do reservatório – o que mais abastece a capital e a região metropolitana. De lá pra cá, a ideia era reduzir perdas, aumentar o reuso e encontrar novas formas de abastecimento, por outros mananciais. Isso não aconteceu.

Em 2004 e 2005, houve uma recuperação da reservação de água; em 2009, houve um pico, com quase 100% das represas cheias. Em 2009, houve um período de enchentes, como a do Jardim Pantanal (zona leste); e em 2011, teve a enchente de Franco da Rocha, por conta da abertura da represa Paiva Castro. Mas, de toda forma, não houve redução da participação do sistema Cantareira. As perdas caíram, mas não o suficiente para suprir a demanda, que cresceu. Não houve, portanto, contrapartida suficiente na disponibilidade de água. Esse é o principal problema.

Outro ponto é que tivemos, recentemente, em 2013 e 2014, uma estiagem bastante forte, apesar de curta, comparando com outras regiões do Brasil, com 5 ou 10 anos de estiagem. Aqui são menos de dois anos, de modo que não era pra estarmos na atual situação.

Neste ano, também teve outro problema: com eleições e Copa do Mundo, havia a necessidade de o governo manter sua imagem em alta. Por isso, não se tomaram medidas para reduzir o consumo de água a partir de janeiro e fevereiro de 2014.

Correio da Cidadania: Qual o papel da Sabesp, com seu modelo de gestão, nesse processo?

Marzeni Pereira: A Sabesp é a empresa mais preparada do Brasil para gerir o sistema de saneamento. Tem o melhor corpo técnico, a melhor estrutura etc. O problema principal é justamente a administração voltada ao mercado e ao lucro. Outra coisa é a dependência das influências diretas do governador e dos acionistas privados.

Além disso, a empresa, sem dúvida, vem sofrendo sucateamento e redução da sua capacidade de trabalho. Em 2004, a Sabesp tinha 18 mil trabalhadores e sua base de atuação era menor. Hoje, a empresa tem menos de 14 mil, uma redução de cerca de 20% do quadro. Isso influencia, certamente.

Outra coisa é que, a partir do momento em que se reduz o número de trabalhadores diretos, há a necessidade de terceirizar serviços. A terceirização é um dos principais problemas, por exemplo, na perda de água. Porque o serviço é mal feito, o cara faz num dia e no outro dia já vaza de novo... Significa que o serviço tem de ser feito várias vezes, e aí temos mais perdas.

É uma lógica adotada nos últimos 20 anos: a empresa depender de outras empresas privadas. Hoje, as empresas privadas têm muita influência no dia a dia da Sabesp. Portanto, é claro que o modelo de gestão tem tudo a ver com a crise.

Correio da Cidadania: Como dimensiona a crise da água no país como um todo, em si e relativamente a São Paulo? Em que medida a destruição dos biomas do Cerrado e amazônico explicam a grave situação que vivemos?
Marzeni Pereira: A estiagem em São Paulo, com certeza, tem relação com o desmatamento da Amazônia e do Cerrado. Obviamente, sempre que há desmatamento se reduz a evaporação de água pela evapotranspiração das árvores. O Cerrado brasileiro sofreu muito com a devastação promovida pelo agronegócio.

Para se ter ideia, no ano passado, em torno somente de quatro produtos (soja, carne, milho e café), o Brasil exportou cerca de 200 bilhões de metros cúbicos de água. Não produziu, apenas exportou, ‘água virtual’, como se diz. Tal número significa abastecer São Paulo por quase 100 anos, apenas com a quantidade de água gasta por esses quatro produtos.

Outro problema é que houve redução da quantidade de água superficial. À medida que há uma degradação, tanto pela remoção da vegetação como pela irrigação intensiva de larga escala, reduzem-se os afluentes dos grandes rios, como os amazônicos e o São Francisco, que já está sofrendo muito com a redução da água.

A umidade atmosférica, mantida através dos chamados “rios voadores”, que vêm do Norte do Brasil e precisam da continuidade da vegetação, foi reduzida. A atuação do agronegócio, quem mais desmata no Brasil, teve influência em São Paulo.

Mas não é só isso. Teve também o desmatamento de todo o centro-oeste do estado de São Paulo. Praticamente toda a vegetação de tal região foi removida, para plantios de cana, eucalipto, laranja etc. A redução dessa vegetação também tem influência. A redução das matas ciliares dos rios que abastecem as represas é outro fator, pois provoca o assoreamento e um secamento mais rápido.

Correio da Cidadania: O que pensa dos primeiros protestos que começam a ser organizados, ou que ocorrem até espontaneamente, em torno à água, a exemplo do que tem ocorrido em cidades como Itu? Acredita que possam crescer a ponto de se tornarem massivos, e até mesmo reproduzirem as chamadas “guerras da água” que ocorreram em vários países?

Marzeni Pereira: Itu é um caso bastante emblemático. Lá, a gestão da água é de uma empresa privada, que vendeu água até acabar. E há o risco de a empresa abandonar a cidade quando a água acabar de vez e começar o prejuízo. Afinal, ela está lá atrás de lucro, não para fazer serviço filantrópico. Esse é o grande risco de o setor privado atuar no saneamento. Temos de combatê-lo.

Quanto aos protestos, são iniciativas interessantes da população. Ela tem de fazer parte da vida política do país, não pode ficar omissa em casa. É importante ter pauta de reivindicações, um programa a ser apresentado no momento. As manifestações ainda estão tímidas, mas acredito que a tendência é de ganharem força.

Mesmo porque a previsão para 2015 é de faltar mais água. Se não chover muito nesse verão, a coisa será pior. Portanto, há tendência de aumento de protestos no ano que vem. Como cidadão, já estou participando, como nos dias 1 e 5. São manifestações importantes e precisam continuar.

Correio da Cidadania: Nesse sentido, como acredita que será o ano de 2015 em São Paulo, especialmente no que toca a vida do cidadão médio? O racionamento, que de fato já ocorre, vai ser intensificado?

Marzeni Pereira: Na realidade, ainda não existe racionamento. O que é racionamento? É a definição de quanto cada pessoa, ou família, pode usar. Seria, por exemplo, definir uma cota de 150 litros por dia. Isso é racionamento. Existe outro modelo, o rodízio, que é quando se joga água de uma região para outra. Num dia, um local fica sem água e outro a recebe. Portanto, há diferença entre um e outro tipo de política.

Inclusive, penso que o racionamento tem de ser adotado, especialmente quando a situação se acirrar. Se não, alguns terão água e outros não, como acontece no rodízio. Quem tem caixa d’água ou um reservatório grande em casa não fica sem água. Quem não tem, fica sem. Imagine uma pessoa que sai de casa às 8 da manhã e volta às 10 da noite. Se não tiver caixa d’água, não toma banho. O rodízio é injusto pra quem não tem condição de comprar caixa d´água grande.

Em relação ao ano que vem, observamos que a recuperação do reservatório do Cantareira, nos últimos 10 anos, tem sido, em média, de 23%. Se, por exemplo, está em 10% em outubro, quando chegar a março deverá estar com 30% ou 40%. E essa marca não tem sido ultrapassada, com exceção de 2004 e 2008.

O problema é que neste ano estamos com 17% negativos. O volume operacional acabou em 15 maio; de lá pra cá, está sendo usado o volume morto. Se o reservatório recuperar 20% do volume, no final do período de chuvas não teremos mais de 5% de volume operacional. Se não tiver chuva em abril, quando normalmente ela é escassa, esses 5% durariam uns 30 dias, o que nos faria voltar a usar o volume morto em maio. Há um risco de usarmos o volume morto do Cantareira bem antes do período em que começamos a usar em 2014.

Correio da Cidadania: Finalmente, o que pensa que poderiam ser soluções tanto a curto, dada a gravidade da situação, como a médio e longo prazos?

Marzeni Pereira: A principal solução é chover. Se chover, tudo se resolve. Torcemos pra isso; de fato, caso contrário, a população vai sofrer. Se não chover, temos de tomar algumas medidas (na verdade, mesmo que chova, teremos que tomá-las).

Em primeiro lugar, é preciso reeducar a população a reduzir o consumo. As empresas também, pois quando se fala em redução de consumo parece que só a população consome. Mas, no Brasil, 70% da água é consumida pela agricultura, 22%, pela indústria e 8%, pelas residências. E quando se fala em redução de consumo, só se fala dos 8%, mas não dos 92%.

A região metropolitana de São Paulo não tem muito peso da agricultura, mas tem da indústria. Precisa reduzir o consumo residencial e industrial. Precisa também de uma forte redução de perdas. Precisa de uma orientação sem meio termo para a população. Não pode ser como hoje, o governo e a Sabesp têm de falar mais claramente à população de como a situação é grave, além de esclarecer se precisamos fazer rodízio, racionamento ou as duas coisas juntas.

Há a necessidade de definir as atividades humanas básicas que terão suprimento de água garantido, como hospitais, escolas, creches. Quanto à população de baixa renda, com menos condição de comprar caixa d’água, seria necessário o governo distribuir tais caixas, distribuir filtros de hipoclorito, porque muita gente vai usar água de mina se precisar, o que traz risco de contaminação. Em caso de falta de água generalizada e uso de carros-pipa, tem que se saber como aqueles que não têm caixa poderão armazená-la.

Outro ponto é em relação ao emprego. Se de fato se concretizar a previsão, ou seja, se ocorrer falta de água generalizada em 2015, muitas empresas vão fechar, ao menos temporariamente, ou se mudar. Se não tiver política de estabilidade no emprego, pode ser uma catástrofe.

Também se deve incentivar uso de água de chuva e reuso. Pouco se fala em coletar água de chuva. Se a população fizesse isso, e reduzisse ao menos 10% do consumo, teríamos cerca de 5 metros cúbicos por segundo de economia de água. Isso equivale ao novo sistema que a Sabesp constrói agora, o São Lourenço, que custará 2 bilhões de reais.

Finalmente, é necessário estatizar o saneamento – não a Sabesp, mas o próprio saneamento. Não tem sentido um serviço tão importante quanto esse na mão de quem quer lucro. Mas a estatização não pode ficar na mão do governo, com empresários controlando por dentro. É preciso controle dos trabalhadores. Além de uma comissão e investigação populares, que apurem responsabilidades. É preciso coletar e tratar mais esgoto, usando tal água em atividades, principalmente, industriais, pois há uma série de usos possíveis com a água de esgoto.

Recuperar mananciais é outro ponto importante. Se isso não for feito, as consequências futuras podem ser mais graves. O Rodoanel passou pelos mananciais, o que mostra como não se deu importância a eles. Pessoas que moram em áreas de mananciais precisam sair de lá, através de negociações sérias, com plano habitacional. Com casa garantida, claro, ao invés de serem retiradas como lixo.

Há uma série de ações possíveis no médio e curto prazo. Mas têm de ser feitas em diálogos com a população, se não os interesses pelo lucro vão falar mais alto.

Gílson Sampaio/Correio da Cidadania 

Fontes: Correio da Cidadania , Notícia Final

Este é o resumo de notícias do dia 14/11/14. Nesta sexta-feira, pela primeira vez em muito tempo, Israel deixou dezenas de milhares de muçulmanos participar plenamente da grande oração semanal na Esplanada das Mesquitas em Jerusalém Oriental.

Cerca de 40 mil homens e mulheres de todas as idades entraram pelos diferentes acessos da esplanada, respondendo ao chamado para a oração, lotando a mesquita de Al-Aqsa para os homens e o Domo da Rocha para as mulheres.

Há poucas horas, israelenses e palestinos se comprometeram a tomar medidas concretas para acalmar as tensões em torno do local mais sagrado de Jerusalém, o Monte do Templo ou Esplanada das Mesquitas. Esse anúncio foi feito nesta quinta-feira pelo secretário de Estado norte-americano, John Kerry, após negociações na capital da Jordânia.

O Hamas advertiu Israel com relação ao que está ocorrendo em Jerusalém. Os confrontos continuam, como pode ser visto nestas imagens registradas na parte oriental de Jerusalém:



Estaremos atentos aos desdobramentos da tensão em torno do Monte do Templo. Cada vez mais, grupos de judeus praticantes reclamam o direito de orar e de exercer sua fé no Monte do Templo, o que tem gerado as tensões dos últimos dias. O cenário propício para cumprimento final das profecias se aproxima...

A Austrália afirmou que está monitorando um comboio de quatro navios de guerra russos fortemente armados, incluindo pelo menos um poderoso cruzador de mísseis, que estão perto das águas australianas no norte do país.

De acordo com alguns analistas, esses navios de guerra russo estão indo em direção a Austrália, em uma demonstração de força do presidente Vladimir Putin, diante da cúpula do G-20 em Brisbane.

Por sua vez, a Suécia confirmou nesta sexta-feira que um submarino estrangeiro violou suas águas territoriais em outubro e que vai aumentar a capacidade para impedir tais incursões.

A Rússia anunciou que aumentará o número de patrulhas sobre o Ártico, o Caribe e o Golfo do México, segundo afirmou o ministro de Defesa russo, Serguéi Shoigú. "Na situação atual, devemos manter nossa presença militar na parte ocidental do Atlântico e no leste do Pacífico, no Caribe e no Golfo do México", dice o ministro, citado pela agencia RIA Novosti.

Estaremos atentos. A Rússia alertou nas últimas horas o governo da Ucrânia de que um novo conflito no leste ucraniano seria catastrófico para a Ucrânia.

Na África, centenas de combatentes do Boko Haram assumiram o controle na quinta-feira de duas localidades do estado de Adamawa, no nordeste da Nigéria, depois de serem expulsos de outra cidade. Os islamitas tomaram o controle de Hong e de Gombi, aproximando-se assim de Yola, a capital do estado.

No cenário financeiro, a Itália viveu um dia de caos nesta sexta-feira, com greves e protestos. Os sindicatos protestaram contra as reformas do premier Matteo Renzi. No Brasil, a geração de empregos em outubro foi a pior em 15 anos.

No aspecto dos sinais dos céus, um meteoro foi visto em plena apresentação musical de uma banda em Austin, no Texas.

Os sinais continuam ocorrendo em todos os segmentos e lugares. Muitos consideram esses fatos como algo cíclico e corriqueiro... Outros, preferem nem sequer saber deles e continuam como se nada estivesse ocorrendo... A maioria prefere viver na contramão das Verdades das Escrituras.

No entanto, cremos que as profecias contidas nas Escrituras estão se concretizando de forma gradual e paulatina. É tempo de arrependimento, santificação e fé nas promessas do Altíssimo para aqueles que crêem e de intercessão por aqueles que não crêem.

Referências: 
http://br.reuters.com/article/worldNews/idBRKCN0IX2QH20141113?pageNumber=1&virtualBrandChannel=0

https://www.youtube.com/watch?v=THxGleL-KAs&list=UUhqUTb7kYRX8-EiaN3XFrSQ

http://www.ibtimes.com/australia-monitoring-heavily-armed-russian-warships-nearing-its-northern-shores-ahead-1722944

http://www.afp.com/pt/noticia/suecia-confirma-que-submarino-estrangeiro-entrou-em-suas-aguas-territoriais

http://actualidad.rt.com/actualidad/view/146855-defensa-rusia-patrullas-aviacion-golfo-mexico-caribe

http://br.reuters.com/article/worldNews/idBRKCN0IX25K20141113

http://www.em.com.br/app/noticia/internacional/2014/11/14/interna_internacional,590008/islamitas-do-boko-haram-se-apoderam-de-novas-cidades-na-nigeria.shtml

http://ansabrasil.com.br/brasil/noticias/italia/noticias/2014/11/14/Italia-vive-dia-caos-com-greves-protestos_8183514.html

http://ansabrasil.com.br/brasil/noticias/economia/noticias/2014/11/14/Geracao-empregos-em-outubro-pior-em-15-anos_8184888.html

https://www.youtube.com/watch?v=gZD-mV_mjR8

Fonte: Projeto Ômega

Projeto Ômega: Resumo de notícias (14/11)

Este é o resumo de notícias do dia 14/11/14. Nesta sexta-feira, pela primeira vez em muito tempo, Israel deixou dezenas de milhares de muçulmanos participar plenamente da grande oração semanal na Esplanada das Mesquitas em Jerusalém Oriental.

Cerca de 40 mil homens e mulheres de todas as idades entraram pelos diferentes acessos da esplanada, respondendo ao chamado para a oração, lotando a mesquita de Al-Aqsa para os homens e o Domo da Rocha para as mulheres.

Há poucas horas, israelenses e palestinos se comprometeram a tomar medidas concretas para acalmar as tensões em torno do local mais sagrado de Jerusalém, o Monte do Templo ou Esplanada das Mesquitas. Esse anúncio foi feito nesta quinta-feira pelo secretário de Estado norte-americano, John Kerry, após negociações na capital da Jordânia.

O Hamas advertiu Israel com relação ao que está ocorrendo em Jerusalém. Os confrontos continuam, como pode ser visto nestas imagens registradas na parte oriental de Jerusalém:



Estaremos atentos aos desdobramentos da tensão em torno do Monte do Templo. Cada vez mais, grupos de judeus praticantes reclamam o direito de orar e de exercer sua fé no Monte do Templo, o que tem gerado as tensões dos últimos dias. O cenário propício para cumprimento final das profecias se aproxima...

A Austrália afirmou que está monitorando um comboio de quatro navios de guerra russos fortemente armados, incluindo pelo menos um poderoso cruzador de mísseis, que estão perto das águas australianas no norte do país.

De acordo com alguns analistas, esses navios de guerra russo estão indo em direção a Austrália, em uma demonstração de força do presidente Vladimir Putin, diante da cúpula do G-20 em Brisbane.

Por sua vez, a Suécia confirmou nesta sexta-feira que um submarino estrangeiro violou suas águas territoriais em outubro e que vai aumentar a capacidade para impedir tais incursões.

A Rússia anunciou que aumentará o número de patrulhas sobre o Ártico, o Caribe e o Golfo do México, segundo afirmou o ministro de Defesa russo, Serguéi Shoigú. "Na situação atual, devemos manter nossa presença militar na parte ocidental do Atlântico e no leste do Pacífico, no Caribe e no Golfo do México", dice o ministro, citado pela agencia RIA Novosti.

Estaremos atentos. A Rússia alertou nas últimas horas o governo da Ucrânia de que um novo conflito no leste ucraniano seria catastrófico para a Ucrânia.

Na África, centenas de combatentes do Boko Haram assumiram o controle na quinta-feira de duas localidades do estado de Adamawa, no nordeste da Nigéria, depois de serem expulsos de outra cidade. Os islamitas tomaram o controle de Hong e de Gombi, aproximando-se assim de Yola, a capital do estado.

No cenário financeiro, a Itália viveu um dia de caos nesta sexta-feira, com greves e protestos. Os sindicatos protestaram contra as reformas do premier Matteo Renzi. No Brasil, a geração de empregos em outubro foi a pior em 15 anos.

No aspecto dos sinais dos céus, um meteoro foi visto em plena apresentação musical de uma banda em Austin, no Texas.

Os sinais continuam ocorrendo em todos os segmentos e lugares. Muitos consideram esses fatos como algo cíclico e corriqueiro... Outros, preferem nem sequer saber deles e continuam como se nada estivesse ocorrendo... A maioria prefere viver na contramão das Verdades das Escrituras.

No entanto, cremos que as profecias contidas nas Escrituras estão se concretizando de forma gradual e paulatina. É tempo de arrependimento, santificação e fé nas promessas do Altíssimo para aqueles que crêem e de intercessão por aqueles que não crêem.

Referências: 
http://br.reuters.com/article/worldNews/idBRKCN0IX2QH20141113?pageNumber=1&virtualBrandChannel=0

https://www.youtube.com/watch?v=THxGleL-KAs&list=UUhqUTb7kYRX8-EiaN3XFrSQ

http://www.ibtimes.com/australia-monitoring-heavily-armed-russian-warships-nearing-its-northern-shores-ahead-1722944

http://www.afp.com/pt/noticia/suecia-confirma-que-submarino-estrangeiro-entrou-em-suas-aguas-territoriais

http://actualidad.rt.com/actualidad/view/146855-defensa-rusia-patrullas-aviacion-golfo-mexico-caribe

http://br.reuters.com/article/worldNews/idBRKCN0IX25K20141113

http://www.em.com.br/app/noticia/internacional/2014/11/14/interna_internacional,590008/islamitas-do-boko-haram-se-apoderam-de-novas-cidades-na-nigeria.shtml

http://ansabrasil.com.br/brasil/noticias/italia/noticias/2014/11/14/Italia-vive-dia-caos-com-greves-protestos_8183514.html

http://ansabrasil.com.br/brasil/noticias/economia/noticias/2014/11/14/Geracao-empregos-em-outubro-pior-em-15-anos_8184888.html

https://www.youtube.com/watch?v=gZD-mV_mjR8

Fonte: Projeto Ômega

Criar e plantar estão entre as muitas atividades do sobrevivencialismo e da autosuficiencia doméstica, bem mais do que ser sustentável, é uma ferramenta de sobrevivência urbana, e esta é uma bela solução para hortas urbanas, ocupando pouco espaço.

Uma parede ou muro se transforma facilmente em um mecanismo produtor de alimentos ou em uma farmácia de ervas medicinais.

Com 20 cm de gaveta você pode plantar em uma varanda vários tipos de folhas e temperos, com a enorme vantagem da economia de agua, já que ocorre um gotejamento por gravidade, diminuindo ainda mais o trabalho de cuidar de sua estrutura.

Com 25 cm e cano de 6 polegadas se consegue um bom recurso para cenouras, rabanetes, beterrabas e até mini abóboras, vajem e feijão !

Bora lá plantar ?

Horta suspensa no cano de PVC


Mais um video falando de nossas experiências rumo a sustentabilidade doméstica.Somenente teoria não basta, pois, nada supera a prática do fazer

Horta suspensa em garrafas Pet


Fonte: Guia do Sobrevivente - Youtube

Sobrevivencialismo:horta suspensa no cano de PVC e garrafa PET

Criar e plantar estão entre as muitas atividades do sobrevivencialismo e da autosuficiencia doméstica, bem mais do que ser sustentável, é uma ferramenta de sobrevivência urbana, e esta é uma bela solução para hortas urbanas, ocupando pouco espaço.

Uma parede ou muro se transforma facilmente em um mecanismo produtor de alimentos ou em uma farmácia de ervas medicinais.

Com 20 cm de gaveta você pode plantar em uma varanda vários tipos de folhas e temperos, com a enorme vantagem da economia de agua, já que ocorre um gotejamento por gravidade, diminuindo ainda mais o trabalho de cuidar de sua estrutura.

Com 25 cm e cano de 6 polegadas se consegue um bom recurso para cenouras, rabanetes, beterrabas e até mini abóboras, vajem e feijão !

Bora lá plantar ?

Horta suspensa no cano de PVC


Mais um video falando de nossas experiências rumo a sustentabilidade doméstica.Somenente teoria não basta, pois, nada supera a prática do fazer

Horta suspensa em garrafas Pet


Fonte: Guia do Sobrevivente - Youtube

Vc acha que o preço da gasolina está caro?!

E se eu te disser que não está?! Acho que vc vai ficar triste, né?!

Então, confira o vídeo acima e entenda o que está acontecendo com o preço da gasolina e com as ações da Petrobrás.
Controle artificial da inflação

Basicamente, a gasolina brasileira tem sido mantida artificialmente barata desde 2011, quando a presidente Dilma começou a utilizar o preço do combustível para controlar a inflação.

Esta política já custou a Petrobrás, mais de 40 bilhões de dólares! E em apenas 5 anos, conseguiu transformar a maior empresa do país, em uma das mais endividadas do mundo! E olha que eu nem estou levando em consideração todos os escândalos de corrupção, fraudes, superfaturamentos e outras maracutaias que ocorrem nessa estatal.

Não é à toa que as ações da Petrobrás (PETR4) só caíram nos últimos 5 anos.
Planeta dos Macacos (O Filme) – Spoiler

No filme original, de 1968, o personagem principal (Taylor) e outros 2 astronautas despertam de uma profunda hibernação e descobrem que sua nave espacial sofreu um acidente e caiu em um planeta “parecido” com a Terra, onde seres humanos são aprisionados por macacos falantes, os quais possuem o domínio da tecnologia.

No final, em uma cena épica na praia, Taylor vê a imagem da Estatua da Liberdade destruída, revelando que, na verdade, o planeta em que eles estavam era a própria Terra, porém, eles estavam na Terra centenas de anos no futuro. Mostrando que os seres humanos, através de guerras e irracionalidade, conseguiram se auto-destruir… e os macacos tomaram seu lugar.



Nesta cena, o personagem, inconformado com a revelação, diz a celebre frase:
Desgraçados!
Vcs destruíram tudo! Malditos!
Vcs vão todos para o inferno!”
Taylor – Planeta dos Macacos 1968

Bons sonhos!
Otário A. Anonymous

Fontes e links úteis

Ranking dos preços da gasolina pelo mundo (Bloomberg): http://www.bloomberg.com/visual-data/gas-prices/20142:Brazil:USD:g

O Brasil é o 13º maior produtor de petróleo do mundo http://veja.abril.com.br/blog/impavido-colosso/brasil-o-13-maior-produtor-de-petroleo-do-mundo-tem-a-16a-gasolina-que-mais-pesa-para-o-consumidor/

Agência Nacional do Petróleo – Informações, séries históricas e estatísticas sobre o petróleo no Brasil (ANP) http://www.anp.gov.br/

Auto-suficiencia

O Brasil é auto-suficiente em petróleo? Petrobras deve atingir autossuficiência na produção de petróleo em 2015. http://super.abril.com.br/ciencia/brasil-auto-suficiente-petroleo-446464.shtml

Petrobras: Brasil voltará a ser autossuficiente em petróleo em 2020 http://oglobo.globo.com/economia/petrobras-brasil-voltara-ser-autossuficiente-em-petroleo-em-2020-8149219

Composição de preços

Composição de preços ao consumidor: Gasolina http://www.petrobras.com.br/pt/produtos-e-servicos/composicao-de-precos/gasolina/

10% de etanol é adicionado na gasolina comum nos EUA (em inglês) http://www.eia.gov/tools/faqs/faq.cfm?id=27&t=10

Distribuição de custos no preço do galão de gasolina nos EUA (em inglês) http://www.eia.gov/tools/faqs/faq.cfm?id=22&t=10

Petrobrás

Petrobrás cai de 12ª para 120ª em ranking de maiores empresas do mundo
http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,petrobras-cai-de-12-para-120-em-ranking-de-maiores-empresas,180109e

Petrobrás é a empresa com mais dívidas do mundo! http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,petrobras-e-a-empresa-com-mais-dividas-no-mundo-imp-,1087347

Petrobras puniu gerente que se opôs a fraude, afirma viúva http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/04/1441850-petrobras-puniu-gerente-que-se-opos-a-fraude-afirma-viuva.shtml

CPI da Petrobrás http://oglobo.globo.com/brasil/cpi-da-petrobras/

Vídeo revela que houve fraude na investigação da CPI da Petrobrás http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,video-revela-que-houve-fraude-na-investigacao-da-cpi-da-petrobras,1537841

Operação Lava Jato: Paulo Roberto Costa decide fazer delação premiada http://blogs.estadao.com.br/fausto-macedo/paulo-roberto-costa-decide-fazer-delacao-premiada/

Estatais brasileiras

As 50 maiores estatais do Brasil em 2012 http://exame.abril.com.br/negocios/noticias/as-50-maiores-estatais-do-brasil-2

Petrobrás, PTrobrás, PTroubaráis

Vc acha que o preço da gasolina está caro?!

E se eu te disser que não está?! Acho que vc vai ficar triste, né?!

Então, confira o vídeo acima e entenda o que está acontecendo com o preço da gasolina e com as ações da Petrobrás.
Controle artificial da inflação

Basicamente, a gasolina brasileira tem sido mantida artificialmente barata desde 2011, quando a presidente Dilma começou a utilizar o preço do combustível para controlar a inflação.

Esta política já custou a Petrobrás, mais de 40 bilhões de dólares! E em apenas 5 anos, conseguiu transformar a maior empresa do país, em uma das mais endividadas do mundo! E olha que eu nem estou levando em consideração todos os escândalos de corrupção, fraudes, superfaturamentos e outras maracutaias que ocorrem nessa estatal.

Não é à toa que as ações da Petrobrás (PETR4) só caíram nos últimos 5 anos.
Planeta dos Macacos (O Filme) – Spoiler

No filme original, de 1968, o personagem principal (Taylor) e outros 2 astronautas despertam de uma profunda hibernação e descobrem que sua nave espacial sofreu um acidente e caiu em um planeta “parecido” com a Terra, onde seres humanos são aprisionados por macacos falantes, os quais possuem o domínio da tecnologia.

No final, em uma cena épica na praia, Taylor vê a imagem da Estatua da Liberdade destruída, revelando que, na verdade, o planeta em que eles estavam era a própria Terra, porém, eles estavam na Terra centenas de anos no futuro. Mostrando que os seres humanos, através de guerras e irracionalidade, conseguiram se auto-destruir… e os macacos tomaram seu lugar.



Nesta cena, o personagem, inconformado com a revelação, diz a celebre frase:
Desgraçados!
Vcs destruíram tudo! Malditos!
Vcs vão todos para o inferno!”
Taylor – Planeta dos Macacos 1968

Bons sonhos!
Otário A. Anonymous

Fontes e links úteis

Ranking dos preços da gasolina pelo mundo (Bloomberg): http://www.bloomberg.com/visual-data/gas-prices/20142:Brazil:USD:g

O Brasil é o 13º maior produtor de petróleo do mundo http://veja.abril.com.br/blog/impavido-colosso/brasil-o-13-maior-produtor-de-petroleo-do-mundo-tem-a-16a-gasolina-que-mais-pesa-para-o-consumidor/

Agência Nacional do Petróleo – Informações, séries históricas e estatísticas sobre o petróleo no Brasil (ANP) http://www.anp.gov.br/

Auto-suficiencia

O Brasil é auto-suficiente em petróleo? Petrobras deve atingir autossuficiência na produção de petróleo em 2015. http://super.abril.com.br/ciencia/brasil-auto-suficiente-petroleo-446464.shtml

Petrobras: Brasil voltará a ser autossuficiente em petróleo em 2020 http://oglobo.globo.com/economia/petrobras-brasil-voltara-ser-autossuficiente-em-petroleo-em-2020-8149219

Composição de preços

Composição de preços ao consumidor: Gasolina http://www.petrobras.com.br/pt/produtos-e-servicos/composicao-de-precos/gasolina/

10% de etanol é adicionado na gasolina comum nos EUA (em inglês) http://www.eia.gov/tools/faqs/faq.cfm?id=27&t=10

Distribuição de custos no preço do galão de gasolina nos EUA (em inglês) http://www.eia.gov/tools/faqs/faq.cfm?id=22&t=10

Petrobrás

Petrobrás cai de 12ª para 120ª em ranking de maiores empresas do mundo
http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,petrobras-cai-de-12-para-120-em-ranking-de-maiores-empresas,180109e

Petrobrás é a empresa com mais dívidas do mundo! http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,petrobras-e-a-empresa-com-mais-dividas-no-mundo-imp-,1087347

Petrobras puniu gerente que se opôs a fraude, afirma viúva http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/04/1441850-petrobras-puniu-gerente-que-se-opos-a-fraude-afirma-viuva.shtml

CPI da Petrobrás http://oglobo.globo.com/brasil/cpi-da-petrobras/

Vídeo revela que houve fraude na investigação da CPI da Petrobrás http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,video-revela-que-houve-fraude-na-investigacao-da-cpi-da-petrobras,1537841

Operação Lava Jato: Paulo Roberto Costa decide fazer delação premiada http://blogs.estadao.com.br/fausto-macedo/paulo-roberto-costa-decide-fazer-delacao-premiada/

Estatais brasileiras

As 50 maiores estatais do Brasil em 2012 http://exame.abril.com.br/negocios/noticias/as-50-maiores-estatais-do-brasil-2


Como avisado antes em outros artigos e comentários, começam a aparecer análises e até publicidade anunciando a chegada do padrão ouro. O “petrodólar” deixou de ser a divisa internacional para comercializar petróleo e gás. Muito disto se deve ao BRICS, que já havia anunciado que o seu comércio não seria mais com o dólar.

Fim do Petrodólar, emissão de SDR pelo FMI e moedas respaldadas em ouro

Em postagem recente do jornalista Rafael Palacios, ele divulga a matéria da Forbesconfirmando sutilmente esta movimentação do padrão dólar para o padrão ouro. O acúmulo de ouro de vários países, principalmente pela China, demonstra que irão respaldar suas moedas com ouro.

Tradução: Caminho Alternativo

A febre do ouro e da prata

(06-11-2014) Seja na Alemanha ou China, o padrão se repete: menores preços orquestrados desde o mercado de papel, serão respondidos com alta demanda física dos investidores em valor, que se preparam assim para o desastre econômico que vêm. Aqui, já consultamos a Banxico para que nos informe das últimas cifras de demanda de onças Liberdade no país durante outubro, e quando as tenhamos, as publicaremos. Apesar do que se diga, há uma febre do ouro e da prata no mundo,que os beneficiários do sistema monetário baseado no dólar, não puderam nem poderão conter.

De forma subliminar a Dior publicou um vídeo de seu produto usando como garota propaganda a atriz Charlize Theron. O título da propaganda é: Dior J’adore – “The future is gold”.



Palacios é otimista em relação a este reset do sistema financeiro e diz que após a transição ao padrão ouro outros eventos irão ocorrer, como o fim do Federal Reserve(FED) das famílias Rothschild, Rockefeller, Morgan, Warburg, etc.

O que poderia evidenciar o fim do FED é o mistério em torno aos cofres de Fort Knox nos EUA. Há sérias suspeitas de que estariam vazios ou recheados com barras de tungstênio pintadas a ouro.


[...] Uma auditoria também pode revelar se o governo despejou um pouco de ouronos mercados mundiais para manipular os preços. (Sim, os governos têm feito isso antes.) E se o governo dos EUA chegou a vender um pouco sem nos dizer, a confiança seria irreversivelmente quebrada.

Mais espetacular ainda, uma auditoria poderia revelar que Fort Knox está repleta detungstênio pintado a ouro. Aqui, também, existe um precedente, como barras decontrafacção de transformar-se, de tempos a tempos. Embora eu duvide que um governo iria confessar a ser tão incrivelmente enganado.[...]

Outra evidência de que os cofres do FED estariam vazios foi o pedido da Alemanha em repatriar seu ouro e cuja resposta dos EUA foi de devolver apenas uma parte. Além disto, o Federal Reserve se recusa a fazer uma auditoria no ouro armazenado, principalmente o alemão.

A decisão de repatriar o ouro alemão é uma grande vitória para a parte da imprensa alemã que forçou o Bundesbank a admitir que 69% do seu ouro é armazenado fora da Alemanha. Quase com certeza a imprensa alemã e pelo menos vários legisladores do país exigirão uma verificação das barras de ouro retornadas de Nova York, simplesmente para garantir que a Alemanha não recebe tungsténio folheado a ouro ao invés de ouro. Parece que decisores alemães já não confiam nos seus parceiros americanos. (Voice of Russia, January 15, 2013, ênfase acrescentada)

Fonte: resistir.info

Um artigo interessante publicado pelo GlobalResearch revela as verdadeiras razões da Alemanha exigir que os EUA retornem seu ouro.
Em outras palavras, Rickards e SKOYLES parecem argumentar que a Alemanha pode estar repatriando o ouro no primeiro turno das cadeiras em que a China está se preparando para lançar um Yuan lastreado em ouro. De acordo com esta teoria, o resto das moedas do mundo vão afundar, a menos que suas nações “possam lutar para colocar as mãos em ouro suficiente para dar credibilidade ao seu papel.
E se têm um país que é sinônimo de banco é a Suíça, esta é a notícia que nos chega de lá em relação às reservas de ouro.

Uma inciativa da direita conservadora quer obrigar o Banco Central Suíço a manter, pelo menos, 20% de seus ativos em ouro e proibir a venda dessas reservas.

Com suas 1040 toneladas de ouro, o Banco Central Suíço ainda detém hoje a sétima maior reserva do mundo.

“Salvem o ouro da Suíça”. Parece o enredo de um filme mas, na realidade, é o título da inciativa popular a ser submetida à votação federal no próximo dia 30 de novembro. [...]
Fonte: swissinfo.ch

Outro fato curioso é que os Rothschild conseguiram o controle eletrônico da cotação da prata e agora querem o ouro.

Embora o FED possa desaparecer após a revelação pública de que o dólar não vale absolutamente nada e que seus cofres estão quase vazios, ainda há uma pergunta que paira na mente de quem pesquisa sobre esta estrutura criminosa de poder global: – Estariam os Rothschild por trás do Banco Central chinês, controlando toda essa movimentação financeira global em direção ao padrão ouro?

Fonte: Caminho Alternativo

Reset no sistema financeiro mundial, vêm aí o padrão ouro

Como avisado antes em outros artigos e comentários, começam a aparecer análises e até publicidade anunciando a chegada do padrão ouro. O “petrodólar” deixou de ser a divisa internacional para comercializar petróleo e gás. Muito disto se deve ao BRICS, que já havia anunciado que o seu comércio não seria mais com o dólar.

Fim do Petrodólar, emissão de SDR pelo FMI e moedas respaldadas em ouro

Em postagem recente do jornalista Rafael Palacios, ele divulga a matéria da Forbesconfirmando sutilmente esta movimentação do padrão dólar para o padrão ouro. O acúmulo de ouro de vários países, principalmente pela China, demonstra que irão respaldar suas moedas com ouro.

Tradução: Caminho Alternativo

A febre do ouro e da prata

(06-11-2014) Seja na Alemanha ou China, o padrão se repete: menores preços orquestrados desde o mercado de papel, serão respondidos com alta demanda física dos investidores em valor, que se preparam assim para o desastre econômico que vêm. Aqui, já consultamos a Banxico para que nos informe das últimas cifras de demanda de onças Liberdade no país durante outubro, e quando as tenhamos, as publicaremos. Apesar do que se diga, há uma febre do ouro e da prata no mundo,que os beneficiários do sistema monetário baseado no dólar, não puderam nem poderão conter.

De forma subliminar a Dior publicou um vídeo de seu produto usando como garota propaganda a atriz Charlize Theron. O título da propaganda é: Dior J’adore – “The future is gold”.



Palacios é otimista em relação a este reset do sistema financeiro e diz que após a transição ao padrão ouro outros eventos irão ocorrer, como o fim do Federal Reserve(FED) das famílias Rothschild, Rockefeller, Morgan, Warburg, etc.

O que poderia evidenciar o fim do FED é o mistério em torno aos cofres de Fort Knox nos EUA. Há sérias suspeitas de que estariam vazios ou recheados com barras de tungstênio pintadas a ouro.


[...] Uma auditoria também pode revelar se o governo despejou um pouco de ouronos mercados mundiais para manipular os preços. (Sim, os governos têm feito isso antes.) E se o governo dos EUA chegou a vender um pouco sem nos dizer, a confiança seria irreversivelmente quebrada.

Mais espetacular ainda, uma auditoria poderia revelar que Fort Knox está repleta detungstênio pintado a ouro. Aqui, também, existe um precedente, como barras decontrafacção de transformar-se, de tempos a tempos. Embora eu duvide que um governo iria confessar a ser tão incrivelmente enganado.[...]

Outra evidência de que os cofres do FED estariam vazios foi o pedido da Alemanha em repatriar seu ouro e cuja resposta dos EUA foi de devolver apenas uma parte. Além disto, o Federal Reserve se recusa a fazer uma auditoria no ouro armazenado, principalmente o alemão.

A decisão de repatriar o ouro alemão é uma grande vitória para a parte da imprensa alemã que forçou o Bundesbank a admitir que 69% do seu ouro é armazenado fora da Alemanha. Quase com certeza a imprensa alemã e pelo menos vários legisladores do país exigirão uma verificação das barras de ouro retornadas de Nova York, simplesmente para garantir que a Alemanha não recebe tungsténio folheado a ouro ao invés de ouro. Parece que decisores alemães já não confiam nos seus parceiros americanos. (Voice of Russia, January 15, 2013, ênfase acrescentada)

Fonte: resistir.info

Um artigo interessante publicado pelo GlobalResearch revela as verdadeiras razões da Alemanha exigir que os EUA retornem seu ouro.
Em outras palavras, Rickards e SKOYLES parecem argumentar que a Alemanha pode estar repatriando o ouro no primeiro turno das cadeiras em que a China está se preparando para lançar um Yuan lastreado em ouro. De acordo com esta teoria, o resto das moedas do mundo vão afundar, a menos que suas nações “possam lutar para colocar as mãos em ouro suficiente para dar credibilidade ao seu papel.
E se têm um país que é sinônimo de banco é a Suíça, esta é a notícia que nos chega de lá em relação às reservas de ouro.

Uma inciativa da direita conservadora quer obrigar o Banco Central Suíço a manter, pelo menos, 20% de seus ativos em ouro e proibir a venda dessas reservas.

Com suas 1040 toneladas de ouro, o Banco Central Suíço ainda detém hoje a sétima maior reserva do mundo.

“Salvem o ouro da Suíça”. Parece o enredo de um filme mas, na realidade, é o título da inciativa popular a ser submetida à votação federal no próximo dia 30 de novembro. [...]
Fonte: swissinfo.ch

Outro fato curioso é que os Rothschild conseguiram o controle eletrônico da cotação da prata e agora querem o ouro.

Embora o FED possa desaparecer após a revelação pública de que o dólar não vale absolutamente nada e que seus cofres estão quase vazios, ainda há uma pergunta que paira na mente de quem pesquisa sobre esta estrutura criminosa de poder global: – Estariam os Rothschild por trás do Banco Central chinês, controlando toda essa movimentação financeira global em direção ao padrão ouro?

Fonte: Caminho Alternativo

Humorista norte-americano fez um programa ridicularizando as eleições brasileiras

O apresentador de TV, John Oliver, do programa Last Week Tonight fez um discurso bem humorado sobre a obrigatoriedade das votações no Brasil. Resultado, uma analise superficial de como nossa politica é uma grande piada!

Isso porque ele só pegou referencias que faziam sentido pros EUA como Jesus, Satan, Bin Laden, Obama e o Super Man. Agora imagina se alguém apresenta a ele a serie de Candidatos Bizarros 2014????  Aí é meia hora de analise!

Essa não é a primeira vez do John Oliver por aqui, ele ja apareceu falando sobre a Copa do Mundo no Brasil, lembra?

A pior piada é a piada que se chama "verdade".



Fonte: Não Salvo

Eleições: Brasil, o país da piada pronta

Humorista norte-americano fez um programa ridicularizando as eleições brasileiras

O apresentador de TV, John Oliver, do programa Last Week Tonight fez um discurso bem humorado sobre a obrigatoriedade das votações no Brasil. Resultado, uma analise superficial de como nossa politica é uma grande piada!

Isso porque ele só pegou referencias que faziam sentido pros EUA como Jesus, Satan, Bin Laden, Obama e o Super Man. Agora imagina se alguém apresenta a ele a serie de Candidatos Bizarros 2014????  Aí é meia hora de analise!

Essa não é a primeira vez do John Oliver por aqui, ele ja apareceu falando sobre a Copa do Mundo no Brasil, lembra?

A pior piada é a piada que se chama "verdade".



Fonte: Não Salvo

Foto: RIA Novosti/Serguei Subbotin
A continuação da queda de preços do petróleo obriga os peritos a se perderem em conjeturas e a procurarem explicar esse fenômeno através de diversas teorias da conspiração. Os analistas dizem, alarmados, que o mercado deixou de ser previsível.

O preço do petróleo cai de forma supreendente... Que razão haveria para essa repentina queda?
Uma pergunta tem sido feita, até mesmo com certo assombro por parte de alguns. Por que, mesmo em meio a profundos conflitos no Oriente Médio, em países como Iraque e Síria, o preço do petróleo está tão baixo?

Como aponta um recente artigo do jornal alemão Die Welt, há poucos anos, bastava apenas um fator de instabilidade para que o preço do petróleo subisse imediatamente. Certamente, muitos irão lembrar-se de que realmente era assim...

Porém, estranhamente, o preço do barril de Brent desceu pela primeira vez desde dezembro de 2010 abaixo dos 90 dólares [1]. Os contratos de futuros do petróleo WTI com entrega em novembro se estão aproximando dos 80 dólares.

Isso está ocorrendo em meio a um cenário de abalos internacionais, como a crise ucraniana, a guerra contra o Estado Islâmico no Iraque e na Síria e a ameaça global do vírus ebola.

Especialistas apontam para um acordo secreto entre EUA e Arábia Saudita. Um acordo para beneficiar ambos os lados. De um lado, os bombardeios norte-americanos na Síria e o apoio dado pelos EUA a grupos que se opõem a Bashar al Assad beneficia os interesses da Arábia na região.

Por outro lado, a partir do momento em que a Arábia Saudita e outros países árabes aliados baixam o preço de petróleo, estão minando financeiramente o Irã e a Rússia, que também têm na exportação de petróleo uma grande fonte de recursos.

Isso beneficia os EUA no sentido de ter mais poder de negociação com o Irã a respeito de seu programa nuclear e com a Rússia, na questão de hegemonia geo-política e domínio territorial de zonas importantes e estratégicas na Ucrânia e no leste europeu [2].

Por trás desse jogo de interesses e dos complicados desdobramentos políticos e estratégicos, podemos vislumbrar que o cenário profetizado nas Escrituras se cumpre dia após dia.

Específicamente, vemos em toda essa situação, juntando essa pressão do preço do petróleo, a tensão na Ucrânia, o Estado Islâmico levantando-se no Iraque e na Síria e a Turquia sendo instada a intervir militarmente na Síria, as condições prévias para a concretização das profecias de Ezequiel 38 e 39.

O profeta Ezequiel mostra que a principal motivação do rei do extremo norte [Gog] será avançar sobre o Oriente Médio com motivações comerciais, num cenário imediatamente posterior a um conflito.

Essa será a acusação de Sebá e Dedã [países árabes reconhecidos pelo seu comércio] e Társis e seus "leãozinhos" [países ocidentais] quano Gog invada o Oriente Médio:

"Sebá e Dedã, e os mercadores de Társis, e todos os seus leõezinhos te dirão: Vens tu para tomar o despojo? Ajuntaste a tua multidão para arrebatar a tua presa? Para levar a prata e o ouro, para tomar o gado e os bens, para saquear o grande despojo?" [Ezequiel 38:13]

O profeta utiliza elementos de sua própria realidade temporal, como "ouro", "gado" e "presa". No entanto, sabemos que a principal riqueza pela qual os países lutam naquela região é o petróleo.

Rússia e Irã estão sendo pressionados e altamente prejuicados com a baixa do preço do petróleo... Uma baixa surpreendente e, para muitos especialistas, uma baixa forçada artificialmente pelos EUA e Arábia Saudita.

No Oriente Médio, continua o cenário de guerra e destruição, com bombardeios diários dos EUA e aliados contra o Estado Islâmico na Síria e no Iraque, gerando um cenário em que o "despojo" será tomado por quem decidir apropiar-se do que restar...

Tudo caminha de acordo com o cenário previamente profetizado há cerca de 2.500 anos! Ezequiel indica que a profecia se cumprirá "no fim dos anos" [Ezequiel 38:8]. Nós cremos nisso. Até quem não crê deveria, ao menos, considerar que os elementos se encaixam.

Fontes: Vermelho , Voz da Rússia , Projeto OmegaZerohedge

Preços do petróleo: EUA tenta prejudicar a Rússia?

Foto: RIA Novosti/Serguei Subbotin
A continuação da queda de preços do petróleo obriga os peritos a se perderem em conjeturas e a procurarem explicar esse fenômeno através de diversas teorias da conspiração. Os analistas dizem, alarmados, que o mercado deixou de ser previsível.

O preço do petróleo cai de forma supreendente... Que razão haveria para essa repentina queda?
Uma pergunta tem sido feita, até mesmo com certo assombro por parte de alguns. Por que, mesmo em meio a profundos conflitos no Oriente Médio, em países como Iraque e Síria, o preço do petróleo está tão baixo?

Como aponta um recente artigo do jornal alemão Die Welt, há poucos anos, bastava apenas um fator de instabilidade para que o preço do petróleo subisse imediatamente. Certamente, muitos irão lembrar-se de que realmente era assim...

Porém, estranhamente, o preço do barril de Brent desceu pela primeira vez desde dezembro de 2010 abaixo dos 90 dólares [1]. Os contratos de futuros do petróleo WTI com entrega em novembro se estão aproximando dos 80 dólares.

Isso está ocorrendo em meio a um cenário de abalos internacionais, como a crise ucraniana, a guerra contra o Estado Islâmico no Iraque e na Síria e a ameaça global do vírus ebola.

Especialistas apontam para um acordo secreto entre EUA e Arábia Saudita. Um acordo para beneficiar ambos os lados. De um lado, os bombardeios norte-americanos na Síria e o apoio dado pelos EUA a grupos que se opõem a Bashar al Assad beneficia os interesses da Arábia na região.

Por outro lado, a partir do momento em que a Arábia Saudita e outros países árabes aliados baixam o preço de petróleo, estão minando financeiramente o Irã e a Rússia, que também têm na exportação de petróleo uma grande fonte de recursos.

Isso beneficia os EUA no sentido de ter mais poder de negociação com o Irã a respeito de seu programa nuclear e com a Rússia, na questão de hegemonia geo-política e domínio territorial de zonas importantes e estratégicas na Ucrânia e no leste europeu [2].

Por trás desse jogo de interesses e dos complicados desdobramentos políticos e estratégicos, podemos vislumbrar que o cenário profetizado nas Escrituras se cumpre dia após dia.

Específicamente, vemos em toda essa situação, juntando essa pressão do preço do petróleo, a tensão na Ucrânia, o Estado Islâmico levantando-se no Iraque e na Síria e a Turquia sendo instada a intervir militarmente na Síria, as condições prévias para a concretização das profecias de Ezequiel 38 e 39.

O profeta Ezequiel mostra que a principal motivação do rei do extremo norte [Gog] será avançar sobre o Oriente Médio com motivações comerciais, num cenário imediatamente posterior a um conflito.

Essa será a acusação de Sebá e Dedã [países árabes reconhecidos pelo seu comércio] e Társis e seus "leãozinhos" [países ocidentais] quano Gog invada o Oriente Médio:

"Sebá e Dedã, e os mercadores de Társis, e todos os seus leõezinhos te dirão: Vens tu para tomar o despojo? Ajuntaste a tua multidão para arrebatar a tua presa? Para levar a prata e o ouro, para tomar o gado e os bens, para saquear o grande despojo?" [Ezequiel 38:13]

O profeta utiliza elementos de sua própria realidade temporal, como "ouro", "gado" e "presa". No entanto, sabemos que a principal riqueza pela qual os países lutam naquela região é o petróleo.

Rússia e Irã estão sendo pressionados e altamente prejuicados com a baixa do preço do petróleo... Uma baixa surpreendente e, para muitos especialistas, uma baixa forçada artificialmente pelos EUA e Arábia Saudita.

No Oriente Médio, continua o cenário de guerra e destruição, com bombardeios diários dos EUA e aliados contra o Estado Islâmico na Síria e no Iraque, gerando um cenário em que o "despojo" será tomado por quem decidir apropiar-se do que restar...

Tudo caminha de acordo com o cenário previamente profetizado há cerca de 2.500 anos! Ezequiel indica que a profecia se cumprirá "no fim dos anos" [Ezequiel 38:8]. Nós cremos nisso. Até quem não crê deveria, ao menos, considerar que os elementos se encaixam.

Fontes: Vermelho , Voz da Rússia , Projeto OmegaZerohedge

Artigo Relacionado: Proposta sobre juros Bancários

Por: Wenderson Wanzeller

No dia 10 de setembro, publicamos um vídeo convidando todos os presidenciáveis para apresentarem suas propostas de combate aos juros bancários no Brasil que, conforme havíamos alertado, hoje beiram as vergonhosas taxas de 20% ao mês em operações de cartões de crédito, cheque especial e empréstimo pessoal.

Para o desenvolvimento da campanha nós contamos com o empenho de nossa comunidade no YouTube, e foram enviados quase 500 e-mails – fora os twitters – pedindo a participação dos candidatos no debate. Mas de todos os presidenciáveis, o único que teve a hombridade de nos atender foi o candidato Rui Costa Pimenta, do PCO.

Em nome de todos os internautas que enviaram os twitters e e-mails do vídeo-convite para os presidenciáveis, nós agradecemos ao candidato pela participação nesse importante debate.

E para os demais presidenciáveis que receberam o convite, mas que ignoraram o apelo das centenas de internautas – talvez até pelo fato de não terem nenhuma proposta para apresentar – fica aqui o nosso registro de frustação e decepção.

Mais uma vez o nosso muito obrigado a todos os amigos internautas que apoiaram esse, que foi o primeiro debate presidenciável no YouTube, sobre os juros bancários no Brasil.



Wenderson Wanzeller, Jornalista, atuário, apresentador de TV, radialista e ator. Criador do Canal Doutor Grana, no Youtube.

Fonte: Canal do Otário

1º debate presidenciável sobre juros bancários no Brasil

Artigo Relacionado: Proposta sobre juros Bancários

Por: Wenderson Wanzeller

No dia 10 de setembro, publicamos um vídeo convidando todos os presidenciáveis para apresentarem suas propostas de combate aos juros bancários no Brasil que, conforme havíamos alertado, hoje beiram as vergonhosas taxas de 20% ao mês em operações de cartões de crédito, cheque especial e empréstimo pessoal.

Para o desenvolvimento da campanha nós contamos com o empenho de nossa comunidade no YouTube, e foram enviados quase 500 e-mails – fora os twitters – pedindo a participação dos candidatos no debate. Mas de todos os presidenciáveis, o único que teve a hombridade de nos atender foi o candidato Rui Costa Pimenta, do PCO.

Em nome de todos os internautas que enviaram os twitters e e-mails do vídeo-convite para os presidenciáveis, nós agradecemos ao candidato pela participação nesse importante debate.

E para os demais presidenciáveis que receberam o convite, mas que ignoraram o apelo das centenas de internautas – talvez até pelo fato de não terem nenhuma proposta para apresentar – fica aqui o nosso registro de frustação e decepção.

Mais uma vez o nosso muito obrigado a todos os amigos internautas que apoiaram esse, que foi o primeiro debate presidenciável no YouTube, sobre os juros bancários no Brasil.



Wenderson Wanzeller, Jornalista, atuário, apresentador de TV, radialista e ator. Criador do Canal Doutor Grana, no Youtube.

Fonte: Canal do Otário

Os juros do cheque especial, cartão de crédito e crédito pessoal beiram as taxas de 20% a.m. Agora queremos ouvir as propostas dos candidatos. Participe!

Escrito por Wenderson Wanzeller



ENTENDA

A presidente candidata Dilma Rousseff, que já recebeu mais de R$ 6 Milhões em doações do Banco BTG Pactual, e que também faz vista grossa aos juros de quase 20% ao mês em operações de crédito pessoal (para pessoa física), agora insinua que, dar mais autonomia ao banco central, seria entregar o poder de nossas vidas aos banqueiros.

Veja a seguir um dos exemplos de propaganda eleitoral feitos pela presidente:



Se por um lado a presidente Dilma e o PT já receberam milhões em doações do Banco BTG Pactual, por outro, tanto Marina Silva quanto Aécio Neves, também já receberam vultuosas quantias doadas pelo Banco Itaú.

Aliás, os Bancos Itaú e o BTG Pactual estão participando significativamente dessas eleições. O Itaú, por exemplo, já doou mais de R$ 10 milhões. Foram beneficiados 3 candidatos a presidente, 10 a governador, 2 a senador e 34 a deputado federal. Já o Banco BTG optou pelos comitês. Até o momento, os dois bancos já doaram (juntos) mais de R$ 17 milhões para 5 partidos políticos.
Para consultar estas informações e verificar as doações de outros bancos ou empresas, acesse o SPCE (Sistema de Prestação de Contas Eleitorais do TSE) clique aqui.

Desafio

Juntos, nós já fizemos coisas incríveis. E é por esse motivo que convoco para mais um desafio, as centenas de internautas que participam ativamente de nossas demandas.

Como fizemos nas vezes anteriores, nós vamos enviar por e-mail a cópia do texto que está aqui no topo deste artigo. O objetivo, dessa vez, é o de convidarmos os candidatos para que apresentem propostas objetivas em relação ao futuro dos juros bancários no Brasil. Especificamente, os juros do cheque especial, do cartão de crédito e do empréstimo pessoal que, individualmente, chegam a cobrar absurdas taxas de 20% ao mês.

Se tudo der certo, no dia 22 de setembro nós publicaremos aqui no site do Canal do Otário e no canal do Dr. Grana no YouTube – e sem nenhum corte – um compilado de todos as respostas dos candidatos. 

E agora é com você Espartano. Copie o texto do modelo, citado no logo abaixo deste artigo, envie-o para os candidatos e compartilhe a nossa demanda pedindo para que todos os seus amigos façam o mesmo. O texto já está pronto. Só não esqueça de mandar uma cópia para juros@doutorgrana.com.br, que é para acompanharmos e cobrarmos as respostas de nossos candidatos.

E só para garantir, mande também um twitter com o link do vídeo para os candidatos: @AecioNeves @Dilmabr @EduardoJorge43 @Eymaeloficial @levyfidelix @lucianagenro @silva_marina @MauroIasi @Everaldo_20 @zemaria_pstu @Ruicpimenta29

Modelo de e-mail

Para: psdb.imprensa@psdb.org.br; imprensaptbsb@gmail.com; nacional.pv@gmail.com; secretaria@psdc.org.br; prtb@prtb.org.br; contato@lucianagenro.com.br; contato@equipe40.com.br; imprensa@mauroiasi.com.br; faleconosco@psc.org.br; imprensa@pco.org.br; assessoria@pstu.org.br
Cc: juros@doutorgrana.com.br

Prezado(a)s candidato(a)s:
Gostaria de sua participação no debate aberto sobre os juros bancários no Brasil, levando-se em consideração o conteúdo do vídeo-convite abaixo.
Peço por favor que não cite nenhum outro candidato em sua apresentação, pois meu único objetivo é o de conhecer as suas propostas em relação ao tema abordado.
Vídeo-convite:
youtu.be/uAMwkWZ4KLw

Atenciosamente,
Seu nome – Cidade e Estado
 

Wenderson Wanzeller, Jornalista, atuário, apresentador de TV, radialista e ator. Criador do Canal Doutor Grana, no Youtube.

Fonte: Canal do Otário

Proposta sobre juros Bancários

Os juros do cheque especial, cartão de crédito e crédito pessoal beiram as taxas de 20% a.m. Agora queremos ouvir as propostas dos candidatos. Participe!

Escrito por Wenderson Wanzeller



ENTENDA

A presidente candidata Dilma Rousseff, que já recebeu mais de R$ 6 Milhões em doações do Banco BTG Pactual, e que também faz vista grossa aos juros de quase 20% ao mês em operações de crédito pessoal (para pessoa física), agora insinua que, dar mais autonomia ao banco central, seria entregar o poder de nossas vidas aos banqueiros.

Veja a seguir um dos exemplos de propaganda eleitoral feitos pela presidente:



Se por um lado a presidente Dilma e o PT já receberam milhões em doações do Banco BTG Pactual, por outro, tanto Marina Silva quanto Aécio Neves, também já receberam vultuosas quantias doadas pelo Banco Itaú.

Aliás, os Bancos Itaú e o BTG Pactual estão participando significativamente dessas eleições. O Itaú, por exemplo, já doou mais de R$ 10 milhões. Foram beneficiados 3 candidatos a presidente, 10 a governador, 2 a senador e 34 a deputado federal. Já o Banco BTG optou pelos comitês. Até o momento, os dois bancos já doaram (juntos) mais de R$ 17 milhões para 5 partidos políticos.
Para consultar estas informações e verificar as doações de outros bancos ou empresas, acesse o SPCE (Sistema de Prestação de Contas Eleitorais do TSE) clique aqui.

Desafio

Juntos, nós já fizemos coisas incríveis. E é por esse motivo que convoco para mais um desafio, as centenas de internautas que participam ativamente de nossas demandas.

Como fizemos nas vezes anteriores, nós vamos enviar por e-mail a cópia do texto que está aqui no topo deste artigo. O objetivo, dessa vez, é o de convidarmos os candidatos para que apresentem propostas objetivas em relação ao futuro dos juros bancários no Brasil. Especificamente, os juros do cheque especial, do cartão de crédito e do empréstimo pessoal que, individualmente, chegam a cobrar absurdas taxas de 20% ao mês.

Se tudo der certo, no dia 22 de setembro nós publicaremos aqui no site do Canal do Otário e no canal do Dr. Grana no YouTube – e sem nenhum corte – um compilado de todos as respostas dos candidatos. 

E agora é com você Espartano. Copie o texto do modelo, citado no logo abaixo deste artigo, envie-o para os candidatos e compartilhe a nossa demanda pedindo para que todos os seus amigos façam o mesmo. O texto já está pronto. Só não esqueça de mandar uma cópia para juros@doutorgrana.com.br, que é para acompanharmos e cobrarmos as respostas de nossos candidatos.

E só para garantir, mande também um twitter com o link do vídeo para os candidatos: @AecioNeves @Dilmabr @EduardoJorge43 @Eymaeloficial @levyfidelix @lucianagenro @silva_marina @MauroIasi @Everaldo_20 @zemaria_pstu @Ruicpimenta29

Modelo de e-mail

Para: psdb.imprensa@psdb.org.br; imprensaptbsb@gmail.com; nacional.pv@gmail.com; secretaria@psdc.org.br; prtb@prtb.org.br; contato@lucianagenro.com.br; contato@equipe40.com.br; imprensa@mauroiasi.com.br; faleconosco@psc.org.br; imprensa@pco.org.br; assessoria@pstu.org.br
Cc: juros@doutorgrana.com.br

Prezado(a)s candidato(a)s:
Gostaria de sua participação no debate aberto sobre os juros bancários no Brasil, levando-se em consideração o conteúdo do vídeo-convite abaixo.
Peço por favor que não cite nenhum outro candidato em sua apresentação, pois meu único objetivo é o de conhecer as suas propostas em relação ao tema abordado.
Vídeo-convite:
youtu.be/uAMwkWZ4KLw

Atenciosamente,
Seu nome – Cidade e Estado
 

Wenderson Wanzeller, Jornalista, atuário, apresentador de TV, radialista e ator. Criador do Canal Doutor Grana, no Youtube.

Fonte: Canal do Otário

Postagens mais antigas Página inicial
Curta-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Assine os Feeds Entre em contato