Mostrando postagens com marcador ecumenismo. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador ecumenismo. Mostrar todas as postagens
A Assembléia da ONU se reúne para mais uma reflexão sobre os princípios do cristo cósmico Baha’u’l’llha, nesse caso o fim de toda forma de preconceito. A hipocrisia de debater sobre os direitos humanos recebe como primeiro orador Mahmoud Ahmadinejad, ex presidente do Irã. Aqui inicia-se a reflexão com uma pergunta do tipo: Um presidente de um país que mata todos os seus opositores possui alguma moral para falar de direitos humanos?

O restante do vídeo mostra os bastidores da ONU. Uma instituição corrupta que serve como escudo para que países possam propagar suas atrocidades. Venda de armas, abusos, lucro, prostituição e vadiagem são as principais metas das missões de paz. Quando essas não matam deixam que tribos rivais se matem à vontade usando os piores requintes de crueldade.

Diante de tantas mentiras, a ONU não poderia deixar de propagar a sua maior que é dizer não está criando um governo mundial, sendo que ele se encontra quase pronto. Durante décadas 5 paises possuem o controle da organização e aguardam mais 5 após uma reforma que só DEUS sabe quando acontecerá, é muito provável que aconteça após a retirada de Baha’u’llah do abismo.

Mesmo que esses chifres infernais não estejam completo, as cinco nações vencedoras da II Guerra repartiram a Terra como prêmio e até os dias de hoje exploram suas colônias que estão principalmente na África. Cada país que sonha em ser um chifre também faz o mesmo.

No caso do Brasil, o presidente reeleito lula, através do seu instituto, parece ter encontrado a rota dos diamantes, do trabalho escravo e da exploração das empreiteiras brasileiras na África através de uma rota comercial. Hoje, não param de chegar escravos africanos no Acre e em São Paulo.

Infelizmente muitos acreditam que essa organização corrupta e criminosa trará a paz na terra. Os Bahá’is, seguidores de Baha’u’llah, não conseguem entender que o bahaismo opera somente como filosofia do fim, porém os meios que se chegam a esses sempre serão os mais sórdidos e cruéis.

Entendo como realmente funciona os direitos humanos da ONU ou seja, alterando o significado das leis ou como um escudo para as nações ficarem impunes, fica fácil de entender como a degolação voltará a ser uma prática nos dias atuais.

E por fim o duelo entre unversalistas dos direitos humanos x relativistas da diversidade cultural mostram apenas duas faces da mesma moeda. Ora, quando qualquer desses lados assume o papel de verdade absoluta a reprocidade surge na forma de violência. Mas é uma violência normal segundo a ONU, pois é natural matar em nome dos direitos humanos.

Infelizmente é esse tipo de governo mundial que muitos líderes cristãos acreditam ser o reino da terra. Alguns já morreram como Myles Munroe, mas apostasia de criar um reino de deus na terra nessas condições corruptas.



Referência: Apocalise Total - Os 12 princípios da Nova Ordem Mundial

Fonte: Apocalise Total

ONU – Abusos e Escândalos

A Assembléia da ONU se reúne para mais uma reflexão sobre os princípios do cristo cósmico Baha’u’l’llha, nesse caso o fim de toda forma de preconceito. A hipocrisia de debater sobre os direitos humanos recebe como primeiro orador Mahmoud Ahmadinejad, ex presidente do Irã. Aqui inicia-se a reflexão com uma pergunta do tipo: Um presidente de um país que mata todos os seus opositores possui alguma moral para falar de direitos humanos?

O restante do vídeo mostra os bastidores da ONU. Uma instituição corrupta que serve como escudo para que países possam propagar suas atrocidades. Venda de armas, abusos, lucro, prostituição e vadiagem são as principais metas das missões de paz. Quando essas não matam deixam que tribos rivais se matem à vontade usando os piores requintes de crueldade.

Diante de tantas mentiras, a ONU não poderia deixar de propagar a sua maior que é dizer não está criando um governo mundial, sendo que ele se encontra quase pronto. Durante décadas 5 paises possuem o controle da organização e aguardam mais 5 após uma reforma que só DEUS sabe quando acontecerá, é muito provável que aconteça após a retirada de Baha’u’llah do abismo.

Mesmo que esses chifres infernais não estejam completo, as cinco nações vencedoras da II Guerra repartiram a Terra como prêmio e até os dias de hoje exploram suas colônias que estão principalmente na África. Cada país que sonha em ser um chifre também faz o mesmo.

No caso do Brasil, o presidente reeleito lula, através do seu instituto, parece ter encontrado a rota dos diamantes, do trabalho escravo e da exploração das empreiteiras brasileiras na África através de uma rota comercial. Hoje, não param de chegar escravos africanos no Acre e em São Paulo.

Infelizmente muitos acreditam que essa organização corrupta e criminosa trará a paz na terra. Os Bahá’is, seguidores de Baha’u’llah, não conseguem entender que o bahaismo opera somente como filosofia do fim, porém os meios que se chegam a esses sempre serão os mais sórdidos e cruéis.

Entendo como realmente funciona os direitos humanos da ONU ou seja, alterando o significado das leis ou como um escudo para as nações ficarem impunes, fica fácil de entender como a degolação voltará a ser uma prática nos dias atuais.

E por fim o duelo entre unversalistas dos direitos humanos x relativistas da diversidade cultural mostram apenas duas faces da mesma moeda. Ora, quando qualquer desses lados assume o papel de verdade absoluta a reprocidade surge na forma de violência. Mas é uma violência normal segundo a ONU, pois é natural matar em nome dos direitos humanos.

Infelizmente é esse tipo de governo mundial que muitos líderes cristãos acreditam ser o reino da terra. Alguns já morreram como Myles Munroe, mas apostasia de criar um reino de deus na terra nessas condições corruptas.



Referência: Apocalise Total - Os 12 princípios da Nova Ordem Mundial

Fonte: Apocalise Total

Maquete do projeto. Fotos: João Paulo Engelbrecht.
Em encontro com lideranças judaicas, o prefeito Eduardo Paes informou que está montando o processo licitatório para a construção do “Memorial às Vítimas do Holocausto”, na Barra da Tijuca. A previsão é que as obras sejam iniciadas dentro de dois meses e o projeto entregue em abril de 2015, antes do “Yom Hashoá” (“Dia da Lembrança do Holocausto”). “Nunca podemos esquecer o Holocausto, foi um momento muito triste da história da humanidade. O Rio de Janeiro é um lugar em que o ódio não é alimentado, aceitamos o próximo e as diferenças. A liberdade de crença é uma das características da nossa cidade”, afirmou ele, destacando que o local escolhido é de grande visibilidade e deverá receber um significativo público, sobretudo nos “Jogos Olímpicos-Rio 2016”.

O autor do projeto, o deputado estadual Gerson Bergher, comemorou, emocionado, o resultado de um esforço de 14 anos: “Hoje iniciamos a concretização de um sonho! Desde 2000, quando o Instituto de Arquitetos do Brasil fez um concurso ganho pelo arquiteto André Orioli, não paramos sequer um minuto para que pudéssemos chegar a este momento”.

Já a vereadora Teresa Bergher, que durante todo este período também se empenhou dia a dia, destacou a importância da obra: “O Rio de Janeiro merece, estamos muito felizes! O Memorial é um culto à memória. O espaço será tão bonito que sempre que as pessoas passarem por ele vão lembrar da violência que acontece todos os dias no mundo e dizer: holocaustos nunca mais!”. A parlamentar fez questão de ressaltar que a viabilidade do Memorial contou com uma ajuda fundamental do deputado federal Pedro Paulo, que atuou árdua e eficientemente nos bastidores políticos.

O Memorial, cujo investimento será de R$ 4.450.000,00, contará com anfiteatro (80 lugares), galeria para exposição, sala de mídia digital e estacionamento. Terá, ainda, um símbolo de 22 metros de altura que estará em uma base circular com a inscrição “Não matarás”. A programação cultural oferecida aos visitantes será elaborada por uma curadoria a ser criada pela comunidade judaica.

Fontes: CONIB , Blog Web Judaica , Alef News

Rio de Janeiro terá Memorial às Vítimas do Holocausto, monumento deve ficar pronto em 2015

Maquete do projeto. Fotos: João Paulo Engelbrecht.
Em encontro com lideranças judaicas, o prefeito Eduardo Paes informou que está montando o processo licitatório para a construção do “Memorial às Vítimas do Holocausto”, na Barra da Tijuca. A previsão é que as obras sejam iniciadas dentro de dois meses e o projeto entregue em abril de 2015, antes do “Yom Hashoá” (“Dia da Lembrança do Holocausto”). “Nunca podemos esquecer o Holocausto, foi um momento muito triste da história da humanidade. O Rio de Janeiro é um lugar em que o ódio não é alimentado, aceitamos o próximo e as diferenças. A liberdade de crença é uma das características da nossa cidade”, afirmou ele, destacando que o local escolhido é de grande visibilidade e deverá receber um significativo público, sobretudo nos “Jogos Olímpicos-Rio 2016”.

O autor do projeto, o deputado estadual Gerson Bergher, comemorou, emocionado, o resultado de um esforço de 14 anos: “Hoje iniciamos a concretização de um sonho! Desde 2000, quando o Instituto de Arquitetos do Brasil fez um concurso ganho pelo arquiteto André Orioli, não paramos sequer um minuto para que pudéssemos chegar a este momento”.

Já a vereadora Teresa Bergher, que durante todo este período também se empenhou dia a dia, destacou a importância da obra: “O Rio de Janeiro merece, estamos muito felizes! O Memorial é um culto à memória. O espaço será tão bonito que sempre que as pessoas passarem por ele vão lembrar da violência que acontece todos os dias no mundo e dizer: holocaustos nunca mais!”. A parlamentar fez questão de ressaltar que a viabilidade do Memorial contou com uma ajuda fundamental do deputado federal Pedro Paulo, que atuou árdua e eficientemente nos bastidores políticos.

O Memorial, cujo investimento será de R$ 4.450.000,00, contará com anfiteatro (80 lugares), galeria para exposição, sala de mídia digital e estacionamento. Terá, ainda, um símbolo de 22 metros de altura que estará em uma base circular com a inscrição “Não matarás”. A programação cultural oferecida aos visitantes será elaborada por uma curadoria a ser criada pela comunidade judaica.

Fontes: CONIB , Blog Web Judaica , Alef News

O ex-presidente israelense Shimon Peres, recebido nesta quinta-feira pelo Vaticano em audiência privada pelo papa Francisco, declarou que propôs a criação de uma "ONU das religiões" diante da ineficácia da atual ONU política.

"Atualmente as guerras explodem com a desculpa da religião. Enfrentamos centenas, quase milhares de movimentos terroristas que pretendem matar em nome de Deus", declarou Peres, de 91 anos, em uma entrevista ao semanário italiano católico Famiglia Cristiana.

"Para lutar contra esta deriva temos a Organização das Nações Unidas. É uma instituição política que não tem nem as armas que as nações dispõem, nem a convicção que a religião produz", acrescentou o ex-presidente israelense, cujo mandato terminou no fim de julho.

"Devido ao fato de a ONU já ter tido o seu momento, o que nos serviria agora seria uma Organização de religiões unidas, uma ONU das religiões. Seria a melhor maneira de se opor aos terroristas que matam em nome da fé", acrescentou Peres.

Peres, que visitou em muitas ocasiões o Vaticano, disse que gostaria de ver o papa Francisco à frente desta "ONU das religiões".

"Talvez pela primeira vez na história o Santo Padre é um líder respeitado como tal pelas religiões mais diferentes. Diria ainda mais, talvez seja o único líder respeitado", declarou Peres.

O Vaticano não forneceu nenhuma informação sobre o encontro privado entre os dois homens.

No início de junho, pouco depois de sua viagem ao Oriente Médio, o papa Francisco recebeu Shimon Peres e o presidente palestino Mahmud Abbas no Vaticano para uma oração conjunta.

Fonte: Isto é Dinheiro

Ex-presidente israelense sugere ao Papa uma 'ONU das religiões'

O ex-presidente israelense Shimon Peres, recebido nesta quinta-feira pelo Vaticano em audiência privada pelo papa Francisco, declarou que propôs a criação de uma "ONU das religiões" diante da ineficácia da atual ONU política.

"Atualmente as guerras explodem com a desculpa da religião. Enfrentamos centenas, quase milhares de movimentos terroristas que pretendem matar em nome de Deus", declarou Peres, de 91 anos, em uma entrevista ao semanário italiano católico Famiglia Cristiana.

"Para lutar contra esta deriva temos a Organização das Nações Unidas. É uma instituição política que não tem nem as armas que as nações dispõem, nem a convicção que a religião produz", acrescentou o ex-presidente israelense, cujo mandato terminou no fim de julho.

"Devido ao fato de a ONU já ter tido o seu momento, o que nos serviria agora seria uma Organização de religiões unidas, uma ONU das religiões. Seria a melhor maneira de se opor aos terroristas que matam em nome da fé", acrescentou Peres.

Peres, que visitou em muitas ocasiões o Vaticano, disse que gostaria de ver o papa Francisco à frente desta "ONU das religiões".

"Talvez pela primeira vez na história o Santo Padre é um líder respeitado como tal pelas religiões mais diferentes. Diria ainda mais, talvez seja o único líder respeitado", declarou Peres.

O Vaticano não forneceu nenhuma informação sobre o encontro privado entre os dois homens.

No início de junho, pouco depois de sua viagem ao Oriente Médio, o papa Francisco recebeu Shimon Peres e o presidente palestino Mahmud Abbas no Vaticano para uma oração conjunta.

Fonte: Isto é Dinheiro


Qual o futuro da igreja evangélica no Brasil?

Quando olho o atual cenário da igreja evangélica brasileira – estou usando o termo “evangélica” de maneira ampla – confesso que me sinto incapaz de prever o que vem pela frente. Há muitas e diferentes forças em operação em nosso meio hoje, boa parte delas conflitantes e opostas. Olho para frente e não consigo perceber um padrão, uma indicação que seja, do futuro da igreja.

Há, em primeiro lugar, o crescimento das seitas neopentecostais. Embora estatísticas recentes tenham apontado para uma queda na membresia de seitas como a Universal do Reino do Deus - que ressurge das cinzas com o "templo de Salomão" - , outras estão surgindo no lugar, como na lenda grega da Hidra de Lerna, monstro de sete cabeças que se regeneravam quando cortadas.

A enorme quantidade de adeptos destes movimentos que pregam prosperidade, cura, libertação e solução imediata para os problemas pessoais acaba moldando a imagem pública dos evangélicos e a percepção que o restante do Brasil tem de nós. Na África do Sul conheci uma seita que mistura pontos da fé cristã com pontos das religiões africanas, um sincretismo que acaba por tornar irreconhecível qualquer traço de cristianismo restante.

Temo que a continuar o crescimento das seitas neopentecostais e seus desvios cada vez maiores do cristianismo histórico, poderemos ter uma nova religião sincrética no Brasil, uma seita que mistura traços de cristianismo com elementos de religiões afro-brasileiras, teologia da prosperidade e batalha espiritual em pouquíssimo tempo.

Depois há o movimento “gospel”, que mostrou sua popularidade ao ter o festival “Promessas” veiculado pela emissora de maior audiência do país. Não me preocupa tanto o fato de que a Rede Globo exibiu o show, mas a mensagem que foi passada ali. A teologia gospel confunde “adoração” com pregação, exalta o louvor como o principal elemento do culto público, anuncia um evangelho que não chama pecadores e crentes ao arrependimento e mudança de vida, que promete vitórias mediante o louvor e a declaração de frases de efeito e que ignora boa parte do que a Bíblia ensina sobre humildade, modéstia, sobriedade e separação do mundo.

Para muitos jovens, os shows gospel viraram a única forma de culto que conhecem, com pouca Bíblia e quase nenhum discipulado. O impacto negativo da superficialidade deste movimento se fará sentir nesta próxima geração, especialmente na incapacidade de impedir a entrada de falsos ensinamentos e doutrinas erradas.

Notemos ainda o crescimento do interesse pela fé reformada, não nas igrejas históricas, mas fora delas, no meio pentecostal. Não são poucos os pentecostais que têm descoberto a teologia reformada – particularmente as doutrinas da graça, os cinco slogans (“solas”) e os chamados cinco pontos do calvinismo. Boa parte destes tem tentado preservar algumas idéias e práticas características do pentecostalismo, como a contemporaneidade dos dons de línguas, profecia e milagres, além de uma escatologia dispensacionalista.

Outros têm entendido – corretamente – que a teologia reformada inevitavelmente cobra pedágio também nestas áreas e já passaram para a reforma completa. Mas o tipo de movimento, igrejas ou denominações resultantes desta surpreendente integração ainda não é previsível.

O impacto das mídias sociais também não pode ser ignorado. E há também o número crescente de desigrejados, que aumenta na mesma proporção da apropriação das mídias sociais pelos evangélicos. Com a possibilidade de se ouvir sermões, fazer estudos e cursos de teologia online, além de bate-papo e discipulado pela internet, aumenta o número de pessoas que se dizem evangélicas mas que não se congregam em uma igreja local.

São cristãos virtuais que “freqüentam” igrejas virtuais e têm comunhão virtual com pessoas que nunca realmente chegam a conhecer. Admito o benefício da tecnologia em favor do Reino. Eu mesmo sou professor a quinze anos de um curso de teologia online e sei a benção que pode ser.

Mas, não há substituto para a igreja local, para a comunhão real com os santos, para a celebração da Ceia e do batismo, para a oração conjunta, para a leitura em uníssono das Escrituras e para a recitação em conjunto da oração do Pai Nosso, dos Dez Mandamentos. Isto não dá para fazer pela internet. Uma igreja virtual composta de desigrejados não será forte o suficiente em tempos de perseguição.

Eu poderia ainda mencionar a influência do liberalismo teológico, que tem aberto picadas nas igrejas históricas e pentecostais e a falta de maior rapidez e eficiência das igrejas históricas em retomar o crescimento numérico, aproveitando o momento extremamente oportuno no país. Afinal, o cristianismo tem experimentado um crescimento fenomenal no chamado Sul Global, do qual o Brasil faz parte.

Algumas coisas me ocorrem diante deste quadro, quando tento organizar minha cabeça e entender o que se passa.

1 – Historicamente, as igrejas cristãs em todos os lugares aqui neste mundo atravessaram períodos de grande confusão, aridez e decadência espiritual. Depois, ergueram-se e experimentaram períodos de grande efervescência e eficácia espiritual, chegando a mudar países. Pode ser que estejamos a caminho do fundo do poço, mas não perderemos a esperança. A promessa de Jesus quanto à Sua Igreja (Mateus 16:18) e a história dos avivamentos espirituais nos dão confiança.

2 – Apesar de toda a mistura de erro e verdade que testemunhamos na sincretização cada vez maior das igrejas, é inegável que Deus tem agido salvadoramente e não são poucos os que têm sido chamados das trevas para a luz, regenerados e justificados mediante a fé em Cristo Jesus, apesar das ênfases erradas, das distorções doutrinárias e da negligência das grandes doutrinas da graça.

Ainda assim, parece que o Espírito Santo se compraz em usar o mínimo de verdade que encontra, mesmo em igrejas com pouca luz, na salvação dos eleitos. Não digo isto para justificar o erro. É apenas uma constatação da misericórdia de Deus e da nossa corrupção. Se a salvação fosse pela precisão doutrinária em todos os pontos da teologia cristã, nenhum de nós seria salvo.

3 – Deus sempre surpreende o Seu povo. É totalmente impossível antecipar as guinadas na história da Igreja. Muito menos, fazer com que aconteçam. Há fatores em operação que estão muito acima dos poderes humanos. Resta-nos ser fiéis à Palavra de Deus, pregar o Evangelho completo – expositivamente, de preferência – viver uma vida reta e santa, usar de todos os recursos lícitos para propagar o Reino e plantar igrejas bíblicas e orar para que nosso Deus seja misericordioso com os seus eleitos, com a Sua igreja, com aqueles que Ele predestinou antes da fundação do mundo e soberanamente chamou pela Sua graça, pela pregação do Evangelho.

Fontes: Surfando no Assude , O Tempora

O futuro da igreja no brasil


Qual o futuro da igreja evangélica no Brasil?

Quando olho o atual cenário da igreja evangélica brasileira – estou usando o termo “evangélica” de maneira ampla – confesso que me sinto incapaz de prever o que vem pela frente. Há muitas e diferentes forças em operação em nosso meio hoje, boa parte delas conflitantes e opostas. Olho para frente e não consigo perceber um padrão, uma indicação que seja, do futuro da igreja.

Há, em primeiro lugar, o crescimento das seitas neopentecostais. Embora estatísticas recentes tenham apontado para uma queda na membresia de seitas como a Universal do Reino do Deus - que ressurge das cinzas com o "templo de Salomão" - , outras estão surgindo no lugar, como na lenda grega da Hidra de Lerna, monstro de sete cabeças que se regeneravam quando cortadas.

A enorme quantidade de adeptos destes movimentos que pregam prosperidade, cura, libertação e solução imediata para os problemas pessoais acaba moldando a imagem pública dos evangélicos e a percepção que o restante do Brasil tem de nós. Na África do Sul conheci uma seita que mistura pontos da fé cristã com pontos das religiões africanas, um sincretismo que acaba por tornar irreconhecível qualquer traço de cristianismo restante.

Temo que a continuar o crescimento das seitas neopentecostais e seus desvios cada vez maiores do cristianismo histórico, poderemos ter uma nova religião sincrética no Brasil, uma seita que mistura traços de cristianismo com elementos de religiões afro-brasileiras, teologia da prosperidade e batalha espiritual em pouquíssimo tempo.

Depois há o movimento “gospel”, que mostrou sua popularidade ao ter o festival “Promessas” veiculado pela emissora de maior audiência do país. Não me preocupa tanto o fato de que a Rede Globo exibiu o show, mas a mensagem que foi passada ali. A teologia gospel confunde “adoração” com pregação, exalta o louvor como o principal elemento do culto público, anuncia um evangelho que não chama pecadores e crentes ao arrependimento e mudança de vida, que promete vitórias mediante o louvor e a declaração de frases de efeito e que ignora boa parte do que a Bíblia ensina sobre humildade, modéstia, sobriedade e separação do mundo.

Para muitos jovens, os shows gospel viraram a única forma de culto que conhecem, com pouca Bíblia e quase nenhum discipulado. O impacto negativo da superficialidade deste movimento se fará sentir nesta próxima geração, especialmente na incapacidade de impedir a entrada de falsos ensinamentos e doutrinas erradas.

Notemos ainda o crescimento do interesse pela fé reformada, não nas igrejas históricas, mas fora delas, no meio pentecostal. Não são poucos os pentecostais que têm descoberto a teologia reformada – particularmente as doutrinas da graça, os cinco slogans (“solas”) e os chamados cinco pontos do calvinismo. Boa parte destes tem tentado preservar algumas idéias e práticas características do pentecostalismo, como a contemporaneidade dos dons de línguas, profecia e milagres, além de uma escatologia dispensacionalista.

Outros têm entendido – corretamente – que a teologia reformada inevitavelmente cobra pedágio também nestas áreas e já passaram para a reforma completa. Mas o tipo de movimento, igrejas ou denominações resultantes desta surpreendente integração ainda não é previsível.

O impacto das mídias sociais também não pode ser ignorado. E há também o número crescente de desigrejados, que aumenta na mesma proporção da apropriação das mídias sociais pelos evangélicos. Com a possibilidade de se ouvir sermões, fazer estudos e cursos de teologia online, além de bate-papo e discipulado pela internet, aumenta o número de pessoas que se dizem evangélicas mas que não se congregam em uma igreja local.

São cristãos virtuais que “freqüentam” igrejas virtuais e têm comunhão virtual com pessoas que nunca realmente chegam a conhecer. Admito o benefício da tecnologia em favor do Reino. Eu mesmo sou professor a quinze anos de um curso de teologia online e sei a benção que pode ser.

Mas, não há substituto para a igreja local, para a comunhão real com os santos, para a celebração da Ceia e do batismo, para a oração conjunta, para a leitura em uníssono das Escrituras e para a recitação em conjunto da oração do Pai Nosso, dos Dez Mandamentos. Isto não dá para fazer pela internet. Uma igreja virtual composta de desigrejados não será forte o suficiente em tempos de perseguição.

Eu poderia ainda mencionar a influência do liberalismo teológico, que tem aberto picadas nas igrejas históricas e pentecostais e a falta de maior rapidez e eficiência das igrejas históricas em retomar o crescimento numérico, aproveitando o momento extremamente oportuno no país. Afinal, o cristianismo tem experimentado um crescimento fenomenal no chamado Sul Global, do qual o Brasil faz parte.

Algumas coisas me ocorrem diante deste quadro, quando tento organizar minha cabeça e entender o que se passa.

1 – Historicamente, as igrejas cristãs em todos os lugares aqui neste mundo atravessaram períodos de grande confusão, aridez e decadência espiritual. Depois, ergueram-se e experimentaram períodos de grande efervescência e eficácia espiritual, chegando a mudar países. Pode ser que estejamos a caminho do fundo do poço, mas não perderemos a esperança. A promessa de Jesus quanto à Sua Igreja (Mateus 16:18) e a história dos avivamentos espirituais nos dão confiança.

2 – Apesar de toda a mistura de erro e verdade que testemunhamos na sincretização cada vez maior das igrejas, é inegável que Deus tem agido salvadoramente e não são poucos os que têm sido chamados das trevas para a luz, regenerados e justificados mediante a fé em Cristo Jesus, apesar das ênfases erradas, das distorções doutrinárias e da negligência das grandes doutrinas da graça.

Ainda assim, parece que o Espírito Santo se compraz em usar o mínimo de verdade que encontra, mesmo em igrejas com pouca luz, na salvação dos eleitos. Não digo isto para justificar o erro. É apenas uma constatação da misericórdia de Deus e da nossa corrupção. Se a salvação fosse pela precisão doutrinária em todos os pontos da teologia cristã, nenhum de nós seria salvo.

3 – Deus sempre surpreende o Seu povo. É totalmente impossível antecipar as guinadas na história da Igreja. Muito menos, fazer com que aconteçam. Há fatores em operação que estão muito acima dos poderes humanos. Resta-nos ser fiéis à Palavra de Deus, pregar o Evangelho completo – expositivamente, de preferência – viver uma vida reta e santa, usar de todos os recursos lícitos para propagar o Reino e plantar igrejas bíblicas e orar para que nosso Deus seja misericordioso com os seus eleitos, com a Sua igreja, com aqueles que Ele predestinou antes da fundação do mundo e soberanamente chamou pela Sua graça, pela pregação do Evangelho.

Fontes: Surfando no Assude , O Tempora

No vídeo abaixo, inspirada nos ensinamentos do cristo cósmico Baha’u’llah sobre o fim de toda forma preconceito, a eurodeputada Ana Gomes sugere que a União Européia assuma o controle da diversidade cultural no mundo:

A diversidade cultural é conhecida na forma jurídica como “Direitos humanos Universais”, um documento da ONU que tenta implantar a diversidade de Baha’u’llah, mas ainda não possui uma base sólida ou mesmo conseguiu descobrir um método universalista. Esta corrente filosófica acredita em um fator comum para unificar as religiões, porém através da razão.

Essa idéia de colocar a União Européia no centro do universo não é nova e um dos filósofos responsáveis pelo eurocentrismo foi Emmanuel Kant, mas quando se lê um pouco de sua obra dá para entender que tipo de eurocentrismo estamos próximos. Abaixo segue dois trechos da criatura:

Veja a percepção de Kant sobre os europeus:

“Na minha opinião, escreve Kant, entre os povos do nosso continente, os italianos e os franceses são aqueles que se distinguem pelo sentimento do belo; já os alemães, os ingleses e espanhóis, pelo sentimento de sublime [...] O espanhol é sério, reservado e sincero [...] O francês possui um sentimento dominante para o belo moral. É cortês, atencioso e amável [...] No início de qualquer relação o inglês é frio, mantendo-se indiferente a todo estranho. Possui pouca inclinação a pequenas delicadezas; todavia, tão logo é um amigo, se dispõe a grandes favores [...] O alemão no amor, tanto quanto nas outras espécies de gosto, é assaz metódico, e, unindo o belo e o nobre, é suficientemente frio no sentimento de ambos para ocupar a mente com considerações acerca do decoro, do luxo ou daquilo que chama a atenção [...]” (KANT, 1993, pág. 65-70)

E agora sobre os negros:

“Os negros da África não possuem, por natureza, nenhum sentimento que se eleve acima do ridículo. O senhor Hume desafia qualquer um a citar um único exemplo em que um Negro tenha mostrado talentos, e afirma: dentre os milhões de pretos que foram deportados de seus países, não obstante muitos deles terem sido postos em liberdade, não se encontrou um único sequer que apresentasse algo grandioso na arte ou na ciência(…) Os negros são muito vaidosos, mas à sua própria maneira, e tão matraqueadores, que se deve dispersá-los a pauladas.” (KANT, 1993: pág. 75-76)

Traduzindo para o contexto Bíblico, essa deputada acabou de sugerir uma das funções da besta de 10 chifres que é zelar pelos direitos humanos, porém as escrituras nos mostram um reino dividido entre o forte e o fraco. Os fracos como vimos serão os povos do terceiro mundo (Brasil, África…) .

“E, quanto ao que viste dos pés e dos dedos, em parte de barro de oleiro, e em parte de ferro, isso será um reino dividido; contudo haverá nele alguma coisa da firmeza do ferro, pois viste o ferro misturado com barro de lodo.” (Daniel 2 : 41)

Como uma ideologia racista européia pode ter o controle sobre os direitos humanos? Infelizmente é isso que acontecerá, pois a “perfeição européia”, através dos direitos humanos acabará muito mais exterminando o que não é belo (a parte de barro) para eles. Por isso, vamos acompanhar melhor essa nova forma de racismo que substitui o conceito de raça por cultura. É por isso que ofender a raça negra está se tornando rotina (seja por cotas raciais ou ofensas públicas).

Até quando a comunidade Bahá’i vai demorar para entender os erros de Baha’u’llah? O bahaismo sempre será adaptável seja pela filosofia, maçonaria e até mesmo falsos cristãos. O que essa senhora fez no parlamento foi um absurdo, uma falta de ética, especialmente no que se diz na questão do conhecimento, pois deveria prestar mais atenção no genocídio filosófico europeu com ar de caridade como nas citações acima e nessa:

“Entre os selvagens, os fracos de corpo e mente são logo eliminados. Nós, civilizados, fazemos o possível para evitar essa eliminação; construímos asilos para os imbecis, os aleijados, os doentes; instituímos leis para proteger os pobres… Isso é altamente prejudicial à raça humana.”, Charles Darwin.



Fontes: Apocalipse Total , Portal.MJ

Eurodeputada quer União Européia controlando a diversidade cultural

No vídeo abaixo, inspirada nos ensinamentos do cristo cósmico Baha’u’llah sobre o fim de toda forma preconceito, a eurodeputada Ana Gomes sugere que a União Européia assuma o controle da diversidade cultural no mundo:

A diversidade cultural é conhecida na forma jurídica como “Direitos humanos Universais”, um documento da ONU que tenta implantar a diversidade de Baha’u’llah, mas ainda não possui uma base sólida ou mesmo conseguiu descobrir um método universalista. Esta corrente filosófica acredita em um fator comum para unificar as religiões, porém através da razão.

Essa idéia de colocar a União Européia no centro do universo não é nova e um dos filósofos responsáveis pelo eurocentrismo foi Emmanuel Kant, mas quando se lê um pouco de sua obra dá para entender que tipo de eurocentrismo estamos próximos. Abaixo segue dois trechos da criatura:

Veja a percepção de Kant sobre os europeus:

“Na minha opinião, escreve Kant, entre os povos do nosso continente, os italianos e os franceses são aqueles que se distinguem pelo sentimento do belo; já os alemães, os ingleses e espanhóis, pelo sentimento de sublime [...] O espanhol é sério, reservado e sincero [...] O francês possui um sentimento dominante para o belo moral. É cortês, atencioso e amável [...] No início de qualquer relação o inglês é frio, mantendo-se indiferente a todo estranho. Possui pouca inclinação a pequenas delicadezas; todavia, tão logo é um amigo, se dispõe a grandes favores [...] O alemão no amor, tanto quanto nas outras espécies de gosto, é assaz metódico, e, unindo o belo e o nobre, é suficientemente frio no sentimento de ambos para ocupar a mente com considerações acerca do decoro, do luxo ou daquilo que chama a atenção [...]” (KANT, 1993, pág. 65-70)

E agora sobre os negros:

“Os negros da África não possuem, por natureza, nenhum sentimento que se eleve acima do ridículo. O senhor Hume desafia qualquer um a citar um único exemplo em que um Negro tenha mostrado talentos, e afirma: dentre os milhões de pretos que foram deportados de seus países, não obstante muitos deles terem sido postos em liberdade, não se encontrou um único sequer que apresentasse algo grandioso na arte ou na ciência(…) Os negros são muito vaidosos, mas à sua própria maneira, e tão matraqueadores, que se deve dispersá-los a pauladas.” (KANT, 1993: pág. 75-76)

Traduzindo para o contexto Bíblico, essa deputada acabou de sugerir uma das funções da besta de 10 chifres que é zelar pelos direitos humanos, porém as escrituras nos mostram um reino dividido entre o forte e o fraco. Os fracos como vimos serão os povos do terceiro mundo (Brasil, África…) .

“E, quanto ao que viste dos pés e dos dedos, em parte de barro de oleiro, e em parte de ferro, isso será um reino dividido; contudo haverá nele alguma coisa da firmeza do ferro, pois viste o ferro misturado com barro de lodo.” (Daniel 2 : 41)

Como uma ideologia racista européia pode ter o controle sobre os direitos humanos? Infelizmente é isso que acontecerá, pois a “perfeição européia”, através dos direitos humanos acabará muito mais exterminando o que não é belo (a parte de barro) para eles. Por isso, vamos acompanhar melhor essa nova forma de racismo que substitui o conceito de raça por cultura. É por isso que ofender a raça negra está se tornando rotina (seja por cotas raciais ou ofensas públicas).

Até quando a comunidade Bahá’i vai demorar para entender os erros de Baha’u’llah? O bahaismo sempre será adaptável seja pela filosofia, maçonaria e até mesmo falsos cristãos. O que essa senhora fez no parlamento foi um absurdo, uma falta de ética, especialmente no que se diz na questão do conhecimento, pois deveria prestar mais atenção no genocídio filosófico europeu com ar de caridade como nas citações acima e nessa:

“Entre os selvagens, os fracos de corpo e mente são logo eliminados. Nós, civilizados, fazemos o possível para evitar essa eliminação; construímos asilos para os imbecis, os aleijados, os doentes; instituímos leis para proteger os pobres… Isso é altamente prejudicial à raça humana.”, Charles Darwin.



Fontes: Apocalipse Total , Portal.MJ

O megatemplo vetará a entrada de aparelhos eletrônicos, de pessoas com roupas curtas, óculos escuros e bonés

A Igreja Universal do Reino de Deus está contando os dias para a inauguração de sua réplica do Templo de Salomão, megatemplo construído no bairro do Brás, em São Paulo.

Por ter capacidade para apenas 10 mil pessoas, a denominação liderada pelo bispo Edir Macedo divulgou um vídeo com algumas regras importantes para quem quer conhecer o espaço, que deve ser aberto no mês de junho deste ano.

No vídeo a igreja afirma que o espaço “é um lugar sagrado” e que as regras servem para respeitar a Casa de Deus e os outros visitantes, fazendo alertas sobre as regras para visitação, mostrando que o templo não estará aberto para quaisquer pessoas nesses primeiros meses de funcionamento.

“Nos primeiros meses de inauguração, o acesso aos cultos será através de caravanas que sairão de todas as Igrejas Universal”, diz o locutor ao mostrar a primeira regra.

A segunda regra fala sobre a vestimenta ideal para poder frequentar os cultos do Templo de Salomão. As mulheres que desejarem conhecer o megatemplo devem evitar o uso de minissaias e roupas curtas ou sensuais. Os homens não podem usar bermudas ou uniformes de clubes esportivos ou outras instituições. Também está proibido o uso de chinelos, camisetas sem mangas, bonés e óculos escuros.

“Vista-se como faria se fosse encontrar socialmente uma pessoa importante”, diz o vídeo.

Antes de entrar os visitantes serão revistados, pois aparelhos de áudio, vídeo, telefones ou aparelhos de captação de dados, incluindo smartphones estão proibidos mesmo que desligados. Haverá um local fora do templo para guardá-los.

Para manter a ordem, as portas do templo serão fechadas cinco minutos antes do início de cada reunião, quem estiver atrasado não poderá entrar.

O vídeo adverte os frequentadores a não conversarem durante a permanência dentro do templo, pedindo reverência e respeito ao culto. Não se pode guardar lugar para amigos ou familiares e as crianças menores de 10 anos serão direcionadas para a escola bíblica infanto-juvenil do Templo de Salomão.

Ao justificar as regras, a liderança da IURD lembra que na Bíblia apenas os sacerdotes podiam entrar no templo e que para isso eles precisavam se purificar.

“Tenha cuidado quando for ao templo. Não ofereça o seu sacrifício como fazem os tolos, que nem sabem que não estão fazendo isso da maneira certa. Vá pronto para ouvir e obedecer a Deus.”

Veja o vídeo com todas as regras para entrar no Templo de Salomão:



Fonte: Gospel Prime , Eclésia , IURD Tube

Igreja Universal divulga regras para entrar no Templo de Salomão

O megatemplo vetará a entrada de aparelhos eletrônicos, de pessoas com roupas curtas, óculos escuros e bonés

A Igreja Universal do Reino de Deus está contando os dias para a inauguração de sua réplica do Templo de Salomão, megatemplo construído no bairro do Brás, em São Paulo.

Por ter capacidade para apenas 10 mil pessoas, a denominação liderada pelo bispo Edir Macedo divulgou um vídeo com algumas regras importantes para quem quer conhecer o espaço, que deve ser aberto no mês de junho deste ano.

No vídeo a igreja afirma que o espaço “é um lugar sagrado” e que as regras servem para respeitar a Casa de Deus e os outros visitantes, fazendo alertas sobre as regras para visitação, mostrando que o templo não estará aberto para quaisquer pessoas nesses primeiros meses de funcionamento.

“Nos primeiros meses de inauguração, o acesso aos cultos será através de caravanas que sairão de todas as Igrejas Universal”, diz o locutor ao mostrar a primeira regra.

A segunda regra fala sobre a vestimenta ideal para poder frequentar os cultos do Templo de Salomão. As mulheres que desejarem conhecer o megatemplo devem evitar o uso de minissaias e roupas curtas ou sensuais. Os homens não podem usar bermudas ou uniformes de clubes esportivos ou outras instituições. Também está proibido o uso de chinelos, camisetas sem mangas, bonés e óculos escuros.

“Vista-se como faria se fosse encontrar socialmente uma pessoa importante”, diz o vídeo.

Antes de entrar os visitantes serão revistados, pois aparelhos de áudio, vídeo, telefones ou aparelhos de captação de dados, incluindo smartphones estão proibidos mesmo que desligados. Haverá um local fora do templo para guardá-los.

Para manter a ordem, as portas do templo serão fechadas cinco minutos antes do início de cada reunião, quem estiver atrasado não poderá entrar.

O vídeo adverte os frequentadores a não conversarem durante a permanência dentro do templo, pedindo reverência e respeito ao culto. Não se pode guardar lugar para amigos ou familiares e as crianças menores de 10 anos serão direcionadas para a escola bíblica infanto-juvenil do Templo de Salomão.

Ao justificar as regras, a liderança da IURD lembra que na Bíblia apenas os sacerdotes podiam entrar no templo e que para isso eles precisavam se purificar.

“Tenha cuidado quando for ao templo. Não ofereça o seu sacrifício como fazem os tolos, que nem sabem que não estão fazendo isso da maneira certa. Vá pronto para ouvir e obedecer a Deus.”

Veja o vídeo com todas as regras para entrar no Templo de Salomão:



Fonte: Gospel Prime , Eclésia , IURD Tube

Resumo: A diversidade cultural, tema muito utilizado nas escolas por ordem da UNESCO, abrange uma reforma mundial nas áreas sociais, políticas, econômicas e religiosas; porém o seu conceito vai muito além do respeito e abre caminho para a implantação da cidadania mundial de uma forma violenta.

Desde que foi criada a “Declaração Mundial da Diversidade Cultural” pela UNESCO em 2002, a escolas se transformaram em fábrica de agentes facilitadores da nova ordem mundial de Baha’u’llah. O conceito de racismo de cor, por exemplo, é substituído por formas de soluções para os problemas de etnia (grupos humanos que compartilham mesmos conceitos), ou seja, a diversidade cultural omite o racismo em nome do bem comum. É por isso que a cada dia a televisão tenta ensinar os telespectadores a considerar algo natural quando um jogador de futebol negro é chamado de macaco, por exemplo: O árbitro venezuelano José Argote considerou normal ser chamado de macaco durante um jogo.

A palavra diversidade cultural nos dias atuais está relacionada a etnia e não a qualquer manifestação de cultura ou arte de um povo, ou seja, dentro dela fazem parte manifestações religiosas místicas, políticas de saúde pública e uma série de idéias que compartilham algo em comum, como por exemplo a agenda da diversidade gay. Dessa forma, a ONU-UNESCO-BANCO MUNDIAL, FMI e a comunidade Bahá’i tem criado uma linha de empréstimos para que cada país tente achar uma forma de conviver com todas as diferenças culturais étnicas. A busca por essa convivência entre os bizarros recebe o nome de cidadania mundial:

“A cidadania mundial engloba os princípios de justiça social e econômica, entre as nações e dentro das mesmas; a tomada de decisões de maneira cooperativa em todos os níveis da sociedade; a igualdade dos sexos; a harmonia racial, étnica, nacional e religiosa; e, a disposição de sacrificar-se pelo bem comum….” (Comunidade Bahá’i)


Entende-se por sacrifício em nome do bem comum a exterminação de todas as pessoas que se opõem a essa tal cidadania mundial É aqui que um ritual tão bárbaro do passado voltando a ser praticado em nome da diversidade cultural como a degolação (Apocalipse 20:4). Podemos usar como exemplo o islã. Em uma nova notícia recente, os Xiitas do Irã retornaram com a profecia sobre o Imã Mahdi (link nas referências). Dessa vez o cristo da nova era (mal sabem ele que é Baha’’u’llah), através de seu executivo mundial, usará o islã para degolar os líderes ocidentais, mais adiante nesse texto a notícia é corrigida e adicionaram todos os infiéis. Afinal, trata-se de um costume do Islã degolar e enforcar pessoas. Isso também se transformará em diversidade cultural em um mundo etupidamente globalizado e deve ser respeitado.

Ora, o verdadeiro cristianismo vai praticamente contra muitos dos princípios da diversidade cultural como: religiões esotéricas, ecumenismo, agenda gay, ecumenismo, culto a mãe gaya… O cristianismo atrapalhará também a criação do idioma universal e o governo do cristo cósmico terá mais um motivo para usar a diversidade do islã no futuro. Observe que os ítens tribo, língua e nação estão totalmente ligados a cidadania mundial e a diversidade cultural (tribo e língua= etnia / nação=raça) , dessa forma o reinado de Baha’u'llah usará leis globais que serão criadas:

“E foi-lhe permitido fazer guerra aos santos, e vencê-los; e deu-se-lhe poder sobre toda a tribo, e língua, e nação.” (Apocalipse 13 : 7)

Matérias como geografia, sociologia e filosofia estão sendo usadas nas escolas com essa meta. Dessa forma, prepara-se o futuro cidadão na cidadania mundial e na diversidade para cooperar e entregar qualquer um que se opor ao sistema. É principalmente na diversidade religiosa e na agenda gay que o bahaismo tem conseguido aliados contra o verdadeiro cristianismo. É claro que devemos respeitar as pessoas pelos seus sotaques e alguns costumes, mas tudo sobre o ponto de vista Bíblico.

Referências:

http://statements.bahai.org/add/95-0303port.htm

http://statements.bahai.org/add/93-0614port.htm

http://www.timeanddate.com/holidays/un/world-day-cultural-diversity-dialogue

http://www.examiner.com/article/iranian-muslim-leader-the-returning-messiah-will-behead-the-western-leaders?cid=rsshttp://www.examiner.com/article/iranian-muslim-leader-the-returning-messiah-will-behead-the-western-leaders?cid=rss

Fonte: Apocalipse Total

Diversidade cultural e a cidadania mundial

Resumo: A diversidade cultural, tema muito utilizado nas escolas por ordem da UNESCO, abrange uma reforma mundial nas áreas sociais, políticas, econômicas e religiosas; porém o seu conceito vai muito além do respeito e abre caminho para a implantação da cidadania mundial de uma forma violenta.

Desde que foi criada a “Declaração Mundial da Diversidade Cultural” pela UNESCO em 2002, a escolas se transformaram em fábrica de agentes facilitadores da nova ordem mundial de Baha’u’llah. O conceito de racismo de cor, por exemplo, é substituído por formas de soluções para os problemas de etnia (grupos humanos que compartilham mesmos conceitos), ou seja, a diversidade cultural omite o racismo em nome do bem comum. É por isso que a cada dia a televisão tenta ensinar os telespectadores a considerar algo natural quando um jogador de futebol negro é chamado de macaco, por exemplo: O árbitro venezuelano José Argote considerou normal ser chamado de macaco durante um jogo.

A palavra diversidade cultural nos dias atuais está relacionada a etnia e não a qualquer manifestação de cultura ou arte de um povo, ou seja, dentro dela fazem parte manifestações religiosas místicas, políticas de saúde pública e uma série de idéias que compartilham algo em comum, como por exemplo a agenda da diversidade gay. Dessa forma, a ONU-UNESCO-BANCO MUNDIAL, FMI e a comunidade Bahá’i tem criado uma linha de empréstimos para que cada país tente achar uma forma de conviver com todas as diferenças culturais étnicas. A busca por essa convivência entre os bizarros recebe o nome de cidadania mundial:

“A cidadania mundial engloba os princípios de justiça social e econômica, entre as nações e dentro das mesmas; a tomada de decisões de maneira cooperativa em todos os níveis da sociedade; a igualdade dos sexos; a harmonia racial, étnica, nacional e religiosa; e, a disposição de sacrificar-se pelo bem comum….” (Comunidade Bahá’i)


Entende-se por sacrifício em nome do bem comum a exterminação de todas as pessoas que se opõem a essa tal cidadania mundial É aqui que um ritual tão bárbaro do passado voltando a ser praticado em nome da diversidade cultural como a degolação (Apocalipse 20:4). Podemos usar como exemplo o islã. Em uma nova notícia recente, os Xiitas do Irã retornaram com a profecia sobre o Imã Mahdi (link nas referências). Dessa vez o cristo da nova era (mal sabem ele que é Baha’’u’llah), através de seu executivo mundial, usará o islã para degolar os líderes ocidentais, mais adiante nesse texto a notícia é corrigida e adicionaram todos os infiéis. Afinal, trata-se de um costume do Islã degolar e enforcar pessoas. Isso também se transformará em diversidade cultural em um mundo etupidamente globalizado e deve ser respeitado.

Ora, o verdadeiro cristianismo vai praticamente contra muitos dos princípios da diversidade cultural como: religiões esotéricas, ecumenismo, agenda gay, ecumenismo, culto a mãe gaya… O cristianismo atrapalhará também a criação do idioma universal e o governo do cristo cósmico terá mais um motivo para usar a diversidade do islã no futuro. Observe que os ítens tribo, língua e nação estão totalmente ligados a cidadania mundial e a diversidade cultural (tribo e língua= etnia / nação=raça) , dessa forma o reinado de Baha’u'llah usará leis globais que serão criadas:

“E foi-lhe permitido fazer guerra aos santos, e vencê-los; e deu-se-lhe poder sobre toda a tribo, e língua, e nação.” (Apocalipse 13 : 7)

Matérias como geografia, sociologia e filosofia estão sendo usadas nas escolas com essa meta. Dessa forma, prepara-se o futuro cidadão na cidadania mundial e na diversidade para cooperar e entregar qualquer um que se opor ao sistema. É principalmente na diversidade religiosa e na agenda gay que o bahaismo tem conseguido aliados contra o verdadeiro cristianismo. É claro que devemos respeitar as pessoas pelos seus sotaques e alguns costumes, mas tudo sobre o ponto de vista Bíblico.

Referências:

http://statements.bahai.org/add/95-0303port.htm

http://statements.bahai.org/add/93-0614port.htm

http://www.timeanddate.com/holidays/un/world-day-cultural-diversity-dialogue

http://www.examiner.com/article/iranian-muslim-leader-the-returning-messiah-will-behead-the-western-leaders?cid=rsshttp://www.examiner.com/article/iranian-muslim-leader-the-returning-messiah-will-behead-the-western-leaders?cid=rss

Fonte: Apocalipse Total

Por  Marcelo Barros

Considerada pagã pela maioria dos evangélicos, entidade abriga muitos crentes em suas fileiras.

Ela costuma causar nos crentes um misto de espanto e rejeição. Pudera – com origens que se perdem nos séculos e um conjunto de ritos que misturam elementos ocultos, boa dose de mistério e uma espécie de panaceia religiosa que faz da figura de Deus um mero arquiteto do universo, a maçonaria é normalmente repudiada pelos evangélicos. Contudo, é impossível negar que a história maçônica caminha de mãos dadas com a do protestantismo. Os redatores do primeiro estatuto da entidade foram o pastor presbiteriano James Anderson, em Londres, na Inglaterra, em 1723, e Jean Desaguliers, um cristão francês. Devido às suas crenças, eles naturalmente introduziram princípios religiosos na nova organização, principalmente devido ao fim a que ela se destinava: a filantropia. O movimento rapidamente encontrou espaço para crescer em nações de tradição protestante, como o Reino Unido e a Alemanha, e mais tarde nos Estados Unidos, com a colonização britânica. Essa relação, contudo, jamais foi escancarada. Muito pelo contrário – para a maior parte dos evangélicos, a maçonaria é vista como uma entidade esotérica, idólatra e carregada de simbologias pagãs.

Isso tem mudado nos últimos tempos. Devido a um movimento de abertura que atinge a maçonaria em todo o mundo, a instituição tem se tornado mais conhecida e perde, pouco a pouco, seu aspecto enigmático. Não-iniciados podem participar de suas reuniões e cada vez mais membros da irmandade assumem a filiação, deixando para trás antigos temores – nunca suficientemente comprovados, diga-se – que garantiam que os desertores pagavam a ousadia com a vida. A abertura traz à tona a uma antiga discussão: afinal, pode um crente ser maçom? Na intenção de manter fidelidade à irmandade que abraçaram, missionários, diáconos e até pastores ligados à maçonaria normalmente optam pelo silêncio. Só que crentes maçons estão fazendo questão de dar as caras, o que tem provocado rebuliço. A Primeira Igreja Batista de Niterói, uma das mais antigas do Estado do Rio de Janeiro, vive uma crise interna por conta da presença de maçons em sua liderança. A congregação já estuda até uma mudança em seus estatutos, proibindo que membros da sociedade ocupem qualquer cargo eclesiástico.

Procurada por CRISTIANISMO HOJE, a Direção da congregação preferiu não comentar o assunto, alegando questões internas. Contudo, vários dos oficiais da igreja são maçons há décadas: “Sou diácono desta igreja há 28 anos e maçom há mais de trinta. Não vejo nenhuma contradição nisso”, diz o policial rodoviário aposentado Adilair Lopes da Silveira, de 58 anos, mestre da Loja Maçônica Silva Jardim, no município de mesmo nome, a 180 quilômetros da capital fluminense. Adilair afirma que há maçons nas igrejas evangélicas de todo Brasil, dezenas deles entre os membros de sua própria congregação e dezesseis entre os 54 membros da loja que frequenta: “Por tradição, a maioria deles é ligada às igrejas Batista ou Presbiteriana. Essas são as duas denominações em que há mais a presença histórica maçônica”, informa.

Um dos poucos crentes maçons que se dispuseram a ser identificados entre os 17 procurados pela reportagem, o ex-policial acredita que a sociedade em geral, e os religiosos em particular, nada têm a perder se deixarem “imagens distorcidas” acerca da instituição de lado. “Há preconceito por que há desconhecimento. Alguns maçons, que queriam criar uma aura de ocultismo sobre eles no passado, acabaram forjando essa coisa de mistério”, avalia. “Já ouvi até histórias de que lidamos com bodes ou imagens de animais. Isso não acontece”, garante. Segundo Adilair, o único mistério que existe de fato diz respeito a determinados toques de mão, palavras e sinais com os quais os maçons se identificam entre si – mas, segundo ele, tudo não passa de zelo pelas ricas tradições do movimento, que, segundo determinadas correntes maçônicas, remontam aos tempos do rei hebreu, Salomão. E, também, para relembrar tempos difíceis. “São práticas que remontam ao passado, já que nós, maçons, fomos muito perseguidos ao longo da história”.

Adilair adianta que não aceitaria uma mudança nos estatutos da igreja para banir maçons da sua liderança. Tanto, que ele e seus colegas de diaconato que pertencem ao grupo preparam-se para, se for o caso, ingressar na Justiça, o que poderia desencadear uma disputa que tende a expor as duas partes em demanda. Eles decidiram encaminhar uma cópia da proposta do regimento ao presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, desembargador Luiz Zveiter. “Haverá uma enxurrada de ações na Justiça se isso for adiante, não tenho dúvidas”, afirma o diácono. A polêmica em torno da adesão de evangélicos à maçonaria já provocou até racha numa das maiores denominações do país, a Igreja Presbiteriana do Brasil (IPB), no início do século passado (ver abaixo).

O pastor presbiteriano Wilson Ferreira de Souza Neto, de 43 anos, revela que já fez várias entrevistas com o intuito de ser aceito numa loja maçônica do município de Santo André, região metropolitana de São Paulo. O processo está em andamento e ele apenas aguarda reunir recursos para custear a taxa de adesão, importância que é usada na manutenção da loja e nas obras de filantropia: “Ainda não pude disponibilizar uma verba para a cerimônia de iniciação, que pode variar de R$ 1 mil a cinco mil reais e para a mensalidade. No meu caso, o que ainda impede o ingresso na maçonaria é uma questão financeira, e não ideológica” diz Wilson, que é mestre em ciências da religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e estuda o tema há mais de uma década.

“Pessoas próximas sabem que sou maçom e isso inclui vários membros de minha igreja”, continua o religioso. “Alguns já me questionaram sobre isso, mas após várias conversas nas quais eu os esclareci, tudo foi resolvido”. Na mesma linha vai outro colega de ministério que prefere não revelar o nome e que está na maçonaria há sete anos. “Tenho 26 anos de igreja, seis de pastorado e posso garantir que não há nenhuma incompatibilidade de ser maçom e professar a fé salvadora em Cristo Jesus nosso Senhor e Salvador”, afirma. Ele ocupa o posto de mestre em processo dos graus filosóficos e diz que foi indicado por um pastor amigo. “Só se pode entrar na maçonaria por indicação e, não raro, os pastores se indicam”. Para o pastor, boa parte da intolerância dos crentes em relação à maçonaria provém de informações equivocadas transmitidas por quem não conhece suficientemente o grupo.

“SEM CAÇA ÀS BRUXAS”

Procurados com insistência pela reportagem, os pastores Roberto Brasileiro e Ludgero Bonilha, respectivamente presidente e secretário-geral do Supremo Concílio da IPB, não retornaram os pedidos de entrevista para falar do envolvimento de pastores da denominação com a maçonaria. Mas o pastor e jornalista André Mello, atualmente à frente da Igreja Presbiteriana de Copacabana, no Rio, concordou em atender CRISTIANISMO HOJE em seu próprio nome. Segundo ele, o assunto é recorrente no seio da denominação. “O último Supremo Concílio decidiu que os maçons devem ser orientados, através do Espírito Santo, sem uso de coerção ou força, para que deixem a maçonaria”, conta Mello, referindo-se ao Documento CIV SC-IPB-2006, que trata do assunto. O texto, em determinado trecho, considera a maçonaria como uma religião de fato e diz que a divindade venerada ali, o Grande Arquiteto do Universo, é uma entidade “vaga”, sem identificação com o Deus soberano, triúno e único dos cristãos.

O pastor, que exerce ainda o cargo de secretário de Mocidade do Presbitério do Rio, lembra que, assim como as diferentes confissões evangélicas têm liturgias variadas e suas áreas de conflito, as lojas maçônicas não podem ser vistas em bloco – e, por isso mesmo, defende moderação no trato da questão. “Vejo algum exagero na perseguição aos maçons, pois estamos tratando de um problema de cem anos atrás, deixando de lado outros problemas reais da atualidade, como a maneira correta de lidar com o homossexualismo”. O pastor diz que há mais presbíteros do que pastores maçons – caso de seu pai, que era diácono e também ligado à associação. “Eu nunca fui maçom, mas descobri coisas curiosas, como por exemplo, o fato de haver líderes maçons de várias igrejas, inclusive daquelas que atacam mais violentamente a maçonaria. “Não acredito que promover caça às bruxas faça bem a nenhum grupo religioso”, encerra o ministro. “Melhor do que aprovar uma declaração contra alguém é procurá-lo, orar por ele, conversar, até ganhar um irmão.”

O presidente do Centro Apologética Cristão de Pesquisa (CACP), pastor João Flávio Martinez, por sua vez, não deixa de fazer sérios questionamentos à presença de evangélicos entre os maçons. “O fato é que, quando falamos em maçonaria, estamos falando de outra religião, que é totalmente diferente do cristianismo. Portanto, é um absurdo sequer admitir que as duas correntes possam andar juntas”. Lembrando que as origens do movimento estão ligadas às crenças misteriosas do passado, Martinez lembra o princípio bíblico de que não se pode seguir a dois senhores. “Estou convencido de que essa entidade contraria elementos básicos do cristianismo. Ela se faz uma religião à medida que adota ritos, símbolos e dogmas, emprestados, muitos deles, do judaísmo e do paganismo”, concorda o pastor batista Irland Pereira de Azevedo.

Aos 76 anos de idade e um dos nomes mais respeitados de denominação no país, Irland estuda o assunto há mais de três décadas e admite que vários pastores de sua geração têm ou já tiveram ligação com a maçonaria. Mas não tem dúvidas acerca de seu caráter espiritual: “Essa instituição contraria os mandamentos divinos ao denominar Deus como grande arquiteto, e não como Criador, conforme as Escrituras”. Embora considere a maçonaria uma entidade séria e com excelentes serviços prestados ao ser humano ao longo da história, ele a desqualifica do ponto de vista teológico e bíblico. “No meu ponto de vista, ela não deve merecer a lealdade de um verdadeiro cristão evangélico. Entendo que em Jesus Cristo e em sua Igreja tenho tudo de que preciso como pessoa: uma doutrina sólida, uma família solidária e razão para viver e servir. Não sou maçom porque minha lealdade a Jesus Cristo e sua igreja é indivisível, exclusiva e inegociável.”

Ligações perigosas


As relações entre algumas denominações históricas e a maçonaria no Brasil são antigas. Os primeiros missionários americanos que chegaram ao país se estabeleceram em Santa Bárbara (SP), em 1871. Três anos depois, parte desses pioneiros, entre eles o pastor Robert Porter Thomas, fundou também a Loja Maçônica George Washington naquela cidade. O espaço abrigou, em 1880, a reunião de avaliação para aprovação ao ministério de Antônio Teixeira de Albuquerque, o primeiro pastor batista brasileiro. Tanto ele quanto o pastor que o consagrou eram maçons.

Quando o missionário americano Ashbel Green Simonton (1833-1867) chegou ao Brasil, em 12 de agosto de 1859, encontrou, na então província de São Paulo, cerca de 700 alemães protestantes. Sem ter onde reuni-los, Simonton – que mais tarde lançaria as bases da Igreja Presbiteriana do Brasil (IPB) – aceitou a oferta de maçons locais que insistiram para que ele usasse sua loja, gratuitamente, para os trabalhos religiosos. A denominação, que abrigava diversos maçons, sofreu uma cisão em 31 de julho de 1903. Um grupo de sete pastores e 11 presbíteros entrou em conflito com o Sínodo da IPB porque a denominação não se opunha a que seus membros e ministros fossem maçons. Foi então fundada a Igreja Presbiteriana Independente do Brasil (IPI).

Ultimamente, a IPB vem reiteradamente confirmando a decisão de impedir que maçons exerçam não só o pastorado, como também cargos eclesiásticos como presbíteros e diáconos. As últimas resoluções do Supremo Concílio sobre o assunto mostram o quanto a maçonaria incomoda a denominação. Na última reunião, ficou estabelecida a incompatibilidade entre algumas doutrinas maçons e a fé cristã. Ficou proibida a aceitação como membros à comunhão da igreja de pessoas oriundas da maçonaria “sem que antes renunciem à confraria” e a eleição, ao oficialato, de candidatos ainda ligados àquela entidade.

Fontes: Cristianismo Hoje , Gospel Mais

Maçonaria nas igrejas: maçom revela haver muitos batistas e presbiterianos nas reuniões

Por  Marcelo Barros

Considerada pagã pela maioria dos evangélicos, entidade abriga muitos crentes em suas fileiras.

Ela costuma causar nos crentes um misto de espanto e rejeição. Pudera – com origens que se perdem nos séculos e um conjunto de ritos que misturam elementos ocultos, boa dose de mistério e uma espécie de panaceia religiosa que faz da figura de Deus um mero arquiteto do universo, a maçonaria é normalmente repudiada pelos evangélicos. Contudo, é impossível negar que a história maçônica caminha de mãos dadas com a do protestantismo. Os redatores do primeiro estatuto da entidade foram o pastor presbiteriano James Anderson, em Londres, na Inglaterra, em 1723, e Jean Desaguliers, um cristão francês. Devido às suas crenças, eles naturalmente introduziram princípios religiosos na nova organização, principalmente devido ao fim a que ela se destinava: a filantropia. O movimento rapidamente encontrou espaço para crescer em nações de tradição protestante, como o Reino Unido e a Alemanha, e mais tarde nos Estados Unidos, com a colonização britânica. Essa relação, contudo, jamais foi escancarada. Muito pelo contrário – para a maior parte dos evangélicos, a maçonaria é vista como uma entidade esotérica, idólatra e carregada de simbologias pagãs.

Isso tem mudado nos últimos tempos. Devido a um movimento de abertura que atinge a maçonaria em todo o mundo, a instituição tem se tornado mais conhecida e perde, pouco a pouco, seu aspecto enigmático. Não-iniciados podem participar de suas reuniões e cada vez mais membros da irmandade assumem a filiação, deixando para trás antigos temores – nunca suficientemente comprovados, diga-se – que garantiam que os desertores pagavam a ousadia com a vida. A abertura traz à tona a uma antiga discussão: afinal, pode um crente ser maçom? Na intenção de manter fidelidade à irmandade que abraçaram, missionários, diáconos e até pastores ligados à maçonaria normalmente optam pelo silêncio. Só que crentes maçons estão fazendo questão de dar as caras, o que tem provocado rebuliço. A Primeira Igreja Batista de Niterói, uma das mais antigas do Estado do Rio de Janeiro, vive uma crise interna por conta da presença de maçons em sua liderança. A congregação já estuda até uma mudança em seus estatutos, proibindo que membros da sociedade ocupem qualquer cargo eclesiástico.

Procurada por CRISTIANISMO HOJE, a Direção da congregação preferiu não comentar o assunto, alegando questões internas. Contudo, vários dos oficiais da igreja são maçons há décadas: “Sou diácono desta igreja há 28 anos e maçom há mais de trinta. Não vejo nenhuma contradição nisso”, diz o policial rodoviário aposentado Adilair Lopes da Silveira, de 58 anos, mestre da Loja Maçônica Silva Jardim, no município de mesmo nome, a 180 quilômetros da capital fluminense. Adilair afirma que há maçons nas igrejas evangélicas de todo Brasil, dezenas deles entre os membros de sua própria congregação e dezesseis entre os 54 membros da loja que frequenta: “Por tradição, a maioria deles é ligada às igrejas Batista ou Presbiteriana. Essas são as duas denominações em que há mais a presença histórica maçônica”, informa.

Um dos poucos crentes maçons que se dispuseram a ser identificados entre os 17 procurados pela reportagem, o ex-policial acredita que a sociedade em geral, e os religiosos em particular, nada têm a perder se deixarem “imagens distorcidas” acerca da instituição de lado. “Há preconceito por que há desconhecimento. Alguns maçons, que queriam criar uma aura de ocultismo sobre eles no passado, acabaram forjando essa coisa de mistério”, avalia. “Já ouvi até histórias de que lidamos com bodes ou imagens de animais. Isso não acontece”, garante. Segundo Adilair, o único mistério que existe de fato diz respeito a determinados toques de mão, palavras e sinais com os quais os maçons se identificam entre si – mas, segundo ele, tudo não passa de zelo pelas ricas tradições do movimento, que, segundo determinadas correntes maçônicas, remontam aos tempos do rei hebreu, Salomão. E, também, para relembrar tempos difíceis. “São práticas que remontam ao passado, já que nós, maçons, fomos muito perseguidos ao longo da história”.

Adilair adianta que não aceitaria uma mudança nos estatutos da igreja para banir maçons da sua liderança. Tanto, que ele e seus colegas de diaconato que pertencem ao grupo preparam-se para, se for o caso, ingressar na Justiça, o que poderia desencadear uma disputa que tende a expor as duas partes em demanda. Eles decidiram encaminhar uma cópia da proposta do regimento ao presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, desembargador Luiz Zveiter. “Haverá uma enxurrada de ações na Justiça se isso for adiante, não tenho dúvidas”, afirma o diácono. A polêmica em torno da adesão de evangélicos à maçonaria já provocou até racha numa das maiores denominações do país, a Igreja Presbiteriana do Brasil (IPB), no início do século passado (ver abaixo).

O pastor presbiteriano Wilson Ferreira de Souza Neto, de 43 anos, revela que já fez várias entrevistas com o intuito de ser aceito numa loja maçônica do município de Santo André, região metropolitana de São Paulo. O processo está em andamento e ele apenas aguarda reunir recursos para custear a taxa de adesão, importância que é usada na manutenção da loja e nas obras de filantropia: “Ainda não pude disponibilizar uma verba para a cerimônia de iniciação, que pode variar de R$ 1 mil a cinco mil reais e para a mensalidade. No meu caso, o que ainda impede o ingresso na maçonaria é uma questão financeira, e não ideológica” diz Wilson, que é mestre em ciências da religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e estuda o tema há mais de uma década.

“Pessoas próximas sabem que sou maçom e isso inclui vários membros de minha igreja”, continua o religioso. “Alguns já me questionaram sobre isso, mas após várias conversas nas quais eu os esclareci, tudo foi resolvido”. Na mesma linha vai outro colega de ministério que prefere não revelar o nome e que está na maçonaria há sete anos. “Tenho 26 anos de igreja, seis de pastorado e posso garantir que não há nenhuma incompatibilidade de ser maçom e professar a fé salvadora em Cristo Jesus nosso Senhor e Salvador”, afirma. Ele ocupa o posto de mestre em processo dos graus filosóficos e diz que foi indicado por um pastor amigo. “Só se pode entrar na maçonaria por indicação e, não raro, os pastores se indicam”. Para o pastor, boa parte da intolerância dos crentes em relação à maçonaria provém de informações equivocadas transmitidas por quem não conhece suficientemente o grupo.

“SEM CAÇA ÀS BRUXAS”

Procurados com insistência pela reportagem, os pastores Roberto Brasileiro e Ludgero Bonilha, respectivamente presidente e secretário-geral do Supremo Concílio da IPB, não retornaram os pedidos de entrevista para falar do envolvimento de pastores da denominação com a maçonaria. Mas o pastor e jornalista André Mello, atualmente à frente da Igreja Presbiteriana de Copacabana, no Rio, concordou em atender CRISTIANISMO HOJE em seu próprio nome. Segundo ele, o assunto é recorrente no seio da denominação. “O último Supremo Concílio decidiu que os maçons devem ser orientados, através do Espírito Santo, sem uso de coerção ou força, para que deixem a maçonaria”, conta Mello, referindo-se ao Documento CIV SC-IPB-2006, que trata do assunto. O texto, em determinado trecho, considera a maçonaria como uma religião de fato e diz que a divindade venerada ali, o Grande Arquiteto do Universo, é uma entidade “vaga”, sem identificação com o Deus soberano, triúno e único dos cristãos.

O pastor, que exerce ainda o cargo de secretário de Mocidade do Presbitério do Rio, lembra que, assim como as diferentes confissões evangélicas têm liturgias variadas e suas áreas de conflito, as lojas maçônicas não podem ser vistas em bloco – e, por isso mesmo, defende moderação no trato da questão. “Vejo algum exagero na perseguição aos maçons, pois estamos tratando de um problema de cem anos atrás, deixando de lado outros problemas reais da atualidade, como a maneira correta de lidar com o homossexualismo”. O pastor diz que há mais presbíteros do que pastores maçons – caso de seu pai, que era diácono e também ligado à associação. “Eu nunca fui maçom, mas descobri coisas curiosas, como por exemplo, o fato de haver líderes maçons de várias igrejas, inclusive daquelas que atacam mais violentamente a maçonaria. “Não acredito que promover caça às bruxas faça bem a nenhum grupo religioso”, encerra o ministro. “Melhor do que aprovar uma declaração contra alguém é procurá-lo, orar por ele, conversar, até ganhar um irmão.”

O presidente do Centro Apologética Cristão de Pesquisa (CACP), pastor João Flávio Martinez, por sua vez, não deixa de fazer sérios questionamentos à presença de evangélicos entre os maçons. “O fato é que, quando falamos em maçonaria, estamos falando de outra religião, que é totalmente diferente do cristianismo. Portanto, é um absurdo sequer admitir que as duas correntes possam andar juntas”. Lembrando que as origens do movimento estão ligadas às crenças misteriosas do passado, Martinez lembra o princípio bíblico de que não se pode seguir a dois senhores. “Estou convencido de que essa entidade contraria elementos básicos do cristianismo. Ela se faz uma religião à medida que adota ritos, símbolos e dogmas, emprestados, muitos deles, do judaísmo e do paganismo”, concorda o pastor batista Irland Pereira de Azevedo.

Aos 76 anos de idade e um dos nomes mais respeitados de denominação no país, Irland estuda o assunto há mais de três décadas e admite que vários pastores de sua geração têm ou já tiveram ligação com a maçonaria. Mas não tem dúvidas acerca de seu caráter espiritual: “Essa instituição contraria os mandamentos divinos ao denominar Deus como grande arquiteto, e não como Criador, conforme as Escrituras”. Embora considere a maçonaria uma entidade séria e com excelentes serviços prestados ao ser humano ao longo da história, ele a desqualifica do ponto de vista teológico e bíblico. “No meu ponto de vista, ela não deve merecer a lealdade de um verdadeiro cristão evangélico. Entendo que em Jesus Cristo e em sua Igreja tenho tudo de que preciso como pessoa: uma doutrina sólida, uma família solidária e razão para viver e servir. Não sou maçom porque minha lealdade a Jesus Cristo e sua igreja é indivisível, exclusiva e inegociável.”

Ligações perigosas


As relações entre algumas denominações históricas e a maçonaria no Brasil são antigas. Os primeiros missionários americanos que chegaram ao país se estabeleceram em Santa Bárbara (SP), em 1871. Três anos depois, parte desses pioneiros, entre eles o pastor Robert Porter Thomas, fundou também a Loja Maçônica George Washington naquela cidade. O espaço abrigou, em 1880, a reunião de avaliação para aprovação ao ministério de Antônio Teixeira de Albuquerque, o primeiro pastor batista brasileiro. Tanto ele quanto o pastor que o consagrou eram maçons.

Quando o missionário americano Ashbel Green Simonton (1833-1867) chegou ao Brasil, em 12 de agosto de 1859, encontrou, na então província de São Paulo, cerca de 700 alemães protestantes. Sem ter onde reuni-los, Simonton – que mais tarde lançaria as bases da Igreja Presbiteriana do Brasil (IPB) – aceitou a oferta de maçons locais que insistiram para que ele usasse sua loja, gratuitamente, para os trabalhos religiosos. A denominação, que abrigava diversos maçons, sofreu uma cisão em 31 de julho de 1903. Um grupo de sete pastores e 11 presbíteros entrou em conflito com o Sínodo da IPB porque a denominação não se opunha a que seus membros e ministros fossem maçons. Foi então fundada a Igreja Presbiteriana Independente do Brasil (IPI).

Ultimamente, a IPB vem reiteradamente confirmando a decisão de impedir que maçons exerçam não só o pastorado, como também cargos eclesiásticos como presbíteros e diáconos. As últimas resoluções do Supremo Concílio sobre o assunto mostram o quanto a maçonaria incomoda a denominação. Na última reunião, ficou estabelecida a incompatibilidade entre algumas doutrinas maçons e a fé cristã. Ficou proibida a aceitação como membros à comunhão da igreja de pessoas oriundas da maçonaria “sem que antes renunciem à confraria” e a eleição, ao oficialato, de candidatos ainda ligados àquela entidade.

Fontes: Cristianismo Hoje , Gospel Mais

Cidade do Vaticano (RV) – O Papa Francisco iniciou sua série de atividades, nesta manhã de sexta-feira, recebendo, no Vaticano uma delegação ecumênica de dez pessoas da Finlândia, por ocasião da festa de Santo Henrique, padroeiro daquele país.

Após sua saudação de boas vindas, o Bispo de Roma recordou aos presentes a citação bíblica da Carta aos Coríntios: “Por ventura, Cristo foi dividido”? Este também será o tema da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, que se iniciará amanhã, em muitos países, mas no Brasil será celebrada entre Ascensão e Pentecostes.

Esta pergunta do Apóstolo Paulo, disse o Papa, é dirigida também a nós. Assim, somos convidados a não desistir no nosso esforço ecumênico comum, fiéis ao pedido de Jesus: “Que todos sejam um”:

“Em nosso tempo, o caminho ecumênico e as relações entre os cristãos estão passando por mudanças significativas, pelo fato que professamos a nossa fé em um contexto social e cultural, onde a referência a Deus e ao transcendente está cada vez menos presente”.

Por este motivo, frisou o Pontífice, é preciso que o nosso testemunho esteja ao centro da nossa fé e do anúncio do amor de Deus. E acrescentou:

“Aqui, encontramos espaço para crescer na comunhão e na unidade entre nós cristãos, promovendo o ecumenismo espiritual, que nasce do mandamento do amor, deixado por Jesus aos seus discípulos.

O ecumenismo é um processo espiritual, que se realiza na obediência fiel ao Pai, no cumprimento da vontade de Cristo e sob a guia do Espírito Santo”.

O Pontífice concluiu seu pronunciamento à Delegação ecumênica da Finlândia, exortando a pedir com insistência a ajuda da graça de Deus e as luzes do Espírito Santo, para vivermos na verdade, portadora de reconciliação e comunhão.

Fontes: Radio Vaticano , Diário da Profecia , Mídia Globalista

"Não desistir do ecumenismo"

Cidade do Vaticano (RV) – O Papa Francisco iniciou sua série de atividades, nesta manhã de sexta-feira, recebendo, no Vaticano uma delegação ecumênica de dez pessoas da Finlândia, por ocasião da festa de Santo Henrique, padroeiro daquele país.

Após sua saudação de boas vindas, o Bispo de Roma recordou aos presentes a citação bíblica da Carta aos Coríntios: “Por ventura, Cristo foi dividido”? Este também será o tema da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, que se iniciará amanhã, em muitos países, mas no Brasil será celebrada entre Ascensão e Pentecostes.

Esta pergunta do Apóstolo Paulo, disse o Papa, é dirigida também a nós. Assim, somos convidados a não desistir no nosso esforço ecumênico comum, fiéis ao pedido de Jesus: “Que todos sejam um”:

“Em nosso tempo, o caminho ecumênico e as relações entre os cristãos estão passando por mudanças significativas, pelo fato que professamos a nossa fé em um contexto social e cultural, onde a referência a Deus e ao transcendente está cada vez menos presente”.

Por este motivo, frisou o Pontífice, é preciso que o nosso testemunho esteja ao centro da nossa fé e do anúncio do amor de Deus. E acrescentou:

“Aqui, encontramos espaço para crescer na comunhão e na unidade entre nós cristãos, promovendo o ecumenismo espiritual, que nasce do mandamento do amor, deixado por Jesus aos seus discípulos.

O ecumenismo é um processo espiritual, que se realiza na obediência fiel ao Pai, no cumprimento da vontade de Cristo e sob a guia do Espírito Santo”.

O Pontífice concluiu seu pronunciamento à Delegação ecumênica da Finlândia, exortando a pedir com insistência a ajuda da graça de Deus e as luzes do Espírito Santo, para vivermos na verdade, portadora de reconciliação e comunhão.

Fontes: Radio Vaticano , Diário da Profecia , Mídia Globalista

A aproximação do Papa Francisco aos ateus e pessoas de outras religiões marca um contraste com a atitude do Papa Bento XVI

O papa Francisco:"Eu convido até os descrentes para desejar a paz."

Cidade do Vaticano - Comemorando seu primeiro Natal como líder da Igreja Católica, o Papa Francisco pediu nesta quarta-feira pela união de ateus e crentes de todas as religiões como forma de espalhar a paz ao redor do mundo.

Falando para cerca de 70 mil pessoas a partir da varanda da Basílica de São Pedro, o mesmo local de onde emergiu para o mundo quando foi eleito papa, Francisco novamente apelou para a salvação do meio ambiente da "ganância humana e da rapacidade".

O papa disse que pessoas de outras religiões também rezam pela paz, e pediu pela união de crentes e ateus.

"Eu convido até os descrentes para desejar a paz. (Junte-se a nós) com seu desejo, um desejo que alarga o coração. Vamos todos nos unir, seja com preces ou desejo, mas todos pela paz", afirmou Francisco, sendo ovacionado pela plateia.

A aproximação do Papa Francisco aos ateus e pessoas de outras religiões marca um contraste com a atitude do Papa Bento XVI, do papado anterior, que às vezes relegava não católicos a crentes de segunda classe.

Francisco pediu também pela "harmonia social do Sudão do Sul, onde as recentes tensões causaram inúmeras vítimas e são uma ameaça para a coexistência pacífica naquele jovem país".

Fontes: Exame Abril , Illuminati Elite Maldita

ECUMENISMO: Papa Francisco faz apelo pela união de crentes e ateus

A aproximação do Papa Francisco aos ateus e pessoas de outras religiões marca um contraste com a atitude do Papa Bento XVI

O papa Francisco:"Eu convido até os descrentes para desejar a paz."

Cidade do Vaticano - Comemorando seu primeiro Natal como líder da Igreja Católica, o Papa Francisco pediu nesta quarta-feira pela união de ateus e crentes de todas as religiões como forma de espalhar a paz ao redor do mundo.

Falando para cerca de 70 mil pessoas a partir da varanda da Basílica de São Pedro, o mesmo local de onde emergiu para o mundo quando foi eleito papa, Francisco novamente apelou para a salvação do meio ambiente da "ganância humana e da rapacidade".

O papa disse que pessoas de outras religiões também rezam pela paz, e pediu pela união de crentes e ateus.

"Eu convido até os descrentes para desejar a paz. (Junte-se a nós) com seu desejo, um desejo que alarga o coração. Vamos todos nos unir, seja com preces ou desejo, mas todos pela paz", afirmou Francisco, sendo ovacionado pela plateia.

A aproximação do Papa Francisco aos ateus e pessoas de outras religiões marca um contraste com a atitude do Papa Bento XVI, do papado anterior, que às vezes relegava não católicos a crentes de segunda classe.

Francisco pediu também pela "harmonia social do Sudão do Sul, onde as recentes tensões causaram inúmeras vítimas e são uma ameaça para a coexistência pacífica naquele jovem país".

Fontes: Exame Abril , Illuminati Elite Maldita




Uma festa que nada tem a ver com Yeshua...

Como se comportar em meio a este paganismo?

Dê um FAV + LIKE!
Se inscreva no Canal



Fonte: Libertar

Natal: nada DELE está nele!



Uma festa que nada tem a ver com Yeshua...

Como se comportar em meio a este paganismo?

Dê um FAV + LIKE!
Se inscreva no Canal



Fonte: Libertar

(A TRADUÇÃO ABAIXO CONSTA NOS TERMOS EXATOS EM QUE ME FORAM ENTREGUES, PERDOEM OS EQUÍVOCOS POIS O TRADUTOR NÃO RESIDE HÁ ANOS NO BRASIL)

É noto que a Igreja (no sentido de Roma, do vaticano), se ela se mete em falar sobre questoes sociais, se move no andar da competência ética e religiosa. Portanto, se ela (Igreja) enfrenta a atual crise financeira, ela não tem como propósito entrar em questões técnicas, mesmo não as ignorando. O discernimento e a progetualidade que ela coloca em campo são frutos de multiplos saberes dentro de uma prospectiva Teologica-moral. É assim que, a igreja propõe um saber sintético, global, segundo a inspiração Cristã.

Como superar visões distorcidas? Movendo um novo pensamento, de um novo umanismo global, segundo qual o ser e o ter comanda uma ética mais "amiga da pessoa", ou seja, uma ética fraternal e solidária, e tambem a subordinação da economia e da finança para a politica (no sentido economia e finança debaixo da política), responsável pelo bem comum. Só assim se podem vencer as idolatrias de um mercado que tem como uma única regra os objetivos e prospectivas tecnicas, ignorando aquela ética  de se importar intimamente.

No aspecto progetual, ou seja as indicações de modos de solução, A nota do Consiglio do Vaticano, sugere que a globalização seja governada mediante a constituição de uma AUTORIDADE PUBLICA COM COMPETENCIA UNIVERSAL.

Uma prospectiva ja falada pelo papa Giovanni XXIII, é reproposta pelo papa Benedetto XVI na Caritas Veritate. As reflecçoes do conseglio Papal, querem sublinhar suggerimentos para reformas nas atuais instituiçoes internacionais, para que sejam mais autoritarias e democraticas. Esses devem ser um accordo livre e aceito pelo povo. Devem ser em super partes,ao serviço do bem de todos, com a capacidade de oferecer uma guia eficaz, e ao mesmo tempo, permitir a qualquer pais de exprimir e perseguir o proprio bem comum, no contexto para o bem comum mundial.

Só assim as instituições internacionais conseguirão favorecer a existencia de sistemas monetários e financiarias eficientes e eficazes. A AUTORIDADE MUNDIAL NÃO TERÃO QUE ESMAGAR OU ABUSAR DOS GOVERNOS NACIONAIS E REGIONAIS. ELA (A AUTORIDADE) TERÁ QUE FAZER ENTENDER O SEU PODER DE ORIENTAR E DECIDIR, E TAMBEM MULTAR SOBRE A BASE DO DIREITO, como um colocar-se ao serviço dos vários países membros, para que possam crescer e possuam mercados eficientes e eficazes, ou seja mercados nao iper-protegidos por politicas nacionais paternais, nao infraquecidos por déficit sistemáticos das finanças públicas e de produtos nacionais, que de fato impedem aos mercados de trabalhar em um contexto mundial como instituições abertas e de concorrência.

O texto do conseglio Papal, em primeiro lugar, tem como prospectiva um processo de reforma "tendo como ponto de referimento a ONU, em razão a sua amplificaçao mundial, das suas responsabilidades, da sua capacidade de reunir todas as nações da terra e a diversidade das suas tarefas e aquelas das suas Agencias especializadas".

Em segundo lugar propõe um claro salto de qualidade a respeito das instituições informais já existentes. Ocorre em particular, a passagem decisiva de um sistema governante - ou seja o cordinamento horizontal dos Estados sem uma Autoridade super partes -- a um sistema que, além do cordinamento horizontal, tenha uma Autoridade super partes, com poder de decidir com método democrático e multar, em conformidade do direito.

Uma tal passagem, em direção a um "Estado de direito" e formas de "governos mundiais", não pode acontecer se não dando expressão política a preexistentes interdependencias e cooperações e , então, abandonando a pratica do multilateralismo seja a nível diplomático que no ambito dos planos para o desenvolvimento sustentável e para paz.

Segundo algumas reflexões do Conseglio papal, o allagarmento da atual G7 para G20, nao coincide com o quanto podemos pedir. Se trataria de uma solução ainda não satisfatória e inadeguada. Mesmo com as melhoras na composição e funcionamento, o G20 não responde plenamente a lógica da ONU nas quais deveria responder. Os Estados que compõem o G20 não se podem considerar representadores de todos os povos do mundo. Mesmo alargado, o G20 como bem conhecido, não faz parte da ONU, é sempre um forum informal e limitado, que mostra perder ainda mais eficácia quando vem ampliado. No estado atual, o G20 falta de legitimação e de mandado político da parte das comunidades internacionais.

 A isso se tem que aumentar que, não mudando a situação, arrisca de se substituir de fato as instituições internacionais como o - FUNDO MONETÁRIO INTERNACIONAL, OU O BANCO MUNDIAL -- que mesmo precisando de reformas, aparecem em condições de representar em maneira institucional TODOS OS PAÍSES E NÃO UM NUMERO DELES RESTRITO.



Fonte: Casando o Verbo

A religião Bahá'í busca através da ONU o governo global

(A TRADUÇÃO ABAIXO CONSTA NOS TERMOS EXATOS EM QUE ME FORAM ENTREGUES, PERDOEM OS EQUÍVOCOS POIS O TRADUTOR NÃO RESIDE HÁ ANOS NO BRASIL)

É noto que a Igreja (no sentido de Roma, do vaticano), se ela se mete em falar sobre questoes sociais, se move no andar da competência ética e religiosa. Portanto, se ela (Igreja) enfrenta a atual crise financeira, ela não tem como propósito entrar em questões técnicas, mesmo não as ignorando. O discernimento e a progetualidade que ela coloca em campo são frutos de multiplos saberes dentro de uma prospectiva Teologica-moral. É assim que, a igreja propõe um saber sintético, global, segundo a inspiração Cristã.

Como superar visões distorcidas? Movendo um novo pensamento, de um novo umanismo global, segundo qual o ser e o ter comanda uma ética mais "amiga da pessoa", ou seja, uma ética fraternal e solidária, e tambem a subordinação da economia e da finança para a politica (no sentido economia e finança debaixo da política), responsável pelo bem comum. Só assim se podem vencer as idolatrias de um mercado que tem como uma única regra os objetivos e prospectivas tecnicas, ignorando aquela ética  de se importar intimamente.

No aspecto progetual, ou seja as indicações de modos de solução, A nota do Consiglio do Vaticano, sugere que a globalização seja governada mediante a constituição de uma AUTORIDADE PUBLICA COM COMPETENCIA UNIVERSAL.

Uma prospectiva ja falada pelo papa Giovanni XXIII, é reproposta pelo papa Benedetto XVI na Caritas Veritate. As reflecçoes do conseglio Papal, querem sublinhar suggerimentos para reformas nas atuais instituiçoes internacionais, para que sejam mais autoritarias e democraticas. Esses devem ser um accordo livre e aceito pelo povo. Devem ser em super partes,ao serviço do bem de todos, com a capacidade de oferecer uma guia eficaz, e ao mesmo tempo, permitir a qualquer pais de exprimir e perseguir o proprio bem comum, no contexto para o bem comum mundial.

Só assim as instituições internacionais conseguirão favorecer a existencia de sistemas monetários e financiarias eficientes e eficazes. A AUTORIDADE MUNDIAL NÃO TERÃO QUE ESMAGAR OU ABUSAR DOS GOVERNOS NACIONAIS E REGIONAIS. ELA (A AUTORIDADE) TERÁ QUE FAZER ENTENDER O SEU PODER DE ORIENTAR E DECIDIR, E TAMBEM MULTAR SOBRE A BASE DO DIREITO, como um colocar-se ao serviço dos vários países membros, para que possam crescer e possuam mercados eficientes e eficazes, ou seja mercados nao iper-protegidos por politicas nacionais paternais, nao infraquecidos por déficit sistemáticos das finanças públicas e de produtos nacionais, que de fato impedem aos mercados de trabalhar em um contexto mundial como instituições abertas e de concorrência.

O texto do conseglio Papal, em primeiro lugar, tem como prospectiva um processo de reforma "tendo como ponto de referimento a ONU, em razão a sua amplificaçao mundial, das suas responsabilidades, da sua capacidade de reunir todas as nações da terra e a diversidade das suas tarefas e aquelas das suas Agencias especializadas".

Em segundo lugar propõe um claro salto de qualidade a respeito das instituições informais já existentes. Ocorre em particular, a passagem decisiva de um sistema governante - ou seja o cordinamento horizontal dos Estados sem uma Autoridade super partes -- a um sistema que, além do cordinamento horizontal, tenha uma Autoridade super partes, com poder de decidir com método democrático e multar, em conformidade do direito.

Uma tal passagem, em direção a um "Estado de direito" e formas de "governos mundiais", não pode acontecer se não dando expressão política a preexistentes interdependencias e cooperações e , então, abandonando a pratica do multilateralismo seja a nível diplomático que no ambito dos planos para o desenvolvimento sustentável e para paz.

Segundo algumas reflexões do Conseglio papal, o allagarmento da atual G7 para G20, nao coincide com o quanto podemos pedir. Se trataria de uma solução ainda não satisfatória e inadeguada. Mesmo com as melhoras na composição e funcionamento, o G20 não responde plenamente a lógica da ONU nas quais deveria responder. Os Estados que compõem o G20 não se podem considerar representadores de todos os povos do mundo. Mesmo alargado, o G20 como bem conhecido, não faz parte da ONU, é sempre um forum informal e limitado, que mostra perder ainda mais eficácia quando vem ampliado. No estado atual, o G20 falta de legitimação e de mandado político da parte das comunidades internacionais.

 A isso se tem que aumentar que, não mudando a situação, arrisca de se substituir de fato as instituições internacionais como o - FUNDO MONETÁRIO INTERNACIONAL, OU O BANCO MUNDIAL -- que mesmo precisando de reformas, aparecem em condições de representar em maneira institucional TODOS OS PAÍSES E NÃO UM NUMERO DELES RESTRITO.



Fonte: Casando o Verbo

A onu, através de suas inúmeras agências, tem aplicado 12 princípios sociais revelados por Baha’u’llah em escala mundial para unificar a humanidade. Para que todos se curvem a essa estratégia de unificação as áreas: Social, Política, economia e religiosa (principalmente cristãos desatentos) tem obedecido esses ensinamentos durante séculos.Conheça quais são e como acompanhar a evolução de cada um através das notícias do dia a dia.

8) Um idioma mundial auxiliar

Em desobediência à palavra de DEUS, a Ordem Mundial de Baha’u’llah está reconstruindo a torre de babel, pois no livro de gênesis relata a existência de uma única língua para a humanidade; e esse sistema criado pelos homens foi destruído por DEUS :

E o SENHOR disse: Eis que o povo é um, e todos têm uma mesma língua; e isto é o que começam a fazer; e agora, não haverá restrição para tudo o que eles intentarem fazer.” (Gênesis 11 : 6)

A ordem da reconstrução encontra-se nas leis do Kitáb-i-aqdas (Ap 10:2) descrita abaixo:

K-189. “Ó vós parlamentares no mundo todo! Escolhei um único idioma a ser usado por todos na terra, e adotai igualmente uma escrita comum. Deus, verdadeiramente, vos esclarece o que vos beneficiará e vos capacitará a serdes independentes de outrem. Ele, deveras, é o Mais Generoso, o Onissapiente, O de tudo informado. Isto será causa de unidade, se o pudésseis compreender…”

Enquanto o parlamento mundial e os acadêmicos em letras não participam das suas deliberações, temos algumas alternativas para a busca do idioma universal:

1) O Esperanto

Seu iniciador, Ludwik Lejzer Zamenhof, publicou a versão inicial do idioma em 1887, com a intenção de criar uma língua de muito fácil aprendizagem, que servisse como língua franca internacional, para toda a população mundial (e não, como muitos supõem, para substituir todas as línguas existentes).

2) O internetês

Internetês é um neologismo (de: Internet + sufixo ês) que designa a linguagem utilizada no meio virtual, em que as palavras foram abreviadas até o ponto de se transformarem em uma única expressão.

O internetês exige rapidez no diálogo, com o objetivo de ganhar tempo sem perder as informações, mesmo que isso represente algum tipo de infração das normas gramaticais.

Mas o preço para a implantação do idioma universal é a morte de todos os cristãos deixados para trás no futuro:

“E foi-lhe permitido fazer guerra aos santos, e vencê-los; e deu-se-lhe poder sobre toda a tribo, e língua, e nação.” (Apocalipse 13 : 7)

Referências:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Internet%C3%AAs

http://www.aleph.com.br/kce/artigo08.htm

http://esperanto.org.br/p/

Fonte: Apocalipse Total

Os princípios sociais da Nova Ordem Mundial – Parte 8

A onu, através de suas inúmeras agências, tem aplicado 12 princípios sociais revelados por Baha’u’llah em escala mundial para unificar a humanidade. Para que todos se curvem a essa estratégia de unificação as áreas: Social, Política, economia e religiosa (principalmente cristãos desatentos) tem obedecido esses ensinamentos durante séculos.Conheça quais são e como acompanhar a evolução de cada um através das notícias do dia a dia.

8) Um idioma mundial auxiliar

Em desobediência à palavra de DEUS, a Ordem Mundial de Baha’u’llah está reconstruindo a torre de babel, pois no livro de gênesis relata a existência de uma única língua para a humanidade; e esse sistema criado pelos homens foi destruído por DEUS :

E o SENHOR disse: Eis que o povo é um, e todos têm uma mesma língua; e isto é o que começam a fazer; e agora, não haverá restrição para tudo o que eles intentarem fazer.” (Gênesis 11 : 6)

A ordem da reconstrução encontra-se nas leis do Kitáb-i-aqdas (Ap 10:2) descrita abaixo:

K-189. “Ó vós parlamentares no mundo todo! Escolhei um único idioma a ser usado por todos na terra, e adotai igualmente uma escrita comum. Deus, verdadeiramente, vos esclarece o que vos beneficiará e vos capacitará a serdes independentes de outrem. Ele, deveras, é o Mais Generoso, o Onissapiente, O de tudo informado. Isto será causa de unidade, se o pudésseis compreender…”

Enquanto o parlamento mundial e os acadêmicos em letras não participam das suas deliberações, temos algumas alternativas para a busca do idioma universal:

1) O Esperanto

Seu iniciador, Ludwik Lejzer Zamenhof, publicou a versão inicial do idioma em 1887, com a intenção de criar uma língua de muito fácil aprendizagem, que servisse como língua franca internacional, para toda a população mundial (e não, como muitos supõem, para substituir todas as línguas existentes).

2) O internetês

Internetês é um neologismo (de: Internet + sufixo ês) que designa a linguagem utilizada no meio virtual, em que as palavras foram abreviadas até o ponto de se transformarem em uma única expressão.

O internetês exige rapidez no diálogo, com o objetivo de ganhar tempo sem perder as informações, mesmo que isso represente algum tipo de infração das normas gramaticais.

Mas o preço para a implantação do idioma universal é a morte de todos os cristãos deixados para trás no futuro:

“E foi-lhe permitido fazer guerra aos santos, e vencê-los; e deu-se-lhe poder sobre toda a tribo, e língua, e nação.” (Apocalipse 13 : 7)

Referências:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Internet%C3%AAs

http://www.aleph.com.br/kce/artigo08.htm

http://esperanto.org.br/p/

Fonte: Apocalipse Total

(Foto:Auto-denominado apóstolo Walter Sandro da Igreja Templária de Cristo na Terra -ITCT)

Uma igreja cujos líderes se consideram a reencarnação dos templários ganha espaço

Por Willian Vieira

 Walter sandro Pereira da Silva recorda o dia em que o Arcanjo Miguel veio em seu auxílio pela primeira vez. Ele tinha 2 anos e meio e procurava desesperado a chupeta perdida. “Foi quando apareceu este ser dizendo que ela estava debaixo da cama e que eu devia procurar o Salmo 91.” Quando os pais encontraram o pequeno, ele tinha a chupeta na boca e a Bíblia na mão: milagre. “Nenhum mal te sucederá, nem praga alguma chegará à tua tenda. Porque aos seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos”, dizia o premonitório texto bíblico. Hoje, sentado à cabeceira da mesa da sala de reuniões de sua Igreja Templária de Cristo na Terra, em São Paulo, a cargo de um crescente séquito de 10 mil “templários”, ele agradece a providência angelical, enquanto explica, entre ligações recebidas pelo smartphone, sua missão divina na Terra.

Por que abrir uma nova igreja, quando tantas outras disputam fiéis e denúncias Brasil afora é resposta que o apóstolo tem pronta. “Foi o Arcanjo Miguel que orientou.” Assim a igreja saiu do papel, mas não sem um percurso repleto de sacadas empresariais e, por que não, verdadeiros milagres (“pois não existe coincidência”) que fizeram desse pernambucano pobre de Gravatá o líder de uma seita-símbolo do sincretismo religioso nacional: compósito da lógica de bufê livre, da tolerância e da espiritualidade sem limites do brasileiro.
Foto: "apostolo" Walter Sandro usa imagens de São Jorge, Buda, Maria entre outros
Mais velho de três filhos de um mestre de obras, Silva veio para São Paulo bebê e cresceu num ambiente católico sem arroubos religiosos. Isso até visitar sua cidade natal aos 13 anos, entrar em uma igreja evangélica e ouvir do arcanjo que deveria pregar. Virou evangélico. Anos depois, quando começou a vender seguros, descobriu o dom da retórica e passou a dar palestras motivacionais: deixe de fumar, emagreça, conquiste o amor. Com a mesma ênfase convencia qualquer um de qualquer coisa, tudo transmitido em um programa na Rádio Mundial. As pessoas saíam a suspirar, crentes, felizes da vida. Estudante de Psicologia, deixou os estudos e bolou sua versão de autoajuda, munido das dicas do arcanjo e de uma fórmula infalível: a pessoa pagava pela entrada na palestra, emocionava-se e na saí-da comprava o livro, o CD e o DVD.

Por dez anos viveu assim. Mas faltava algo, insistia o arcanjo. Até o pregador conhecer gente que “sentia”, como ele, vir de algo maior – nada menos que a reencarnação dos Cavaleiros Templários, braço militar da Igreja Católica formado por monges com voto de pobreza que aceitaram a tarefa de proteger os cristãos dos muçulmanos, enquanto aqueles tomavam desses a Cidade Sagrada nas Cruzadas. Quando Jerusalém ficou para trás, templários foram queimados vivos pela Inquisição. “Somos a reencarnação deles.” As reuniões começaram como uma espécie de maçonaria, que aos poucos incorporou doses de Reiki (prática esotérica), ioga e passe espírita. Em 11 de novembro de 2011, quando Silva estava prestes a entrar no ar pelo canal UHF 58, novo milagre se deu. “O Arcanjo Miguel materializou-se e disse para eu abrir a igreja. Foi tão forte que tive uma crise de cálculo renal. Fui ao banheiro e ele veio e disse pra botar a mão na urina. Eu pus. E saiu uma pedra do tamanho de meio grão de feijão.” À meia-noite o programa foi ao ar já com o nome de Igreja Templária.

Sincretismo e doação. A Igreja Templária de Cristo mistura Reiki, ioga e passes espíritas

A hierarquia nasceu naturalmente. Há um apóstolo (ele), cujo cargo é vitalício e só pode ser transmitido após um conclave. Há também um primeiro-ministro, quatro bispos, 20 ministros e 560 mestres, cada qual encarregado de cuidar de 70 -fiéis. O apóstolo vive “uma vida simples”, em uma casa em São Bernardo do Campo (o “solo sagrado”), com nove dos ministros, sua mãe e cerca de 80 cães e gatos – a igreja tem como tarefa tirar animais da rua. Apóstolos não se casam. O anel de ouro na mão esquerda, com três luas entrecruzadas (as três religiões), ganhou-o de um ourives que foi a uma de suas palestras e seguira o desenho sugerido pelo arcanjo.

Além do prédio no número 643 da Rua Leais Paulistanos, a igreja tem sedes no Rio de Janeiro, no Espírito Santo e em Minas Gerais. Estrutura crescente, que começou a ser erguida com auxílio de doações. Com 1,5 mil reais em moedas, o apóstolo comprou uma Kombi velha, com a qual os mestres vendiam batatas de porta em porta para arrecadar dinheiro.

Outros tempos. Hoje a igreja é mantida pelo “Carnê da Gratidão”, um boleto com depósito de 33 reais em uma conta do Banco do Brasil. “A pessoa não paga. Ela doa.” E ganha, de quebra, o número do celular de um dos mestres para ligar quando quiser, todo dia até as 2 da manhã. “Qual seu problema? Bem, às vezes Deus não cura agora para testar sua fé”, diz o mestre em uma das baias da sala onde cerca de 20 pessoas se revezam em três turnos para atender 3 mil ligações por dia no telemarketing. “A senhora gostaria de receber um CD do Arcanjo Miguel? Não, não é obrigada a pagar. Mas seu lado material vai render mais.” Ao lado, uma senhora corta boletos com uma guilhotina.

A casa do tesouro tem crescido. Um tour revela as 44 salas da igreja, nas quais a mesma cruz pátea impera, entre desenhos de Buda, faraós e santos católicos. Há dois auditórios e salas. Uma das salas de reunião é repleta de cristais a dividir espaço com uma armadura medieval, um sarcófago, São Jorge e a Virgem Maria. Ao lado fica o hospital de cura, onde macas se enfileiram à espera dos pacientes. “Teve uma mulher que chegou com a bexiga podre. Em um mês aqui, a bexiga dela se refez inteirinha.” Mas milagres mesmo se dão durante o “Vale de Sal”, evento que atrai 5 mil pessoas uma vez por mês. Toneladas de sal desenham uma trilha por onde as pessoas que têm problema espiritual caminham e passam mal. “Uivam, gritam, vomitam.”

Tanta peculiaridade trouxe inimigos. “Já cansei de sofrer ameaça de morte, pelo telefone, pela internet.” Mas o apóstolo segue sua vida exemplar. “Templário não ingere café, carne ou açúcar (só mascavo). Ioga e tai chi chuan são obrigatórios. Se bem que a minha ioga é na tevê”, diz, à mesa onde grava os programas. Se tudo der certo, e o arcanjo há de ajudar, em breve a igreja terá seu canal UHF (que custou 120 mil reais) para levar, “em cadeia nacional”, a mensagem do fim do preconceito. “Nós não temos nenhum.”



Fontes: Carta Capital , Renascer Prime ,  Priscila e Maxwell Palheta

Sincretismo?: Walter Sandro, surge mais um falso apóstolo

(Foto:Auto-denominado apóstolo Walter Sandro da Igreja Templária de Cristo na Terra -ITCT)

Uma igreja cujos líderes se consideram a reencarnação dos templários ganha espaço

Por Willian Vieira

 Walter sandro Pereira da Silva recorda o dia em que o Arcanjo Miguel veio em seu auxílio pela primeira vez. Ele tinha 2 anos e meio e procurava desesperado a chupeta perdida. “Foi quando apareceu este ser dizendo que ela estava debaixo da cama e que eu devia procurar o Salmo 91.” Quando os pais encontraram o pequeno, ele tinha a chupeta na boca e a Bíblia na mão: milagre. “Nenhum mal te sucederá, nem praga alguma chegará à tua tenda. Porque aos seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos”, dizia o premonitório texto bíblico. Hoje, sentado à cabeceira da mesa da sala de reuniões de sua Igreja Templária de Cristo na Terra, em São Paulo, a cargo de um crescente séquito de 10 mil “templários”, ele agradece a providência angelical, enquanto explica, entre ligações recebidas pelo smartphone, sua missão divina na Terra.

Por que abrir uma nova igreja, quando tantas outras disputam fiéis e denúncias Brasil afora é resposta que o apóstolo tem pronta. “Foi o Arcanjo Miguel que orientou.” Assim a igreja saiu do papel, mas não sem um percurso repleto de sacadas empresariais e, por que não, verdadeiros milagres (“pois não existe coincidência”) que fizeram desse pernambucano pobre de Gravatá o líder de uma seita-símbolo do sincretismo religioso nacional: compósito da lógica de bufê livre, da tolerância e da espiritualidade sem limites do brasileiro.
Foto: "apostolo" Walter Sandro usa imagens de São Jorge, Buda, Maria entre outros
Mais velho de três filhos de um mestre de obras, Silva veio para São Paulo bebê e cresceu num ambiente católico sem arroubos religiosos. Isso até visitar sua cidade natal aos 13 anos, entrar em uma igreja evangélica e ouvir do arcanjo que deveria pregar. Virou evangélico. Anos depois, quando começou a vender seguros, descobriu o dom da retórica e passou a dar palestras motivacionais: deixe de fumar, emagreça, conquiste o amor. Com a mesma ênfase convencia qualquer um de qualquer coisa, tudo transmitido em um programa na Rádio Mundial. As pessoas saíam a suspirar, crentes, felizes da vida. Estudante de Psicologia, deixou os estudos e bolou sua versão de autoajuda, munido das dicas do arcanjo e de uma fórmula infalível: a pessoa pagava pela entrada na palestra, emocionava-se e na saí-da comprava o livro, o CD e o DVD.

Por dez anos viveu assim. Mas faltava algo, insistia o arcanjo. Até o pregador conhecer gente que “sentia”, como ele, vir de algo maior – nada menos que a reencarnação dos Cavaleiros Templários, braço militar da Igreja Católica formado por monges com voto de pobreza que aceitaram a tarefa de proteger os cristãos dos muçulmanos, enquanto aqueles tomavam desses a Cidade Sagrada nas Cruzadas. Quando Jerusalém ficou para trás, templários foram queimados vivos pela Inquisição. “Somos a reencarnação deles.” As reuniões começaram como uma espécie de maçonaria, que aos poucos incorporou doses de Reiki (prática esotérica), ioga e passe espírita. Em 11 de novembro de 2011, quando Silva estava prestes a entrar no ar pelo canal UHF 58, novo milagre se deu. “O Arcanjo Miguel materializou-se e disse para eu abrir a igreja. Foi tão forte que tive uma crise de cálculo renal. Fui ao banheiro e ele veio e disse pra botar a mão na urina. Eu pus. E saiu uma pedra do tamanho de meio grão de feijão.” À meia-noite o programa foi ao ar já com o nome de Igreja Templária.

Sincretismo e doação. A Igreja Templária de Cristo mistura Reiki, ioga e passes espíritas

A hierarquia nasceu naturalmente. Há um apóstolo (ele), cujo cargo é vitalício e só pode ser transmitido após um conclave. Há também um primeiro-ministro, quatro bispos, 20 ministros e 560 mestres, cada qual encarregado de cuidar de 70 -fiéis. O apóstolo vive “uma vida simples”, em uma casa em São Bernardo do Campo (o “solo sagrado”), com nove dos ministros, sua mãe e cerca de 80 cães e gatos – a igreja tem como tarefa tirar animais da rua. Apóstolos não se casam. O anel de ouro na mão esquerda, com três luas entrecruzadas (as três religiões), ganhou-o de um ourives que foi a uma de suas palestras e seguira o desenho sugerido pelo arcanjo.

Além do prédio no número 643 da Rua Leais Paulistanos, a igreja tem sedes no Rio de Janeiro, no Espírito Santo e em Minas Gerais. Estrutura crescente, que começou a ser erguida com auxílio de doações. Com 1,5 mil reais em moedas, o apóstolo comprou uma Kombi velha, com a qual os mestres vendiam batatas de porta em porta para arrecadar dinheiro.

Outros tempos. Hoje a igreja é mantida pelo “Carnê da Gratidão”, um boleto com depósito de 33 reais em uma conta do Banco do Brasil. “A pessoa não paga. Ela doa.” E ganha, de quebra, o número do celular de um dos mestres para ligar quando quiser, todo dia até as 2 da manhã. “Qual seu problema? Bem, às vezes Deus não cura agora para testar sua fé”, diz o mestre em uma das baias da sala onde cerca de 20 pessoas se revezam em três turnos para atender 3 mil ligações por dia no telemarketing. “A senhora gostaria de receber um CD do Arcanjo Miguel? Não, não é obrigada a pagar. Mas seu lado material vai render mais.” Ao lado, uma senhora corta boletos com uma guilhotina.

A casa do tesouro tem crescido. Um tour revela as 44 salas da igreja, nas quais a mesma cruz pátea impera, entre desenhos de Buda, faraós e santos católicos. Há dois auditórios e salas. Uma das salas de reunião é repleta de cristais a dividir espaço com uma armadura medieval, um sarcófago, São Jorge e a Virgem Maria. Ao lado fica o hospital de cura, onde macas se enfileiram à espera dos pacientes. “Teve uma mulher que chegou com a bexiga podre. Em um mês aqui, a bexiga dela se refez inteirinha.” Mas milagres mesmo se dão durante o “Vale de Sal”, evento que atrai 5 mil pessoas uma vez por mês. Toneladas de sal desenham uma trilha por onde as pessoas que têm problema espiritual caminham e passam mal. “Uivam, gritam, vomitam.”

Tanta peculiaridade trouxe inimigos. “Já cansei de sofrer ameaça de morte, pelo telefone, pela internet.” Mas o apóstolo segue sua vida exemplar. “Templário não ingere café, carne ou açúcar (só mascavo). Ioga e tai chi chuan são obrigatórios. Se bem que a minha ioga é na tevê”, diz, à mesa onde grava os programas. Se tudo der certo, e o arcanjo há de ajudar, em breve a igreja terá seu canal UHF (que custou 120 mil reais) para levar, “em cadeia nacional”, a mensagem do fim do preconceito. “Nós não temos nenhum.”



Fontes: Carta Capital , Renascer Prime ,  Priscila e Maxwell Palheta

É impossível evitar que a Nova Ordem Mundial de Bahá’u’lláh não se estabeleça na terra. Esse governo de origem satânica somente foi criado por que a humanidade se recusou a aceitar a Bíblia e os ensinamentos do Senhor Jesus como verdade absoluta. Também não foram poucas as pessoas que distorceram a palavra da verdade como: Alguns Evangélicos, Católicos, Espíritas, Teólogos, Maçons, praticantes de Cabala e isso seja por ganância, ignorância, prepotência ou práticas ocultistas.Em fim... o nome do Senhor Jesus nuca foi tão blasfemado como no final dos tempos.

Através da teoria da revelação progressiva, a fé Baha’i chegou ao ponto de nomear uma das sete cabeças da besta com o nome do Senhor Jesus. Devido a esse acontecimento, Ele precisou trocar o seu nome com descrito em Apocalipse 2:17.Em outra de suas blasfêmias contra o verdadeiro DEUS e ao Senhor Jesus, Bahá’u’lláh “canta” a sua vitória sobre a tribo de derrotados (os cristãos):

“Vede a confusão que sobreveio às tribos dos derrotados!' Por mais estupenda que seja a luta que Suas palavras prenunciam, elas dão também testemunho da completa vitória que os defensores do Máximo Nome estão finalmente destinados a alcançar”

Baha’u’llah (o Máximo Nome) está certo! Realmente foi um trabalho inútil lutar contra o seu governo, mas meu galardão está perante o meu DEUS:

Porém eu disse: Debalde tenho trabalhado, inútil e vãmente gastei as minhas forças; todavia o meu direito está perante o SENHOR, e o meu galardão perante o meu Deus. (Isaías 49 : 4)

Considerando que Baha’u’llah viveu no século 19, ele estava muito atrasado quando proferiu a blasfêmia acima! DEUS já tinha avisado que esse evento aconteceria por vota do ano 650 antes de cristo, através do profeta Daniel. Isso mostra apenas a superioridade infinita da palavra de DEUS:

Eu olhava, e eis que este chifre fazia guerra contra os santos, e prevaleceu contra eles. (Daniel 7 : 21)

Não se contentando com essa futura vitória, o líderes do seu governo prenderão e matarão por degolação milhares de pessoas:

Se alguém leva em cativeiro, em cativeiro irá; se alguém matar à espada, necessário é que à espada seja morto. Aqui está a paciência e a fé dos santos. (Apocalipse 13 : 10)

Existem apenas duas formas de conduzir a humanidade para a guilhotina que são:

1) A criação da federação mundial profetizada por Habacuque:

Tanto mais que, por ser dado ao vinho é desleal; homem soberbo que não permanecerá; que alarga como o inferno a sua alma; e é como a morte que não se farta, e ajunta a si todas as nações, e congrega a si todos os povos. (Habacuque 2 : 5)

2) E a revelação de Baha’u’llah profetizada pelo Apóstolo João:

A besta que viste foi e já não é, e há de subir do abismo, e irá à perdição; e os que habitam na terra (cujos nomes não estão escritos no livro da vida, desde a fundação do mundo) se admirarão, vendo a besta que era e já não é, mas que virá. (Apocalipse 17 : 8)

Mas também existem duas formas para escapar dessa ordem satânica que são:

O Arrebatamento

O arrebatamento acontecerá somente depois da apostasia (a criação da federação mundial) e a revelação de Baha’u’llah para a humanidade:

Ninguém de maneira alguma vos engane; porque não será assim sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição, (II Tessalonicenses 2 : 3)

Isso fará com que as pessoas fiquem completamente desorientadas clamando por uma solução. Habacuque descreve as pessoas nesse dia como cardumes de peixes sem um governo:

E por que farias os homens como os peixes do mar, como os répteis, que não têm quem os governe? (Habacuque 1 : 14)

Agora é só Baha’u’llah lançar o seu anzol (a federação mundial) com descrito mais adiante por Habacuque:

Ele a todos levantará com o anzol, apanhá-los-á com a sua rede, e os ajuntará na sua rede varredoura; por isso ele se alegrará e se regozijará. (Habacuque 1 : 15)

Devido a grande correria e desespero que cairá sobre todos aqueles que descobriram a verdade, não teremos tempo para explicar com detalhes o plano da nova ordem. Por isso será necessária uma comunicação rápida e objetiva. Essa foi a resposta de DEUS sobre a queixa de Habacuque:

Então o SENHOR me respondeu, e disse: Escreve a visão e torna bem legível sobre tábuas, para que a possa ler quem passa correndo. (Habacuque 2 : 2)

Deus permitiu aos seus sevos descobrirem muito antes toda a verdade sobre a nova ordem mundial. Além disso, o ápice do Apocalipse está em saber calcular com exatidão qual é o sinal, o nome e o número da besta.

Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento, calcule o número da besta; porque é o número de um homem, e o seu número é seiscentos e sessenta e seis. (Apocalipse 13 : 18)

Juntando o novo com o velho testamento, que é a maneira correta de interpretar a Bíblia, basta criar a tábua como descrito abaixo:

Esse acontecimento além de ser Bíblico, também está escrito no testamento de Abdu’l’bahá. Em uma passagem ela fala de alguém que se atreveu a ler as escrituras Bahá’is e mudou o sentido da interpretação:

“... não satisfeito com isso, se atreveu a interpolar Teu Livro, a alterar fraudulentamente Teu decisivo Texto Sagrado e falsificar o que fora revelado pela Tua Pena Toda-gloriosa..”

Em outra passagem. esse “atrevido e blasfemo” que estudou sobre a fé Bahá'i também maquinou projetos tentando pregar o evangelho de Cristo. E alguns de seus textos serão arquivados na Casa Universal de Justiça para uso futuro. Observe que Abdu’l’ diz “serão registradas” :

“...Desde o dia em que ele entrou de novo em nosso meio, porém, começou outra vez a espalhar as sementes das mais lastimável sedição. Algumas de suas maquinações e intrigas serão registradas em folheto separado...”

A tábua profetizada por Habacuque é de rápida leitura e pode ser traduzida rapidamente para qualquer linguagem do mundo. Isso (o selo da verdade) irritou mais ainda Abdu’l’bahá quando estava escrevendo o seu testamento:

“...Tudo isso ele fez ...confessando-o de próprio punho, documento este lacrado com seu selo e difundido por todas as regiões...”

Lendo e divulgando a tábua de Habacuque pelo mundo, pedindo perdão a DEUS e aceitando o Senhor Jesus como salvador todos podem ser salvos:

A saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. (Romanos 10 : 9)

A grande Tribulação

Muitas serão as dificuldades para salvar as almas das pessoas. Não será fácil explicar por que o número 999 e igual a 666, que a rainha dos céus é um demônio, ou que o sinal da Besta é o demônio estrela renfã, que essa falsa glória de DEUS é a gloria do diabo, convencer os líderes Cristãos que ficaram rico usando o evangelho indevidamente estavam errados, que os noves líderes mundiais mais o anticristo são a besta de 10 chifres ou que o Papa não é um servo de DEUS.

Somente os dois profetas de DEUS, as suas duas oliveiras, serão capazes de converter a humanidade desse erro:

E darei poder às minhas duas testemunhas, e profetizarão por mil duzentos e sessenta dias, vestidas de saco. (Apocalipse 11 : 3)

Estes têm poder para fechar o céu, para que não chova, nos dias da sua profecia; e têm poder sobre as águas para convertê-las em sangue, e para ferir a terra com toda a sorte de pragas, todas quantas vezes quiserem. (Apocalipse 11 : 6)

Mas o preço da salvação aqui é a morte.

Referência:

The Will and Testament of 'Abdu'l-Bahá

Fonte:
Apocalipse Total

Convocação à Ação

É impossível evitar que a Nova Ordem Mundial de Bahá’u’lláh não se estabeleça na terra. Esse governo de origem satânica somente foi criado por que a humanidade se recusou a aceitar a Bíblia e os ensinamentos do Senhor Jesus como verdade absoluta. Também não foram poucas as pessoas que distorceram a palavra da verdade como: Alguns Evangélicos, Católicos, Espíritas, Teólogos, Maçons, praticantes de Cabala e isso seja por ganância, ignorância, prepotência ou práticas ocultistas.Em fim... o nome do Senhor Jesus nuca foi tão blasfemado como no final dos tempos.

Através da teoria da revelação progressiva, a fé Baha’i chegou ao ponto de nomear uma das sete cabeças da besta com o nome do Senhor Jesus. Devido a esse acontecimento, Ele precisou trocar o seu nome com descrito em Apocalipse 2:17.Em outra de suas blasfêmias contra o verdadeiro DEUS e ao Senhor Jesus, Bahá’u’lláh “canta” a sua vitória sobre a tribo de derrotados (os cristãos):

“Vede a confusão que sobreveio às tribos dos derrotados!' Por mais estupenda que seja a luta que Suas palavras prenunciam, elas dão também testemunho da completa vitória que os defensores do Máximo Nome estão finalmente destinados a alcançar”

Baha’u’llah (o Máximo Nome) está certo! Realmente foi um trabalho inútil lutar contra o seu governo, mas meu galardão está perante o meu DEUS:

Porém eu disse: Debalde tenho trabalhado, inútil e vãmente gastei as minhas forças; todavia o meu direito está perante o SENHOR, e o meu galardão perante o meu Deus. (Isaías 49 : 4)

Considerando que Baha’u’llah viveu no século 19, ele estava muito atrasado quando proferiu a blasfêmia acima! DEUS já tinha avisado que esse evento aconteceria por vota do ano 650 antes de cristo, através do profeta Daniel. Isso mostra apenas a superioridade infinita da palavra de DEUS:

Eu olhava, e eis que este chifre fazia guerra contra os santos, e prevaleceu contra eles. (Daniel 7 : 21)

Não se contentando com essa futura vitória, o líderes do seu governo prenderão e matarão por degolação milhares de pessoas:

Se alguém leva em cativeiro, em cativeiro irá; se alguém matar à espada, necessário é que à espada seja morto. Aqui está a paciência e a fé dos santos. (Apocalipse 13 : 10)

Existem apenas duas formas de conduzir a humanidade para a guilhotina que são:

1) A criação da federação mundial profetizada por Habacuque:

Tanto mais que, por ser dado ao vinho é desleal; homem soberbo que não permanecerá; que alarga como o inferno a sua alma; e é como a morte que não se farta, e ajunta a si todas as nações, e congrega a si todos os povos. (Habacuque 2 : 5)

2) E a revelação de Baha’u’llah profetizada pelo Apóstolo João:

A besta que viste foi e já não é, e há de subir do abismo, e irá à perdição; e os que habitam na terra (cujos nomes não estão escritos no livro da vida, desde a fundação do mundo) se admirarão, vendo a besta que era e já não é, mas que virá. (Apocalipse 17 : 8)

Mas também existem duas formas para escapar dessa ordem satânica que são:

O Arrebatamento

O arrebatamento acontecerá somente depois da apostasia (a criação da federação mundial) e a revelação de Baha’u’llah para a humanidade:

Ninguém de maneira alguma vos engane; porque não será assim sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição, (II Tessalonicenses 2 : 3)

Isso fará com que as pessoas fiquem completamente desorientadas clamando por uma solução. Habacuque descreve as pessoas nesse dia como cardumes de peixes sem um governo:

E por que farias os homens como os peixes do mar, como os répteis, que não têm quem os governe? (Habacuque 1 : 14)

Agora é só Baha’u’llah lançar o seu anzol (a federação mundial) com descrito mais adiante por Habacuque:

Ele a todos levantará com o anzol, apanhá-los-á com a sua rede, e os ajuntará na sua rede varredoura; por isso ele se alegrará e se regozijará. (Habacuque 1 : 15)

Devido a grande correria e desespero que cairá sobre todos aqueles que descobriram a verdade, não teremos tempo para explicar com detalhes o plano da nova ordem. Por isso será necessária uma comunicação rápida e objetiva. Essa foi a resposta de DEUS sobre a queixa de Habacuque:

Então o SENHOR me respondeu, e disse: Escreve a visão e torna bem legível sobre tábuas, para que a possa ler quem passa correndo. (Habacuque 2 : 2)

Deus permitiu aos seus sevos descobrirem muito antes toda a verdade sobre a nova ordem mundial. Além disso, o ápice do Apocalipse está em saber calcular com exatidão qual é o sinal, o nome e o número da besta.

Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento, calcule o número da besta; porque é o número de um homem, e o seu número é seiscentos e sessenta e seis. (Apocalipse 13 : 18)

Juntando o novo com o velho testamento, que é a maneira correta de interpretar a Bíblia, basta criar a tábua como descrito abaixo:

Esse acontecimento além de ser Bíblico, também está escrito no testamento de Abdu’l’bahá. Em uma passagem ela fala de alguém que se atreveu a ler as escrituras Bahá’is e mudou o sentido da interpretação:

“... não satisfeito com isso, se atreveu a interpolar Teu Livro, a alterar fraudulentamente Teu decisivo Texto Sagrado e falsificar o que fora revelado pela Tua Pena Toda-gloriosa..”

Em outra passagem. esse “atrevido e blasfemo” que estudou sobre a fé Bahá'i também maquinou projetos tentando pregar o evangelho de Cristo. E alguns de seus textos serão arquivados na Casa Universal de Justiça para uso futuro. Observe que Abdu’l’ diz “serão registradas” :

“...Desde o dia em que ele entrou de novo em nosso meio, porém, começou outra vez a espalhar as sementes das mais lastimável sedição. Algumas de suas maquinações e intrigas serão registradas em folheto separado...”

A tábua profetizada por Habacuque é de rápida leitura e pode ser traduzida rapidamente para qualquer linguagem do mundo. Isso (o selo da verdade) irritou mais ainda Abdu’l’bahá quando estava escrevendo o seu testamento:

“...Tudo isso ele fez ...confessando-o de próprio punho, documento este lacrado com seu selo e difundido por todas as regiões...”

Lendo e divulgando a tábua de Habacuque pelo mundo, pedindo perdão a DEUS e aceitando o Senhor Jesus como salvador todos podem ser salvos:

A saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. (Romanos 10 : 9)

A grande Tribulação

Muitas serão as dificuldades para salvar as almas das pessoas. Não será fácil explicar por que o número 999 e igual a 666, que a rainha dos céus é um demônio, ou que o sinal da Besta é o demônio estrela renfã, que essa falsa glória de DEUS é a gloria do diabo, convencer os líderes Cristãos que ficaram rico usando o evangelho indevidamente estavam errados, que os noves líderes mundiais mais o anticristo são a besta de 10 chifres ou que o Papa não é um servo de DEUS.

Somente os dois profetas de DEUS, as suas duas oliveiras, serão capazes de converter a humanidade desse erro:

E darei poder às minhas duas testemunhas, e profetizarão por mil duzentos e sessenta dias, vestidas de saco. (Apocalipse 11 : 3)

Estes têm poder para fechar o céu, para que não chova, nos dias da sua profecia; e têm poder sobre as águas para convertê-las em sangue, e para ferir a terra com toda a sorte de pragas, todas quantas vezes quiserem. (Apocalipse 11 : 6)

Mas o preço da salvação aqui é a morte.

Referência:

The Will and Testament of 'Abdu'l-Bahá

Fonte:
Apocalipse Total


Anos atrás, as Livrarias Batistas e a Junta de Escola Dominical da Convenção Batista do Sul dos Estados Unidos promoveram os "Ovos da Ressurreição" para comemorar a Páscoa! Isso mistura paganismo com a mais respeitada das celebrações cristãs, outro sinal que o fim dos tempos está sendo cumprido nas notícias do dia-a-dia.

Resumo da Notícia: "Ótimo para as Devoções Familiares: Ovos da Ressurreição. O que as folhinhas de calendário do Advento são para o Natal, esses ovos coloridos são para a Páscoa! Vem com guia de orientação para ajudá-lo a tornar cada objeto embutido em uma divertida experiência de aprendizado familiar."

Observe atentamente as abominações que essa figura contém. Celebrar a Páscoa com ovos vem diretamente do satanismo, como demonstraremos em instantes. Portanto, incentivar o uso de ovos de Páscoa para celebrar a ressurreição do Senhor é ligar o satanismo ao cristianismo, e é proibido nas Escrituras. Nessa figura, vemos que cada ovo contém um símbolo cristão em seu interior. Podemos ver mãos unidas em oração e uma cruz, como dois exemplos. O anúncio também menciona o Advento, outro festival pagão.

Em nenhum lugar na Bíblia recebemos a permissão de ligar as coisas do Senhor com as de Satanás. Vamos examinar estas proibições bíblicas:

1) "Não vos ponhais em jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas? E que concórdia há entre Cristo e o Belial? Ou que parte tem o fiel com o infiel? E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Porque vós sois o templo do Deus vivente, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. Por isso, saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; e não toqueis nada imundo, e eu vos receberei; e eu serei para vós Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-Poderoso." [2 Coríntios 6:14-18].

Embora esse verso seja mais freqüentemente citado no contexto do matrimônio, aplica-se com igual força a esta discussão. "Que sociedade tem a justiça com a injustiça?" Isso aplica-se perfeitamente a esta situação. Como podemos ligar o dia da Ressurreição, à celebração satânica da Páscoa, simbolizada pelo ovo?

"Que comunhão tem a luz com as trevas?" Uma vez que estudarmos como a celebração da Páscoa é satânica, e como os ovos estão ligados a essa celebração pagã, compreenderemos completamente que a Convenção Batista do Sul dos EUA está ligando a preciosa luz espiritual de Jesus Cristo com as trevas pagãs, com a escuridão impenetrável do satanismo.

"Que concórdia há entre Cristo e Belial?" Outra tradução aqui diz "Maligno". O Dicionário Bíblico Holman diz que "Belial" é um termo para Satanás, o Maligno. Em minha opinião, essa associação entre o dia da ressurreição e os ovos pagãos não é nada mais nada menos que "maligna", pois associa Jesus Cristo com Satanás.

"Ou que união do fiel com o infiel?" Pouquíssimos cristãos seriam tolos o suficiente para aceitar um convite para uma festa de Páscoa de um grupo de adoradores pagãos; porém, muitos comprarão esses ovos e os usarão como parte das cerimônias do Dia da Ressurreição, não percebendo que acabaram de aceitar um convite para celebrar como os pagãos celebram.

2) "Ninguém vos engane com palavras vãs; porque por estas coisas vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência. Portanto, não sejais seus companheiros. E não comuniqueis com as obras infrutuosas das trevas; mas antes condenai-as." [Efésios 5:6-7,11].

3) "Não é boa a vossa jactância. Não sabeis que um pouco de fermento faz levedar toda a massa? Alimpai-vos, pois, do fermento velho, para que sejais uma nova massa, assim como estais sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós." [1 Coríntios 5:6-7].

Nas Escrituras, o fermento simboliza o pecado ou as falsas doutrinas. O apóstolo Paulo está dizendo aqui que você não pode tolerar nem um pouquinho de falsa doutrina dentro da igreja; em vez disso, deve estar vigilante para manter a doutrina pura e lançar fora toda doutrina falsa assim que a encontrar. Em nenhuma circunstância deve tolerar a existência de falsa doutrina misturada com a verdadeira. No entanto, isso é exatamente o que a Igreja Católica Romana vem fazendo há séculos, e o que a igreja evangélica está fazendo mais e mais desde a Segunda Guerra Mundial. Imagine uma caneca de café na qual apenas uma gota de um poderoso veneno foi adicionada. Você ainda tem uma caneca de café, que parece, cheira e tem gosto de café; no entanto, você certamente morrerá se beber esse café. É exatamente desse modo que a falsa doutrina age quando é misturada com a verdadeira.

A situação que encontramos nessa promoção dos "Ovos da Ressurreição", uma mistura de falsas doutrinas pagãs com a pureza da doutrina cristã, é exatamente a mesma.

Agora, vamos examinar o quão realmente satânica e pagã é a celebração da Páscoa com ovos. Descobrimos um site para feiticeiros chamado "The Satanic Witch". que você pode encontrar em http://www.oocities.org/soho/lofts/6877/ [Advertência de A Espada do Espírito: Antes de você acessar um site sobre feitiçaria, deve estar totalmente equipado com a armadura de Deus (Efésios 6:10-20). Caso contrário, poderá receber influências dos símbolos satânicos ali exibidos.].

Antes de você acessar um site sobre feitiçaria, deve estar totalmente equipado com a armadura de Deus (Efésios 6:10-20). Caso contrário, poderá receber influências dos símbolos satânicos ali exibidos.].

Veja a descrição deles sobre a Páscoa e os ovos em suas celebrações pagãs:

"Ostara, também conhecido como A Primavera, ou Equinócio Vernal, o Festival das Árvores, Alban Eilir, Ostara, os Ritos da Primavera, e os Ritos de Eostre, ocorre entre 19 e 21 de março e marca o primeiro dia da verdadeira Primavera. Dia e noite são iguais nesse dia, daí o nome Equinócio. É observado pelos pagãos em todo o mundo. Para os praticantes de Wicca e os feiticeiros, Ostara é um festival da fertilidade que celebra o nascimento da Primavera e o despertar da vida na Terra... O Equinócio da Primavera foi cristianizado pela Igreja Romana como foi a maioria dos festivais pagãos da antiguidade. No primeiro domingo após a primeira lua cheia que segue o Equinócio (em inglês diz-se Eostre's Day, de onde deriva o nome Easter [Páscoa], os cristãos celebram seu feriado da Páscoa. O festival cristão comemora a ressurreição de Cristo, sincronizado com a Páscoa judaica, e misturado desde os primeiros anos do cristianismo com ritos pagãos europeus para uma estação renovada. É precedido por um período de ritos desenfreados da vegetação e por um período de abstinência chamado Quaresma."

Vamos fazer uma pausa aqui por um momento. Acabamos de aprender dos pagãos que o nome Easter (Páscoa, em inglês) veio da celebração pagã dos "Ritos de Eostre". O reverendo Alexander Hislop, escrevendo em seu livro monumental, The Two Babylons [leia a resenha], afirma que o nome Easter deriva da deusa Astarte [pág. 109]. Na realidade, ambos estão provavelmente corretos, pois os pagãos têm um histórico de adorar os mesmos deuses em diferentes terras com nomes diferentes.

Em seguida, esses feiticeiros acabam de nos dizer que a celebração da Quaresma é pagã. No entanto, hoje, vemos muitas igrejas cristãs celebrando a Quaresma, outro exemplo de associar o Senhor Jesus Cristo com Satanás. Não se deixe enganar por esses feriados pagãos que estão sendo trazidos para dentro das igrejas cristãs. Se sua igreja celebra a Quaresma, provavelmente é bom que comece a procurar outra igreja, que seja mais fiel aos fundamentos da fé. Se sua igreja hoje celebra a Quaresma, amanhã poderá vir a negar as verdades bíblicas, até que um dia deixará de ensinar a salvação pela graça por meio da fé.

Agora, vamos retornar à discussão sobre os ovos de Páscoa. Os feiticeiros continuam: "Acredita-se também que a humanidade adquiriu a idéia de tecer cestas observando os pássaros que preparam ninhos. Talvez seja essa a origem da associação entre os ovos de Páscoa coloridos e as cestas de Páscoa. Os ovos que aparecem na foto acima são uma coleção de Pysanky, os famosos ovos de Páscoa ucranianos, e são amuletos poderosos para fertilidade, prosperidade e proteção... Há muito simbolismo nos ovos. A gema representa o Deus Sol, e sua clara é vista como a Deusa Branca, e o ovo inteiro é um símbolo do renascimento."

Essa afirmação acima é a mais clara que você obterá de um pagão. Eles estão dizendo claramente que vêem o ovo como um símbolo sexual da união entre o Princípio Masculino, o deus Sol, com o Princípio Feminino, a deusa Branca.

Os satanistas vêem o ovo como um amuleto de fertilidade, prosperidade e proteção, ao mesmo tempo em que vêem a gema do ovo como um símbolo do deus Sol e a clara como a deusa Branca. Essa visão é consistente com a adoração pagã da criatura no lugar do criador [Romanos 1:25]. Eles vêem todo o universo em termos de Dualidade da Natureza, os princípios Feminino e Masculino, ou simplesmente como sexo. Essa é a visão que têm do ovo.

Vejamos agora o que o reverendo Hislop tem a dizer sobre a prática pagã dos ovos, pois ela existe há séculos. Prepare-se para um choque, e então pergunte como a denominação batista pode apoiar essa forma de satanismo!

"A origem dos ovos de Páscoa é também bem clara. Os antigos druidas carregavam um ovo como emblema sagrado de sua ordem. Na Dionisíaca, ou Mistérios de Dionísio [Baco], celebrado em Atenas, uma parte da cerimônia noturna consistia na consagração de um ovo. As fábulas hindus celebram seu ovo mundano como de uma cor dourada. O povo japonês fabrica ovos sagrados de bronze ou de latão. Na China... ovos pintados são usados em festivais sagrados. Nos tempos antigos, os ovos eram usados nos ritos religiosos dos egípcios e gregos, e eram pendurados para propósitos místicos nos templos... Os poetas clássicos falam da fábula do ovo místico dos babilônios... 'dizem que um ovo muito grande caiu do céu no rio Eufrates. Os peixes o levaram até a margem, e as pombas sentaram sobre ele e o chocaram. Assim nasceu Vênus, que mais tarde foi chamada de Deusa Síria, que é Astarte. Assim, o ovo tornou-se um dos símbolos de Astarte (de onde vem a palavra inglesa Easter, Páscoa) [Alexander Hislop, The Two Babylons: Papal Worship Proved to be the Worship of Nimrod and his Wife", págs. 108-109].

Agora que Hislop estabeleceu a grande adoração à deusa Astarte, por meio do ovo, ele então mostra a conexão com a Igreja Católica Romana. "Agora a Igreja Romana adotou esse ovo místico de Astarte, e o consagrou como um símbolo da ressurreição de Cristo. Uma forma de oração foi recomendada para ser usada em conexão com ela. O papa Paulo VI ensinou seus seguidores a orar assim na Páscoa: 'Abençoa, Senhor, nós te rogamos, estes ovos, para que se tornem um sustento para os teus servos, que comem lembrando do Senhor Jesus Cristo.' Durante as cerimônias com os ovos, os pagãos antigos os comiam no final.

Assim, a Igreja Católica adotou a prática mística inteiramente, apenas alterando os nomes dos deuses a quem estão orando! Essa tem sido a prática do Catolicismo Romano nos últimos 1500 anos, ou mais. Eles adotaram em sua prática religiosa muitas das doutrinas e dos rituais pagãos, acreditando que assim estariam tornando mais fáceis para os pagãos 'aceitar' o cristianismo. Os católicos também crêem erroneamente que podem pegar uma crença, ritual ou objeto pagão, satânico e 'cristianizá-lo', simplesmente proferindo alguma oração bem elaborada sobre ele! Essa crença não tem qualquer fundamento bíblico, pois em parte alguma é ensinada ou praticada. Na verdade, durante a história de Israel, sempre que um rei justo levantava-se para levar o povo a um reavivamento com Deus, imediatamente começava a destruir todos os ídolos, altares, templos e sacerdotes pagãos. Vamos examinar alguns exemplos bíblicos:

"Então todo o povo da terra entrou na casa de Baal, e a derrubaram; como também os seus altares, e as suas imagens, totalmente quebraram, e a Matã, sacerdote de Baal, mataram diante dos altares; então o sacerdote pôs oficiais sobre a casa do SENHOR." [2 Reis 11:18].

Observe que eles despedaçaram, isto é, derribaram completamente, todos os altares e imagens pagãos. Em outros casos nas Escrituras, vemos que os reis justos queimavam os objetos pagãos com fogo.

"Também o rei [Josias] derrubou os altares que estavam sobre o terraço do cenáculo de Acaz, os quais os reis de Judá tinham feito, como também o rei derrubou os altares que fizera Manassés nos dois átrios da casa do SENHOR; e esmiuçados os tirou dali e lançou o pó deles no ribeiro Cedrom. O rei profanou também os altos que estavam defronte de Jerusalém, à mão direita do monte de Masite, os quais edificara Salomão, rei de Israel, a Astarote, a abominação dos sidônios, e para Quemós, a abominação dos moabitas, e a Milcom, a abominação dos filhos de Amom. Semelhantemente quebrou as estátuas, cortou os bosques e encheu o seu lugar de ossos de homens." [2 Reis 23:12-14].

Nós o encorajamos a ler os dois livros dos Reis e os dois livros de Crônicas inteiros, observando atentamente os muitos casos em que Israel se desviou para a adoração de deuses falsos. Deus levantou reis justos para trazer Israel de volta à adoração a ele. Observe que em todos os tempos de reavivamento, o rei justo destruía completamente todos os ídolos, imagens, altares, templos e matava os sacerdotes judeus da religião pagã. Em nenhum exemplo o rei orava sobre os objetos pagãos, tentando purificá-los para que pudessem ser usados na adoração ao único Deus verdadeiro. Veja, Deus está tão preocupado em como é adorado quanto com o fato que as pessoas o adorem. O princípio de como lidar com objetos e práticas pagãs é descrito no Novo Testamento. Leia com atenção:

"De sorte que, se alguém se purificar destas coisas, será vaso para honra, santificado e idôneo para uso do Senhor, e preparado para toda a boa obra." [2 Timóteo 2:21].

Não vemos nenhuma orientação aqui para orar sobre o objeto imundo de modo a torná-lo útil para Jesus Cristo. Não, você vê a orientação para a separação do contato com as influências impuras, contaminadoras e corruptas. Em seguida, você pode ser usado pelo Mestre para as boas obras. Nunca, em toda a Bíblia, você encontrará um exemplo em que um líder justo orou sobre objetos pagãos para torná-los aceitáveis a Deus. Nem verá onde um líder justo permitiu que qualquer doutrina pagã fosse adotada no ensino religioso judaico, sob qualquer disfarce ou com seus nomes modificados. No entanto, a Igreja Católica Romana tem feito isso tudo nos últimos 1500 anos, ou mais, até o ponto em que os líderes evangélicos no início dos anos 1600, declararam que o paganismo com o qual a Igreja Católica tinha se saturado a tornava a candidata número 1 para ser a Igreja do Falso Profeta do livro do Apocalipse.

Então, hoje, vemos que o Plano da Nova Ordem Mundial nomeia o papa como o novo líder da igreja do vindouro Cristo da Nova Era [Anticristo]. (Veja nosso relatório no artigo N1052, não-traduzido). No artigo N1161, mostramos que o papa aceitou a marca paralela tradicional de Shiva [ou Xiva] em sua fronte, de uma sacerdotisa, em sua viagem à Índia. A escrita está na parede para todos os católicos verem: sua igreja é a igreja do Falso Profeta, e seu papa será o Falso Profeta. Como tudo isso aconteceu? Aconteceu porque o Catolicismo Romano adotou muitas práticas e crenças pagãs nos últimos 1500 anos.

Como a Convenção Batista do Sul dos EUA chegou ao ponto de anunciar os "Ovos da Ressurreição" em conexão com as celebrações de Páscoa?

Primeiro, desde o início do século, a Convenção Batista do Sul luta com a questão da Maçonaria. Quando os Batistas Americanos se dividiram dos Batistas do Sul, uma das questões de contenção era que os batistas sulistas permitiam a Maçonaria em suas fileiras e ocupando seus púlpitos. Já está provado que a tolerância ao paganismo da Maçonaria é desastrosa. Essa promoção dos "Ovos da Ressurreição" é apenas mais um exemplo da mistura de paganismo com cristianismo. Os pagãos não têm dificuldade com o conceito de "renascimento", pois o celebram em todas as primaveras; também não têm problemas em acreditar na reencarnação do espírito humano, outro tipo de ressurreição. No que eles têm imensa dificuldade em acreditar é que Jesus Cristo era 100% homem e 100% Deus ao mesmo tempo, e que morreu de verdade, esteve enterrado por três dias e que ressuscitou.

Segundo, os batistas sulistas desviaram-se de muitos princípios bíblicos, incluindo o princípio da separação das pessoas e das práticas más. Podemos facilmente compreender quão importante é para uma pessoa que está doente com uma doença contagiosa ficar em quarentena para evitar a contaminação das pessoas saudáveis, mas aparentemente, não compreendemos que esse princípio aplica-se igualmente às questões espirituais. Veja o que a Palavra de Deus tem a dizer sobre esse assunto:

"Se alguém vem ter convosco e não traz esta doutrina, não o recebais em casa, nem tampouco o saudeis. Porque quem o saúda tem parte nas suas obras más." [2 João 10-11].

Aqui, somos orientados a não nos associarmos com qualquer pessoa que não se mantém fiel à doutrina de Jesus Cristo, a não recebê-la em nossas casas, e nem mesmo saudá-la. Oferecer um simples cumprimento a um apóstata torna-nos participantes de suas obras más. Exortamos a todos que estão atualmente envolvidos em atividades ecumênicas, incluindo os Promise Keepers: vocês estão envolvidos com organizações que não mantêm puras as doutrinas do evangelho de Jesus Cristo e precisam deixá-las! Agora!

Terceiro, a Convenção Batista do Sul chegou a esse ponto de promover a mistura do paganismo com o cristianismo porque vivemos no fim dos tempos, quando a profecia bíblica diz que a igreja cristã apostatará. A definição de apostasia é "afastamento deliberado das doutrinas e crenças que antes eram mantidas e defendidas com firmeza". Veja o que diz a Escritura:

"Ora, irmãos, rogamo-vos, pela vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, e pela nossa reunião com ele, que não vos movais facilmente do vosso entendimento, nem vos perturbeis, quer por espírito, quer por palavra, quer por epístola, como de nós, como se o dia de Cristo estivesse já perto. Ninguém de maneira alguma vos engane; porque não será assim sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição, o qual se opõe, e se levanta contra tudo o que se chama Deus, ou se adora; de sorte que se assentará, como Deus, no templo de Deus, querendo parecer Deus." [2 Tessalonicenses 2:1-4].

Em seguida, no verso 6, Paulo conclui o assunto "E agora vós sabeis o que o detém, para que a seu próprio tempo seja manifestado."

Recomendamos que você estude atentamente essa Escritura. Nessa profecia, Paulo revela vários elementos importantes que vemos nas notícias do dia-a-dia. Vamos revistar esses princípios:

O Anticristo sempre esteve pronto para se manifestar, até mesmo ao tempo do apóstolo Paulo.

O Espírito Santo, trabalhando por meio da igreja cristã, sempre atuou restringindo esse desejo do Anticristo de se manifestar.

Enquanto a igreja cristã permanecer fiel aos ensinos da Bíblia, o Anticristo não poderá aparecer.

Um dos sinais do fim dos tempos é que a igreja cristã entrará em um processo de apostasia, e passará a repudiar as doutrinas que sempre defendeu.

Depois disso, o Anticristo poderá se manifestar. Assim que o poder efetivo da igreja cristã estiver enfraquecido, então devemos ver uma ascensão correspondente nos preparativos ocultistas para o aparecimento do Anticristo! A profunda e prolongada apostasia da igreja cristã começou no início do século XX, mas foi realmente colocada em marcha com a fundação do Conselho Mundial de Igrejas. Consistentemente, em todas as décadas em que essa apostasia estava ocorrendo, os escritos ocultistas refletiam tremenda energia direcionada para mudar o mundo para uma situação em que o Anticristo possa entrar em cena! O plano que está sendo defendido cumpre as profecias bíblicas de forma bem precisa. Além disso, desde 1975 vemos escritos que estão entusiasticamente apontando para o breve aparecimento do Cristo da Nova Era, o Anticristo bíblico.

Finalmente, quando ocorrer o arrebatamento da igreja, o Anticristo poderá aparecer.

Ele terá uma grande dívida de gratidão com todas as igrejas que se afastaram da fé. Portanto, qualquer líder que faça parte do Movimento Ecumênico está preparando o caminho para o Anticristo! Qualquer membro de igreja que prestigie reuniões, passeatas, ou concentrações ecumênicas também está preparando o cenário para o Anticristo aparecer.

Finalmente, a Convenção Batista do Sul dos EUA aderiu oficialmente ao grupo de igrejas cristãs apóstatas. Essa é a verdadeira razão por que sua Junta de Escola Dominical pôde tão facilmente misturar satanismo e cristianismo nessa promoção dos "Ovos da Ressurreição".

Esse acontecimento chocante aponta claramente para o fim dos tempos. Ele mostra a gravidade da apostasia da igreja cristã, um dos sinais mais claros do fim dos tempos.

Fonte:
Espada

A Apostasia nas Igrejas Evangélicas Atinge Novas Proporções — Outro Sinal Que o Fim dos Tempos Está Próximo


Anos atrás, as Livrarias Batistas e a Junta de Escola Dominical da Convenção Batista do Sul dos Estados Unidos promoveram os "Ovos da Ressurreição" para comemorar a Páscoa! Isso mistura paganismo com a mais respeitada das celebrações cristãs, outro sinal que o fim dos tempos está sendo cumprido nas notícias do dia-a-dia.

Resumo da Notícia: "Ótimo para as Devoções Familiares: Ovos da Ressurreição. O que as folhinhas de calendário do Advento são para o Natal, esses ovos coloridos são para a Páscoa! Vem com guia de orientação para ajudá-lo a tornar cada objeto embutido em uma divertida experiência de aprendizado familiar."

Observe atentamente as abominações que essa figura contém. Celebrar a Páscoa com ovos vem diretamente do satanismo, como demonstraremos em instantes. Portanto, incentivar o uso de ovos de Páscoa para celebrar a ressurreição do Senhor é ligar o satanismo ao cristianismo, e é proibido nas Escrituras. Nessa figura, vemos que cada ovo contém um símbolo cristão em seu interior. Podemos ver mãos unidas em oração e uma cruz, como dois exemplos. O anúncio também menciona o Advento, outro festival pagão.

Em nenhum lugar na Bíblia recebemos a permissão de ligar as coisas do Senhor com as de Satanás. Vamos examinar estas proibições bíblicas:

1) "Não vos ponhais em jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas? E que concórdia há entre Cristo e o Belial? Ou que parte tem o fiel com o infiel? E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Porque vós sois o templo do Deus vivente, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. Por isso, saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; e não toqueis nada imundo, e eu vos receberei; e eu serei para vós Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-Poderoso." [2 Coríntios 6:14-18].

Embora esse verso seja mais freqüentemente citado no contexto do matrimônio, aplica-se com igual força a esta discussão. "Que sociedade tem a justiça com a injustiça?" Isso aplica-se perfeitamente a esta situação. Como podemos ligar o dia da Ressurreição, à celebração satânica da Páscoa, simbolizada pelo ovo?

"Que comunhão tem a luz com as trevas?" Uma vez que estudarmos como a celebração da Páscoa é satânica, e como os ovos estão ligados a essa celebração pagã, compreenderemos completamente que a Convenção Batista do Sul dos EUA está ligando a preciosa luz espiritual de Jesus Cristo com as trevas pagãs, com a escuridão impenetrável do satanismo.

"Que concórdia há entre Cristo e Belial?" Outra tradução aqui diz "Maligno". O Dicionário Bíblico Holman diz que "Belial" é um termo para Satanás, o Maligno. Em minha opinião, essa associação entre o dia da ressurreição e os ovos pagãos não é nada mais nada menos que "maligna", pois associa Jesus Cristo com Satanás.

"Ou que união do fiel com o infiel?" Pouquíssimos cristãos seriam tolos o suficiente para aceitar um convite para uma festa de Páscoa de um grupo de adoradores pagãos; porém, muitos comprarão esses ovos e os usarão como parte das cerimônias do Dia da Ressurreição, não percebendo que acabaram de aceitar um convite para celebrar como os pagãos celebram.

2) "Ninguém vos engane com palavras vãs; porque por estas coisas vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência. Portanto, não sejais seus companheiros. E não comuniqueis com as obras infrutuosas das trevas; mas antes condenai-as." [Efésios 5:6-7,11].

3) "Não é boa a vossa jactância. Não sabeis que um pouco de fermento faz levedar toda a massa? Alimpai-vos, pois, do fermento velho, para que sejais uma nova massa, assim como estais sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós." [1 Coríntios 5:6-7].

Nas Escrituras, o fermento simboliza o pecado ou as falsas doutrinas. O apóstolo Paulo está dizendo aqui que você não pode tolerar nem um pouquinho de falsa doutrina dentro da igreja; em vez disso, deve estar vigilante para manter a doutrina pura e lançar fora toda doutrina falsa assim que a encontrar. Em nenhuma circunstância deve tolerar a existência de falsa doutrina misturada com a verdadeira. No entanto, isso é exatamente o que a Igreja Católica Romana vem fazendo há séculos, e o que a igreja evangélica está fazendo mais e mais desde a Segunda Guerra Mundial. Imagine uma caneca de café na qual apenas uma gota de um poderoso veneno foi adicionada. Você ainda tem uma caneca de café, que parece, cheira e tem gosto de café; no entanto, você certamente morrerá se beber esse café. É exatamente desse modo que a falsa doutrina age quando é misturada com a verdadeira.

A situação que encontramos nessa promoção dos "Ovos da Ressurreição", uma mistura de falsas doutrinas pagãs com a pureza da doutrina cristã, é exatamente a mesma.

Agora, vamos examinar o quão realmente satânica e pagã é a celebração da Páscoa com ovos. Descobrimos um site para feiticeiros chamado "The Satanic Witch". que você pode encontrar em http://www.oocities.org/soho/lofts/6877/ [Advertência de A Espada do Espírito: Antes de você acessar um site sobre feitiçaria, deve estar totalmente equipado com a armadura de Deus (Efésios 6:10-20). Caso contrário, poderá receber influências dos símbolos satânicos ali exibidos.].

Antes de você acessar um site sobre feitiçaria, deve estar totalmente equipado com a armadura de Deus (Efésios 6:10-20). Caso contrário, poderá receber influências dos símbolos satânicos ali exibidos.].

Veja a descrição deles sobre a Páscoa e os ovos em suas celebrações pagãs:

"Ostara, também conhecido como A Primavera, ou Equinócio Vernal, o Festival das Árvores, Alban Eilir, Ostara, os Ritos da Primavera, e os Ritos de Eostre, ocorre entre 19 e 21 de março e marca o primeiro dia da verdadeira Primavera. Dia e noite são iguais nesse dia, daí o nome Equinócio. É observado pelos pagãos em todo o mundo. Para os praticantes de Wicca e os feiticeiros, Ostara é um festival da fertilidade que celebra o nascimento da Primavera e o despertar da vida na Terra... O Equinócio da Primavera foi cristianizado pela Igreja Romana como foi a maioria dos festivais pagãos da antiguidade. No primeiro domingo após a primeira lua cheia que segue o Equinócio (em inglês diz-se Eostre's Day, de onde deriva o nome Easter [Páscoa], os cristãos celebram seu feriado da Páscoa. O festival cristão comemora a ressurreição de Cristo, sincronizado com a Páscoa judaica, e misturado desde os primeiros anos do cristianismo com ritos pagãos europeus para uma estação renovada. É precedido por um período de ritos desenfreados da vegetação e por um período de abstinência chamado Quaresma."

Vamos fazer uma pausa aqui por um momento. Acabamos de aprender dos pagãos que o nome Easter (Páscoa, em inglês) veio da celebração pagã dos "Ritos de Eostre". O reverendo Alexander Hislop, escrevendo em seu livro monumental, The Two Babylons [leia a resenha], afirma que o nome Easter deriva da deusa Astarte [pág. 109]. Na realidade, ambos estão provavelmente corretos, pois os pagãos têm um histórico de adorar os mesmos deuses em diferentes terras com nomes diferentes.

Em seguida, esses feiticeiros acabam de nos dizer que a celebração da Quaresma é pagã. No entanto, hoje, vemos muitas igrejas cristãs celebrando a Quaresma, outro exemplo de associar o Senhor Jesus Cristo com Satanás. Não se deixe enganar por esses feriados pagãos que estão sendo trazidos para dentro das igrejas cristãs. Se sua igreja celebra a Quaresma, provavelmente é bom que comece a procurar outra igreja, que seja mais fiel aos fundamentos da fé. Se sua igreja hoje celebra a Quaresma, amanhã poderá vir a negar as verdades bíblicas, até que um dia deixará de ensinar a salvação pela graça por meio da fé.

Agora, vamos retornar à discussão sobre os ovos de Páscoa. Os feiticeiros continuam: "Acredita-se também que a humanidade adquiriu a idéia de tecer cestas observando os pássaros que preparam ninhos. Talvez seja essa a origem da associação entre os ovos de Páscoa coloridos e as cestas de Páscoa. Os ovos que aparecem na foto acima são uma coleção de Pysanky, os famosos ovos de Páscoa ucranianos, e são amuletos poderosos para fertilidade, prosperidade e proteção... Há muito simbolismo nos ovos. A gema representa o Deus Sol, e sua clara é vista como a Deusa Branca, e o ovo inteiro é um símbolo do renascimento."

Essa afirmação acima é a mais clara que você obterá de um pagão. Eles estão dizendo claramente que vêem o ovo como um símbolo sexual da união entre o Princípio Masculino, o deus Sol, com o Princípio Feminino, a deusa Branca.

Os satanistas vêem o ovo como um amuleto de fertilidade, prosperidade e proteção, ao mesmo tempo em que vêem a gema do ovo como um símbolo do deus Sol e a clara como a deusa Branca. Essa visão é consistente com a adoração pagã da criatura no lugar do criador [Romanos 1:25]. Eles vêem todo o universo em termos de Dualidade da Natureza, os princípios Feminino e Masculino, ou simplesmente como sexo. Essa é a visão que têm do ovo.

Vejamos agora o que o reverendo Hislop tem a dizer sobre a prática pagã dos ovos, pois ela existe há séculos. Prepare-se para um choque, e então pergunte como a denominação batista pode apoiar essa forma de satanismo!

"A origem dos ovos de Páscoa é também bem clara. Os antigos druidas carregavam um ovo como emblema sagrado de sua ordem. Na Dionisíaca, ou Mistérios de Dionísio [Baco], celebrado em Atenas, uma parte da cerimônia noturna consistia na consagração de um ovo. As fábulas hindus celebram seu ovo mundano como de uma cor dourada. O povo japonês fabrica ovos sagrados de bronze ou de latão. Na China... ovos pintados são usados em festivais sagrados. Nos tempos antigos, os ovos eram usados nos ritos religiosos dos egípcios e gregos, e eram pendurados para propósitos místicos nos templos... Os poetas clássicos falam da fábula do ovo místico dos babilônios... 'dizem que um ovo muito grande caiu do céu no rio Eufrates. Os peixes o levaram até a margem, e as pombas sentaram sobre ele e o chocaram. Assim nasceu Vênus, que mais tarde foi chamada de Deusa Síria, que é Astarte. Assim, o ovo tornou-se um dos símbolos de Astarte (de onde vem a palavra inglesa Easter, Páscoa) [Alexander Hislop, The Two Babylons: Papal Worship Proved to be the Worship of Nimrod and his Wife", págs. 108-109].

Agora que Hislop estabeleceu a grande adoração à deusa Astarte, por meio do ovo, ele então mostra a conexão com a Igreja Católica Romana. "Agora a Igreja Romana adotou esse ovo místico de Astarte, e o consagrou como um símbolo da ressurreição de Cristo. Uma forma de oração foi recomendada para ser usada em conexão com ela. O papa Paulo VI ensinou seus seguidores a orar assim na Páscoa: 'Abençoa, Senhor, nós te rogamos, estes ovos, para que se tornem um sustento para os teus servos, que comem lembrando do Senhor Jesus Cristo.' Durante as cerimônias com os ovos, os pagãos antigos os comiam no final.

Assim, a Igreja Católica adotou a prática mística inteiramente, apenas alterando os nomes dos deuses a quem estão orando! Essa tem sido a prática do Catolicismo Romano nos últimos 1500 anos, ou mais. Eles adotaram em sua prática religiosa muitas das doutrinas e dos rituais pagãos, acreditando que assim estariam tornando mais fáceis para os pagãos 'aceitar' o cristianismo. Os católicos também crêem erroneamente que podem pegar uma crença, ritual ou objeto pagão, satânico e 'cristianizá-lo', simplesmente proferindo alguma oração bem elaborada sobre ele! Essa crença não tem qualquer fundamento bíblico, pois em parte alguma é ensinada ou praticada. Na verdade, durante a história de Israel, sempre que um rei justo levantava-se para levar o povo a um reavivamento com Deus, imediatamente começava a destruir todos os ídolos, altares, templos e sacerdotes pagãos. Vamos examinar alguns exemplos bíblicos:

"Então todo o povo da terra entrou na casa de Baal, e a derrubaram; como também os seus altares, e as suas imagens, totalmente quebraram, e a Matã, sacerdote de Baal, mataram diante dos altares; então o sacerdote pôs oficiais sobre a casa do SENHOR." [2 Reis 11:18].

Observe que eles despedaçaram, isto é, derribaram completamente, todos os altares e imagens pagãos. Em outros casos nas Escrituras, vemos que os reis justos queimavam os objetos pagãos com fogo.

"Também o rei [Josias] derrubou os altares que estavam sobre o terraço do cenáculo de Acaz, os quais os reis de Judá tinham feito, como também o rei derrubou os altares que fizera Manassés nos dois átrios da casa do SENHOR; e esmiuçados os tirou dali e lançou o pó deles no ribeiro Cedrom. O rei profanou também os altos que estavam defronte de Jerusalém, à mão direita do monte de Masite, os quais edificara Salomão, rei de Israel, a Astarote, a abominação dos sidônios, e para Quemós, a abominação dos moabitas, e a Milcom, a abominação dos filhos de Amom. Semelhantemente quebrou as estátuas, cortou os bosques e encheu o seu lugar de ossos de homens." [2 Reis 23:12-14].

Nós o encorajamos a ler os dois livros dos Reis e os dois livros de Crônicas inteiros, observando atentamente os muitos casos em que Israel se desviou para a adoração de deuses falsos. Deus levantou reis justos para trazer Israel de volta à adoração a ele. Observe que em todos os tempos de reavivamento, o rei justo destruía completamente todos os ídolos, imagens, altares, templos e matava os sacerdotes judeus da religião pagã. Em nenhum exemplo o rei orava sobre os objetos pagãos, tentando purificá-los para que pudessem ser usados na adoração ao único Deus verdadeiro. Veja, Deus está tão preocupado em como é adorado quanto com o fato que as pessoas o adorem. O princípio de como lidar com objetos e práticas pagãs é descrito no Novo Testamento. Leia com atenção:

"De sorte que, se alguém se purificar destas coisas, será vaso para honra, santificado e idôneo para uso do Senhor, e preparado para toda a boa obra." [2 Timóteo 2:21].

Não vemos nenhuma orientação aqui para orar sobre o objeto imundo de modo a torná-lo útil para Jesus Cristo. Não, você vê a orientação para a separação do contato com as influências impuras, contaminadoras e corruptas. Em seguida, você pode ser usado pelo Mestre para as boas obras. Nunca, em toda a Bíblia, você encontrará um exemplo em que um líder justo orou sobre objetos pagãos para torná-los aceitáveis a Deus. Nem verá onde um líder justo permitiu que qualquer doutrina pagã fosse adotada no ensino religioso judaico, sob qualquer disfarce ou com seus nomes modificados. No entanto, a Igreja Católica Romana tem feito isso tudo nos últimos 1500 anos, ou mais, até o ponto em que os líderes evangélicos no início dos anos 1600, declararam que o paganismo com o qual a Igreja Católica tinha se saturado a tornava a candidata número 1 para ser a Igreja do Falso Profeta do livro do Apocalipse.

Então, hoje, vemos que o Plano da Nova Ordem Mundial nomeia o papa como o novo líder da igreja do vindouro Cristo da Nova Era [Anticristo]. (Veja nosso relatório no artigo N1052, não-traduzido). No artigo N1161, mostramos que o papa aceitou a marca paralela tradicional de Shiva [ou Xiva] em sua fronte, de uma sacerdotisa, em sua viagem à Índia. A escrita está na parede para todos os católicos verem: sua igreja é a igreja do Falso Profeta, e seu papa será o Falso Profeta. Como tudo isso aconteceu? Aconteceu porque o Catolicismo Romano adotou muitas práticas e crenças pagãs nos últimos 1500 anos.

Como a Convenção Batista do Sul dos EUA chegou ao ponto de anunciar os "Ovos da Ressurreição" em conexão com as celebrações de Páscoa?

Primeiro, desde o início do século, a Convenção Batista do Sul luta com a questão da Maçonaria. Quando os Batistas Americanos se dividiram dos Batistas do Sul, uma das questões de contenção era que os batistas sulistas permitiam a Maçonaria em suas fileiras e ocupando seus púlpitos. Já está provado que a tolerância ao paganismo da Maçonaria é desastrosa. Essa promoção dos "Ovos da Ressurreição" é apenas mais um exemplo da mistura de paganismo com cristianismo. Os pagãos não têm dificuldade com o conceito de "renascimento", pois o celebram em todas as primaveras; também não têm problemas em acreditar na reencarnação do espírito humano, outro tipo de ressurreição. No que eles têm imensa dificuldade em acreditar é que Jesus Cristo era 100% homem e 100% Deus ao mesmo tempo, e que morreu de verdade, esteve enterrado por três dias e que ressuscitou.

Segundo, os batistas sulistas desviaram-se de muitos princípios bíblicos, incluindo o princípio da separação das pessoas e das práticas más. Podemos facilmente compreender quão importante é para uma pessoa que está doente com uma doença contagiosa ficar em quarentena para evitar a contaminação das pessoas saudáveis, mas aparentemente, não compreendemos que esse princípio aplica-se igualmente às questões espirituais. Veja o que a Palavra de Deus tem a dizer sobre esse assunto:

"Se alguém vem ter convosco e não traz esta doutrina, não o recebais em casa, nem tampouco o saudeis. Porque quem o saúda tem parte nas suas obras más." [2 João 10-11].

Aqui, somos orientados a não nos associarmos com qualquer pessoa que não se mantém fiel à doutrina de Jesus Cristo, a não recebê-la em nossas casas, e nem mesmo saudá-la. Oferecer um simples cumprimento a um apóstata torna-nos participantes de suas obras más. Exortamos a todos que estão atualmente envolvidos em atividades ecumênicas, incluindo os Promise Keepers: vocês estão envolvidos com organizações que não mantêm puras as doutrinas do evangelho de Jesus Cristo e precisam deixá-las! Agora!

Terceiro, a Convenção Batista do Sul chegou a esse ponto de promover a mistura do paganismo com o cristianismo porque vivemos no fim dos tempos, quando a profecia bíblica diz que a igreja cristã apostatará. A definição de apostasia é "afastamento deliberado das doutrinas e crenças que antes eram mantidas e defendidas com firmeza". Veja o que diz a Escritura:

"Ora, irmãos, rogamo-vos, pela vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, e pela nossa reunião com ele, que não vos movais facilmente do vosso entendimento, nem vos perturbeis, quer por espírito, quer por palavra, quer por epístola, como de nós, como se o dia de Cristo estivesse já perto. Ninguém de maneira alguma vos engane; porque não será assim sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição, o qual se opõe, e se levanta contra tudo o que se chama Deus, ou se adora; de sorte que se assentará, como Deus, no templo de Deus, querendo parecer Deus." [2 Tessalonicenses 2:1-4].

Em seguida, no verso 6, Paulo conclui o assunto "E agora vós sabeis o que o detém, para que a seu próprio tempo seja manifestado."

Recomendamos que você estude atentamente essa Escritura. Nessa profecia, Paulo revela vários elementos importantes que vemos nas notícias do dia-a-dia. Vamos revistar esses princípios:

O Anticristo sempre esteve pronto para se manifestar, até mesmo ao tempo do apóstolo Paulo.

O Espírito Santo, trabalhando por meio da igreja cristã, sempre atuou restringindo esse desejo do Anticristo de se manifestar.

Enquanto a igreja cristã permanecer fiel aos ensinos da Bíblia, o Anticristo não poderá aparecer.

Um dos sinais do fim dos tempos é que a igreja cristã entrará em um processo de apostasia, e passará a repudiar as doutrinas que sempre defendeu.

Depois disso, o Anticristo poderá se manifestar. Assim que o poder efetivo da igreja cristã estiver enfraquecido, então devemos ver uma ascensão correspondente nos preparativos ocultistas para o aparecimento do Anticristo! A profunda e prolongada apostasia da igreja cristã começou no início do século XX, mas foi realmente colocada em marcha com a fundação do Conselho Mundial de Igrejas. Consistentemente, em todas as décadas em que essa apostasia estava ocorrendo, os escritos ocultistas refletiam tremenda energia direcionada para mudar o mundo para uma situação em que o Anticristo possa entrar em cena! O plano que está sendo defendido cumpre as profecias bíblicas de forma bem precisa. Além disso, desde 1975 vemos escritos que estão entusiasticamente apontando para o breve aparecimento do Cristo da Nova Era, o Anticristo bíblico.

Finalmente, quando ocorrer o arrebatamento da igreja, o Anticristo poderá aparecer.

Ele terá uma grande dívida de gratidão com todas as igrejas que se afastaram da fé. Portanto, qualquer líder que faça parte do Movimento Ecumênico está preparando o caminho para o Anticristo! Qualquer membro de igreja que prestigie reuniões, passeatas, ou concentrações ecumênicas também está preparando o cenário para o Anticristo aparecer.

Finalmente, a Convenção Batista do Sul dos EUA aderiu oficialmente ao grupo de igrejas cristãs apóstatas. Essa é a verdadeira razão por que sua Junta de Escola Dominical pôde tão facilmente misturar satanismo e cristianismo nessa promoção dos "Ovos da Ressurreição".

Esse acontecimento chocante aponta claramente para o fim dos tempos. Ele mostra a gravidade da apostasia da igreja cristã, um dos sinais mais claros do fim dos tempos.

Fonte:
Espada

Papa Francisco havia dito que mesmo os ateus podem se salvar, desde que realizem boas ações

Imagine todas as pessoas vivendo a vida em paz, diria o músico John Lennon, repleto de utopia em sua célebre canção. Hoje, a realidade se torna um passo mais próxima deste ideal. O motivo é tanto inédito, quanto surpreendente: o Papa Francisco declarou que “o Senhor redimiu todos nós, todos nós, com o Sangue de Cristo: todos nós, não apenas católicos. Todo mundo!… até mesmo os ateus. Todos!”.

No dia 22 de maio de 2013, o líder da Igreja Católica, que atualmente agrega cerca de 1.2 bilhões de fiéis, pregou que todos nós temos direito a um “pedacinho no céu”, enquanto fizermos o bem. A declaração foi feita em sua homilia matinal, realizada em Roma e sem o auxílio de textos pré preparados. Durante a missa, para melhor explicar o contexto de sua pregação, o Papa utilizou um trecho do Evangelho de Marcos¹ , no qual Jesus é questionado e explica aos seus discípulos acerca do exorcismo de demônios praticado por não seguidores.

(…) E João lhe respondeu, dizendo: Mestre, vimos um que em teu nome expulsava demônios, o qual não nos segue; e nós lho proibimos, porque não nos segue.

Jesus, porém, disse: Não lho proibais; porque ninguém há que faça milagre em meu nome e possa logo falar mal de mim.

Porque quem não é contra nós, é por nós.

É com grande bravura que o discurso do Papa foi feito, pois, para os mais ortodoxos, pode ser tomado como afronta, algo ilógico. Para tais fiéis, seria impróprio pensar que aqueles que não seguem as Sagradas Escrituras adequadamente deveriam ir para o Céu. Dessa forma, existe o risco eminente do questionamento por parte dos mesmos, tanto da autoridade papal, quanto do teor de seus discursos, o que pode impactar, também, na perda destes fiéis.

As implicações são diversas. As afirmações tem um grande apelo perante o público. Ao dizer “todos”, o papa agregou no mesmo barco não só católicos, como também budistas, muçulmanos, luteranos, judeus, espíritas, agnósticos, muçulmanos, entre outros. Isso provavelmente renderá a simpatia de humanistas e trará tranquilidade aos ateus e céticos, não por necessariamente se importarem com a redenção oferecida, mas porque conceberá a eles, certamente, maior aceitação perante a sociedade, o que culminará em menor preconceito sofrido; ponto extremamente relevante, que contribuirá para separar a imagem, hoje quase obrigatória, de que religião mede caráter.

Afetará até mesmo muitos católicos que, por serem menos praticantes de seus afazeres perante a Igreja, se vêem em constante conflito interno. Não são raras as vezes que um homem segue um costume religioso por obrigação ou temor às leis de Deus, pregadas por sua Igreja. No entando, agora a máxima é, nas palavras de Papa Francisco, “apenas seja bom e nós acharemos um ponto de encontro”.

Então, eis que a questão extrapola, em sua essência, o conceito de Céu ou Inferno. A mensagem maior acaba sendo o caminho e não o fim para o qual se dirige. O que importa, na verdade, é que o resultado se torne a propagação de boas ações perante o próximo e com isso a constituição de um mundo melhor de se viver; algo que vem sendo pregado na Bíblia Sagrada há séculos, através das sábias palavras de Cristo²: “amai-vos uns aos outros como eu vos amei”. Por isso, senhor Papa, eu, como ateu e acima de tudo ser humano, admiro a coragem que teve de ser verdadeiramente cristão.

p.s: É interessante ver que o Papa está sendo bastante cauteloso em suas declarações, mesmo que sejam, aos olhos dos ortodoxos, “coisas absurdas”. Ele não vem colocando muito alarde, cuidando bastante da maneira que faz as devidas declarações. E esse, aparentemente, é um ponto de equilíbrio, que vem costurando crenças e pessoas diferentes. Por exemplo: Papa Francisco é defensor da união civil homossexual, afirma ny times

[ATUALIZADO 29/05]:

Dias após o discurso do Papa Francisco, o Vaticano lançou uma nota explicativa sobre a salvação dos ateus. Segundo um dos porta-vozes, Thomas Rosica, aqueles que tomaram conhecimento sobre a Igreja Católica “não poderão ser salvos” caso “recusem a entrar ou lá permanecer”. Isso contradiz o que o Papa havia dito sobre a salvação de todos. Porém, sua mensagem ainda permanece, devemos ser bons e fazer o bem para o próximo. Portanto, ateus, estamos novamente fadados ao fogo eterno – o lado bom é que não acreditamos em Inferno, de qualquer maneira.

Fontes:
Pagmatismo Politico , Litera Tortura , Radio Vaticana

Papa Francisco: “não é problema” ser ateísta, contanto que você “seja bom.”

Papa Francisco havia dito que mesmo os ateus podem se salvar, desde que realizem boas ações

Imagine todas as pessoas vivendo a vida em paz, diria o músico John Lennon, repleto de utopia em sua célebre canção. Hoje, a realidade se torna um passo mais próxima deste ideal. O motivo é tanto inédito, quanto surpreendente: o Papa Francisco declarou que “o Senhor redimiu todos nós, todos nós, com o Sangue de Cristo: todos nós, não apenas católicos. Todo mundo!… até mesmo os ateus. Todos!”.

No dia 22 de maio de 2013, o líder da Igreja Católica, que atualmente agrega cerca de 1.2 bilhões de fiéis, pregou que todos nós temos direito a um “pedacinho no céu”, enquanto fizermos o bem. A declaração foi feita em sua homilia matinal, realizada em Roma e sem o auxílio de textos pré preparados. Durante a missa, para melhor explicar o contexto de sua pregação, o Papa utilizou um trecho do Evangelho de Marcos¹ , no qual Jesus é questionado e explica aos seus discípulos acerca do exorcismo de demônios praticado por não seguidores.

(…) E João lhe respondeu, dizendo: Mestre, vimos um que em teu nome expulsava demônios, o qual não nos segue; e nós lho proibimos, porque não nos segue.

Jesus, porém, disse: Não lho proibais; porque ninguém há que faça milagre em meu nome e possa logo falar mal de mim.

Porque quem não é contra nós, é por nós.

É com grande bravura que o discurso do Papa foi feito, pois, para os mais ortodoxos, pode ser tomado como afronta, algo ilógico. Para tais fiéis, seria impróprio pensar que aqueles que não seguem as Sagradas Escrituras adequadamente deveriam ir para o Céu. Dessa forma, existe o risco eminente do questionamento por parte dos mesmos, tanto da autoridade papal, quanto do teor de seus discursos, o que pode impactar, também, na perda destes fiéis.

As implicações são diversas. As afirmações tem um grande apelo perante o público. Ao dizer “todos”, o papa agregou no mesmo barco não só católicos, como também budistas, muçulmanos, luteranos, judeus, espíritas, agnósticos, muçulmanos, entre outros. Isso provavelmente renderá a simpatia de humanistas e trará tranquilidade aos ateus e céticos, não por necessariamente se importarem com a redenção oferecida, mas porque conceberá a eles, certamente, maior aceitação perante a sociedade, o que culminará em menor preconceito sofrido; ponto extremamente relevante, que contribuirá para separar a imagem, hoje quase obrigatória, de que religião mede caráter.

Afetará até mesmo muitos católicos que, por serem menos praticantes de seus afazeres perante a Igreja, se vêem em constante conflito interno. Não são raras as vezes que um homem segue um costume religioso por obrigação ou temor às leis de Deus, pregadas por sua Igreja. No entando, agora a máxima é, nas palavras de Papa Francisco, “apenas seja bom e nós acharemos um ponto de encontro”.

Então, eis que a questão extrapola, em sua essência, o conceito de Céu ou Inferno. A mensagem maior acaba sendo o caminho e não o fim para o qual se dirige. O que importa, na verdade, é que o resultado se torne a propagação de boas ações perante o próximo e com isso a constituição de um mundo melhor de se viver; algo que vem sendo pregado na Bíblia Sagrada há séculos, através das sábias palavras de Cristo²: “amai-vos uns aos outros como eu vos amei”. Por isso, senhor Papa, eu, como ateu e acima de tudo ser humano, admiro a coragem que teve de ser verdadeiramente cristão.

p.s: É interessante ver que o Papa está sendo bastante cauteloso em suas declarações, mesmo que sejam, aos olhos dos ortodoxos, “coisas absurdas”. Ele não vem colocando muito alarde, cuidando bastante da maneira que faz as devidas declarações. E esse, aparentemente, é um ponto de equilíbrio, que vem costurando crenças e pessoas diferentes. Por exemplo: Papa Francisco é defensor da união civil homossexual, afirma ny times

[ATUALIZADO 29/05]:

Dias após o discurso do Papa Francisco, o Vaticano lançou uma nota explicativa sobre a salvação dos ateus. Segundo um dos porta-vozes, Thomas Rosica, aqueles que tomaram conhecimento sobre a Igreja Católica “não poderão ser salvos” caso “recusem a entrar ou lá permanecer”. Isso contradiz o que o Papa havia dito sobre a salvação de todos. Porém, sua mensagem ainda permanece, devemos ser bons e fazer o bem para o próximo. Portanto, ateus, estamos novamente fadados ao fogo eterno – o lado bom é que não acreditamos em Inferno, de qualquer maneira.

Fontes:
Pagmatismo Politico , Litera Tortura , Radio Vaticana

Postagens mais antigas Página inicial
Curta-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Assine os Feeds Entre em contato