Mostrando postagens com marcador sobrevivencia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador sobrevivencia. Mostrar todas as postagens

Por: Julio Lobo / Sobrevivencialismo

Você já pensou como se deslocaria do seu trabalho até sua casa em caso de um desastre? Se uma enchente ocorrer? Se houver um protesto violento ocorrendo nas ruas? Hoje vamos entender um dos itens menos falados nas comunidades de sobrevivência, a Go Bag.

Como o título diz, a Go Bag é uma mochila que visa fornecer equipamentos e suprimentos para no máximo 12 horas de necessidade. O objetivo desta mochila é muito simples: Levar você de onde estiver até seu abrigo em caso de uma crise, desastre ou qualquer outra situação de risco.

Segue o vídeo onde explico com mais aprofundamento este recurso e também apresento uma mochila exemplo com alguns itens que podem ajudá-lo a montar a sua:



Deixo claro aqui que no vídeo apresento alguns itens gerais, que podem ser adaptados de acordo com sua realidade. Alguns pontos importantes para serem pensados ao montar a sua Go Bag são:

Trecho provável a ser percorrido: Conhecendo os caminhos e locais que você mais frequenta, baseie-se na distância do mais longe deles para decidir seus equipamentos. No meu caso trabalho à 8km de distância de casa, logo, me organizo em termos de suprimentos para percorrer até 12km.

Leveza e praticidade: Esqueça conforto e abrigo. Essa mochila tem de ser um item de deslocamento rápido e eficaz, não contando com paradas prolongadas. Itens como barraca, kits de fogo grandes e semelhantes não fazem parte da proposta. Imagine que você terá de aguentar manter uma corrida leve com esse equipamento nas costas enquanto se esquiva de vários obstáculos, rasteja e tudo mais.

Alimentação e hidratação: Procure carregar bastante água, mais do que acha que precisará. Entenda que você estará em deslocamento rápido e isso envolve esforço físico, o que fará você precisar de uma boa hidratação. O mesmo serve para alimentação, busque por alimentos calóricos e/ou com bastante açúcar. Lembre-se que você deve encarar estes suprimentos como um combustível extra para um período de esforço físico intenso, logo, descarte enlatados e itens semelhantes.

Apesar de breves, acredito que estas dicas já vão ajudar você a ter melhor concepção deste recurso e quem sabe já lhe permitirá construir sua própria configuração de Go Bag.

Espero que tenham gostado do conteúdo. O que você acha desta ferramenta para sua preparação? É algo válido para se ter?

Até.

Fontes: Sobrevivencialismo

Sobrevivencialismo: Go Bag, Mochila de sobrevivência para 12 horas


Por: Julio Lobo / Sobrevivencialismo

Você já pensou como se deslocaria do seu trabalho até sua casa em caso de um desastre? Se uma enchente ocorrer? Se houver um protesto violento ocorrendo nas ruas? Hoje vamos entender um dos itens menos falados nas comunidades de sobrevivência, a Go Bag.

Como o título diz, a Go Bag é uma mochila que visa fornecer equipamentos e suprimentos para no máximo 12 horas de necessidade. O objetivo desta mochila é muito simples: Levar você de onde estiver até seu abrigo em caso de uma crise, desastre ou qualquer outra situação de risco.

Segue o vídeo onde explico com mais aprofundamento este recurso e também apresento uma mochila exemplo com alguns itens que podem ajudá-lo a montar a sua:



Deixo claro aqui que no vídeo apresento alguns itens gerais, que podem ser adaptados de acordo com sua realidade. Alguns pontos importantes para serem pensados ao montar a sua Go Bag são:

Trecho provável a ser percorrido: Conhecendo os caminhos e locais que você mais frequenta, baseie-se na distância do mais longe deles para decidir seus equipamentos. No meu caso trabalho à 8km de distância de casa, logo, me organizo em termos de suprimentos para percorrer até 12km.

Leveza e praticidade: Esqueça conforto e abrigo. Essa mochila tem de ser um item de deslocamento rápido e eficaz, não contando com paradas prolongadas. Itens como barraca, kits de fogo grandes e semelhantes não fazem parte da proposta. Imagine que você terá de aguentar manter uma corrida leve com esse equipamento nas costas enquanto se esquiva de vários obstáculos, rasteja e tudo mais.

Alimentação e hidratação: Procure carregar bastante água, mais do que acha que precisará. Entenda que você estará em deslocamento rápido e isso envolve esforço físico, o que fará você precisar de uma boa hidratação. O mesmo serve para alimentação, busque por alimentos calóricos e/ou com bastante açúcar. Lembre-se que você deve encarar estes suprimentos como um combustível extra para um período de esforço físico intenso, logo, descarte enlatados e itens semelhantes.

Apesar de breves, acredito que estas dicas já vão ajudar você a ter melhor concepção deste recurso e quem sabe já lhe permitirá construir sua própria configuração de Go Bag.

Espero que tenham gostado do conteúdo. O que você acha desta ferramenta para sua preparação? É algo válido para se ter?

Até.

Fontes: Sobrevivencialismo

O Brasil entrou em 2015 com um panorama econômico complicado, porém também corre um sério risco de ter dificuldades de abastecer metade dos seus municípios com a quantidade adequada de água. O diagnóstico feito pela Agência Nacional de Águas (ANA) mapeou as tendências de demanda e oferta de água nos 5.565 municípios brasileiros e estimou em R$ 22 bilhões o total de investimentos necessários para evitar a escassez, e como sabemos, o Brasil não tem fama de ser eficiente em seus projetos.

Estamos falando de possível racionamento para cerca de 125 milhões de brasileiros. O uso desmedido e a falta de água nas regiões mais populosas cria um cenário potencialmente perigoso que pode afetar não só a hidratação das pessoas como também toda a economia e disposição demográfica do país.

Algumas regiões já estão em situação preocupante, como vocês podem acompanhar nesta notícia. A questão é: O que você pode fazer para se preparar? Vamos começar pelos planejamentos de curto, médio e longo prazo.
Curto prazo 
Aqui estamos falando do que você pode armazenar e irá gastar no primeiro momento. Vamos as alternativas:
  • Água engarrafada. A maioria das pessoas tem água engarrafada “jogada” em algum lugar em casa ou no carro, mas é interessante ir até o mercado e comprar uma quantidade razoável para deixar armazenada;
  • Galões de grande capacidade para armazenar maior quantidade, só certifique-se que os galões são apropriados para água;
  • Caixa d’agua extra. Se o seu orçamento permitir, investir em uma caixa adicional em sua residência lhe dará maior segurança e capacidade de estoque;
Uma nota importante aqui! O maior erro das pessoas em cenários de racionamento é querer utilizar a água da mesma forma como em um cenário normal de abastecimento. A forma como você racionará o seu estoque é mais importante do que ter enormes quantidades e gastá-las de maneira desmedida.
Médio prazo
Se a água não voltar após o primeiro momento, você precisará desenvolver meios de encontrar e purificar a água que conseguir. Algumas ideias:
  • Marque os lagos, córregos e poços artesianos na sua região. Ter um mapa com todas estas possíveis fontes anotadas poderá lhe ajudar a conseguir o que você precisa. Como a maioria das pessoas não se planejará para isso você terá a vantagem de chegar as fontes sem que estas estejam esgotadas ou demasiadamente contaminadas;
  • Adquira sistemas de filtragem. Aqui qualquer filtro é bem vindo, desde os portáteis (Life Straw e afins) até os estáticos como os filtros de barro e purificadores de água semelhante;
  • Estoque purificadores de água. Filtrar não basta, você precisa também eliminar os microorganismos nocivos que podem estar na água. Lembre-se que em cenários de falta de água a diarréia torna-se quase que epidêmica exatamente pela falta de purificação. Procure comprar pílulas como a Aquatabs ou até mesmo água sanitária para ter em seu estoque.
Longo Prazo
Aqui entramos em um ponto mais complicado, afinal, longos prazo sem água podem desencadear caos social e uma série de complicações que vão muito além da sede. Ainda assim, existem algumas alternativas que podem te ajudar:
  • Cisternas. Coletar água da chuva é uma alternativa barata e fácil de ser gerenciada. Um simples sistemas de calhas no seu telhado com direcionamento para uma cisterna ou até mesmo barris/baldes poderá lhe propiciar enormes quantidades de água quando haver chuva na sua região;
  • Poços artesianos. Apesar de ser algo difícil de ser feito e igualmente difícil de se conseguir permissão, os poços artesianos lhe darão um estoque virtualmente ilimitado de água. Claro que depende diretamente da sua região, em alguns lugares o lençol freático é fundo demais para ser alcançado;
  • Abandono da região. Como dissemos, a falta de água provavelmente causará caos social onde pessoas literalmente vão matar para conseguir uma garrafa de água. Caso você resida em uma região densamente populosa talvez esta seja a alternativa mais segura para ser levada em conta.
Como eu sempre digo, não gosto de discursos catastróficos ou apocalípticos… Mas a falta de água está causando preocupação e já está impactando diretamente na vida de muitos brasileiros. Nós, Sobrevivencialistas, precisamos ficar prontos caso o cenário não mudar, pois com certeza haverão impactos socioeconômicos severos: problemas com produções de alimento, êxodo de áreas urbanas em direção a outros estados e áreas rurais, aumento de violência e muitos outros pontos entrarão em cena.
Onde você mora está havendo racionamento? Qual a perspectiva para a sua região durante esse ano em relação ao abastecimento de água? O que você está fazendo para se preparar?
Até.

Sobrevivencialismo Como se preparar para a falta de água?

O Brasil entrou em 2015 com um panorama econômico complicado, porém também corre um sério risco de ter dificuldades de abastecer metade dos seus municípios com a quantidade adequada de água. O diagnóstico feito pela Agência Nacional de Águas (ANA) mapeou as tendências de demanda e oferta de água nos 5.565 municípios brasileiros e estimou em R$ 22 bilhões o total de investimentos necessários para evitar a escassez, e como sabemos, o Brasil não tem fama de ser eficiente em seus projetos.

Estamos falando de possível racionamento para cerca de 125 milhões de brasileiros. O uso desmedido e a falta de água nas regiões mais populosas cria um cenário potencialmente perigoso que pode afetar não só a hidratação das pessoas como também toda a economia e disposição demográfica do país.

Algumas regiões já estão em situação preocupante, como vocês podem acompanhar nesta notícia. A questão é: O que você pode fazer para se preparar? Vamos começar pelos planejamentos de curto, médio e longo prazo.
Curto prazo 
Aqui estamos falando do que você pode armazenar e irá gastar no primeiro momento. Vamos as alternativas:
  • Água engarrafada. A maioria das pessoas tem água engarrafada “jogada” em algum lugar em casa ou no carro, mas é interessante ir até o mercado e comprar uma quantidade razoável para deixar armazenada;
  • Galões de grande capacidade para armazenar maior quantidade, só certifique-se que os galões são apropriados para água;
  • Caixa d’agua extra. Se o seu orçamento permitir, investir em uma caixa adicional em sua residência lhe dará maior segurança e capacidade de estoque;
Uma nota importante aqui! O maior erro das pessoas em cenários de racionamento é querer utilizar a água da mesma forma como em um cenário normal de abastecimento. A forma como você racionará o seu estoque é mais importante do que ter enormes quantidades e gastá-las de maneira desmedida.
Médio prazo
Se a água não voltar após o primeiro momento, você precisará desenvolver meios de encontrar e purificar a água que conseguir. Algumas ideias:
  • Marque os lagos, córregos e poços artesianos na sua região. Ter um mapa com todas estas possíveis fontes anotadas poderá lhe ajudar a conseguir o que você precisa. Como a maioria das pessoas não se planejará para isso você terá a vantagem de chegar as fontes sem que estas estejam esgotadas ou demasiadamente contaminadas;
  • Adquira sistemas de filtragem. Aqui qualquer filtro é bem vindo, desde os portáteis (Life Straw e afins) até os estáticos como os filtros de barro e purificadores de água semelhante;
  • Estoque purificadores de água. Filtrar não basta, você precisa também eliminar os microorganismos nocivos que podem estar na água. Lembre-se que em cenários de falta de água a diarréia torna-se quase que epidêmica exatamente pela falta de purificação. Procure comprar pílulas como a Aquatabs ou até mesmo água sanitária para ter em seu estoque.
Longo Prazo
Aqui entramos em um ponto mais complicado, afinal, longos prazo sem água podem desencadear caos social e uma série de complicações que vão muito além da sede. Ainda assim, existem algumas alternativas que podem te ajudar:
  • Cisternas. Coletar água da chuva é uma alternativa barata e fácil de ser gerenciada. Um simples sistemas de calhas no seu telhado com direcionamento para uma cisterna ou até mesmo barris/baldes poderá lhe propiciar enormes quantidades de água quando haver chuva na sua região;
  • Poços artesianos. Apesar de ser algo difícil de ser feito e igualmente difícil de se conseguir permissão, os poços artesianos lhe darão um estoque virtualmente ilimitado de água. Claro que depende diretamente da sua região, em alguns lugares o lençol freático é fundo demais para ser alcançado;
  • Abandono da região. Como dissemos, a falta de água provavelmente causará caos social onde pessoas literalmente vão matar para conseguir uma garrafa de água. Caso você resida em uma região densamente populosa talvez esta seja a alternativa mais segura para ser levada em conta.
Como eu sempre digo, não gosto de discursos catastróficos ou apocalípticos… Mas a falta de água está causando preocupação e já está impactando diretamente na vida de muitos brasileiros. Nós, Sobrevivencialistas, precisamos ficar prontos caso o cenário não mudar, pois com certeza haverão impactos socioeconômicos severos: problemas com produções de alimento, êxodo de áreas urbanas em direção a outros estados e áreas rurais, aumento de violência e muitos outros pontos entrarão em cena.
Onde você mora está havendo racionamento? Qual a perspectiva para a sua região durante esse ano em relação ao abastecimento de água? O que você está fazendo para se preparar?
Até.


Este é o resumo do dia 22/02/15. Na Ucrânia continua o clima de tensão. Neste domingo, uma bomba matou pelo menos duas pessoas, incluindo um policial, e deixou pelo menos outros 10 feridos em uma manifestação na cidade de Kharkiv.

A marcha era uma das outras tantas que estão sendo realizadas no país para marcar um ano desde os grandes protestos de 2014 em Kiev que derrubaram o então presidente ucraniano pró-Rússia, Viktor Yanukovych. Forças de segurança prenderam quatro pessoas suspeitas de terem orquestrado o ataque, segundo autoridades locais.

No Oriente Médio, há poucas horas, a Turquia fez uma incursão militar em território do norte da Síria, para retirar as relíquias do século XIII do mausoléu de Suleyman Shah, avô do fundador do Império otomano. O governo sírio protestou por essa incursão em seu território.



A informação que chega é que armas químicas do arsenal do regime de Muammar Kafadi foram roubadas na Líbia e estariam nas mãos de milícias jihadistas do Estado Islâmico. A quantidade exata de armas roubadas não foi divulgada. No entanto, uma fonte do Exército líbio afirmou ao jornal Asharq al-Awsat que "grandes quantidades" foram pegas pelos jihadistas para serem usadas contra as forças do governo.

Ao mesmo tempo, o chefe de Segurança Interna dos Estados Unidos disse neste domingo que leva a sério as ameaças feitas pelos militantes de um grupo islâmico baseado na Somália contra shoppings do país, incluindo o Mall of America, em Minnesota, e pediu para que as pessoas que forem até o local serem cuidadosas.

No gemido da natureza, fortes terremotos ocorreram nas últimas horas no México [6.2º] e no Japão [6.0º]. O sul do Chile continua enfrentando um gigantesco incêndio, considerado o maior dos últimos tempos.



Os sinais continuam ocorrendo em todos os segmentos e lugares. Muitos consideram esses fatos algo cíclico e corriqueiro... Outros, preferem nem sequer saber deles e continuam como se nada estivesse ocorrendo... A maioria prefere viver na contramão das Verdades das Escrituras.

No entanto, cremos que as profecias contidas nas Escrituras estão se concretizando de forma gradual e paulatina. É tempo de arrependimento, santificação e fé nas promessas do Altíssimo para aqueles que crêem e de intercessão por aqueles que não crêem.

Fonte: Projeto Ômega

Resumo de notícias 22/02/15

Este é o resumo do dia 22/02/15. Na Ucrânia continua o clima de tensão. Neste domingo, uma bomba matou pelo menos duas pessoas, incluindo um policial, e deixou pelo menos outros 10 feridos em uma manifestação na cidade de Kharkiv.

A marcha era uma das outras tantas que estão sendo realizadas no país para marcar um ano desde os grandes protestos de 2014 em Kiev que derrubaram o então presidente ucraniano pró-Rússia, Viktor Yanukovych. Forças de segurança prenderam quatro pessoas suspeitas de terem orquestrado o ataque, segundo autoridades locais.

No Oriente Médio, há poucas horas, a Turquia fez uma incursão militar em território do norte da Síria, para retirar as relíquias do século XIII do mausoléu de Suleyman Shah, avô do fundador do Império otomano. O governo sírio protestou por essa incursão em seu território.



A informação que chega é que armas químicas do arsenal do regime de Muammar Kafadi foram roubadas na Líbia e estariam nas mãos de milícias jihadistas do Estado Islâmico. A quantidade exata de armas roubadas não foi divulgada. No entanto, uma fonte do Exército líbio afirmou ao jornal Asharq al-Awsat que "grandes quantidades" foram pegas pelos jihadistas para serem usadas contra as forças do governo.

Ao mesmo tempo, o chefe de Segurança Interna dos Estados Unidos disse neste domingo que leva a sério as ameaças feitas pelos militantes de um grupo islâmico baseado na Somália contra shoppings do país, incluindo o Mall of America, em Minnesota, e pediu para que as pessoas que forem até o local serem cuidadosas.

No gemido da natureza, fortes terremotos ocorreram nas últimas horas no México [6.2º] e no Japão [6.0º]. O sul do Chile continua enfrentando um gigantesco incêndio, considerado o maior dos últimos tempos.



Os sinais continuam ocorrendo em todos os segmentos e lugares. Muitos consideram esses fatos algo cíclico e corriqueiro... Outros, preferem nem sequer saber deles e continuam como se nada estivesse ocorrendo... A maioria prefere viver na contramão das Verdades das Escrituras.

No entanto, cremos que as profecias contidas nas Escrituras estão se concretizando de forma gradual e paulatina. É tempo de arrependimento, santificação e fé nas promessas do Altíssimo para aqueles que crêem e de intercessão por aqueles que não crêem.

Fonte: Projeto Ômega

A principal causa do câncer é por intermédio da comida que comemos. Algum tempo atrás, nós consumíamos uma dieta de alimentos principalmente alcalinos mas isso mudou e a taxa de câncer também. A maioria dos médicos não lhe informa sobre os alimentos corretos para comer para ficar livre do câncer e o que comer para fazer com que o corpo o elimine naturalmente.

Os alimentos que comemos hoje em dia contêm elementos ácidos e alcalinizantes. A dieta com maiores quantidades de alimentos formadores de ácidos pode contribuir para o câncer e é a dieta comum aqui na cultura ocidental. A dieta do americano [assim como do brasileiro] é atualmente mais ácida. Se você está lutando contra o câncer é preciso equilibrar o nível de pH do corpo, pois o câncer prospera em um ambiente ácido ao passo que um ambiente alcalino irá ajudar a remover o câncer.

Nós vemos mais pessoas com câncer hoje do que nunca e é por causa da dieta típica ocidental ser muito rica em alimentos produtores de ácidos, tais como os produtos de origem animal, os quais incluem produtos lácteos.

Os alimentos como frutas e vegetais recém-produzidos eram muito melhores para nós, portanto a melhor solução é fazer algumas mudanças na dieta. A proporção de ácido e alcalino é medida na escala de pH que varia de 0 à 14, com 7 sendo neutro. A extremidade mais baixa da escala que vai de 0 a 7 é ácida e qualquer coisa entre 7 a 14 é alcalino.

A maneira mais fácil de descobrir quais alimentos são alcalinos ou ácidos é pesquisando quais são os alimentos mais alcalinos ou ácidos do que outros, além também de testar o seu nível alcalino frequentemente. Embora um diagnóstico de câncer possa ter outros fatores contribuindo, os alimentos que comemos é uma das principais causas.

Muitos anos atrás, antes de termos supermercados, comíamos uma dieta mais saudável, mas agora por causa dos alimentos processados ​​e a popularidade de lojas de fast food nossas dietas mudaram. Uma dieta de alimentos de um spectro ácido está causando muitos problemas de saúde e o câncer é agora apenas um deles. Por exemplo, muitos dos nossos alimentos são refinados e a maioria dos nossos pães e outros alimentos assados ​​são feitos de farinha branca refinada.

Alguns outros exemplos de alimentos formadores de ácidos; macarrão, queijo, sorvete e manteiga, compotas e geleias, bebidas alcoólicas e refrigerantes. Todos os alimentos ácidos não são necessariamente ruins, é apenas a nossa dieta que está fora de equilíbrio, e se você está lidando com qualquer problema grave de saúde é essencial olhar atentamente para o que você está comendo.

Alguns dos alimentos alcalinos são: frutas frescas e quase todos os legumes recém-produzidos. Também consuma nozes, sementes, grãos e legumes, pois são todos alimentos alcalinos. É importante lembrar que as alterações feitas em uma dieta mais alcalina trás muitos benefícios para a saúde, incluindo a eliminação natural do câncer .

Embora o câncer tenha alguns outros fatores contribuidores, a causa mais influente é o que nós comemos, porque a nossa saúde está diretamente relacionada com as nossas escolhas alimentares. A nossa dieta mudou ao longo dos últimos 40 a 70 anos e a maioria do que comemos agora está disponível em supermercados e os supermercados têm uma enorme influência sobre o que comprar agora.

Muito do que está disponível em supermercados é processado e por causa disso, este alimento é de baixo valor nutritivo e que é sem dúvida a razão pela qual há tanto câncer agora. Faz muito sentido se você está lidando com o câncer que a primeira e mais importante mudança que você faça é com sua dieta e que você a selecione a partir de uma gama de alimentos mais alcalinos. Também certifique-se que ele é fresco e se possível que seja orgânico.

Fonte: Noticias Naturais

Como o Câncer é Causado Principalmente Pela Ingestão de Comida Ácida

A principal causa do câncer é por intermédio da comida que comemos. Algum tempo atrás, nós consumíamos uma dieta de alimentos principalmente alcalinos mas isso mudou e a taxa de câncer também. A maioria dos médicos não lhe informa sobre os alimentos corretos para comer para ficar livre do câncer e o que comer para fazer com que o corpo o elimine naturalmente.

Os alimentos que comemos hoje em dia contêm elementos ácidos e alcalinizantes. A dieta com maiores quantidades de alimentos formadores de ácidos pode contribuir para o câncer e é a dieta comum aqui na cultura ocidental. A dieta do americano [assim como do brasileiro] é atualmente mais ácida. Se você está lutando contra o câncer é preciso equilibrar o nível de pH do corpo, pois o câncer prospera em um ambiente ácido ao passo que um ambiente alcalino irá ajudar a remover o câncer.

Nós vemos mais pessoas com câncer hoje do que nunca e é por causa da dieta típica ocidental ser muito rica em alimentos produtores de ácidos, tais como os produtos de origem animal, os quais incluem produtos lácteos.

Os alimentos como frutas e vegetais recém-produzidos eram muito melhores para nós, portanto a melhor solução é fazer algumas mudanças na dieta. A proporção de ácido e alcalino é medida na escala de pH que varia de 0 à 14, com 7 sendo neutro. A extremidade mais baixa da escala que vai de 0 a 7 é ácida e qualquer coisa entre 7 a 14 é alcalino.

A maneira mais fácil de descobrir quais alimentos são alcalinos ou ácidos é pesquisando quais são os alimentos mais alcalinos ou ácidos do que outros, além também de testar o seu nível alcalino frequentemente. Embora um diagnóstico de câncer possa ter outros fatores contribuindo, os alimentos que comemos é uma das principais causas.

Muitos anos atrás, antes de termos supermercados, comíamos uma dieta mais saudável, mas agora por causa dos alimentos processados ​​e a popularidade de lojas de fast food nossas dietas mudaram. Uma dieta de alimentos de um spectro ácido está causando muitos problemas de saúde e o câncer é agora apenas um deles. Por exemplo, muitos dos nossos alimentos são refinados e a maioria dos nossos pães e outros alimentos assados ​​são feitos de farinha branca refinada.

Alguns outros exemplos de alimentos formadores de ácidos; macarrão, queijo, sorvete e manteiga, compotas e geleias, bebidas alcoólicas e refrigerantes. Todos os alimentos ácidos não são necessariamente ruins, é apenas a nossa dieta que está fora de equilíbrio, e se você está lidando com qualquer problema grave de saúde é essencial olhar atentamente para o que você está comendo.

Alguns dos alimentos alcalinos são: frutas frescas e quase todos os legumes recém-produzidos. Também consuma nozes, sementes, grãos e legumes, pois são todos alimentos alcalinos. É importante lembrar que as alterações feitas em uma dieta mais alcalina trás muitos benefícios para a saúde, incluindo a eliminação natural do câncer .

Embora o câncer tenha alguns outros fatores contribuidores, a causa mais influente é o que nós comemos, porque a nossa saúde está diretamente relacionada com as nossas escolhas alimentares. A nossa dieta mudou ao longo dos últimos 40 a 70 anos e a maioria do que comemos agora está disponível em supermercados e os supermercados têm uma enorme influência sobre o que comprar agora.

Muito do que está disponível em supermercados é processado e por causa disso, este alimento é de baixo valor nutritivo e que é sem dúvida a razão pela qual há tanto câncer agora. Faz muito sentido se você está lidando com o câncer que a primeira e mais importante mudança que você faça é com sua dieta e que você a selecione a partir de uma gama de alimentos mais alcalinos. Também certifique-se que ele é fresco e se possível que seja orgânico.

Fonte: Noticias Naturais

Ultimamente tenho procurado por meios de como tonar uma propriedade urbana minimamente produtiva. Sabemos que morar na selva de pedra não é fácil e muitas casas não tem sequer um quadradinho de terra para plantar. Pensando nisso, recorri a outras alternativas e cheguei à hidroponia.

Já fiz outro projeto de produção de alimento em zona urbana, que é a horta suspensa. No entanto sabemos que ainda assim ela não era ideal para produção em larga escala e hora ou outra tínhamos que lutar contra pragas e outros incômodos que acabavam por diminuir a eficiência da plantação.

Pensando em como aumentar a produtividade sem exigir que o cuidador tivesse maior trabalho, comecei a pesquisar sobre as hortas hidropônicas.

Após muito ler, percebi que era algo que valia a pena a tentativa! Prefiro que vocês vejam o vídeo para acompanhar o relato inteiro:

Total gasto no projeto: R$220,00



Demorei cerca de um mês pois fiz questão de aguardar a horta dar resultados para mostrar que o sistema está operante e funcional, afinal não seria legal mostrar as plantas em crescimento e deixar o produto final sem aparecer em vídeo.

Digo-lhes que até onde vi, é uma delícia manejar esse cultivo. Praticamente não há trabalho e você raramente tem de mexer no sistema, o que acaba também com as desculpas de que você “não tem tempo” para cultivar alguma coisa em sua casa.

Chega de enrolação, vamos ao vídeo:



Enfim, como conclusão rápida diria que é um projeto que vale a pena ser feito não somente para começar a produzir alimentos de forma independente, mas também pelo prazer de cultivar alguma coisa e depois vê-la alimentando sua família. Tomara que este vídeo ajude você a sanar suas dúvidas sobre o sistema e o incentive a fazer uma horta hidropônica também.

Até.

Fontes: Sobrevivencialismo(1) , Sobrevivencialismo(2)

Sobrevivencialismo:Projeto Horta hidropônica vertical em PVC

Ultimamente tenho procurado por meios de como tonar uma propriedade urbana minimamente produtiva. Sabemos que morar na selva de pedra não é fácil e muitas casas não tem sequer um quadradinho de terra para plantar. Pensando nisso, recorri a outras alternativas e cheguei à hidroponia.

Já fiz outro projeto de produção de alimento em zona urbana, que é a horta suspensa. No entanto sabemos que ainda assim ela não era ideal para produção em larga escala e hora ou outra tínhamos que lutar contra pragas e outros incômodos que acabavam por diminuir a eficiência da plantação.

Pensando em como aumentar a produtividade sem exigir que o cuidador tivesse maior trabalho, comecei a pesquisar sobre as hortas hidropônicas.

Após muito ler, percebi que era algo que valia a pena a tentativa! Prefiro que vocês vejam o vídeo para acompanhar o relato inteiro:

Total gasto no projeto: R$220,00



Demorei cerca de um mês pois fiz questão de aguardar a horta dar resultados para mostrar que o sistema está operante e funcional, afinal não seria legal mostrar as plantas em crescimento e deixar o produto final sem aparecer em vídeo.

Digo-lhes que até onde vi, é uma delícia manejar esse cultivo. Praticamente não há trabalho e você raramente tem de mexer no sistema, o que acaba também com as desculpas de que você “não tem tempo” para cultivar alguma coisa em sua casa.

Chega de enrolação, vamos ao vídeo:



Enfim, como conclusão rápida diria que é um projeto que vale a pena ser feito não somente para começar a produzir alimentos de forma independente, mas também pelo prazer de cultivar alguma coisa e depois vê-la alimentando sua família. Tomara que este vídeo ajude você a sanar suas dúvidas sobre o sistema e o incentive a fazer uma horta hidropônica também.

Até.

Fontes: Sobrevivencialismo(1) , Sobrevivencialismo(2)

Não há nada melhor do que economizar recursos e ainda reciclar ao mesmo tempo. Pensando nisso, hoje lhes ensino a fazer sabão caseiro.

Existem muitas variações da receita na internet, então escolhi a mais simples e que exige menos esforço/recursos para ser feita.

Quando comecei a filmar fiquei me perguntando se seria um conteúdo válido para postar para vocês, mas a verdade é que todo conhecimento tem seu valor e acredito que este é mais um passo dentro da sustentabilidade. Diferente do que muitos pensam, o gosto por alternativas sustentáveis e caseiras vêm de receitas simples como essas, não de grandes investimentos.

Enfim, segue o vídeo:



Para aqueles que estão buscando somente a receita e os passos, não vou obrigá-los a me ver falando mais do que devo em vídeo (rs). Segue abaixo o resumo!

Ingredientes
  • 4 Litros de óleo
  • 1 Kg de Soda Cáustica
  • 2 Litros de água
  • 1/2 Copo de Sabão em Pó
Lembro que você pode dividir a receita pela metade se não quiser fazer tanto sabão assim! Caso queira, também pode inserir na lista entre 100 e 200ml de essência do cheiro que preferir.

Equipamentos
  • Balde (de preferência com medidas marcadas);
  • Jarro de 2 Litros (com medidas marcadas);
  • Pano que possa ser descartado;
  • Panela para 2 Litros;
  • Forma ou Bandeja (de preferência de plástico);
  • Algo que sirva para mexer a mistura (cabo de vassoura, batedeira e afins).
Passos
  1. Coloque o pano sobre o balde e derrame o óleo para filtrá-lo. Assim as partículas grandes que estão no óleo ficarão presas no tecido;
  2. Aqueça os dois litros de água na panela (apenas aqueça, não ferva);
  3. Divida a água em duas medidas, um Jarro com 1,5Litros e 500ml ainda na panela;
  4. Coloque o meio copo de sabão em pó na panela com 500ml de água e mexa somente para dissolver;
  5. Com muito cuidado (preferencialmente com luvas) coloque a soda Cáustica no Jarro de 1,5L de água. Faça-o em local arejado pois a fumaça produzida é tóxica;
  6. Despeje as duas soluções anteriores dentro do balde com óleo vagarosamente (se tiver a essência, coloque-a neste momento);
  7. Mexa a mistura até adquirir aspecto cremoso. Este processo levará mais de 40 minutos se feito à mão, eu utilizo uma batedeira que reduz o tempo para 10 minutos;
  8. Despeje o conteúdo na forma e a coloque para secar em local seco e protegido da chuva;
  9. Verifique conforme a solução vai endurecendo e realize os cortes na bandeja antes desta ficar completamente dura, caso contrário ao cortar o sabão se quebrará;
  10. Desenforme todas as unidades e as coloque para secar. Em cerca de uma semana o sabão estará seco e pronto para uso!
Caso algum dos passos não tenha ficado claro, peço que vejam o vídeo para melhor compreenderem. Espero que tenham gostado dessa receita e que possam economizar em casa. Os sabões que eu faço se mostram ótimos para lavar louça e roupas brancas!

E você, tem alguma variação da receita que possa facilitar a produção?

Até.

Referência: Manual do Mundo

Fonte:Sobrevivencialismo

Sobrevivencialismo: Como fazer sabão caseiro

Não há nada melhor do que economizar recursos e ainda reciclar ao mesmo tempo. Pensando nisso, hoje lhes ensino a fazer sabão caseiro.

Existem muitas variações da receita na internet, então escolhi a mais simples e que exige menos esforço/recursos para ser feita.

Quando comecei a filmar fiquei me perguntando se seria um conteúdo válido para postar para vocês, mas a verdade é que todo conhecimento tem seu valor e acredito que este é mais um passo dentro da sustentabilidade. Diferente do que muitos pensam, o gosto por alternativas sustentáveis e caseiras vêm de receitas simples como essas, não de grandes investimentos.

Enfim, segue o vídeo:



Para aqueles que estão buscando somente a receita e os passos, não vou obrigá-los a me ver falando mais do que devo em vídeo (rs). Segue abaixo o resumo!

Ingredientes
  • 4 Litros de óleo
  • 1 Kg de Soda Cáustica
  • 2 Litros de água
  • 1/2 Copo de Sabão em Pó
Lembro que você pode dividir a receita pela metade se não quiser fazer tanto sabão assim! Caso queira, também pode inserir na lista entre 100 e 200ml de essência do cheiro que preferir.

Equipamentos
  • Balde (de preferência com medidas marcadas);
  • Jarro de 2 Litros (com medidas marcadas);
  • Pano que possa ser descartado;
  • Panela para 2 Litros;
  • Forma ou Bandeja (de preferência de plástico);
  • Algo que sirva para mexer a mistura (cabo de vassoura, batedeira e afins).
Passos
  1. Coloque o pano sobre o balde e derrame o óleo para filtrá-lo. Assim as partículas grandes que estão no óleo ficarão presas no tecido;
  2. Aqueça os dois litros de água na panela (apenas aqueça, não ferva);
  3. Divida a água em duas medidas, um Jarro com 1,5Litros e 500ml ainda na panela;
  4. Coloque o meio copo de sabão em pó na panela com 500ml de água e mexa somente para dissolver;
  5. Com muito cuidado (preferencialmente com luvas) coloque a soda Cáustica no Jarro de 1,5L de água. Faça-o em local arejado pois a fumaça produzida é tóxica;
  6. Despeje as duas soluções anteriores dentro do balde com óleo vagarosamente (se tiver a essência, coloque-a neste momento);
  7. Mexa a mistura até adquirir aspecto cremoso. Este processo levará mais de 40 minutos se feito à mão, eu utilizo uma batedeira que reduz o tempo para 10 minutos;
  8. Despeje o conteúdo na forma e a coloque para secar em local seco e protegido da chuva;
  9. Verifique conforme a solução vai endurecendo e realize os cortes na bandeja antes desta ficar completamente dura, caso contrário ao cortar o sabão se quebrará;
  10. Desenforme todas as unidades e as coloque para secar. Em cerca de uma semana o sabão estará seco e pronto para uso!
Caso algum dos passos não tenha ficado claro, peço que vejam o vídeo para melhor compreenderem. Espero que tenham gostado dessa receita e que possam economizar em casa. Os sabões que eu faço se mostram ótimos para lavar louça e roupas brancas!

E você, tem alguma variação da receita que possa facilitar a produção?

Até.

Referência: Manual do Mundo

Fonte:Sobrevivencialismo

por Julio Lobo

Depois de tanto conhecimento teórico explicado em posts anteriores sobre armazenamento, está na hora de começarmos a colocar a mão na massa! Preparamos então um tutorial de como armazenar grãos dos mais diversos tipos em um objeto simples e encontrado em QUALQUER lugar… a garrafa PET.
O ideal é armazenar alimentos em jarros de vidro, mas convenhamos, ninguém tem acesso fácil a grandes recipientes e ainda temos o inconveniente de serem extremamente frágeis. Então para começar… Porque armazenar comida em garrafas PET?

Este item muitas vezes jogado fora por milhares de famílias todos os dias é um ótimo recipiente para armazenar comida e líquidos por um tempo muito grande, visto que pode ser hermeticamente fechado e tem uma resistência incrível a impactos. Seu custo é irrisório e não ocupa muito espaço quando falamos em armazenagem.

Uma das grandes preocupações em torno desta prática é a possível liberação da toxina Bisfenol A nos alimentos armazenados dentro da garrafa. Esta toxina quando ingerida em grande quantidade de forma constante pode causar problemas nas mais diversas áreas do corpo, porém existem alguns fatores que nos deixam menos preocupados quanto a esta situação:
  • A ANVISA proibiu limites excessivos dessa toxina em todos plásticos que armazenam líquidos e comida desde 2011;
  • O Bisfenol A é liberado no alimento após longo tempo de armazenamento (em locais quentes) e mesmo assim não possui quantidade o suficiente para causar danos ao corpo;
Bom, visto que estamos seguros quanto a essa dúvida, podemos então prosseguir com a idéia. Segue o vídeo:

Neste tutorial ensinamos como armazenar grãos de maneira confiável e barata, utilizando materiais acessíveis à todos.

Este processo de armazenamento pode aumentar a validade dos grãos consideravelmente, fazendo-os durar até por cinco anos.



Caso não seja possível visualizar o vídeo, segue o conteúdo em texto abaixo (com adições e subtrações de conteúdo):

Você pode armazenar qualquer tipo de grão com o processo abaixo e, apesar de parecer trabalhoso, vale a pena fazer seu estoque desta forma fácil e barata. Veja os passos abaixo:

---

Primeiro passo: Higienização

Para iniciar devemos higienizar a garrafa PET. O processo é bastante simples, basta lavar o recipiente com detergente e depois enxaguá-lo com álcool para eliminar qualquer resíduo ou bactéria presente. Depois disso, deixe a garrafa secar no sol.

Tire todo o sabão restante após a lavagem

Antes de prosseguir, certifique-se que a garrafa está completamente seca, pois qualquer umidade presente em seu interior pode estragar os grãos armazenados ali.

Segundo passo: Inserção do alho e grãos

Agora, vamos utilizar dentes de alho para absorver a umidade e agir como bactericida para qualquer tipo de organismo que tente crescer dentro da garrafa. O ideal é utilizar um dente de alho a cada quatro dedos de grãos.

Para facilitar o processo de colocar os grãos na garrafa, faça um funil com a boca de outra garrafa, desta forma:
Corte a parte superior de uma garrafa PET e use como funil

Quando você terminar de encher a garrafa, vamos à próxima etapa.

Terceiro passo: Compactação de grãos

Por mais que a garrafa já pareça cheia, ainda cabem muitos grãos a mais. Pressione os feijões na boca da garrafa e bata ela sobre uma superfície dura, o impacto fará os grãos se ajeitarem melhor fazendo com que o espaço de armazenamento seja otimizado.
Bata com força para que os grãos se acomodem e liberem mais espaço

Você terá de repetir esse processo várias vezes, até não haver mais possibilidade de inserir novos grãos.  

Quatro passo: Armazenando à vácuo

Nesta etapa você precisará de papel alumínio, algodão, álcool e fósforos. Com todos materiais prontos, você deve rasgar um pequeno pedaço de papel alumínio e formar uma espécie de “cama” nele e após molhar o algodão em álcool, insira-o dentro do papel alumínio.

Coloque o algodão molhado com álcool na "cama"
Posicione o alumínio com álcool sobre os grãos da boca da garrafa e com cuidado incendeie o algodão. O alumínio protegerá o plástico do fogo por tempo suficiente até você fechar a garrafa com a tampa.
Cuidado para não queimar os dedos nesta etapa
Ao fechar a garrafa o fogo continuará acesso até consumir todo o oxigênio da embalagem, finalizando esta etapa.

Quinto passo: Vedando à parafina

Apesar de já ter finalizado o armazenamento, sabemos que somente a tampa não é capaz de manter o vácuo por muito tempo. Para garantir que seus grãos durem vamos vedar a fresta entre a tampa e a garrafa utilizando parafina. Para isso, acenda uma vela e vá pingando a parafina derretida no pequeno vão da tampa:
Tente fechar o vão inteiro
Isso ajudará a manter seus grãos devidamente isolados das intempéries externas.

Sexto passo: Finalizando com fita adesiva

Para completar, vede a tampa da garrafa com fita adesiva, tentando cobrir a região superior da garrafa e a tampa por completo:
Gasta fita adesiva, porém vale a pena!
Seu armazenamento está pronto! Trabalhoso, porém simples. Agora vamos à identificação.

Sétimo passo: Identificando com etiquetas


Para você possuir um controle das datas em que armazenou os grãos e até quando vão as validades, insira duas etiquetas na garrafa, uma contendo o prazo de validade original do produto (que está na embalagem) e outra com a data de armazenamento:
Escreva à mão mesmo, só certifique-se de deixar a letra legível!
Pronto! Agora cubra as etiquetas com fita adesiva para protegê-las da sujeira ou água. Armazene as garrafas em um local escuro e de preferência sem umidade excessiva.

---

Seguindo os passos acima você já garantiu 2kg de grãos armazenados por um longo período. O ideal é ter um mês de alimentos em casa e, fazendo mais algumas garrafas destas você atingirá esta meta rapidamente.

Após chegar à quantia que você considera adequada para sua preparação utilize o sistema rotativo em seu estoque, consumindo a garrafa mais velha e inserindo uma nova no local. Isto fará com que você utilize os grãos antes que a validade original expire e ainda assim manterá seu estoque devidamente abastecido!

Algumas correções após postagem:

- Para grãos como o feijão, é interessante escolher os grãos, afim de tirar aqueles que possam estar podres;

- Se caso o local de armazenamento do saco de feijão for propício à umidade, antes de armazenar os grãos deixe-os por duas horas sob sol ou 15 minutos no forno;

- É interessante adicionar também Grãos de pimenta do reino pois elas evitam o surgimento de carunchos.

Fonte:Sobrevivencialismo

Sobrevivencialismo:Tutorial de Armazenando grãos em garrafas PET

por Julio Lobo

Depois de tanto conhecimento teórico explicado em posts anteriores sobre armazenamento, está na hora de começarmos a colocar a mão na massa! Preparamos então um tutorial de como armazenar grãos dos mais diversos tipos em um objeto simples e encontrado em QUALQUER lugar… a garrafa PET.
O ideal é armazenar alimentos em jarros de vidro, mas convenhamos, ninguém tem acesso fácil a grandes recipientes e ainda temos o inconveniente de serem extremamente frágeis. Então para começar… Porque armazenar comida em garrafas PET?

Este item muitas vezes jogado fora por milhares de famílias todos os dias é um ótimo recipiente para armazenar comida e líquidos por um tempo muito grande, visto que pode ser hermeticamente fechado e tem uma resistência incrível a impactos. Seu custo é irrisório e não ocupa muito espaço quando falamos em armazenagem.

Uma das grandes preocupações em torno desta prática é a possível liberação da toxina Bisfenol A nos alimentos armazenados dentro da garrafa. Esta toxina quando ingerida em grande quantidade de forma constante pode causar problemas nas mais diversas áreas do corpo, porém existem alguns fatores que nos deixam menos preocupados quanto a esta situação:
  • A ANVISA proibiu limites excessivos dessa toxina em todos plásticos que armazenam líquidos e comida desde 2011;
  • O Bisfenol A é liberado no alimento após longo tempo de armazenamento (em locais quentes) e mesmo assim não possui quantidade o suficiente para causar danos ao corpo;
Bom, visto que estamos seguros quanto a essa dúvida, podemos então prosseguir com a idéia. Segue o vídeo:

Neste tutorial ensinamos como armazenar grãos de maneira confiável e barata, utilizando materiais acessíveis à todos.

Este processo de armazenamento pode aumentar a validade dos grãos consideravelmente, fazendo-os durar até por cinco anos.



Caso não seja possível visualizar o vídeo, segue o conteúdo em texto abaixo (com adições e subtrações de conteúdo):

Você pode armazenar qualquer tipo de grão com o processo abaixo e, apesar de parecer trabalhoso, vale a pena fazer seu estoque desta forma fácil e barata. Veja os passos abaixo:

---

Primeiro passo: Higienização

Para iniciar devemos higienizar a garrafa PET. O processo é bastante simples, basta lavar o recipiente com detergente e depois enxaguá-lo com álcool para eliminar qualquer resíduo ou bactéria presente. Depois disso, deixe a garrafa secar no sol.

Tire todo o sabão restante após a lavagem

Antes de prosseguir, certifique-se que a garrafa está completamente seca, pois qualquer umidade presente em seu interior pode estragar os grãos armazenados ali.

Segundo passo: Inserção do alho e grãos

Agora, vamos utilizar dentes de alho para absorver a umidade e agir como bactericida para qualquer tipo de organismo que tente crescer dentro da garrafa. O ideal é utilizar um dente de alho a cada quatro dedos de grãos.

Para facilitar o processo de colocar os grãos na garrafa, faça um funil com a boca de outra garrafa, desta forma:
Corte a parte superior de uma garrafa PET e use como funil

Quando você terminar de encher a garrafa, vamos à próxima etapa.

Terceiro passo: Compactação de grãos

Por mais que a garrafa já pareça cheia, ainda cabem muitos grãos a mais. Pressione os feijões na boca da garrafa e bata ela sobre uma superfície dura, o impacto fará os grãos se ajeitarem melhor fazendo com que o espaço de armazenamento seja otimizado.
Bata com força para que os grãos se acomodem e liberem mais espaço

Você terá de repetir esse processo várias vezes, até não haver mais possibilidade de inserir novos grãos.  

Quatro passo: Armazenando à vácuo

Nesta etapa você precisará de papel alumínio, algodão, álcool e fósforos. Com todos materiais prontos, você deve rasgar um pequeno pedaço de papel alumínio e formar uma espécie de “cama” nele e após molhar o algodão em álcool, insira-o dentro do papel alumínio.

Coloque o algodão molhado com álcool na "cama"
Posicione o alumínio com álcool sobre os grãos da boca da garrafa e com cuidado incendeie o algodão. O alumínio protegerá o plástico do fogo por tempo suficiente até você fechar a garrafa com a tampa.
Cuidado para não queimar os dedos nesta etapa
Ao fechar a garrafa o fogo continuará acesso até consumir todo o oxigênio da embalagem, finalizando esta etapa.

Quinto passo: Vedando à parafina

Apesar de já ter finalizado o armazenamento, sabemos que somente a tampa não é capaz de manter o vácuo por muito tempo. Para garantir que seus grãos durem vamos vedar a fresta entre a tampa e a garrafa utilizando parafina. Para isso, acenda uma vela e vá pingando a parafina derretida no pequeno vão da tampa:
Tente fechar o vão inteiro
Isso ajudará a manter seus grãos devidamente isolados das intempéries externas.

Sexto passo: Finalizando com fita adesiva

Para completar, vede a tampa da garrafa com fita adesiva, tentando cobrir a região superior da garrafa e a tampa por completo:
Gasta fita adesiva, porém vale a pena!
Seu armazenamento está pronto! Trabalhoso, porém simples. Agora vamos à identificação.

Sétimo passo: Identificando com etiquetas


Para você possuir um controle das datas em que armazenou os grãos e até quando vão as validades, insira duas etiquetas na garrafa, uma contendo o prazo de validade original do produto (que está na embalagem) e outra com a data de armazenamento:
Escreva à mão mesmo, só certifique-se de deixar a letra legível!
Pronto! Agora cubra as etiquetas com fita adesiva para protegê-las da sujeira ou água. Armazene as garrafas em um local escuro e de preferência sem umidade excessiva.

---

Seguindo os passos acima você já garantiu 2kg de grãos armazenados por um longo período. O ideal é ter um mês de alimentos em casa e, fazendo mais algumas garrafas destas você atingirá esta meta rapidamente.

Após chegar à quantia que você considera adequada para sua preparação utilize o sistema rotativo em seu estoque, consumindo a garrafa mais velha e inserindo uma nova no local. Isto fará com que você utilize os grãos antes que a validade original expire e ainda assim manterá seu estoque devidamente abastecido!

Algumas correções após postagem:

- Para grãos como o feijão, é interessante escolher os grãos, afim de tirar aqueles que possam estar podres;

- Se caso o local de armazenamento do saco de feijão for propício à umidade, antes de armazenar os grãos deixe-os por duas horas sob sol ou 15 minutos no forno;

- É interessante adicionar também Grãos de pimenta do reino pois elas evitam o surgimento de carunchos.

Fonte:Sobrevivencialismo

Criar e plantar estão entre as muitas atividades do sobrevivencialismo e da autosuficiencia doméstica, bem mais do que ser sustentável, é uma ferramenta de sobrevivência urbana, e esta é uma bela solução para hortas urbanas, ocupando pouco espaço.

Uma parede ou muro se transforma facilmente em um mecanismo produtor de alimentos ou em uma farmácia de ervas medicinais.

Com 20 cm de gaveta você pode plantar em uma varanda vários tipos de folhas e temperos, com a enorme vantagem da economia de agua, já que ocorre um gotejamento por gravidade, diminuindo ainda mais o trabalho de cuidar de sua estrutura.

Com 25 cm e cano de 6 polegadas se consegue um bom recurso para cenouras, rabanetes, beterrabas e até mini abóboras, vajem e feijão !

Bora lá plantar ?

Horta suspensa no cano de PVC


Mais um video falando de nossas experiências rumo a sustentabilidade doméstica.Somenente teoria não basta, pois, nada supera a prática do fazer

Horta suspensa em garrafas Pet


Fonte: Guia do Sobrevivente - Youtube

Sobrevivencialismo:horta suspensa no cano de PVC e garrafa PET

Criar e plantar estão entre as muitas atividades do sobrevivencialismo e da autosuficiencia doméstica, bem mais do que ser sustentável, é uma ferramenta de sobrevivência urbana, e esta é uma bela solução para hortas urbanas, ocupando pouco espaço.

Uma parede ou muro se transforma facilmente em um mecanismo produtor de alimentos ou em uma farmácia de ervas medicinais.

Com 20 cm de gaveta você pode plantar em uma varanda vários tipos de folhas e temperos, com a enorme vantagem da economia de agua, já que ocorre um gotejamento por gravidade, diminuindo ainda mais o trabalho de cuidar de sua estrutura.

Com 25 cm e cano de 6 polegadas se consegue um bom recurso para cenouras, rabanetes, beterrabas e até mini abóboras, vajem e feijão !

Bora lá plantar ?

Horta suspensa no cano de PVC


Mais um video falando de nossas experiências rumo a sustentabilidade doméstica.Somenente teoria não basta, pois, nada supera a prática do fazer

Horta suspensa em garrafas Pet


Fonte: Guia do Sobrevivente - Youtube


Por: Felipe Souza da Folha De S.Paulo

Falta de água, racionamento e calor são temas que preocupam o governo paulista nos últimos meses, em meio à maior crise hídrica da história. Para um inventor de Valinhos, a 85 km de São Paulo, a solução para esses problemas veio, literalmente, do ar.

Engenheiro mecatrônico, Pedro Ricardo Paulino patenteou em 2010 a Wateair, máquina que faz água condensando a umidade do ar.

A água produzida -que passa por um sistema de purificação que elimina as bactérias- é tão limpa que seu uso inicial foi em máquinas de hemodiálise. Para ser consumida, ela precisa passar por um segundo filtro, que adiciona sais minerais à solução.

Tudo o que a Wateair precisa para funcionar é estar ligada na tomada. Quanto mais úmido estiver o ambiente, mais ela produz. Porém, se a umidade cair a menos de 10%, ela para de funcionar. Isso elimina o risco de deixar um ambiente fechado muito seco. No dia mais seco deste ano em São Paulo, o nível chegou a 19%.

Salgada A contadora Maria Helena Castro, 31, comprou uma máquina em maio para suprir a falta d'água no sítio dela em Itu (a 101 km de SP). Ela desembolsou R$ 120 mil na versão que produz até mil litros por dia. "Tinha problemas com falta de água desde fevereiro. Hoje, crio minhas galinhas, porcos, coelhos e irrigo minha plantação sem dor de cabeça", diz. Maria Helena conta que o preço compensa e que ainda não precisou fazer nenhuma troca de filtro ou manutenção. O inventor explica que, como os componentes da máquina são importados e a demanda ainda é pequena, os custos são elevados. "Tudo é encomendado e praticamente não existe nada feito em linha de produção", afirma. A menor máquina, que produz 30 litros por dia com a umidade relativa do ar a 80%, custa R$ 7.000. A maior, que chega a 5.000 litros por dia, é vendida por R$ 350 mil. Segundo o criador, o gasto de energia elétrica para fazer um litro de água é equivalente a R$ 0,17 em São Paulo. Portanto, encher uma caixa d'água de mil litros custa R$ 170. A Sabesp cobra em média R$ 7,25 (incluindo a tarifa de esgoto) para distribuir a mesma quantidade a uma família de quatro pessoas. Ainda assim, o inventor diz que a procura pela máquina aumentou exponencialmente nos últimos meses. "Os clientes antes eram escolas ou pessoas que precisavam de água potável em menor quantidade. Agora, vendemos a restaurantes, produtores de remédios e outros prejudicados pelo fornecimento de água e pela dificuldade da captação por poços", diz. Segundo o engenheiro, um aparelho de ar-condicionado comum faz algo semelhante, mas produz água com metais pesados e bactérias. Paulino começou o projeto nos anos 1990, numa multinacional. Em 2006, passou a desenvolver a máquina com o próprio dinheiro. Quatro anos depois, conseguiu atestar a qualidade da água produzida e patenteou a Wateair. Para o inventor, o aparelho pode ser uma das soluções para a crise. "Máquinas como essa em escala gigante e a dessalinização da água do mar são opções para o futuro de São Paulo." Como funciona 1 - Turbinas aspiram o ar para dentro da máquina 2 - As moléculas de água são condensadas e tornam-se líquidas 3 - Filtros e raios ultravioleta purificam a água 4 - Outro filtro adiciona sais minerais 5 - Pronta para ser consumida, a água é armazenada em um reservatório Fonte: Folha De S. Paulo

Engenheiro de São Paulo inventa máquina que 'fabrica' água


Por: Felipe Souza da Folha De S.Paulo

Falta de água, racionamento e calor são temas que preocupam o governo paulista nos últimos meses, em meio à maior crise hídrica da história. Para um inventor de Valinhos, a 85 km de São Paulo, a solução para esses problemas veio, literalmente, do ar.

Engenheiro mecatrônico, Pedro Ricardo Paulino patenteou em 2010 a Wateair, máquina que faz água condensando a umidade do ar.

A água produzida -que passa por um sistema de purificação que elimina as bactérias- é tão limpa que seu uso inicial foi em máquinas de hemodiálise. Para ser consumida, ela precisa passar por um segundo filtro, que adiciona sais minerais à solução.

Tudo o que a Wateair precisa para funcionar é estar ligada na tomada. Quanto mais úmido estiver o ambiente, mais ela produz. Porém, se a umidade cair a menos de 10%, ela para de funcionar. Isso elimina o risco de deixar um ambiente fechado muito seco. No dia mais seco deste ano em São Paulo, o nível chegou a 19%.

Salgada A contadora Maria Helena Castro, 31, comprou uma máquina em maio para suprir a falta d'água no sítio dela em Itu (a 101 km de SP). Ela desembolsou R$ 120 mil na versão que produz até mil litros por dia. "Tinha problemas com falta de água desde fevereiro. Hoje, crio minhas galinhas, porcos, coelhos e irrigo minha plantação sem dor de cabeça", diz. Maria Helena conta que o preço compensa e que ainda não precisou fazer nenhuma troca de filtro ou manutenção. O inventor explica que, como os componentes da máquina são importados e a demanda ainda é pequena, os custos são elevados. "Tudo é encomendado e praticamente não existe nada feito em linha de produção", afirma. A menor máquina, que produz 30 litros por dia com a umidade relativa do ar a 80%, custa R$ 7.000. A maior, que chega a 5.000 litros por dia, é vendida por R$ 350 mil. Segundo o criador, o gasto de energia elétrica para fazer um litro de água é equivalente a R$ 0,17 em São Paulo. Portanto, encher uma caixa d'água de mil litros custa R$ 170. A Sabesp cobra em média R$ 7,25 (incluindo a tarifa de esgoto) para distribuir a mesma quantidade a uma família de quatro pessoas. Ainda assim, o inventor diz que a procura pela máquina aumentou exponencialmente nos últimos meses. "Os clientes antes eram escolas ou pessoas que precisavam de água potável em menor quantidade. Agora, vendemos a restaurantes, produtores de remédios e outros prejudicados pelo fornecimento de água e pela dificuldade da captação por poços", diz. Segundo o engenheiro, um aparelho de ar-condicionado comum faz algo semelhante, mas produz água com metais pesados e bactérias. Paulino começou o projeto nos anos 1990, numa multinacional. Em 2006, passou a desenvolver a máquina com o próprio dinheiro. Quatro anos depois, conseguiu atestar a qualidade da água produzida e patenteou a Wateair. Para o inventor, o aparelho pode ser uma das soluções para a crise. "Máquinas como essa em escala gigante e a dessalinização da água do mar são opções para o futuro de São Paulo." Como funciona 1 - Turbinas aspiram o ar para dentro da máquina 2 - As moléculas de água são condensadas e tornam-se líquidas 3 - Filtros e raios ultravioleta purificam a água 4 - Outro filtro adiciona sais minerais 5 - Pronta para ser consumida, a água é armazenada em um reservatório Fonte: Folha De S. Paulo

Por Julio Lobo

 Com os casos de Ebola continuando a surgir em vários pontos do mundo é importante entender qual o real risco que sofremos em casos de doenças contagiosas. Hoje vamos discutir qual a velocidade que uma doença pode se espalhar e chegar aí, na sua casa.

Nós sabemos que gripes podem se espalhar como fogo selvagem principalmente em escritórios fechados e escolas, porém é virtualmente impossível termos dados de contágio que sejam fiéis a realidade. Isso acontece pois ninguém conseguirá lembrar com quantas pessoas entrou em contato direto ou indireto no dia.

Para obter uma estimativa geral, estudantes da Universidade de Stanford realizaram um experimento bastante interessante. Os pesquisadores selecionaram 788 estudantes voluntários para um projeto de pesquisa onde cada indivíduo carregou consigo um sensor de proximidade do tamanho de uma caixa de fósforo ao redor do pescoço durante o dia.
Sensor utilizado no experimento
O sensor registrou uma interação quando chegava próximo de outro sensor, ou seja, quando um aluno estava em contato próximo com o outro. Os sensores foram configurados para só registrarem quando chegassem a uma distância semelhante a necessária para realizar o contágio da gripe.

Resultado? No final de apenas um dia os pesquisadores coletaram os dados e encontraram um total de 762.868 interações registradas, isso em apenas 788 estudantes! Apesar de haverem algumas diferenças nas quantidades de interações entre cada indivíduo, os números eram muito próximos de maneira geral.

Fato é que, ao aumentarmos estes números em termos de escala global, os dados se tornam impressionantes e preocupantes. Além disso, com velocidade de transporte que temos hoje em dia a distância geográfica se torna irrelevante, visto que em menos de um dia um indivíduo contaminado pode cruzar continentes.

Se vocês quiserem conferir, o site do Financial Times disponibilizou uma simulação de como o contágio aconteceria por meio de viagens internacionais.

Basta clicar aqui para verificar o simulador.

Enfim, com todos estes dados é clara a necessidade dos países tomarem medidas rígidas para controlar o avanço de tais doenças, não é? Infelizmente não é o que acontece. Veja só:

Atualmente 8 países já tiveram casos confirmados de Ebola;
Mais de 200 profissionais da área da saúde já morreram durante a luta contra a pandemia;
Na Espanha um paciente em isolamento acabou por contaminar uma enfermeira que o atendia, mesmo esta usando todas as proteções adequadas, o que evidencia falha nos processos de segurança;
Nos EUA, dos 5.700 hospitais disponíveis em todo o país, somente quatro estão equipados para tratar pacientes com Ebola e nestes quatro só existem 19 leitos.

Preferi manter os dados somente de países mais avançados que o nosso para mostrar que se a realidade deles está ruim, a nossa provavelmente poderá ficar pior se não nos cuidarmos. Se um dos países mais ricos atualmente só pode tratar 19 pessoas contaminadas, quantas nós podemos?

Pois é. O maior ponto de preocupação é que pelo o Ebola é um vírus e, por isso, pode facilmente sofrer uma mutação (dado o contágio persistente entre humanos) e piorar o cenário radicalmente. Não gosto de ser alarmista, mas é fato de que estou severamente preocupado com o aumento dos relatos e principalmente das informações e boatos desencontrados que ouvimos por aí.

Se você quiser entender um pouco mais sobre o Ebola e como se proteger contra uma possível pandemia deste vírus recomendo que veja este vídeo que gravei mês passado. Apesar de ter alguns dados relativamente desatualizados, o contexto ainda é o mesmo. Segue:



Estejam atentos e não se deixem enganar. Procurem por mais de uma fonte quando ouvirem uma notícia preocupante e busquem criar planos de isolamento para você e sua família caso as coisas desandem de vez.

Até.

Fonte: Sobrevivencialismo

Sobrevivencialismo: pandemia, Com que velocidade uma doença pode se espalhar?

Por Julio Lobo

 Com os casos de Ebola continuando a surgir em vários pontos do mundo é importante entender qual o real risco que sofremos em casos de doenças contagiosas. Hoje vamos discutir qual a velocidade que uma doença pode se espalhar e chegar aí, na sua casa.

Nós sabemos que gripes podem se espalhar como fogo selvagem principalmente em escritórios fechados e escolas, porém é virtualmente impossível termos dados de contágio que sejam fiéis a realidade. Isso acontece pois ninguém conseguirá lembrar com quantas pessoas entrou em contato direto ou indireto no dia.

Para obter uma estimativa geral, estudantes da Universidade de Stanford realizaram um experimento bastante interessante. Os pesquisadores selecionaram 788 estudantes voluntários para um projeto de pesquisa onde cada indivíduo carregou consigo um sensor de proximidade do tamanho de uma caixa de fósforo ao redor do pescoço durante o dia.
Sensor utilizado no experimento
O sensor registrou uma interação quando chegava próximo de outro sensor, ou seja, quando um aluno estava em contato próximo com o outro. Os sensores foram configurados para só registrarem quando chegassem a uma distância semelhante a necessária para realizar o contágio da gripe.

Resultado? No final de apenas um dia os pesquisadores coletaram os dados e encontraram um total de 762.868 interações registradas, isso em apenas 788 estudantes! Apesar de haverem algumas diferenças nas quantidades de interações entre cada indivíduo, os números eram muito próximos de maneira geral.

Fato é que, ao aumentarmos estes números em termos de escala global, os dados se tornam impressionantes e preocupantes. Além disso, com velocidade de transporte que temos hoje em dia a distância geográfica se torna irrelevante, visto que em menos de um dia um indivíduo contaminado pode cruzar continentes.

Se vocês quiserem conferir, o site do Financial Times disponibilizou uma simulação de como o contágio aconteceria por meio de viagens internacionais.

Basta clicar aqui para verificar o simulador.

Enfim, com todos estes dados é clara a necessidade dos países tomarem medidas rígidas para controlar o avanço de tais doenças, não é? Infelizmente não é o que acontece. Veja só:

Atualmente 8 países já tiveram casos confirmados de Ebola;
Mais de 200 profissionais da área da saúde já morreram durante a luta contra a pandemia;
Na Espanha um paciente em isolamento acabou por contaminar uma enfermeira que o atendia, mesmo esta usando todas as proteções adequadas, o que evidencia falha nos processos de segurança;
Nos EUA, dos 5.700 hospitais disponíveis em todo o país, somente quatro estão equipados para tratar pacientes com Ebola e nestes quatro só existem 19 leitos.

Preferi manter os dados somente de países mais avançados que o nosso para mostrar que se a realidade deles está ruim, a nossa provavelmente poderá ficar pior se não nos cuidarmos. Se um dos países mais ricos atualmente só pode tratar 19 pessoas contaminadas, quantas nós podemos?

Pois é. O maior ponto de preocupação é que pelo o Ebola é um vírus e, por isso, pode facilmente sofrer uma mutação (dado o contágio persistente entre humanos) e piorar o cenário radicalmente. Não gosto de ser alarmista, mas é fato de que estou severamente preocupado com o aumento dos relatos e principalmente das informações e boatos desencontrados que ouvimos por aí.

Se você quiser entender um pouco mais sobre o Ebola e como se proteger contra uma possível pandemia deste vírus recomendo que veja este vídeo que gravei mês passado. Apesar de ter alguns dados relativamente desatualizados, o contexto ainda é o mesmo. Segue:



Estejam atentos e não se deixem enganar. Procurem por mais de uma fonte quando ouvirem uma notícia preocupante e busquem criar planos de isolamento para você e sua família caso as coisas desandem de vez.

Até.

Fonte: Sobrevivencialismo

Por Eremita Urbano

Ouço muito a frase: “Ah, X coisa não acontece no Brasil, não precisamos nos preocupar.”

Eu digo que qualquer coisa pode acontecer e justamente foi essa a motivação para tecer algumas linhas sobre um problema grave acontecido aqui, mas ainda assim esquecido por muitos. Eu tinha 13 anos quando ocorreu essa crise e quase três décadas depois ainda me lembro do despreparo das autoridades e do caos gerado.

Já que fazem 27 anos desde o maior acidente radiológico do mundo, que ocorreu aqui no Brasil. Quase ninguém mais se lembra, mas passamos por um grave problema com radiação e muitas pessoas que trabalharam no processo de descontaminação, que foram enviadas para fazer o trabalho sem equipamentos de segurança, ainda hoje lutam para ter direito a pensões.

Muitos policiais militares estão na mesma situação. Apesar de terem sido mandados fazer a segurança do local pelo governo sem nenhuma proteção, os que ainda vivem estão com pouco senão nenhum amparo.

Você acha que o governo brasileiro e seus órgãos realmente estão preparados para gerir crises? Eles sabem realmente o que fazer? Eu afirmo que não. Basta observar este fato, que é uma mistura de falta de informação com irresponsabilidade do poder público, aliado a falta de bom senso. Ele mostra claramente que não dá para confiar em gerenciamento de crises no Brasil.

Vejam o quão fácil é ocorrer uma grande catástrofe.

Dois catadores de lixo encontram abandonado em uma avenida de Goiânia-GO um equipamento de radiodiagnóstico. O equipamento era revestido de 304 quilos de chumbo, uma blindagem de aço de 120 quilos e mais outra blindagem de platina, que isolava a cápsula que continha a substância radioativa.

Como o chumbo tem um bom valor de revenda, eles “meteram a marreta”, desmontaram o aparelho e levaram tudo em um carrinho de mão para casa. A partir daí deu-se inicio um dos maiores acidentes radiológicos do mundo.

Dados extraoficiais contam que 3.200 vítimas foram contaminadas de diferentes formas.

Os “técnicos” que fizeram o trabalho de descontaminação do local, que tiraram as 13.500 toneladas de material contaminado foram os chamados de “chapas”, os mesmos contratados para fazer transporte de sacarias e mudanças. Além deles foram chamados muitos funcionários públicos como policiais, bombeiros e agentes de limpeza – que claro foram contaminados. Homens e mulheres carregaram esses entulhos para tambores e contêineres, trabalharam sem nenhuma proteção, totalmente expostos a radiação sem ter nenhuma ideia dos riscos à que estavam expostos.

Caso você queira ver a notícia inteira basta clicar aqui. O objetivo de ler esse artigo é ver o quão fácil é para uma grande catástrofe ocorrer.

Lembrem-se: Estejam sempre atentos.

Fonte: Sobrevivencialismo

Sobrevivencialismo:Acidentes radioativos – No Brasil não acontece! Será mesmo?

Por Eremita Urbano

Ouço muito a frase: “Ah, X coisa não acontece no Brasil, não precisamos nos preocupar.”

Eu digo que qualquer coisa pode acontecer e justamente foi essa a motivação para tecer algumas linhas sobre um problema grave acontecido aqui, mas ainda assim esquecido por muitos. Eu tinha 13 anos quando ocorreu essa crise e quase três décadas depois ainda me lembro do despreparo das autoridades e do caos gerado.

Já que fazem 27 anos desde o maior acidente radiológico do mundo, que ocorreu aqui no Brasil. Quase ninguém mais se lembra, mas passamos por um grave problema com radiação e muitas pessoas que trabalharam no processo de descontaminação, que foram enviadas para fazer o trabalho sem equipamentos de segurança, ainda hoje lutam para ter direito a pensões.

Muitos policiais militares estão na mesma situação. Apesar de terem sido mandados fazer a segurança do local pelo governo sem nenhuma proteção, os que ainda vivem estão com pouco senão nenhum amparo.

Você acha que o governo brasileiro e seus órgãos realmente estão preparados para gerir crises? Eles sabem realmente o que fazer? Eu afirmo que não. Basta observar este fato, que é uma mistura de falta de informação com irresponsabilidade do poder público, aliado a falta de bom senso. Ele mostra claramente que não dá para confiar em gerenciamento de crises no Brasil.

Vejam o quão fácil é ocorrer uma grande catástrofe.

Dois catadores de lixo encontram abandonado em uma avenida de Goiânia-GO um equipamento de radiodiagnóstico. O equipamento era revestido de 304 quilos de chumbo, uma blindagem de aço de 120 quilos e mais outra blindagem de platina, que isolava a cápsula que continha a substância radioativa.

Como o chumbo tem um bom valor de revenda, eles “meteram a marreta”, desmontaram o aparelho e levaram tudo em um carrinho de mão para casa. A partir daí deu-se inicio um dos maiores acidentes radiológicos do mundo.

Dados extraoficiais contam que 3.200 vítimas foram contaminadas de diferentes formas.

Os “técnicos” que fizeram o trabalho de descontaminação do local, que tiraram as 13.500 toneladas de material contaminado foram os chamados de “chapas”, os mesmos contratados para fazer transporte de sacarias e mudanças. Além deles foram chamados muitos funcionários públicos como policiais, bombeiros e agentes de limpeza – que claro foram contaminados. Homens e mulheres carregaram esses entulhos para tambores e contêineres, trabalharam sem nenhuma proteção, totalmente expostos a radiação sem ter nenhuma ideia dos riscos à que estavam expostos.

Caso você queira ver a notícia inteira basta clicar aqui. O objetivo de ler esse artigo é ver o quão fácil é para uma grande catástrofe ocorrer.

Lembrem-se: Estejam sempre atentos.

Fonte: Sobrevivencialismo

Por Julio Lobo 

 Sempre que entro nas redes sociais me deparo com uma série de postagens de colegas sobrevivencialistas falando de desastres que estão ocorrendo e o quão rápido precisamos nos preparar para não sermos vítimas deles. Para piorar, alguns publicam textos quase que proféticos sobre um possível apocalipse e muitos apoiam tais postagens, mas isso me faz pensar sobre um ponto muito importante… Até que ponto a preocupação e prevenção deixa de ser saudável?

Fico muito preocupado em sentir que para algumas pessoas o sobrevivencialismo é a única atuação que existe em suas vidas. Isso é ERRADO. Quando comecei a estudar sobre esta ideologia percebi claramente que o sobrevivencialismo é uma complementação da vida, não o objetivo principal.

O sobrevivencialismo é uma forma de pensar que lhe dá maior segurança para que você possa aproveitar sua vida com mais tranquilidade, e é isso. A partir do momento que suas preparações e planos começam a prejudicar ou ofuscar o real objetivo, que é a tranquilidade, alguma coisa está errada.

Provo isso com um exemplo muito real, o de minha vida. Todos os dias acordo e vivo minha vida ao máximo. Estou estudando e trabalhando como um louco, praticando para o meu primeiro Triathlon e desenvolvendo uma série de projetos ousados que muitas vezes só deus sabe no que vão dar. Isso quer dizer que não me importo com as catástrofes que ocorrem mundo a fora?

A resposta é simples: Me importo, porém não vivo imerso em ansiedade ou sofrendo por antecipação.
Ser um sobrevivencialista é acordar todos os dias e dar o melhor de si em todas suas atividades, sejam profissionais ou pessoais e ir dormir tendo a certeza de que o dia de amanhã será melhor ainda. Sabe por que? Pois as ferramentas e técnicas que desenvolvemos nos garantem esse sono tranquilo.

Claro, caso o dia de amanhã não seja “melhor ainda”, tenho todas minhas preparações e técnicas em dia e devidamente preparadas para uso em caso de necessidade.

O mundo anda bastante confuso e agressivo, porém se você se deixar contaminar por esse clima estará limitando sua vida e sofrendo por tabela. Já vi colegas adotarem posturas extremistas e quase que fóbicas, evitando sair de casa e criando planos para evitar quaisquer eventos sociais ou do gênero… Isso meu amigo, é perigoso.

Deixo aqui um recado muito importante para todos aqueles que perceberam estar no time dos “paranóicos”:

Não use do sobrevivencialismo para justificar suas inseguranças e medos de sair lá fora e conquistar o que você quer na vida, isso não é justo contigo e também prejudica imensamente a imagem que todos os dias tentamos construir do movimento sobrevivencialista. Entenda que ser preparador é uma coisa, ser fóbico é outra.

Leia notícias, saiba o que anda acontecendo no mundo e em sua região e prepare-se de acordo, porém pare por aí. O dia que algo efetivamente acontecer você poderá ativar seus planos e dar o melhor de si para sair da situação, mas até lá, seja o melhor que você conseguir com as pessoas e nunca, nunca limite seus planos de vida ou desejos simplesmente por algo que poderá eventualmente acontecer.

O prevenido morreu de velho, mas o ansioso morreu jovem de estresse e depressão.

Fonte: Sobrevivencialismo

Sobrevivencialismo:Você é paranóico ou prevenido?

Por Julio Lobo 

 Sempre que entro nas redes sociais me deparo com uma série de postagens de colegas sobrevivencialistas falando de desastres que estão ocorrendo e o quão rápido precisamos nos preparar para não sermos vítimas deles. Para piorar, alguns publicam textos quase que proféticos sobre um possível apocalipse e muitos apoiam tais postagens, mas isso me faz pensar sobre um ponto muito importante… Até que ponto a preocupação e prevenção deixa de ser saudável?

Fico muito preocupado em sentir que para algumas pessoas o sobrevivencialismo é a única atuação que existe em suas vidas. Isso é ERRADO. Quando comecei a estudar sobre esta ideologia percebi claramente que o sobrevivencialismo é uma complementação da vida, não o objetivo principal.

O sobrevivencialismo é uma forma de pensar que lhe dá maior segurança para que você possa aproveitar sua vida com mais tranquilidade, e é isso. A partir do momento que suas preparações e planos começam a prejudicar ou ofuscar o real objetivo, que é a tranquilidade, alguma coisa está errada.

Provo isso com um exemplo muito real, o de minha vida. Todos os dias acordo e vivo minha vida ao máximo. Estou estudando e trabalhando como um louco, praticando para o meu primeiro Triathlon e desenvolvendo uma série de projetos ousados que muitas vezes só deus sabe no que vão dar. Isso quer dizer que não me importo com as catástrofes que ocorrem mundo a fora?

A resposta é simples: Me importo, porém não vivo imerso em ansiedade ou sofrendo por antecipação.
Ser um sobrevivencialista é acordar todos os dias e dar o melhor de si em todas suas atividades, sejam profissionais ou pessoais e ir dormir tendo a certeza de que o dia de amanhã será melhor ainda. Sabe por que? Pois as ferramentas e técnicas que desenvolvemos nos garantem esse sono tranquilo.

Claro, caso o dia de amanhã não seja “melhor ainda”, tenho todas minhas preparações e técnicas em dia e devidamente preparadas para uso em caso de necessidade.

O mundo anda bastante confuso e agressivo, porém se você se deixar contaminar por esse clima estará limitando sua vida e sofrendo por tabela. Já vi colegas adotarem posturas extremistas e quase que fóbicas, evitando sair de casa e criando planos para evitar quaisquer eventos sociais ou do gênero… Isso meu amigo, é perigoso.

Deixo aqui um recado muito importante para todos aqueles que perceberam estar no time dos “paranóicos”:

Não use do sobrevivencialismo para justificar suas inseguranças e medos de sair lá fora e conquistar o que você quer na vida, isso não é justo contigo e também prejudica imensamente a imagem que todos os dias tentamos construir do movimento sobrevivencialista. Entenda que ser preparador é uma coisa, ser fóbico é outra.

Leia notícias, saiba o que anda acontecendo no mundo e em sua região e prepare-se de acordo, porém pare por aí. O dia que algo efetivamente acontecer você poderá ativar seus planos e dar o melhor de si para sair da situação, mas até lá, seja o melhor que você conseguir com as pessoas e nunca, nunca limite seus planos de vida ou desejos simplesmente por algo que poderá eventualmente acontecer.

O prevenido morreu de velho, mas o ansioso morreu jovem de estresse e depressão.

Fonte: Sobrevivencialismo

Nesta quarta feira, dia 17 de Setembro de 2014, um grupo de três alunos denunciaram a geo-engenharia em uma exposição na Feira do Conhecimento, evento regional que aconteceu no Centro de Convenções do Município de São José, situado na Grande Florianópolis.

Os jovens, coordenados por seu professor, elaboraram uma bela exposição com direito a banners, reportagens e recursos digitais com Notebook e Tablets. Tudo isso para prover ao espectador uma experiencia o mais completa possível da realidade da geoengenharia, visto que a distância que as pessoas comuns estão deste conhecimento é tão grande, que para muitos é difícil processar essas informações. No entanto, este problema pedagógico foi resolvido com a eficiência dos alunos para expor o tema e a ilustração simultânea de imagens passadas na tela dos computadores diante dos espectadores curiosos.

Dentre os espectadores, as crianças foram as que mais se interessaram. Atraídas pelas imagens de nuvens e aviões, paravam para ouvir as explicações dos expositores. Mesmo tratando-se de uma linguagem complexa, as crianças apreciavam as explicações e se fascinavam com as imagens coloridas.

Mas é claro que não foram só as crianças as interessadas. Por ali passaram adolescentes, pais e também professores, muitos destes, de química, física, biologia e etc. Em muitos momentos perguntas céticas foram feitas, mas os alunos estavam preparados para respondê-las e deram o melhor de si, afinal pesquisaram com dedicação o tema que estavam exibindo.

Essa é uma iniciativa muito importante, pois trata-se da geo-engenharia sendo exposta em um evento educacional. Ou seja, são crianças e jovens, a futura geração, tendo acesso pela primeira vez a essa realidade. Isso é fundamental para o processo de conscientização a respeito da existência da geo-engenharia no mundo atual. (Por Oberon de Mello)



Obs: Se não funcionar o video acesse aqui.

Referências:
Chemtrails Brasil , Blog Anti-NOM

Fonte: Fórum Anti Nova Ordem Mundial

Alunos da rede pública denunciam geo-engenharia (Chemtrail) em feira de ciências

Nesta quarta feira, dia 17 de Setembro de 2014, um grupo de três alunos denunciaram a geo-engenharia em uma exposição na Feira do Conhecimento, evento regional que aconteceu no Centro de Convenções do Município de São José, situado na Grande Florianópolis.

Os jovens, coordenados por seu professor, elaboraram uma bela exposição com direito a banners, reportagens e recursos digitais com Notebook e Tablets. Tudo isso para prover ao espectador uma experiencia o mais completa possível da realidade da geoengenharia, visto que a distância que as pessoas comuns estão deste conhecimento é tão grande, que para muitos é difícil processar essas informações. No entanto, este problema pedagógico foi resolvido com a eficiência dos alunos para expor o tema e a ilustração simultânea de imagens passadas na tela dos computadores diante dos espectadores curiosos.

Dentre os espectadores, as crianças foram as que mais se interessaram. Atraídas pelas imagens de nuvens e aviões, paravam para ouvir as explicações dos expositores. Mesmo tratando-se de uma linguagem complexa, as crianças apreciavam as explicações e se fascinavam com as imagens coloridas.

Mas é claro que não foram só as crianças as interessadas. Por ali passaram adolescentes, pais e também professores, muitos destes, de química, física, biologia e etc. Em muitos momentos perguntas céticas foram feitas, mas os alunos estavam preparados para respondê-las e deram o melhor de si, afinal pesquisaram com dedicação o tema que estavam exibindo.

Essa é uma iniciativa muito importante, pois trata-se da geo-engenharia sendo exposta em um evento educacional. Ou seja, são crianças e jovens, a futura geração, tendo acesso pela primeira vez a essa realidade. Isso é fundamental para o processo de conscientização a respeito da existência da geo-engenharia no mundo atual. (Por Oberon de Mello)



Obs: Se não funcionar o video acesse aqui.

Referências:
Chemtrails Brasil , Blog Anti-NOM

Fonte: Fórum Anti Nova Ordem Mundial


Julio Lobo / Sobrevivencialismo

 Dentre os recursos necessários para se manter vivo em uma situação de crise ou até mesmo em um simples acampamento, o fogo é um dos pontos de grande destaque e importância.

Hoje aprenderemos a utilizar a pederneira, equipamento simples mas que já evita a dependência de apenas fósforos e isqueiros.

Confesso que deveria ter feito este vídeo há muito tempo atrás, mas o que importa é que consegui gravá-lo e espero que o mesmo seja útil para agregar conhecimento! Segue:



Enfatizo que não apoio a ideia de ir somente com uma pederneira para uma aventura. Apesar de ser um equipamento relativamente confiável, se você tiver a infelicidade de pegar um dia de chuva ou não encontrar isca apropriada pode acabar em uma situação desconfortável e potencialmente perigosa.

Treine bastante e carregue-a consigo como um backup mas nunca abra mão de outros iniciadores de fogo.

Vocês geralmente carregam pederneiras quando acampam? Quais as experiências que já tiveram com esse equipamento?

Até.

Fonte: Sobrevivencialismo

Sobrevivencialismo:Como fazer fogo com uma pederneira?

Julio Lobo / Sobrevivencialismo

 Dentre os recursos necessários para se manter vivo em uma situação de crise ou até mesmo em um simples acampamento, o fogo é um dos pontos de grande destaque e importância.

Hoje aprenderemos a utilizar a pederneira, equipamento simples mas que já evita a dependência de apenas fósforos e isqueiros.

Confesso que deveria ter feito este vídeo há muito tempo atrás, mas o que importa é que consegui gravá-lo e espero que o mesmo seja útil para agregar conhecimento! Segue:



Enfatizo que não apoio a ideia de ir somente com uma pederneira para uma aventura. Apesar de ser um equipamento relativamente confiável, se você tiver a infelicidade de pegar um dia de chuva ou não encontrar isca apropriada pode acabar em uma situação desconfortável e potencialmente perigosa.

Treine bastante e carregue-a consigo como um backup mas nunca abra mão de outros iniciadores de fogo.

Vocês geralmente carregam pederneiras quando acampam? Quais as experiências que já tiveram com esse equipamento?

Até.

Fonte: Sobrevivencialismo

Por Eremita Urbano / Sobrevivencialismo

Diversas são as vezes que vejo perguntas similares, e sinceramente tentar fazê-los aceitar é uma grande perda de tempo. A maioria das pessoas não tem a capacidade de abstrair o assunto, elas acreditam fortemente que o governo sempre vai cuidar delas e muitos não aceitam que algo ruim possa acontecer, acreditam realmente que são imunes a crises. Sendo assim acham uma grande perda de tempo e dinheiro se preparar.

Então, Eremita… Tenho que deixar tudo pra lá então? Bom amigo leitor, se não dá para você convencer o outro, use a sutileza.

Se tem problemas com isso na família pare de usar as palavras “sobrevivencialismo” e “preparação”, porque pra muitos isso é “coisa de doido que espera o fim do mundo”. Vamos usar das sutilezas na forma de pequenos “ganchos” que vão surgir e assim implementar, sem perceberem ao menos uma preparação mínima.

Em vez de falar pra sua família que vai fazer uma cisterna e colocar uma caixa d’água de 10.000 litros como parte de uma preparação, porque pode se ocorrer uma crise hídrica, faça diferente. Não use palavras “preparação” e “crise”.

Em um dia que faltar água fale simplesmente algo assim:

-Ah, não pessoal… Ficar sem água é tão ruim, isso está acontecendo muito e eu não quero passar por isso novamente, que tal aumentar o tamanho da caixa d’água para ter uma reserva maior? Essa falta de água está acontecendo direto mesmo!

Isso pode funcionar melhor.

Quando sua esposa brigar contigo porque você comprou mais uma “tranqueira que nunca usa” para por na mochila, diga tranquilamente, fazendo alguma analogia que não tenha nada a ver com sobrevivencialismo, por exemplo:

-Olha só meu bem, tem pessoas que gostam de colecionar latinhas, miniaturas de carros e você mesmo gosta de ter vários calçados, sendo que muitos você comprou e nunca usou, é tipo isso… É só uma coleção entende, uns gostam de colecionar calçados e eu gosto de colecionar essas coisas de camping, mesmo que eu nunca use eu acho legal entende? Mas prometo que só compro com o dinheiro que sobrar, nunca vou deixar de comprar algo para a família para comprar algo para coleção, tudo bem assim? Do mesmo modo que você gosta muito dos seus calçados, eu gosto muito dessas minhas coisas. Dê um sorriso e um beijo nela nesse momento!

Falando assim, as chances dela aceitar são maiores! Em um dia que o gás acabar a noite e estiver tudo fechado aproveite e diga:

-Nossa, que chato… Para evitar isso vamos aproveitar e comprar mais um ou dois botijões sobressalentes? Assim se um dia o gás acabar novamente a noite ou em um feriado a gente já tem de reserva o que acha?

Percebeu que sem estressar e nem comentar sobre preparação e sobrevivência você já conseguiu reserva de água, liberou sua mochila e combustível extra?

Continuemos… Em vez de dizer que quer comprar um estoque de comida pra 3 meses, porque se uma crise acontecer vão estar preparados, faça diferente. Em um dia de pequenas compras de muito calor e estando preso em um engarrafamento com a família diga:

-Pessoal tá complicado ficar comprando coisas toda semana, que tal na próxima fazermos compras para uns 2 meses? Assim não precisamos passar por esse sofrimento toda semana, vamos ficar mais confortáveis e economizar combustível que pode ser revertido em outra coisa mais útil… Como pizza em família, o que acham?

Eu pronto, fechou!

Você conseguiu ficar “de boa” com a sua mochila, ter uma reserva de água, reserva de combustível e reserva de alimentos, tudo isso de forma sutil. Você está preparado com algumas coisas importantes sem sequer ter mencionado com a família os termos sobrevivencialismo e preparação.

E claro que a lista pode ser muito maior, se sua esposa gosta de plantas que tal uma hortinha juntos e talvez envolver até os pequenos nos “cuidados com as plantinhas”? Pode ser muito bom para o relacionamento familiar fazer coisas juntos. Pense nisso!

Fazer alguém “aceitar o sobrevivencialismo” no meu modo de pensar é impossível. É a própria pessoa que tem que perceber por si mesma a importância e seguir o caminho pelos seu próprios passos, não tem como forçar, mas você deve sutilmente ir implementando algumas coisas e eles nem vão perceber que estão preparados.

E você amigo leitor, mais alguma dica de como fazer os outros se prepararem de forma sutil e sem estresse?

Fonte: Sobrevivencialismo

Sobrevivencialismo:Minha familia não gosta e acha estranho, como fazê-los aceitar a preparação e o sobrevivencialismo?

Por Eremita Urbano / Sobrevivencialismo

Diversas são as vezes que vejo perguntas similares, e sinceramente tentar fazê-los aceitar é uma grande perda de tempo. A maioria das pessoas não tem a capacidade de abstrair o assunto, elas acreditam fortemente que o governo sempre vai cuidar delas e muitos não aceitam que algo ruim possa acontecer, acreditam realmente que são imunes a crises. Sendo assim acham uma grande perda de tempo e dinheiro se preparar.

Então, Eremita… Tenho que deixar tudo pra lá então? Bom amigo leitor, se não dá para você convencer o outro, use a sutileza.

Se tem problemas com isso na família pare de usar as palavras “sobrevivencialismo” e “preparação”, porque pra muitos isso é “coisa de doido que espera o fim do mundo”. Vamos usar das sutilezas na forma de pequenos “ganchos” que vão surgir e assim implementar, sem perceberem ao menos uma preparação mínima.

Em vez de falar pra sua família que vai fazer uma cisterna e colocar uma caixa d’água de 10.000 litros como parte de uma preparação, porque pode se ocorrer uma crise hídrica, faça diferente. Não use palavras “preparação” e “crise”.

Em um dia que faltar água fale simplesmente algo assim:

-Ah, não pessoal… Ficar sem água é tão ruim, isso está acontecendo muito e eu não quero passar por isso novamente, que tal aumentar o tamanho da caixa d’água para ter uma reserva maior? Essa falta de água está acontecendo direto mesmo!

Isso pode funcionar melhor.

Quando sua esposa brigar contigo porque você comprou mais uma “tranqueira que nunca usa” para por na mochila, diga tranquilamente, fazendo alguma analogia que não tenha nada a ver com sobrevivencialismo, por exemplo:

-Olha só meu bem, tem pessoas que gostam de colecionar latinhas, miniaturas de carros e você mesmo gosta de ter vários calçados, sendo que muitos você comprou e nunca usou, é tipo isso… É só uma coleção entende, uns gostam de colecionar calçados e eu gosto de colecionar essas coisas de camping, mesmo que eu nunca use eu acho legal entende? Mas prometo que só compro com o dinheiro que sobrar, nunca vou deixar de comprar algo para a família para comprar algo para coleção, tudo bem assim? Do mesmo modo que você gosta muito dos seus calçados, eu gosto muito dessas minhas coisas. Dê um sorriso e um beijo nela nesse momento!

Falando assim, as chances dela aceitar são maiores! Em um dia que o gás acabar a noite e estiver tudo fechado aproveite e diga:

-Nossa, que chato… Para evitar isso vamos aproveitar e comprar mais um ou dois botijões sobressalentes? Assim se um dia o gás acabar novamente a noite ou em um feriado a gente já tem de reserva o que acha?

Percebeu que sem estressar e nem comentar sobre preparação e sobrevivência você já conseguiu reserva de água, liberou sua mochila e combustível extra?

Continuemos… Em vez de dizer que quer comprar um estoque de comida pra 3 meses, porque se uma crise acontecer vão estar preparados, faça diferente. Em um dia de pequenas compras de muito calor e estando preso em um engarrafamento com a família diga:

-Pessoal tá complicado ficar comprando coisas toda semana, que tal na próxima fazermos compras para uns 2 meses? Assim não precisamos passar por esse sofrimento toda semana, vamos ficar mais confortáveis e economizar combustível que pode ser revertido em outra coisa mais útil… Como pizza em família, o que acham?

Eu pronto, fechou!

Você conseguiu ficar “de boa” com a sua mochila, ter uma reserva de água, reserva de combustível e reserva de alimentos, tudo isso de forma sutil. Você está preparado com algumas coisas importantes sem sequer ter mencionado com a família os termos sobrevivencialismo e preparação.

E claro que a lista pode ser muito maior, se sua esposa gosta de plantas que tal uma hortinha juntos e talvez envolver até os pequenos nos “cuidados com as plantinhas”? Pode ser muito bom para o relacionamento familiar fazer coisas juntos. Pense nisso!

Fazer alguém “aceitar o sobrevivencialismo” no meu modo de pensar é impossível. É a própria pessoa que tem que perceber por si mesma a importância e seguir o caminho pelos seu próprios passos, não tem como forçar, mas você deve sutilmente ir implementando algumas coisas e eles nem vão perceber que estão preparados.

E você amigo leitor, mais alguma dica de como fazer os outros se prepararem de forma sutil e sem estresse?

Fonte: Sobrevivencialismo

Por: Julio Lobo / Sobrevivencialismo

Apesar de hoje termos comidas liofilizadas, rações e muitos outros itens alimentícios úteis para cenários de crise, a comidas enlatada sempre fará parte de nossos estoques e preparações devido a sua durabilidade e baixo preço.

Mas o que acontece se você, por alguma razão ou dificuldade, não tiver ferramentas para abrí-las?

Pensando em trazer um conhecimento potencialmente útil e ao mesmo tempo curioso, decidi filmar uma dica bem legal para caso você se veja nesta situação. Segue o vídeo:



Espero que tenham gostado! Nunca se sabe quando este tipo de conhecimento pode vir a ser útil. Vocês já conheciam esta dica?

Até.

Fonte: Sobrevivencialismo

Sobrevivencialismo: Dica rápida, como abrir enlatados sem abridor de latas

Por: Julio Lobo / Sobrevivencialismo

Apesar de hoje termos comidas liofilizadas, rações e muitos outros itens alimentícios úteis para cenários de crise, a comidas enlatada sempre fará parte de nossos estoques e preparações devido a sua durabilidade e baixo preço.

Mas o que acontece se você, por alguma razão ou dificuldade, não tiver ferramentas para abrí-las?

Pensando em trazer um conhecimento potencialmente útil e ao mesmo tempo curioso, decidi filmar uma dica bem legal para caso você se veja nesta situação. Segue o vídeo:



Espero que tenham gostado! Nunca se sabe quando este tipo de conhecimento pode vir a ser útil. Vocês já conheciam esta dica?

Até.

Fonte: Sobrevivencialismo

Por Eremita Urbano / Sobrivencialismo.

Quanto se fala em preparação, devemos inicialmente responder a pergunta – Porque se preparar? As respostas podem ultrapassar a casas das dezenas. Eu vou deixar aqui a minha resposta simples. Devemos nos preparar para ficar mais confortáveis diante de uma crise qualquer.

Simples assim! Mas, nós humanos tendemos a buscar respostas rebuscadas e muitos tem dificuldade para assimilar a simplicidade. Por isso, vou elaborar um pouco mais.

Quando eu digo crise, estou falando de qualquer evento que altere a ordem natural das coisas. Em resumo, você pode se preparar para: Mudanças climáticas, terremotos, tsunamis, vulcões, meteoros, tempestade solar, epidemias, pandemias, desastres industriais, vazamento de produtos químicos, radioatividade, contaminação biológica, guerras, golpes de estado, violência urbana, guerra civil, opressão governamental, anarquia, colapso dos serviços públicos, hiperinflação, recessão, falta de crédito, captura do dinheiro nos bancos, invasão alienígena, ira divina, zumbis, desemprego ou qualquer outra crise que se possa imaginar.

Mas no final, a resposta do porque se preparar é individual e baseada nas particularidades do lugar em que se vive e também de acordo com características pessoais de cada um.

Ouvi em um vídeo do Batata Sobrevivencialista uma frase que ilustra bem a necessidade de se preparar e não depender totalmente do sistema. Ele disse que numa crise “o estado não vai te ajudar em nada, muito pelo contrário, vai cortar sua água, desligar sua energia e se puder leiloar sua casa, seu carro e seus bens ele fará isso.

Reflita bastante sobre essa afirmação.

Cada um se prepara para um tipo de situação que acha que pode acontecer e sempre digo que qualquer preparação é válida, afinal uma preparação para zumbis pode ser servir também para uma crise econômica, já que provavelmente ela vai envolver por exemplo um estoque de comida. Seja qual for a sua escolha ela é válida, o importante é se precaver.

Eu por exemplo, tenho como foco a sobrevivência urbana e me preparo principalmente para poder enfrentar crises econômicas e crises pessoais como o desemprego, por exemplo. Esse tipo de preparação envolve, entre outras coisas, estoques e técnicas de autossuficiência.

O estudo de matérias ligadas ao sobrevivencialismo sempre tem me ajudado a enfrentar problemas,  eu não espero por tempestades solares, zumbis ou crises mundiais. Existe um perigo real e muito mais próximo. A qualquer momento, você pode ter que enfrentar uma “crise individual” que pode ser deflagrada por doenças, divórcio ou desemprego, então é bom ter reservas e estar preparado.

Como iniciar sua preparação?
Por onde começar a se preparar? Esta é uma pergunta muito recorrente entre o pessoal que está chegando e vai iniciar suas preparações. Sendo assim, gostaria de deixar a minha opinião sobre o assunto.

Deixo claro que é minha opinião, não é a única e nem deve ser considerada a certa, pois sempre vão existir as particularidades de cada um, mas sendo bem objetivo eu diria que são 3 etapas:
  • Montar seu “Kit diário”;
  • Montar uma “Mochila”;
  • Adquirir conhecimentos, habilidades e fazer demais preparações para casa ou refúgio.
Só isso! Nada como a simplicidade! :-)
É… Sei… Você deve estar pensando: “Como assim?”. Caímos naquela questão de assimilação de coisas simples demais, mas calma, vou elaborar um pouco mais, amigo leitor!
A primeira etapa, que você deve fazer a curto prazo é montar o seu “kit diário”, chamando no meio de: EDC – Every Day Carry. Ele é bem rápido de montar, são coisas que lhe ajudam em atividades corriqueiras e vão sempre estar com você, em todos os momentos. Existe muito material sobre o assunto e no final desse texto vou deixar algumas referências pra você.

“Toques do Eremita” – Como eu fiz/faço?
A parte mais importante é você se planejar! Eu assisti e li inúmeros autores falando sobre o assunto, ia anotando os itens que eu achava que seriam úteis pra mim em uma planilha, depois ia pensando sobre os itens, apagava alguns, substituía outros, mas sempre usando a planilha pra que eu não me perdesse na hora de fazer as aquisições. É muito importante de antemão saber do que se precisa para não ficar perdendo tempo na hora de adquirir itens.

Kit diário do Eremita
Abaixo vou colocar a planilha dos itens que eu uso mas não recomendo que você compre exatamente as mesmas coisas, elas se aplicam a minha realidade urbana e você tem que fazer o seu, baseado em suas necessidades! Use essa planilha apenas como exemplo para montar o seu.
Clique na imagem para ampliar
Perceba que ela inicia com o que considero meus itens principais: O canivete Victorinox Hiker( Para mim o melhor custo-benefício da marca), Alicate-Chaveiro Multifuncional Mor, Mini Lanterna Led Tática Sipik SK68 c/ Zoom e quanto ao  Isqueiro ZIPPO perceba que ele esta com sua quantidade e valor em branco, isso indica que eu ainda não pude comprar, mas pretendo um dia tê-lo.
Monte sua planilha escrevendo inicialmente o que você precisa e depois a medida que for comprando vá colocando as quantidades, valor, data de aquisição e vencimento caso se aplique, assim você vai saber exatamente o que você tem e o que ainda precisa adquirir, daí a importância da planilha que também vai servir de inventário.

Perceba que gosto de ter backups, tenho uma lanterna principal e mais outra no Alicate Mor, tenho a lâmina do Victorinox Hiker e outra também no alicate, carrego como item de fogo um isqueiro mini bic mas pretendo ter como principal o Zippo, que um dia ainda vou comprar. Essas sutilezas são pessoais e o que é bom pra mim pode não ser pra você, então planeje bem seu EDC.

Depois do kit segue para uma caixa onde carrego outros pequenos itens que considero úteis para o meu dia-a-dia e termina com uma relação inclusive do meu vestuário diário.

A parte boa de se fazer assim, é que você pode ter noção antecipada do quanto vai gastar e também saber o quanto já gastou em dinheiro com seu kit. Quando eu “coloquei no papel” fiquei surpreso com valores e com a quantidade de itens que dá pra se carregar de forma imperceptível, já que não uso mochila diariamente. Tudo isso vai comigo nos bolsos e se eu não falar, ninguém nota que eu os carrego e é muita coisa, vendo a listagem.

Outra coisa interessante de se ter a lista é que lendo a mesma de vez em quando, você não se esquece do que tem e não corre o risco de comprar itens duplicados sem necessidade.

O segundo passo, a médio prazo, seria a montagem sua “Mochila”, chamada no meio de BOB ou mochila de fuga, que em teoria seria responsável por lhe manter por 72 horas sem apoio algum de infraestrutura. Ela contempla bem mais itens que o EDC. Também coloco ao final do texto referências sobre esse tópico.

Do mesmo modo que eu fiz com o EDC, segue alguns exemplos de coisas que você pode ter na mochila. Perceba que a planilha está preenchida com itens ideais. Os que não tem quantidade são os que ainda devem ser adquiridos.
Clique para ampliar
Se você montar seu “kit diário” inicialmente já esta bom, montando também a sua “mochila” fica ótimo para quem esta iniciando.

O terceiro passo que seria algo a longo prazo são os: “Conhecimentos, habilidades e demais preparações em casa ou refúgio”. Aqui eu nem vou entrar em muitos detalhes, porque as possibilidades tendem ao infinito, mas nesse ponto você estaria se preparando e preparando sua casa ou refúgio pra ficar o mais “fora do sistema” possível. Para isso você vai tentar ficar autossuficiente em energia, fazendo uso de painéis solares (por exemplo), em relação a água vai construir um poço artesiano ou captar água da chuva, vai aprender a produzir seu próprio alimento com uma horta, criar galinhas ou coelhos, estocar comida de fácil preparo, aprender a conservar alimentos… Como eu disse, esse ponto é muito extenso! Basicamente são outros cuidados e “disciplinas” que tem que aprender, basta acompanhar os blogs ou grupos… Você vai vendo os assuntos que são tratados e se achar que o assunto é interessante pra você, inicie o aprendizado nele!

Pra ficar bem fácil de entender e fechar o assunto, vou colocar uma imagem que vai representar melhor o que há de ser feito. Como toda a mudança, esta deve ser feita de dentro para fora, então a leitura dessa imagem deverá ser feita também de dentro para fora.
Clique para ampliar
Perceba que você vai primeiro montar seu Kit diário – Agora você já sabe como.
Depois montar sua Mochila – Que você também agora já sabe como.

E por último e durante sua vida toda praticamente, você vai estar colocando os “tijolos” que vão lhe fortificar como sobrevivencialista/preparador. “Tijolos” esses que são os conhecimentos, habilidades e demais preparações em casa ou refúgio. Os que citei são alguns exemplos, mas é você que deve eleger quais “tijolos”  vai usar e a sequencia que vai aprender, para isso não existe regra pronta. Perceba que deixei a imagem com alguns exemplos e de forma proposital, também deixei lacunas que devem ser preenchidas por você mediante seu próprio contexto.

RESUMO
Todos devemos nos preparar para ficarmos mais confortáveis diante de uma crise qualquer. Devemos iniciar com um kit de itens de uso diário, depois uma mochila com itens úteis e por fim sempre estarmos nos fortificando com os vários “tijolos”que são os conhecimentos, habilidades e demais preparações em casa ou refúgio.

REFERÊNCIAS/ LINKS ÚTEIS




GLOSSÁRIO – PREPARADOR/SOBREVIVENCIALISTA

EDC - “Everyday Carry”: Itens que alguém não abdica no seu dia à dia e que serão utilizados em caso de necessidade.

BOB - “Bug Out Bag”: Mochila, mala ou saco que contenha no seu interior diversos bens necessários que garantam algum nível de subsistência até cerca de 72h para que seja possível avançar para um local seguro ou esperar pelo resgate. Geralmente contém comida, água, equipamento de primeiros socorros, equipamento de emergência, equipamento de comunicações, equipamento de defesa, lanterna e outros itens de necessidade (Sinônimos: BIB – “Bug In Bag”; GOOD KIT – “Get Out Of Dodge Kit”; INCH – “I’m Never Coming Home Kit”).

SHTF - Um dos acrónimos mais comuns que significa “Shit Hits The Fan” (alternativa: WTSHTF – “When The Shit Hits The Fan “. A tradução não poderia ser mais simples: Quando a mer%$@ atingir o ventilador. Este termo diz respeito a um acontecimento a nível local, nacional ou global que pode mudar radicalmente as nossas vidas.

BOV - “Bug Out Vehicle”, veículo usado para nos transportar para uma localização segura ou para nos ajudar a afastar de zonas de perigo.

BOL - “Bug Out Location” é uma localização segura previamente preparada e definida para tal de acordo com os nossos planos de atuação. Pode igualmente surgir definida como “retreat location”.

EMP (PEM no Brasil) – “Electromagnetic Pulse”: Pulso abrupto de radiação eletromagnética geralmente resultante de explosões com grande libertação de energia, especialmente explosões nucleares, fortes explosões solares, etc. De um modo geral, todos os equipamentos eletrônicos dos nossos dias que estejam dentro da área de impacto ficarão inutilizados.

EOTW - “End Of The World”, também chamado de TEOTWAWKI (“The End Of The World As We Know It” – O fim do mundo como conhecemos), descreve um acontecimento ou uma situação que pode causar o fim da vida ou do planeta (guerra nuclear, colisão de asteróide, etc.).

GOOD - “Get Out Of Dodge” é um termo usado para o momento em que devemos abandonar a zona onde num determinado momento nos encontramos para procurar uma localização segura.

WROL - Acrônimo para “WithOut Rule Of Law”. Basicamente descreve situações ou zonas que momentaneamente ou permanentemente ficam sem lei nem ordem.

OVELHAS - Termo usado para identificar a maioria da população que não está preparada para um cenário catastrófico e estão dependentes do sistema. Alguns num SHTF possivelmente optarão por um comportamento agressivo atacando, agredindo e roubando os que previamente se prepararam para o pior.

Eremita Urbano(@fortedoeremita) é Cientista da Computação, pós-graduando em Gestão da Tecnologia da Informação e Técnico em Administração Empresarial. Atuou mais de 10 anos como instrutor de computação e rotinas administrativas. Aficionado em aprender, acredita que o estudo do sobrevivencialismo e assuntos correlatos, pode nós aperfeiçoar e nos tornar humanos melhores.

Sobrivencialismo: Porque se preparar e como iniciar sua preparação

Por Eremita Urbano / Sobrivencialismo.

Quanto se fala em preparação, devemos inicialmente responder a pergunta – Porque se preparar? As respostas podem ultrapassar a casas das dezenas. Eu vou deixar aqui a minha resposta simples. Devemos nos preparar para ficar mais confortáveis diante de uma crise qualquer.

Simples assim! Mas, nós humanos tendemos a buscar respostas rebuscadas e muitos tem dificuldade para assimilar a simplicidade. Por isso, vou elaborar um pouco mais.

Quando eu digo crise, estou falando de qualquer evento que altere a ordem natural das coisas. Em resumo, você pode se preparar para: Mudanças climáticas, terremotos, tsunamis, vulcões, meteoros, tempestade solar, epidemias, pandemias, desastres industriais, vazamento de produtos químicos, radioatividade, contaminação biológica, guerras, golpes de estado, violência urbana, guerra civil, opressão governamental, anarquia, colapso dos serviços públicos, hiperinflação, recessão, falta de crédito, captura do dinheiro nos bancos, invasão alienígena, ira divina, zumbis, desemprego ou qualquer outra crise que se possa imaginar.

Mas no final, a resposta do porque se preparar é individual e baseada nas particularidades do lugar em que se vive e também de acordo com características pessoais de cada um.

Ouvi em um vídeo do Batata Sobrevivencialista uma frase que ilustra bem a necessidade de se preparar e não depender totalmente do sistema. Ele disse que numa crise “o estado não vai te ajudar em nada, muito pelo contrário, vai cortar sua água, desligar sua energia e se puder leiloar sua casa, seu carro e seus bens ele fará isso.

Reflita bastante sobre essa afirmação.

Cada um se prepara para um tipo de situação que acha que pode acontecer e sempre digo que qualquer preparação é válida, afinal uma preparação para zumbis pode ser servir também para uma crise econômica, já que provavelmente ela vai envolver por exemplo um estoque de comida. Seja qual for a sua escolha ela é válida, o importante é se precaver.

Eu por exemplo, tenho como foco a sobrevivência urbana e me preparo principalmente para poder enfrentar crises econômicas e crises pessoais como o desemprego, por exemplo. Esse tipo de preparação envolve, entre outras coisas, estoques e técnicas de autossuficiência.

O estudo de matérias ligadas ao sobrevivencialismo sempre tem me ajudado a enfrentar problemas,  eu não espero por tempestades solares, zumbis ou crises mundiais. Existe um perigo real e muito mais próximo. A qualquer momento, você pode ter que enfrentar uma “crise individual” que pode ser deflagrada por doenças, divórcio ou desemprego, então é bom ter reservas e estar preparado.

Como iniciar sua preparação?
Por onde começar a se preparar? Esta é uma pergunta muito recorrente entre o pessoal que está chegando e vai iniciar suas preparações. Sendo assim, gostaria de deixar a minha opinião sobre o assunto.

Deixo claro que é minha opinião, não é a única e nem deve ser considerada a certa, pois sempre vão existir as particularidades de cada um, mas sendo bem objetivo eu diria que são 3 etapas:
  • Montar seu “Kit diário”;
  • Montar uma “Mochila”;
  • Adquirir conhecimentos, habilidades e fazer demais preparações para casa ou refúgio.
Só isso! Nada como a simplicidade! :-)
É… Sei… Você deve estar pensando: “Como assim?”. Caímos naquela questão de assimilação de coisas simples demais, mas calma, vou elaborar um pouco mais, amigo leitor!
A primeira etapa, que você deve fazer a curto prazo é montar o seu “kit diário”, chamando no meio de: EDC – Every Day Carry. Ele é bem rápido de montar, são coisas que lhe ajudam em atividades corriqueiras e vão sempre estar com você, em todos os momentos. Existe muito material sobre o assunto e no final desse texto vou deixar algumas referências pra você.

“Toques do Eremita” – Como eu fiz/faço?
A parte mais importante é você se planejar! Eu assisti e li inúmeros autores falando sobre o assunto, ia anotando os itens que eu achava que seriam úteis pra mim em uma planilha, depois ia pensando sobre os itens, apagava alguns, substituía outros, mas sempre usando a planilha pra que eu não me perdesse na hora de fazer as aquisições. É muito importante de antemão saber do que se precisa para não ficar perdendo tempo na hora de adquirir itens.

Kit diário do Eremita
Abaixo vou colocar a planilha dos itens que eu uso mas não recomendo que você compre exatamente as mesmas coisas, elas se aplicam a minha realidade urbana e você tem que fazer o seu, baseado em suas necessidades! Use essa planilha apenas como exemplo para montar o seu.
Clique na imagem para ampliar
Perceba que ela inicia com o que considero meus itens principais: O canivete Victorinox Hiker( Para mim o melhor custo-benefício da marca), Alicate-Chaveiro Multifuncional Mor, Mini Lanterna Led Tática Sipik SK68 c/ Zoom e quanto ao  Isqueiro ZIPPO perceba que ele esta com sua quantidade e valor em branco, isso indica que eu ainda não pude comprar, mas pretendo um dia tê-lo.
Monte sua planilha escrevendo inicialmente o que você precisa e depois a medida que for comprando vá colocando as quantidades, valor, data de aquisição e vencimento caso se aplique, assim você vai saber exatamente o que você tem e o que ainda precisa adquirir, daí a importância da planilha que também vai servir de inventário.

Perceba que gosto de ter backups, tenho uma lanterna principal e mais outra no Alicate Mor, tenho a lâmina do Victorinox Hiker e outra também no alicate, carrego como item de fogo um isqueiro mini bic mas pretendo ter como principal o Zippo, que um dia ainda vou comprar. Essas sutilezas são pessoais e o que é bom pra mim pode não ser pra você, então planeje bem seu EDC.

Depois do kit segue para uma caixa onde carrego outros pequenos itens que considero úteis para o meu dia-a-dia e termina com uma relação inclusive do meu vestuário diário.

A parte boa de se fazer assim, é que você pode ter noção antecipada do quanto vai gastar e também saber o quanto já gastou em dinheiro com seu kit. Quando eu “coloquei no papel” fiquei surpreso com valores e com a quantidade de itens que dá pra se carregar de forma imperceptível, já que não uso mochila diariamente. Tudo isso vai comigo nos bolsos e se eu não falar, ninguém nota que eu os carrego e é muita coisa, vendo a listagem.

Outra coisa interessante de se ter a lista é que lendo a mesma de vez em quando, você não se esquece do que tem e não corre o risco de comprar itens duplicados sem necessidade.

O segundo passo, a médio prazo, seria a montagem sua “Mochila”, chamada no meio de BOB ou mochila de fuga, que em teoria seria responsável por lhe manter por 72 horas sem apoio algum de infraestrutura. Ela contempla bem mais itens que o EDC. Também coloco ao final do texto referências sobre esse tópico.

Do mesmo modo que eu fiz com o EDC, segue alguns exemplos de coisas que você pode ter na mochila. Perceba que a planilha está preenchida com itens ideais. Os que não tem quantidade são os que ainda devem ser adquiridos.
Clique para ampliar
Se você montar seu “kit diário” inicialmente já esta bom, montando também a sua “mochila” fica ótimo para quem esta iniciando.

O terceiro passo que seria algo a longo prazo são os: “Conhecimentos, habilidades e demais preparações em casa ou refúgio”. Aqui eu nem vou entrar em muitos detalhes, porque as possibilidades tendem ao infinito, mas nesse ponto você estaria se preparando e preparando sua casa ou refúgio pra ficar o mais “fora do sistema” possível. Para isso você vai tentar ficar autossuficiente em energia, fazendo uso de painéis solares (por exemplo), em relação a água vai construir um poço artesiano ou captar água da chuva, vai aprender a produzir seu próprio alimento com uma horta, criar galinhas ou coelhos, estocar comida de fácil preparo, aprender a conservar alimentos… Como eu disse, esse ponto é muito extenso! Basicamente são outros cuidados e “disciplinas” que tem que aprender, basta acompanhar os blogs ou grupos… Você vai vendo os assuntos que são tratados e se achar que o assunto é interessante pra você, inicie o aprendizado nele!

Pra ficar bem fácil de entender e fechar o assunto, vou colocar uma imagem que vai representar melhor o que há de ser feito. Como toda a mudança, esta deve ser feita de dentro para fora, então a leitura dessa imagem deverá ser feita também de dentro para fora.
Clique para ampliar
Perceba que você vai primeiro montar seu Kit diário – Agora você já sabe como.
Depois montar sua Mochila – Que você também agora já sabe como.

E por último e durante sua vida toda praticamente, você vai estar colocando os “tijolos” que vão lhe fortificar como sobrevivencialista/preparador. “Tijolos” esses que são os conhecimentos, habilidades e demais preparações em casa ou refúgio. Os que citei são alguns exemplos, mas é você que deve eleger quais “tijolos”  vai usar e a sequencia que vai aprender, para isso não existe regra pronta. Perceba que deixei a imagem com alguns exemplos e de forma proposital, também deixei lacunas que devem ser preenchidas por você mediante seu próprio contexto.

RESUMO
Todos devemos nos preparar para ficarmos mais confortáveis diante de uma crise qualquer. Devemos iniciar com um kit de itens de uso diário, depois uma mochila com itens úteis e por fim sempre estarmos nos fortificando com os vários “tijolos”que são os conhecimentos, habilidades e demais preparações em casa ou refúgio.

REFERÊNCIAS/ LINKS ÚTEIS




GLOSSÁRIO – PREPARADOR/SOBREVIVENCIALISTA

EDC - “Everyday Carry”: Itens que alguém não abdica no seu dia à dia e que serão utilizados em caso de necessidade.

BOB - “Bug Out Bag”: Mochila, mala ou saco que contenha no seu interior diversos bens necessários que garantam algum nível de subsistência até cerca de 72h para que seja possível avançar para um local seguro ou esperar pelo resgate. Geralmente contém comida, água, equipamento de primeiros socorros, equipamento de emergência, equipamento de comunicações, equipamento de defesa, lanterna e outros itens de necessidade (Sinônimos: BIB – “Bug In Bag”; GOOD KIT – “Get Out Of Dodge Kit”; INCH – “I’m Never Coming Home Kit”).

SHTF - Um dos acrónimos mais comuns que significa “Shit Hits The Fan” (alternativa: WTSHTF – “When The Shit Hits The Fan “. A tradução não poderia ser mais simples: Quando a mer%$@ atingir o ventilador. Este termo diz respeito a um acontecimento a nível local, nacional ou global que pode mudar radicalmente as nossas vidas.

BOV - “Bug Out Vehicle”, veículo usado para nos transportar para uma localização segura ou para nos ajudar a afastar de zonas de perigo.

BOL - “Bug Out Location” é uma localização segura previamente preparada e definida para tal de acordo com os nossos planos de atuação. Pode igualmente surgir definida como “retreat location”.

EMP (PEM no Brasil) – “Electromagnetic Pulse”: Pulso abrupto de radiação eletromagnética geralmente resultante de explosões com grande libertação de energia, especialmente explosões nucleares, fortes explosões solares, etc. De um modo geral, todos os equipamentos eletrônicos dos nossos dias que estejam dentro da área de impacto ficarão inutilizados.

EOTW - “End Of The World”, também chamado de TEOTWAWKI (“The End Of The World As We Know It” – O fim do mundo como conhecemos), descreve um acontecimento ou uma situação que pode causar o fim da vida ou do planeta (guerra nuclear, colisão de asteróide, etc.).

GOOD - “Get Out Of Dodge” é um termo usado para o momento em que devemos abandonar a zona onde num determinado momento nos encontramos para procurar uma localização segura.

WROL - Acrônimo para “WithOut Rule Of Law”. Basicamente descreve situações ou zonas que momentaneamente ou permanentemente ficam sem lei nem ordem.

OVELHAS - Termo usado para identificar a maioria da população que não está preparada para um cenário catastrófico e estão dependentes do sistema. Alguns num SHTF possivelmente optarão por um comportamento agressivo atacando, agredindo e roubando os que previamente se prepararam para o pior.

Eremita Urbano(@fortedoeremita) é Cientista da Computação, pós-graduando em Gestão da Tecnologia da Informação e Técnico em Administração Empresarial. Atuou mais de 10 anos como instrutor de computação e rotinas administrativas. Aficionado em aprender, acredita que o estudo do sobrevivencialismo e assuntos correlatos, pode nós aperfeiçoar e nos tornar humanos melhores.


Por Eremita Urbano

Para ser um sobrevivencialista, o básico é saber fazer “fogo com pauzinhos” e “entender de tudo sobre sobrevivência na selva”?

No post de hoje eu vou falar um pouco da minha percepção do básico. O texto serve para os mais novos refletirem e para alguns pais, talvez, reverem alguns conceitos.

Falando do básico

Talvez você precise em algum momento de sua vida ficar sozinho em casa, ou até mesmo morar sozinho e a única coisa que sabe preparar pra comer é miojo porque você não foi instruído e preparado com um elemento básico de manutenção da vida, que é saber preparar comida.

Mas não se envergonhe, não tem problema… Continuemos a leitura.

Talvez você ou seus pais tenham muito dinheiro pra bancar empregados, para fazer de tudo pra você e não tem nada de errado nisso, mas é bacana que você também esteja preparado e saiba cuidar das suas coisas e de si mesmo.

Aquele kit de primeiros socorros na sua mochila não serve pra nada se não saber usar de verdade.

Sabe, você pode ter tido sorte e nunca precisou de nenhum conhecimento básico até hoje, mas acredite em mim quando digo que a vida é surpreendentemente imprevisível. É sério!

A que conhecimento básico me refiro?

Se você é capaz de lavar ao menos sua roupa, fazer sua própria comida, organizar e limpar a casa, cuidar de seus documentos, conhece os remédios que possa usar, mantém o banheiro limpo e arruma a sua cama, muito bem. Você tem o básico que toda pessoa devia saber, sobrevivencialista ou não, seja homem ou mulher.

Geralmente as mães ou pais, dependendo da situação, ensinam somente as suas filhas a fazer ao menos um arroz, feijão e bife, mas a seus filhos, não… E assim muitos garotos não sabem fazer nada do básico e sentem enormes dificuldades quando vão morar sozinhos, como ao fazer uma faculdade por exemplo.

Também existem as garotas que sempre tiveram empregados e penam muito no futuro, porque os pais deixaram para lá esta importante parte do aprendizado básico para a vida. Alguns falam que não é preciso – “minha filha vai ser doutora”.

Muitos pais não ensinam essas coisas por que querem “proteger” seus filhos. Eu penso que bons pais são aqueles que vão se tornando dispensáveis, à medida que o tempo passa. Reflita sobre essa afirmação. Como vai ficar seu filho ou sua filha se você algum dia por um motivo qualquer não puder “fazer as coisas” para ele ou ela?

E se você for um filho lendo esse texto, antes de aprender a “acender fogueiras com pauzinhos”, saiba usar um fogão comum e preparar comida de verdade, arroz, feijão, carnes e salada. Depois disso vá aprendendo outras coisas, arrume sua cama, aprenda a lavar roupas, depois continue aprendendo… Aprenda a usar agulha e linha para ao menos pregar um botão a camisa, aprenda a fazer pão você mesmo…É serio. Esse básico faz uma falta enorme se um dia você tiver que se virar sozinho.

Não importa se é ou vai ser engenheiro, médico, cientista… Aprenda o básico.

E mais uma vez, acredite em mim quando digo que a vida é surpreendentemente imprevisível. Aprenda o básico e assim as coisas vão ficar mais fáceis, seja morando sozinho ou em alguma crise qualquer.

Fonte: Sobrivencialismo

Sobrivencialismo: Aprenda o básico

Por Eremita Urbano

Para ser um sobrevivencialista, o básico é saber fazer “fogo com pauzinhos” e “entender de tudo sobre sobrevivência na selva”?

No post de hoje eu vou falar um pouco da minha percepção do básico. O texto serve para os mais novos refletirem e para alguns pais, talvez, reverem alguns conceitos.

Falando do básico

Talvez você precise em algum momento de sua vida ficar sozinho em casa, ou até mesmo morar sozinho e a única coisa que sabe preparar pra comer é miojo porque você não foi instruído e preparado com um elemento básico de manutenção da vida, que é saber preparar comida.

Mas não se envergonhe, não tem problema… Continuemos a leitura.

Talvez você ou seus pais tenham muito dinheiro pra bancar empregados, para fazer de tudo pra você e não tem nada de errado nisso, mas é bacana que você também esteja preparado e saiba cuidar das suas coisas e de si mesmo.

Aquele kit de primeiros socorros na sua mochila não serve pra nada se não saber usar de verdade.

Sabe, você pode ter tido sorte e nunca precisou de nenhum conhecimento básico até hoje, mas acredite em mim quando digo que a vida é surpreendentemente imprevisível. É sério!

A que conhecimento básico me refiro?

Se você é capaz de lavar ao menos sua roupa, fazer sua própria comida, organizar e limpar a casa, cuidar de seus documentos, conhece os remédios que possa usar, mantém o banheiro limpo e arruma a sua cama, muito bem. Você tem o básico que toda pessoa devia saber, sobrevivencialista ou não, seja homem ou mulher.

Geralmente as mães ou pais, dependendo da situação, ensinam somente as suas filhas a fazer ao menos um arroz, feijão e bife, mas a seus filhos, não… E assim muitos garotos não sabem fazer nada do básico e sentem enormes dificuldades quando vão morar sozinhos, como ao fazer uma faculdade por exemplo.

Também existem as garotas que sempre tiveram empregados e penam muito no futuro, porque os pais deixaram para lá esta importante parte do aprendizado básico para a vida. Alguns falam que não é preciso – “minha filha vai ser doutora”.

Muitos pais não ensinam essas coisas por que querem “proteger” seus filhos. Eu penso que bons pais são aqueles que vão se tornando dispensáveis, à medida que o tempo passa. Reflita sobre essa afirmação. Como vai ficar seu filho ou sua filha se você algum dia por um motivo qualquer não puder “fazer as coisas” para ele ou ela?

E se você for um filho lendo esse texto, antes de aprender a “acender fogueiras com pauzinhos”, saiba usar um fogão comum e preparar comida de verdade, arroz, feijão, carnes e salada. Depois disso vá aprendendo outras coisas, arrume sua cama, aprenda a lavar roupas, depois continue aprendendo… Aprenda a usar agulha e linha para ao menos pregar um botão a camisa, aprenda a fazer pão você mesmo…É serio. Esse básico faz uma falta enorme se um dia você tiver que se virar sozinho.

Não importa se é ou vai ser engenheiro, médico, cientista… Aprenda o básico.

E mais uma vez, acredite em mim quando digo que a vida é surpreendentemente imprevisível. Aprenda o básico e assim as coisas vão ficar mais fáceis, seja morando sozinho ou em alguma crise qualquer.

Fonte: Sobrivencialismo


Por: Sobrevivencialismo

Depois de perceber um crescente número de notícias relacionadas ao avanço do Ebola no continente africano, decidi fazer um vídeo informativo que compila tudo o que você precisa saber – até o momento – sobre essa ameaça e também forneço dicas de como lidar com ela caso a mesma apareça aqui pelo Brasil em alta incidência.

Não me delongarei muito em texto, afinal, já basta o vídeo longo. Segue abaixo:



Caso você possua mais informações sobre a situação ou queira corrigir algum dado relatado, fique à vontade para colocar nos comentários abaixo. Vamos tentar manter este post atualizado com os dados mais recentes e comprovados para informar o maior número de pessoas possível.

Até.


Fonte: Sobrevivencialismo

Sobrevivencialismo:Como se prevenir contra o vírus Ebola


Por: Sobrevivencialismo

Depois de perceber um crescente número de notícias relacionadas ao avanço do Ebola no continente africano, decidi fazer um vídeo informativo que compila tudo o que você precisa saber – até o momento – sobre essa ameaça e também forneço dicas de como lidar com ela caso a mesma apareça aqui pelo Brasil em alta incidência.

Não me delongarei muito em texto, afinal, já basta o vídeo longo. Segue abaixo:



Caso você possua mais informações sobre a situação ou queira corrigir algum dado relatado, fique à vontade para colocar nos comentários abaixo. Vamos tentar manter este post atualizado com os dados mais recentes e comprovados para informar o maior número de pessoas possível.

Até.


Fonte: Sobrevivencialismo

Por: Julio Lobo / Sobrevivencialismo

O sobrevivencialismo cresceu muito! Atualmente temos tanto conteúdo produzido que os iniciantes e recém chegados muitas vezes não sabem como ou por onde começar. Isso faz com que muitos acabem perdendo o interesse, simplesmente por não verem aplicação prática.

compassPensando nisso, decidi fazer uma espécie de guia para permitir que as pessoas entendam qual o começo, meio e objetivo final de ser um sobrevivencialista. Espero que gostem da explicação:



Enfatizo que eu elaborei o material baseado em minha experiência, logo, pode ser que haja um ou outro ponto de conflito com outros indivíduos experientes na área.
Até.

Fonte: Sobrevivencialismo

Sobrevivencialismo: Os 8 passos para se tornar um sobrevivencialista

Por: Julio Lobo / Sobrevivencialismo

O sobrevivencialismo cresceu muito! Atualmente temos tanto conteúdo produzido que os iniciantes e recém chegados muitas vezes não sabem como ou por onde começar. Isso faz com que muitos acabem perdendo o interesse, simplesmente por não verem aplicação prática.

compassPensando nisso, decidi fazer uma espécie de guia para permitir que as pessoas entendam qual o começo, meio e objetivo final de ser um sobrevivencialista. Espero que gostem da explicação:



Enfatizo que eu elaborei o material baseado em minha experiência, logo, pode ser que haja um ou outro ponto de conflito com outros indivíduos experientes na área.
Até.

Fonte: Sobrevivencialismo

Postagens mais antigas Página inicial
Curta-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Assine os Feeds Entre em contato